História Friends or lovers? - Imagine Jaehyun (NCT) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


demorei mais do que o esperado, mas finalmente aqui estamos nós. boa leitura!

Capítulo 6 - Quinto


 

A respiração quente do outro contra meu rosto, tornava visível sua ânsia pela objeção ao seu comentário anteriormente realizado, mas o calor emitido sobre minha face parecia estar se infiltrando em minha pele indo de encontro a tudo que me preenchia. Todo meu corpo parecia reagir com aquele simples olhar 

Sentia batidas rápidas em meu peito, nesse exato instante meu coração parecia estar me traindo e eu não entendia o motivo para tanto alvoroço dentro do meu peito. Até que seu polegar voltou a deslizar sobre a tez do meu rosto. Agora sim eu tinha certeza: não sabia de maneira alguma como lhe dar uma resposta!

— Você consegue imaginar quem seja? — levou a carícia até meu pescoço e dessa vez, reagi por inteiro quando todos os pelos se ouriçaram. Sorriu de canto ao perceber o que seu toque havia me causado, aquilo era uma provocação? E por que eu estava cedendo? 

— Tenho curiosidade para descobrir — pronunciei com o pouco de sanidade que ainda possuía, me mostrando o mais firme possível. Jaehyun visivelmente se divertia, principalmente quando se aproximou, ficando face a face, colidindo-as de leve

— Sooyoung — e uma onda de reprovação satisfez toda inquietação que havia me preenchido segundos antes. — E hoje à veremos! 

A garota mencionada era uma colega de escola da qual participara do nosso grupo de amigos mais próximos, tal que foi desfeito após a conclusão do ensino médio. Cada um foi para seu lugar e desses, apenas eu e Jae permanecemos tão juntos. Nos encontrávamos ocasionalmente, mas era surpreendente o fato dele nunca ter relatado isso para mim

— Sério? — o outro assentiu várias vezes com os lábios comprimidos. Permanci com o cenho franzido, a boca entortada, de certo modo, agora me sentia traída — Por que não me contou antes? Quando notou isso?

— Não queria que reagisse dessa maneira, eu descobri a pouco — pronunciou despreocupado enquanto olhava para o céu. Seu tom de voz estava diferente, mas eu não conseguia encontrar a verdade caso ele não me olhasse — Ah, como ela deve ter passado esse tempo? 

— Yonuh — chamei de maneira angustiada, apesar de buscar ao máximo me animar por ele finalmente estar seguindo em frente — Mas por...

— Eu estava brincando com você, boba — riu batendo a ponta do dedo em meu nariz — Seria impossível tudo isso, faz meses que eu não falo com a Soo e eu nunca te daria um anel de noivado caso quisesse aproveitar a noite como solteiro — piscou em minha direção, cruzando nossos braços

Suspirei aliviada e orgulhosa, sem saber o motivo para o meu alívio, e com aquele súbito surto de egoísmo, conclui que estava bem por descobrir que aquele não estava nutrindo sentimentos por pessoa alguma. Talvez essa fosse a razão da minha angústia e também, felicidade 

Sequer me daria ao trabalho de compartilhar consigo o que estivera sentido com apenas sua destra acariciando meu rosto e seu olhos pairados na minha direção. Me sentia constrangida de ter meu coração palpitando com um olhar tão singelo, apesar de me sentir tão confusa quanto

A única certeza que eu tinha é que eu não estava me apaixonando por Jung Yonuh, e que não poderia cogitar me apaixonar por Jung Yonuh 

Caminhávamos com os braços unidos como um nó, olhei de relance uma única vez para Jaehyun, que de perfil se tornava uma figura completamente angelical. Com um sorriso médio colocado em face, deduzi que ele iria perguntar a razão de o encarar por aquele longo período, só que uma voz se encontrou conosco 

“Eu não acredito no que meus olhos estão vendo!” — Lee Taeyong pronunciou com aquele seu jeito único, nos arrancando risadas — “Finalmente o casal nos deu o ar da graça” — se aproximou assim nos cumprimentando com um abraço firme 

— É bom ver vocês também, Tae — o Jung estava radiante, aquele era um dos seus amigos da época colegial — Mas não somos um casal — okay, para o Taeyong ele não tinha contado nada ainda. Com esse comentário, me esforcei ao máximo para esconder o brilhante que carregava no dedo anelar 

“Ainda, anota o que eu tô’ dizendo, vocês não são um casal ainda — e naquele instante, não senti desconfortável quanto das últimas vezes que ele comentou durante os últimos anos escolares — “Eu sempre disse que não é uma simples amizade o que vocês tem. Não é pra’ ser só amizade” 

Com o Lee ainda compartilhando seus pensamentos sobre nossa relação, caminhamos de encontro ao ambiente onde ocorreria tal evento, que era algo como uma reunião para amigos próximos da Joohyun. Assim que entramos ali, a feição de Jaehyun se alterou como se estivesse desesperado

— Pensei que teria muita coragem, mas ainda não tenho. Desculpa — ele murmurou. Assenti meio sem jeito, aquela era uma forma de dizer “eu ainda consegui esquecer a Lisa totalmente”, então nada de comentários sobre o nosso acordo — Mas não se preocupe pois não irei constrangê-la

E dizendo isso, seguimos destinos distintos, com Yonuh mostrando onde ficaria caso precisasse de algo. Nesse instante eu não queria ter nada disso em mente, apesar da preocupação que ficava me rondando, Jaehyun é crescido e tem consciência das atitudes que toma 

Por que agora me encontro tão imersa no que se refere a ele? — era a única coisa fixa em meus pensamentos enquanto virei o terceiro copo de um drink que muito provavelmente era alcoólico

“Ei, ei! A festa começou agora, deveria dar uma moderada” — um voz masculina, agora mais grossa da que eu conhecia, mas ainda suave soou e eu sabia muito bem de quem era. Girei os calcanhares para dar de caras com aquele que esperava — “Você deve ter sentido minha falta”

Woo — o chamei animadamente correndo para o abraçar. Havia passado tanto tempo desde a última vez que nos víamos — Eu não devo ter sentido, eu senti sua falta

Logo ao soltar do abraço fiquei o encarando com um sorriso preso nos lábios, ele também aparentava estar feliz por me ver depois de longos anos. Nós não fomos tão próximos no colegial, mas com o fato de sermos do mesma classe e o rapaz ser extremamente gentil, nos tornamos bons amigos 

“O que andou fazendo?” — indagou, apoiando os cotovelos no balcão dando total atenção a mim — “Sempre quis saber que caminho seguiu, mas você sumiu”

— Estive estudando e trabalhando também — respondi a si — Nem precisei procurar sobre você, chegou aos meus ouvidos antes que havia passado em medicina — vi suas bochechas se tornarem rosadas e toquei em seu ombro de leve

Após isso, passamos longos segundos comentando sobre como havíamos passado esse tempo. E apesar de várias mudanças comentadas, Jungwoo continuava aquele ser brilhante que sempre fora, conversar consigo sempre fora uma atividade extremamente agradável 

Tivemos nossa atenção alterada quando Joohyun se aproximou de nós e pediu para que nos reuníssemos juntos a outros em uma mesa. Chegamos próximo e Jaehyun estivera guardando meu espaço ao seu lado, me despedi do Kim brevemente e fui me posicionar naquele assento 

— Vejo que se encontrou com um amigo especial — o Jung pronunciou perto do meu ouvido e eu ri. Jungwoo sempre estivera ao meu lado nas situações que Jae não podia, o que acabava deixando o mais velho a cogitar que estaria me perdendo — Sempre bom esses reencontros, não é? 

— O Jungwoo é alguém interessante... — disse na intenção de ver sua reação, que foi a melhor possível. Seus olhos arregalaram da maneira que eu jamais tinha visto e vi seu braço dar um tremelique. Comecei a rir — Eu estava brincando com você, bobo 

Com o tempo o restante do pessoal foi terminando de se reunir, ainda tive tempo para procurar por Lalisa na mesa de forma de discreta, mas não consegui encontrá-la, era melhor assim, certo? E de uma maneira simples, a conversa fluiu até chegarmos no tópico: Relacionamentos 

“Eu não sei vocês, mas eu já garanti a minha” — Kim Doyoung pronunciou, rapidamente pegando a mão de Sooyoung e ali deixando um selar. Yonuh estivera boquiaberto, apesar de não ser nada que ninguém soubesse 

— Você não está tão triste, né’? — bati de leve em seu ombro, rindo 

— Por que estaria se eu tenho você? — murmurou e me encarou. Sua face sem expressão alguma me fez fechar o sorriso, em aflição. Logo soltou uma piscadela para minha direção e bebericou algo presente no seu copo

“Eu não sei o quê vocês achavam, mas para mim, o Jaehyun ia terminar o ensino médio e esperando o segundo filho” — Chittaphon soltou, do outro lado da mesa e todos caíram na gargalhada, até mesmo o mencionado 

— É essa a imagem que vocês tem de mim? — forçou um desespero, colocando as mãos na cabeça e massageando as têmporas com as pontas dos dedos 

“Sim” — Yerim respondeu sem pudor 

“Qualquer um que via você naquela época, desejava força e perseverança a futura namorada” — Doyoung brincou

“Oh gente, vocês são muito exagerados, ele nem é tudo isso” — Sooyoung se fez presente em defesa — “Além de ser uma pessoa muito boa e esforçada”

— Pelo menos alguém me reconhece de verdade — desabafou, completando com um high five — Por isso eu gosto da Sooyoung — e me olhou, como se explicasse algo

“Tanto que ele está bem melhor, depois de algumas pessoas ” — Taeyong iniciou como se não quisesse — “Até hoje ele não se declarou para a ______” — e voltaram a rir. Franzi o cenho sem entender muito, mas segui a reação dos demais 

“Talvez ele não tenha feito isso por algum motivo passado...” — Chaeyoung pronunciou e naquele instante eu senti que se me retirasse da mesa aquele assunto cessaria, pois já estava entrando em algo que não deveria ser comentado

Pedi licença e dessa maneira me retirei brevemente, caminhei em direção ao banheiro que estava vazio. Me aproximei daquele balcão onde a pia estava e pressionei a pequena torneira para que a água pudesse sair e comecei a lavar minhas mãos 

“Bonito o seu anel” — sorri e ergui a cabeça para agradecer, acabei dando de caras com aquela que não vi a noite inteira — “É a cara do Jae, foi ele quem lhe presenteou?” — indagou, enquanto se aproximava, me olhando indiferente 

— Como você é capaz de chamar o nome dele assim com tanta leveza depois de tudo que fez? — recuei um pouco, minha indignação se fez presente nas minhas feições e tom de voz

“Porque eu sei que vivemos algo de verdade e ele ainda não me esqueceu” — sua voz soou como um deboche — “Sinceramente, não sei como você consegue se sentir confortável como segunda opção” 

— E eu não sei como tem coragem de tentar me ofender após traí-lo da pior maneira possível! — meu riso saiu anasalado — Não estou com ele para servir de segunda para ninguém, talvez seja porque diferentemente de você, Yonuh sabe reconhecer e tratar alguém da melhor maneira possível!

“Acha mesmo que seus discursos baratos me compram? Acha mesmo que não sei quantos dedos você moveu para acabar com nosso relacionamento? Acha mesmo que ele nutre algo tão forte por você quanto nutria por mim?” — seu tom estava aumentando gradativamente, ela estava ficando com taiva

— Felizmente o relacionamento de vocês estava acabado há tempos. E pouco me importa quanto de sentimentos Jaehyun possui por você, apenas quero que ele possa te esquecer e se possível...até comigo — desviei da sua figura e me encaminhei para abandonar aquele ambiente, mas Lisa prendeu meu braço 

“Você acabou de deixar claro que ele não me esqueceu?” — sorriu de forma vitoriosa. Respirei fundo, pressionando meus olhos com força — “Belíssimo o discurso, o problema é que eu nem precisarei reconquistá-lo. Ele volta para mim assim que eu pisar naquela sala de estar” 

— E por que você se submeteria a isso de novo? — cruzei os braços movendo me corpo em sua direção — Não tem um pouquinho de orgulho a zelar? — franzi o cenho, enquanto deitava um pouco minha cabeça 

“Porque eu sinto que falhei com o Jaehyun, além de que há situações passadas suas que você não vai gostar que sejam expostas para seu amigo...Então, não tente” — alertou, entortando o nariz — “Agora, a melhor coisa que você tem a fazer é ir embora antes que eu comente algo” — piscou para mim e se retirou

Um calafrio percorreu meu corpo, permaneci de pé na mesma posição. Eu não devia reagir a suas ameaças dessa maneira, mas havia esquecido como ela jogava sujo. Retirei todo o ar dos meus pulmões, depois de todo esse tempo eu iria me sentir entregue novamente? Não tinha medo que Jaehyun soubesse, tinha medo de sua reação 

Voltei para a mesa completamente nervosa, uma música agora soava muito alto e enquanto vários dançavam, o Jung permanecia sentado, conversando. Seu olhar de preocupação se virou completamente em minha direção, e com um aceno de cabeça, ele entendeu o que queria. Peguei seu pulso, nos guiando para um lugar um pouco afastado de toda aquela barulheira 

— O que aconteceu? — Yonuh começou a interrogar enquanto tocava em minha tez na intenção de sentir a temperatura do meu corpo — Parece inquieta, quer algo para beber? Comer? Desde que chegamos não vi você comer nada! — exclamou, pegando em minhas mãos 

— Não aconteceu nada, eu prometo! — levantei a mão estendida, forçando um sorriso — Só recebi uma mensagem dizendo que preciso analisar a papelada antes de entregar e estou extremamente cansada, tenho que acordar cedo para ver tudo isso, então não posso ficar mais tempo aqui. 

Um bico se formou em seus lábios, perguntou se eu queria que ele me levasse, mas estava se divertindo tanto e tão enturmado com aqueles, que decidi negar, além de não querer incomodá-lo após tamanha mentira. Me encaminhei para os demais e me despedi de cada, ainda procurei por Jungwoo, só que fora sem sucesso 

— Tem certeza que não quer que eu lhe leve? — interrogou novamente, agora do lado de fora. — O clima está frio além de ser tarde da noite para voltar só! 

— Eu pego um táxi mesmo, tem vários por aqui — ele ainda não tinha se satisfeito de minha resposta, mas decidiu não insistir — Estou indo da intenção de deixá-lo aqui para se divertir por nós — mostrou um sorriso simples

— Irei sim, só que agora... — disse, começando a retirar seu blazer para me entregar — Como não irei levá-la, não quero que congele enquanto espera — completou, colocando aquela peça de roupa sobre meus ombros 

— Muito obrigada, mas pare de me enrolar e volte para sua conversa — ri, enquanto ele resmungava sobre eu estar sendo mal agradecida 

— Ok. Eu amo você — beijou o topo da minha cabeça e se retirou. Aquelas simples palavras, pronunciadas pelos seus lábios dirigidas a mim já haviam sido ditas diversas vezes, mas dessa vez, meu coração aqueceu e se apertou um pouquinho. 

Era tolo pensar que ele iria insistir em me levar?  Porque se ele tivesse perguntado novamente, eu cederia com toda certeza. E que eu havia dado brecha para Lisa tentar se aproximar? Será que ele também cederia? Será que ele aceitaria reatar? Pensar em tudo isso era angustiante! 

Na realidade não havia táxi nenhum por ali, agora, apenas eu e diversos carros estacionados em uma rua relativamente esquisita. Não sabia para onde ir então comecei a caminhar tentando encontrar um rumo, do qual não tinha o mínimo de noção. Um barulho acabou com a calmaria que antes prevalência, era o som do um carro 

Cogitei começar a correr, mas não fazia muito sentido já que o carro seria mais rápido. E caso eu me fizesse de morta, ele provavelmente se aproximaria para checar. Dar a meia volta e entrar de novo onde acontecia a festa? Caso ele fosse um assassino, ia acabar com todos aqui. Estava perdida

“_______” — o sequestrador gritou meu nome. Mas não soava como voz de sequestrador, era similar a alguma que já ouvira antes — “Quer uma carona?” — com essa pergunta consegui assimilar a voz a uma pessoa conhecida

Era Jungwoo

 


Notas Finais


bem, o capítulo de hoje ficou longe dos 100%, não me senti tão agradada com ele, mas precisava trazer algo para vocês, a narração ficou bem fraca então desculpa.
O que acharam? Que história é essa que a Lisa sabe? E esse Jungwoo aparecendo agora?
volto logo, perdão qualquer erro e até a próxima :)
ps: eu precisava muito colocar o woo aqui, tô com muita saudades


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...