1. Spirit Fanfics >
  2. Friends or Lovers >
  3. Desespero

História Friends or Lovers - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Agora sim, vamos atacar o bruxão com tudo o que ele puder e não puder aguentar <3
enjoy amores <33

Capítulo 2 - Desespero


Fanfic / Fanfiction Friends or Lovers - Capítulo 2 - Desespero

DESESPERO

Sabia que não podia ficar o dia todo a esmo, tinha que enfrentar o menor. Uma hora ou outra. Retirou suas calças e entrou no rio. Queria estar lavado para ir de encontro ao mais novo. Iria pedir mil vezes perdão. Iria dizer que era mentira o que havia dito. Foi rude e mentiroso. Ele o amava. Desde muito tempo, mas era covarde demais para admitir que estava apaixonado por um ser humano. Um humano falante e poeta que cantava por tudo e falava por todos.

Se lavou naquela manhã nublada. Ficou totalmente limpo e sóbrio já que bebera tanto durante a noite que havia ficado até tonto.  Os cabelos estavam limpos e cheirosos, pegara um ramo de flores do campo e fez uma espécie de feitiço onde aquilo se transformou no melhor sabão que seu corpo já usara. Queria estar à altura do outro. Sabia que ele merecia muito mais. E por merecer mais que ele pediria perdão de joelhos, se fosse preciso se humilharia, mas não perderia mais Jaskier por nada neste mundo. As palavras do mais novo durante a noite mexeram demais com seu coração. “última vez” era o que mais ressoava em sua mente. Fez o caminho de volta para a hospedaria bem lentamente. Processando tudo o que havia acontecido, e o que teria que ser mudado. Pediria perdão. E se o outro o perdoasse prometeu ser o melhor companheiro que ele jamais teve. Procuraria um jeito de prolongar a vida de Jaskier junto a sua. Finalmente entendera seu ódio repentino durante a noite. Ser comparado a outro cara estava fora de cogitação, em sua mente Jaskier era só seu. E ninguém tinha o direito de tocá-lo. Te tomá-lo e de amá-lo. Ninguém além de si mesmo.

Havia parado na porta da hospedaria. Ele não era um humano, mas nessas circunstâncias tremia mais que um quando via um vampiro em sua frente.  

-Jovem rapaz? – chamou a idosa dona da hospedagem-

-Sim?

-Como seu amigo foi embora, você pretende ficar mais?

Se tivesse comido algo teria vomitado ali mesmo, tremeu da cabeça aos pés, seus pelos arrepiaram todos e uma sensação ruim veio a sua garganta.

-Como disse?

-Oh... você não sabia? Ele partiu tem mais ou menos uma hora. Ele agradeceu a estadia e saiu. Parecia ferido. Eu chamei um dos rapazes que fazem viagens em suas carroças e foi embora. Não sei o porquê, mas tinha um sorriso tão triste que eu comecei a chorar.

-Correção a senhora ainda está chorando.

-Oh me desculpe. Mas lembrar daquele sorriso me fez ficar novamente emotiva. Sou tão velha e tão mole.

-Senhora vou ficar e aguardar o rapaz que o levou, tenha a bondade de me avisar assim que ele chegar?

-Combinado. Cobrarei somente meia estadia.

Geralt não era de demonstrar gratidão, mas como era uma idosa sorriu minimamente e seguiu para o quarto. Não queria correr para não assustar ninguém, já que haviam mulheres grávidas, idosos e crianças na hospedagem. Mas andou em passos apressados e entrou no quarto. Encontrou os lençóis sujos de sangue alguns vidros de poções já tomadas e uma banheira com cheia com um banho esquisito. Provavelmente Jaskier teve uma pequena ou média hemorragia e Yeenefer teve de fazer algo mais forte para que ele não tivesse nenhuma complicação ou sequela.

Se olhou no pequeno espelho no toilette e sentindo-se um monstro quebrou o espelho apenas com um soco. Os cacos cortaram sua mão e ele apenas ignorou como se não fosse nada. Ao se aproximar da cama viu aquele pedaço de papel endereçado a si. Uma corrente elétrica subiu pela sua espinha, seus ossos pareciam ter perdido a força e se rendendo ao desespero sentou para ler a mesma...

 

Geralt

Não sei o que se passou em sua cabeça quando eu lhe disse o desaforo.

Não sei o que te deu, para tamanho ódio com a minha pessoa. Mas eu cansei. Eu apenas cansei. Cansei de ser culpado de tudo, de ser maltratado, de ser pisoteado e de ser humilhado.

Respirou fundo e seguiu lendo a carta um sentimento estranho tomou conta de seu corpo, ele não era humano, não sentia como um, mas naquele momento se sentiu muito mais impotente que um. Geralt era um bruxo que normalmente não temia nada, porém segue lendo a carta temendo pelo pior. Temendo que tivesse perdido tudo o que teve de mais precioso nos últimos 65 anos.

Não que para você vá fazer quaisquer diferença já que meu canto é como uma torta sem recheio, minha voz é horrível e eu sou o humano mais chato e desagradável que você teve o desprazer de conhecer.

Porém antes de partir quero que saiba Geralt, eu te amo ... eu realmente te amei. E é por ter te amado tanto que para mim chegou ao fim nossas aventuras. Siga seu caminho, seja feliz e eu desejo vida longa a você.

Com amor, Jaskier.

Ao ler o final assistiu uma gota cair naquele pedaço de papel, e atrás dessa gota vieram muitas mais. Com medo de estragar o que sobrou de Jaskier ele dobrou o papel e naquela solidão, naquele cômodo com o cheiro do bardo ele desabou. Ele nunca havia chorado por nada nesse mundo. Viu muitas mortes que deveriam ter lhe arrancado lágrimas. Viu Yeenefer quase morrer uma vez, isso quando ainda tinham um caso, e nem mesmo isso lhe arrancou água de seus olhos e apenas um pedaço de papel do mais novo foi capaz de desestabilizar seu emocional totalmente. Ele arrancou o lençol manchado com o sangue do bardo e o queimou com um feitiço. Deitado na cama ele se agarrou ao travesseiro com o cheiro de Jaskier e chorou o que nunca chorou em sua tão longa vida.

am i empty?
or just overflown?
maybe tommorow this problem will dissapear
do you think i am the offened
i sit around wondering where you have been
i dont think you understand me
at all
i dont think you understand me at all
i dont think you understand me at all
at all

 

 

Ele apagou por exaustão, por desespero e acima de tudo por culpa. E lá ficou até escutar batidas calmas na sua porta.

-Rapaz? A carroça que levou seu amigo já retornou a estalagem. Quer que eu o chame?

-Não precisa. Eu vou me arrumar para partir e a senhora me mostra o condutor.

-Estarei lá na frente lhe aguardando.

Ele não respondeu e sabia que ela não aguardaria respostas. Tratou de levar os vidros que Yeen deixou para trás e esvaziou a banheira tirando todo o indicio de magia que tivesse ali. Agarrou a carta que o mais novo deixara e jurou ali que iria encontra-lo custasse o que custasse. Mesmo que custasse sua vida ele o encontraria. Ele se desculparia, se humilharia se fosse necessário. Mas teria seu bardo de volta.

Poucos minutos depois, ele se apresentou a idosa que recebeu o valor integral do dia, já que ele arrumou uma desculpa para os lençóis perdidos. Ela aceitou, e o levou até o rapaz. Antes de se virar para volta a sua hospedaria ela ainda lhe deu um conselho.

-Se você realmente o amar, peça o mais sincero de seus perdões. Eu sei que bruxos são conhecidos por não terem sentimentos, mas eu também sei que todos os seres que respiram e vivem sentem algo sim. Seus olhos expressam nesse momento toda a dor que uma pessoa com o amor perdido pode sentir. Espero de coração que você o reencontre. Por favor rapaz se isso acontecer volte aqui para que eu possa vê-los juntos e bem.

A velhinha se virou para partir e recebeu um beijo em sua delicada mãozinha.

-Obrigado. Prometo que assim que nos reconciliarmos eu o trago aqui para a senhora vê-lo.

-A estadia na ocasião será por conta da casa.

Viu a senhorinha se afastar e deu um mísero sorriso.

-Humanos... imprevisíveis

Se virou em direção ao rapaz que cuidava do pangaré todo preto.

-Foi você que por acaso levou um bardo numa viagem paga?

-Sim, eu mesmo senhor. Por que pergunta?

-Ele estava comigo, eu gostaria de saber para onde ele foi.

-Me desculpe senhor, mas o pobre rapaz me implorou para que eu não contasse.

Geralt respirou fundo, pensou em usar seu olhar amedrontador em cima do pobre coitado, mas não podia mais descontar suas frustrações e erros em cima de inocentes. E fez algo que nunca em toda sua fudendo vida havia feito.

-Por favor, eu preciso falar com ele é caso de vida ou morte.

Viu o moço respirar fundo. Também viu ele olhar para o céu e pedir perdão a algo invisível.

-Somente por ser caso de vida ou morte. Ele foi pra Runor.

Geralt gelou na mesma hora. Sabia que naquela cidadela ridiculamente grande havia muitos feiticeiros e magos. Ele realmente ficou apavorado com a possibilidade de Jaskier fazer alguma besteira.

-Obrigado.

Virou como um furacão e foi ao estábulo pegar Plotka, que ficou olhando em volta procurando por Jaskier.

-Ele não vem Plotka. Ele partiu. Nós vamos atrás dele.

Até mesmo a pobre égua sentiu a falta de Jaskier que sempre lhe presenteava com maças vermelhinhas e suculentas.

-Não me olhe assim. Eu não sabia que faria ele ir embora e. – achou melhor parar pois até mesmo a égua lhe julgava naquele momento-

-Ok vamos atrás dele.

Seguiram para o oeste em direção a Runor, e rezando internamente para que Jaskier não fizesse NADA do que fosse se arrepender depois.


Notas Finais


esse é só o começo dos problemas para geralt <3 o 3 está pronto e o 4 em andamento eu pretendo não me prolongar muito mas o que a fanfic durar Geralt vai sofrer <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...