História Friends or more? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Loona
Personagens Choerry, Chuu, GoWon, HaSeul, HeeJin, HyunJin, Jeon Jeongguk (Jungkook), JinSoul, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Lip, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Olivia Hye, Park Jimin (Jimin), ViVi, Yeojin, Yves
Tags 2jin, Chuuves, Hyewon, Lipsoul, Oliwon, Taekook, Viseul, Yeorim
Visualizações 101
Palavras 4.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nas ferias eu vi um filme muito bom, então eu acabei tento essa inspiração para essa fanfic, apesar de ser uma vaibe parecida, é um diferente do filme ksks se alguém souber qual é o filme, vou achar muito top :') sinceramente espero que gostem, eu ia postar antes, mas fiquei com preguiça k :")


Boa leitura sz

Capítulo 1 - New roommate


- Acho incrível que nunca tenho sorte quando me colocam aleatoriamente em algum quarto, sempre é alguém que me traz problemas — falou Chaewon escorando-se na parede enquanto cruzava as pernas — dá primeira vez tive que ficar no quarto de uma problemática, a garota era louca! — falou revirando os olhos — a segunda vez precisei dividir o quarto com Hyunjin, nunca nos demos muito bem, sabe disso, sorte que a supervisão notou antes de acabar ocorrendo um homicídio em um dos dormitórios, na terceira vez não tinha como dividir o quarto com aquela garota estranha da marcenaria, tive que implorar para mudar e ainda falaram que essa seria a última vez que eu mudaria de quarto, agora não faço a menor ideia de quem é minha colega de quarto até o final do colegial.

 

 

- Você reclama muito, Chaewon — falou Jiwoo suspirando enquanto apoiava as mãos na cama e olhava para a amiga — o que o supervisor falou exatamente para você?

 

 

- Ele disse que eu não posso mais trocar de quarto, estourei o limite — bufou Chaewon — espero que minha nova colega de quarto não seja uma maluca ou pior... uma sapatão — falou formando uma cara de desgosto.

 

 

 

 

Jiwoo suspirou novamente, ajeitou-se sentada na cama e fitou a amiga que revirava os olhos ao lembrar que não poderia trocar de quarto. Lançou um olhar para o outro lado do quarto assim que escutou o som de algo caindo, não soube identificar se aquilo acabou sendo proposital ou acidental.

 

 

 

 

- O que sua amiga está fazendo? — perguntou Chaewon olhando na direção que Jiwoo também olhava.

 

 

- Não faço ideia... — falou Jiwoo — Sooyoung, o que é isso? — perguntou arqueando uma de suas sobrancelhas.

 

 

 

 

 

 

 

Sooyoung acabou virando-se com um alicate em mãos, estava com uma expressão séria, o que a fez cruzar os braços e encarar as duas que estavam em sua cama.

 

 

 

 

 

- Trabalho de física — falou séria — se me dão licença, essa conversinha de vocês está me atrapalhando, ainda não sei porque vocês vieram para o meu quarto.

 

 

 

 

 

Jiwoo acabou deixando uma expressão triste forma-se em seu rosto, sabia a razão na qual Sooyoung estava tão séria e provavelmente com raiva. Não poderia rebater agora, Chaewon estava por perto, ela era a causa, sabia claramente disso, sua amiga não fazia ideia do quanto Sooyoung tinha ódio das coisas que a mesma falava, Chaewon poderia ser uma ótima amiga, mas sua cabeça era tão fechada que não conseguiria dizer nada a respeito contra os pensamentos ultrapassados da amiga sem acabar perdendo uma grande amizade de infância.

 

 

 

 

 

- Ela é sempre tão antipática? — perguntou Chaewon encarando Jiwoo.

 

 

- Ela só está de péssimo humor — Jiwoo forçou um sorriso nervoso, não poderia simplesmente dizer “ela está assim porque você falou “sapatão” como se fosse algo ruim e errado, Chae”.

 

 

- Ah, certo, entendi — Chaewon respirou fundo e encarou Sooyoung, formou um sorriso no rosto e então falou — trabalho de física, não é? Bem, é compreensível você está de mal humor, exatas é uma droga.

 

 

- É uma droga que eu dependo para me formar um dia — falou Sooyoung formando um sorriso falso ao rosto — agora se me permite, vou terminar de fazer esse circuito elétrico.

 

 

 

 

 

 

 

Chaewon ficou calada, olhou para sua amiga que apenas encarou o chão. Após alguns segundos à porta do quarto acabou sendo aberta, Kim Jungeun conseguia ser muito mais séria que Ha Sooyoung, julgando a forma que a mesma estava, acabaria expulsando Jiwoo e Chaewon daquele quarto o mais rápido possível, finalmente daria paz para a pobre Sooyoung que já não estava com paciência.

 

 

 

 

 

- Achei que não gostasse de gente no quarto enquanto trabalhava em projetos, Yves — falou Jungeun lançando um olhar para as duas garotas sentadas na cama de sua colega de quarto — também não sabia que era amiga da Park.

 

 

- Não gosto e não sou — falou Sooyoung focando em seu trabalho de física.

 

 

 

 

 

 

 

Chaewon acabou levantando-se da cama e fitando Jungeun com um sorriso ao rosto, não queria ser expulsa do quarto e não poderia ir conversar com Jiwoo no quarto dela, já que a colega de quarto de sua amiga lhe dava um pouco de repúdio já que tinha uma enorme suspeita, que havia sido até provada que era certa, dela ser sapatão, como se referia, também não estava nem um pouco a vontade de ir procurar seu novo quarto, então seria gentil com a segunda dona do quarto alheio.

 

 

 

 

 

- Kim Jungeun, da turma 3 do 3º ano, tem destaque em gastronomia, certo? — perguntou Chaewon com um sorriso ao rosto.

 

 

 

- Nem tenta ser simpática, Chaewon — falou Jungeun arqueando uma das sobrancelhas — eu quero paz no meu quarto e sei que Sooyoung também quer, então vaza daqui — falou fazendo com que Chaewon desmancha-se o sorriso — vaza também, Jiwoo.

 

 

 

 

 

 

Chaewon bufou e acabou levantando-se, olhou na direção da amiga e percebeu o olhar pidão da mesma em direção à Sooyoung para continuar ali, mas julgando a forma que a outra estava, Jiwoo apenas se deu por vencida e falou o que deveria.

 

 

 

 

- É melhor sairmos mesmo — falou Jiwoo fazendo com que Chaewon revira-se os olhos e bufasse em seguida — você precisa arrumar suas coisas no seu novo quarto, Sooyoung precisa de paz, Jungeun não nos quer aqui e eu... — parou brevemente lançando um olhar para Sooyoung, logo voltou a encarar Chaewon, suspirou e falou — preciso resolver um assunto importante.

 

 

- Que assunto? — Chaewon franziu o cenho, o que fez Jiwoo acabar ficando nervosa, era uma péssima mentirosa.

 

 

- Algo particular — falou andando na direção da porta e puxando a amiga pelo pulso enquanto a mesma pegava rapidamente a mala e a mochila que estavam ao chão — vem, eu te ajudo a achar seu quarto.

 

 

 

 

 

 

Chaewon bufou, saiu do quarto segurando suas coisas, quando escutou a porta fechando atrás de si, olhou na hora, acabou rindo cinicamente enquanto deixava suas coisas no chão, não achava que Jiwoo iria realmente a deixar para fora do quarto que nem dela era, ficou ali em frente à porta, iria esperar sua amiga sair, como ela havia dito: “eu te ajudo a achar seu quarto”, agora ficaria ali esperando a Kim cumprir com sua palavra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jiwoo suspirou do lado de dentro do quarto, virou-se na direção de Sooyoung e a viu a encarando, caminhou em sua direção enquanto formava um bico aos lábios, sabia que esse era um dos pontos fracos da mais alta. Parou em frente a ela enquanto a observava cruzar os braços e continuar com o semblante sério em relação a si.

 

 

 

 

 

 

- Nem adianta se desculpar pela a sua amiga, Jiwoo — falou Sooyoung — e outra, quando irá contar a ela?

 

 

- Quando ela tiver uma mente mais aberta — suspirou Jiwoo — não fica com raiva, Soo — falou colocando os braços em volta do pescoço da mais alta enquanto aproximava-se mais.

 

 

 

- Como não vou ficar com raiva tendo aquela garota por perto? — falou Sooyoung esboçando uma feição de desagrado, o que acabou arrancando uma risada vindo de Jungeun e um olhar de reprovação de Jiwoo.

 

 

- Ela não é alguém ruim — repreendeu Jiwoo — e você, pare de rir — falou olhando na direção de Jungeun — vai me dizer que concorda com Sooyoung agora? Sobre ela ser alguém ruim?

 

 

- Você é a única que não vê o quão terrível ela consegue ser — falou Jungeun rindo — acho incrível como você é tão doce, Chuu, não consegue ver maldade nem no próprio satanás.

 

 

 

Jiwoo acabou retirando os braços de Sooyoung, os cruzou e olhou visivelmente com raiva para a colega de quarto de Sooyoung.

 

 

 

 

- Chaewon não é uma pessoa ruim, ela só tem a mente fechada — falou séria e viu Jungeun formando um sorriso no rosto.

 

 

- Então por ela ter uma mente fechada você fica fingindo que Sooyoung é só uma amiguinha para ela não perceber que você é a coisa que ela mais odeia?

 

 

 

 

 

 

Jiwoo descruzou os braços, suspirou derrotada, apenas sentiu o braços de Sooyoung passarem por sua cintura.

 

 

 

 

 

- Pare com isso, Lip — falou Sooyoung— por mais que eu odeie a amiga da minha namorada, não precisa relembrar que precisamos fingir que não temos nada só para ela não perder uma amizade de tempos.

 

 

 

 

 

 

Jungeun novamente franziu o cenho, acabou sentando-se em sua cama, já que antes estava deitada, encarou as duas e por fim deu de ombros.

 

 

 

 

 

 

- Não entendo como aguentam isso, se eu fosse pelo menos uma das duas, já teria falando na cara dela que era lésbica. Apesar de também achar que ela só é homofóbica por ela também ser e apenas não querer admitir, conheço algumas história sobre isso, pensem bem, os “héteros” homofóbicos na verdade só estão louquinhos para experimentarem alguém do mesmo sexo, porém negam até a morte por conta da família ultrapassada que tem, muitas vezes também é por conta de uma igreja idiota e hipócrita que fala que ser homossexual é doença. Eu realmente acho que Chaewon é uma dessas — falou Jungeun calmamente, ela estava certa de alguns argumentos, mas de fato não sabia sobre Chaewon, aquilo acabou despertando o mesmo pensamento em Sooyoung, mas Jiwoo apenas suspirou.

 

 

- Chaewon não é lésbica, Jungeun — falou Jiwoo suspirando — eu a conheço, a cabeça dela funciona na base do que ela acredita, mas você está certa sobre a família ultrapassada, os pais dela são bastante homofóbicos, então essa foi a base dela.

 

- Está me dizendo que desde pequena Chaewon cresceu ouvindo “ser homossexual é errado”? — Jungeun perguntou a Jiwoo que apenas afirmou com a cabeça — me diz, quais argumentos bíblicos eram usados com ela? — perguntou rindo.

 

 

- A família de Chaewon não tem religião fixa, na verdade acho que nem religião tem — falou Jiwoo revirando os olhos e fazendo Jungeun parar de rir — eles são intolerantes, acham que o mundo está perdido por a sociedade está querendo mudar o conceito de tudo, acham errado qualquer coisa que não seja tradicional, resumindo, são todos mentes fechadas.

 

 

 

 

 

 

Jungeun acabou revirando os olhos e deitando-se novamente em sua cama, não iria falar mais nada, já que não teria mais razão para discutir sobre isso, agora só precisava de paz.

 

 

 

 

 

 

- Chaewon deve estar esperando lá fora — falou Jiwoo virando-se para Sooyoung — vejo você outra hora?

 

 

- No horário do almoço de amanhã, talvez — Sooyoung formou um sorriso doce ao rosto, o que fez Jiwoo também sorrir e aproximar-se da maior dando um beijo calmo na mesma.

 

 

- Até amanhã, meu amor — falou Jiwoo sorrindo e caminhando até a porta.

 

 

 

 

 

 

 

Acabou saindo do quarto, olhou para frente e viu a amiga escorada na parede olhando para cima como se estivesse pensando em algo, a tocou no ombro, fazendo com que quebrasse a linha de seu raciocínio e uma expressão irritada no rosto se formasse.

 

 

 

 

 

- Por que demorou para sair? — perguntou Chaewon.

 

 

- Estava pedindo uma coisa a Sooyoung, sabe, ela é boa em exatas— falou Chaewon tentando ao máximo disfarçar o real motivo — já sabe o número do seu quarto?

 

 

- Sei... — Chaewon suspirou desencostando da parede e pegando suas coisas ao chão.

 

 

 

 

 

Jiwoo acabou sorrindo e indicou com a cabeça para que Chaewon começasse a andar. As duas andaram juntas lado a lado, porém um silêncio reinava entre elas, Jiwoo até pensou na possibilidade de falar sobre algo com Chaewon, não precisava ser de cara sobre o relacionamento dela com Sooyoung, mas poderia ser sobre o mau hábito de Park com algumas coisas do gênero, em algum momento deveria contar a sua amiga e não iria querer contar recebendo um argumento fajuto vindo de sua amiga dizendo que isso não era certo e que ela só estava confusa. Cogitou a ideia de começar a falar algo, mas agora já estavam em frente ao suposto quarto de Chaewon, Jiwoo suspirou fundo e fitou a amiga que pegava a chave dentro de sua mochila.

 

 

 

 

 

- Err... Chae? — falou Jiwoo chamando a atenção de sua amiga que apenas respondeu um “hm?” enquanto destrancava a porta do quarto — sobre o que falou antes... de não ter que dividir quarto com uma lésbica... me responde uma coisa, qual seria o problema se sua nova colega de quarto gostasse de alguém do mesmo sexo?

 

 

 

 

 

Chaewon suspirou, acabou virando-se e deixando as mãos na cintura, Jiwoo sabia que algo bom não sairia da boca de Chaewon, não sabia nem porque acabou entrando nesse assunto com a mesma, aquilo havia sido uma péssima ideia.

 

 

 

 

 

- Sabe o que penso dessas sapatões — começou a falar — minha mãe sempre me falou que elas estão querendo mudar a natureza humana, ela também me diz que muitas das vezes gostam de se parecerem com caras para que seja mais fácil nos seduzirem e acabar com o que é certo. Se minha colega de quarto for uma sapatão, com certeza irá dar em cima de mim, elas são todas iguais, que nem os caras idiotas, não perdem a oportunidade.

 

 

 

 

 

Jiwoo suspirou, deveria rebater esse argumento totalmente errado, mas se caso Chaewon perguntasse o porquê de defender, iria travar na hora, sua amiga sempre falou que maioria das pessoas que defendem a causa são homossexuais, então automaticamente já iria apontar o dedo para si e dizer que era lésbica. Jiwoo sabia muito bem que para defender essa causa não precisa necessariamente ser LGBT, mas o assunto era Chaewon e ela só acreditava naquilo que sua mãe lhe contava, novamente a Kim estava perdida no que fazer, não sabia como reagir agora, apenas olhou para Chaewon com uma expressão de abalo.

 

 

 

 

 

- Ah, certo — falou Jiwoo afastando-se — eu vou para o meu quarto, como falei antes, tenho que resolver uma coisa, até depois, Gowon.

 

 

- Até, Jiwoo...  — Falou Chaewon estranhando o apelido de infância sendo dito, não optou por saber a razão, apenas direcionou seu olhar para a porta enquanto a abria.

 

 

 

 

 

 

 

 

Chaewon entrou no quarto junto de suas coisas logo fechando a porta em seguida, olhou em volta enquanto soltava um longo suspiro, parecia que sua colega de quarto já estava alojada no quarto, apenas não estava no momento, deu sorte de conseguir ter ficado com a cama da esquerda. Ajeitou suas coisas brevemente deixando a mala aberta ao chão, pegou uma muda de roupa a deixando bem posicionado em cima da cama logo seguindo ao banheiro, fechou a porta e olhou para o espelho, sorriu de canto pesando por um momento, será que deveria deixar algo escrito ali? Bem, talvez se escrevesse algo acabasse tendo sorte dessa vez, iria dividir o quarto até finalmente terminar todas as aulas daquela internato. Abriu o batom, logo direcionou o mesmo até o espelho, onde escreveu “Espero nos darmos bem!” com uma letra grande, sorriu logo deixando o batom em cima da bancada, acabou retirando suas roupas seguindo até o chuveiro onde começou a tomar o banho com uma água bem gelada.

 

 

 

 

Enquanto estava no banho, alguém acabou entrando no quarto, obviamente deveria ser a nova colega de quarto de Chaewon. A garota olhou em volta e suspirou, apesar de Chaewon ter arrumado as coisas dela, ainda assim deixou tudo jogado, o que fez a garota que havia acabado de adentrar ao quarto arrumar tudo de forma corretar. A garota sentou-se na cama, pegou uma revistinha em quadrinhos logo começando a ler, acabou ficando um tempo lendo até enfim Chaewon sair do banheiro enrolada na toalha fitando a garota que estava sentada na cama lendo aquela revistinha que maioria das vezes apenas via garotos lendo, sempre escutava sua mãe dizendo que isso era apenas coisa de menino.

 

 

 

 

 

- Com licença? — falou Chaewon chamando a atenção da garota que só a olhou pelo canto do olho por um momento e voltou a encarar a revista — é minha colega de quarto? — perguntou Chaewon encarando a garota que a respondeu com um murmuro.

 

 

 

 

Chaewon revirou os olhos, seguiu até sua cama pegando suas roupas rapidamente, continuou olhando para a garota. A mesma acabou percebendo, abaixou sua revistinha e olhou para Chaewon com um expressão neutra.

 

 

 

 

 

- Algum problema? — perguntou a garota.

 

 

 

- Não, nenhum — respondeu Chaewon ainda olhando para a garota, por alguma razão ela parecia ser normal demais para ser sua colega de quarto, não era possível que pela primeira vez estivesse tendo alguém “normal” como colega de quarto — isso que você está lendo... o que é?

 

 

- É uma HQ do Batman, The Killing Joke — falou a garota olhando para a própria revista — você lê também? — perguntou agora fitando Chaewon que sorrio breve e negou com a cabeça.

 

 

- Minha mãe diz que é coisa de garotos — falou Chaewon percebendo a garota revirar os olhos — você... ler outras coisas do tipo?

 

 

- Uhum — respondeu a garota sendo breve e olhando para a revista enquanto voltava a ler.

 

 

 

 

 

 

 

Chaewon cogitou por um momento trocar de roupa ali mesmo, mas não estava tão confortável, apesar da garota apenas está lendo uma HQ, como ela havia chamado, ainda se sentia insegura, não sabia explicar exatamente o porquê, olhando bem para a garota, ela parecia normal, mesmo lendo essas revistas que caras costumam ler, não parecia que ela era algo do tipo que Chaewon sentia repúdio. Seguiu até o banheiro, onde colocou suas roupas e voltou para o quarto encontrando a garota ainda lendo. Chaewon sentou-se em sua cama, pegou o celular, na tentativa de distrair-se, passou um tempo mexendo no aparelho até perceber que a garota havia levantando-se e seguido até o banheiro. Chaewon suspirou, ficou olhando na direção até a garota sair do banheiro, rapidamente voltou seu foco ao celular, escutou o som da porta batendo, agora fazendo questão de olhar e ver quem era, já que a colega de quarto havia aberto a porta.

 

 

 

 

 

 

- Sei que já está tarde, mas eu precisava ver como você estava — falou uma garota do lado de fora do quarto, ela falava de maneira manhosa, o que acabou fazendo Chaewon franzir o cenho vendo aquela cena.

 

 

- Eu estou bem, não precisa se preocupar — respondeu sua colega de quarto enquanto acabou escorando-se na porta.

 

 

- Continuarei preocupada com você, você é importante para mim, não a verei todo dia agora, vou ficar com saudade — falou a garota do lado de fora totalmente manhosa.

 

 

 

 

 

 

Chaewon formou uma expressão de desconforto com aquilo, estava na cara, sua colega de quarto não era normal como pensava, acabou sendo a pior das hipóteses que deveria ter como colega de quarto ou talvez não fosse ela, fosse apenas a garota do outro lado da porta, observou bem a garota, ela não parecia ligar nem um pouco para si quando estava de toalha, não tinha como uma lésbica não olhar, afinal, não era isso que elas queriam? Um corpo feminino nu para si?

 

 

 

 

 

- Vá para o seu quarto, já está tarde, eu vou dormir agora — respondeu a colega de quarto despedindo-se da garota e fechando a porta.

 

 

 

 

 

Chaewon ainda olhava na direção com a mesma expressão no rosto, a garota havia percebido e rapidamente já sabia do que se tratava, ficou encarando Chaewon de volta até a mesma perceber e entrar no assunto.

 

 

 

 

 

- Amiga sua? — perguntou Chaewon tentando ao máximo não deixar a expressão de desconforto mais do que já estava.

 

 

- Por aí — respondeu a garota cruzando os braços — algum problema?

 

 

- Não... ela só me pareceu um pouco... você sabe — falou Chaewon desviando o olhar.

 

 

- Oh, sim, claro — falou a garota com certa ironia antes de formar uma expressão um tanto quanto séria ao rosto — um pouco o que? Não tem coragem de dizer?

 

 

- Sapatão, é isso que ela parece — falou Chaewon arrancando um breve riso banal da outra — falei algo engraçado?

 

 

- Sabia que você era dessas — falou a garota andando na direção da própria cama.

 

 

 

- Dessas o que? — falou Chaewon fitando a garota de forma incrédula.

 

 

- Antes me responde, o que é sapatão para você? — falou a garota fazendo com que Chaewon deixasse a expressão de incrédula ficar maior ainda.

 

 

- Claramente o que aquela garota era ou poderia acabar sendo, e parece que não deve ser só ela — falou Chaewon fazendo com que a garota risse ironicamente novamente.

 

 

- Será que pode explicar melhor? — a garota cruzou as pernas sentando-se com o tronco totalmente reto e com os braços cruzados, o que fez Chaewon acabar sentando-se de frente para ela.

 

 

- Garotas que querem ser ou agir iguais aos homens, não sei se percebeu, mas uma sapatão só quer uma coisa, mudar totalmente a natureza humana, isso é errado e nojento, está contra qualquer lei já feita, mulheres não foram feitas para se relacionarem com outras mulheres, no máximo serem amigas, o mesmo vale para os homens, só que no caso eles querem ser iguais as mulheres, não é certo isso.

 

 

- Uau, você não colocou nenhum argumento religioso nisso e ainda consegue está totalmente errada — falou a garota soltando uma risada nasal — agora me diz, por que é errado? O que é o certo? Hm?

 

 

- Ora essa — Chaewon franziu o cenho, não estava entendendo, aonde aquela garota queria chegar? — claramente o certo seria um homem e uma mulher, assim pode gerar uma criança.

 

 

- Ok, mas por que é errado uma mulher gostar de uma mulher e um homem e de um homem? — questionou a garota com um tom provocativo.

 

 

- Está me perguntando isso por que também é sapatão igual a sua amiga? — disse Chaewon deixando a expressão de desconforto novamente aparecer em seu rosto.

 

 

- Teria algum problema em eu ser lésbica? — falou a garota sorrindo — pelo que eu saiba, mesmo que o seu ponto de vista “certo” seja um homem e uma mulher, nós, seres humanos, não podemos controlar nossos sentimentos, você está certa que dois iguais não podem reproduzir, mas de que adianta um pênis que gera uma criança se não haverá sentimentos de verdade envolvidos ali caso a mulher goste de mulheres? Ou até mesmo um homem que goste de outros homens? Não será prazeroso para ambos... ah! Outra coisa, não sei se sabe, mas existe adoção e até mesmo outros métodos de gerar uma criança.

 

 

- Não importa o que diz, ainda acho nojento — falou Chaewon revirando os olhos e deixando uma expressão de desgosto no rosto — vocês, sapatões, não irão me convencer que isso é certo.

 

 

- Acha mesmo que eu sou lésbica? — perguntou a garota ainda sorrindo e arqueando uma das sobrancelhas.

 

 

- Você defende, claramente é uma sapatão, só não me parece fisicamente com uma, igual àquela sua amiga, ela também não parece fisicamente com uma, mas me diz, por acaso está confusa? Você é aquele lance que as pessoas chamam de “bi”? Realmente não sei o que é pior, você ser confusa ou sapatão.

 

 

 

 

A garota acabou rindo banalmente novamente, acabou levantando-se e andando na direção de Chaewon, que tentou afastar-se a cada milímetro que diminuía entre as duas.

 

 

 

 

 

- Você é realmente uma homofóbica ridícula — falou a garota parando em frente à Chaewon que não sabia o que fazer em meio a essa situação — irei ser sincera com você, gostar do mesmo sexo não é algo errado, sempre existiu, ok? As pessoas apenas demoraram para perceberem isso, mas parece que você e algumas pessoas também vivem no século passado, mas o ponto que quero chegar é: não é por uma garota ser lésbica que ela irá querer ficar automaticamente com você, garotinha ridícula que apenas fica achando que sabe tudo quando na verdade , não sabe de nada — disse e acabou afastando-se de Chaewon que por um breve momento sentiu-se intimidada.

 

 

 

 

 

Chaewon não entendia o que havia acabado de acontecer, sua colega de quarto era mesmo lésbica ou o que? Se ela fosse, estava dizendo que não ficaria consigo? Por alguma razão aquilo incomodou Chaewon, normalmente esse tipo de gente sempre querem ficar com garotas incrivelmente bonitas e Chaewon se encaixa perfeitamente nesse padrão, não existia razão para essa lésbica não querer também, não tinha como ela ser diferente, certo que ela não vestia-se como um homem, ou agia como um, mesmo lendo aquela revistinha idiota que sua mãe dizia ser coisa de homem, aquilo não fazia significar que era lésbica, usar o argumento da revista era algo bastante machista também.

 

 

 

 

Acabou encolhendo-se na cama, deveria ser melhor dormir. Apesar de encolher-se, remexer-se de lado e fechar seus olhos, não conseguia dormir, estava incomodada com aquela garota, não por achar que ela faria algo consigo, mas sim por ela apenas dizer algo verdadeiro sobre seu pensamento homofóbico, de fato Chaewon sempre rotulou lésbicas como “sapatões que querem ser iguais aos homens”, sua mãe sempre lhe dizia isso, então seu pensamento acabou sendo esse.

 

 

 

Estava começando a pensar que estava errada em pensar daquela forma, o que sua colega de quarto falou fazia sentido e como não tinha influência de igreja para dizer que iria para o céu ou inferno, já que era uma coisa que não acreditava, não existia razão de fato para ser tão mente fechada por conta de sua mãe que sempre tentava manter-se de forma tradicional. Aquilo estava a incomodando bastante, queria falar com a garota sobre o assunto, mas ao mesmo tempo não queria, sua cabeça estava em confusão, estava confusa no que acreditar e achar que era certo agora, de um lado tinha sua mãe dizendo que isso era errado e do outro havia uma garota que ainda é completamente desconhecida dizendo que não existe problema algum em duas pessoas do mesmo sexo gostarem uma da outra.

 

 

 

 

 

Quando percebeu que já estava amanhecendo, Chaewon acabou levantando-se, caminhou até o banheiro e viu que a garota também havia escrito para si.

 

 

 

 

 

“Seria impressionante se isso ocorresse”.

 

 

 

 

 

Acabou bufando, escovou seus dentes logo depois de tomar um breve banho e vestir-se para a aula, fez sua maquiagem de sempre junto com o penteado no cabelo loiro e agora liso que tinha. Olhou na direção da garota e via que a mesma dormia tranquilamente, provável que o horário das duas seriam diferentes, não deveriam ser da mesma turma, revirou os olhos enquanto abria a porta e saia do quarto ignorando completamente os pensamento que lhe causaram tanta angústia à noite inteira, agora estava certa que aquilo era uma completa bobagem.


Notas Finais


Peço desculpas por essa Chaewon, mas a vida segue, prometo que vai melhorar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...