1. Spirit Fanfics >
  2. Frightened In Love >
  3. Capítulo 8

História Frightened In Love - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Heey!
Aqui estou depois de um grande bloqueio criativo.
Espero q gostem e tem mais futuramente ♥~

Capítulo 8 - Capítulo 8


Raymon


Sabe aquele dia que torcemos para não acabar? Esse dia com certeza é hoje!

Depois de passar a noite com Symon...

~Nem venham com esse sorrisinho ok? Só dormimos juntos e...ah, foda-se.

Ele faz as melhores panquecas que eu já comi! Não sei se isso é a falta de uma mãe em casa, mas desde que ela voltou pro Brasil, nossa alimentação é bem desagradável, sabe? Ok, meu pai até que cozinha bem, porém não é sempre que ele está em casa pra isso. Então eu e Louisi temos que nos virar na cozinha, que não é uma coisa muito boa já que nenhum dos dois sabemos cozinhar direito. Enfim, comer algo de verdade no café é um grande privilégio pra mim ok?

Além das maravilhosas panquecas, também vimos filmes, jogamos e Sy fez um Strogonoff que me fez ir ao paraíso e voltar. Me pergunto se esse é o plano dele, me comprar com comida. Se for, tá dando mais que certo!

A tarde foi chegando, quando percebi já ter passado das 14hrs. Precisava ir embora antes que meu pai chegasse em casa.

- Sério que você tem que ir agora?- Sy me olhava com um beicinho tão fofo que dava vontade de morder.

- Tenho sim- rio de sua expressão tristonha- qualquer dia eu volto aqui de novo ok?

- Ahan, foi isso que você disse a exatos quatro meses atrás!

- Ok ok! Mas dessa vez eu falo sério, poxa!- sorrio e o abraço, sentindo todo aquele carinho que emanava dessa criatura fofa.

- Ok, é bom cumprir essa promessa tá?!- disse por fim beijando minha testa- Bye então, honey.

- Vai se fuder, vai- rio e aceno com as mãos, me distanciando de sua casa.

Andei a caminho de minha casa escutando minha playlist do Queen. Não me julgue pelo meu gosto antigo, ok?!

Estava na esquina de minha casa quando vejo Louisi no portão, conversando com um garoto.

Sei que não deveria espionar, mas nunca havia visto esse guri antes. É minha maninha, porra!

Me aproximo o bastante para escutar a conversa. Parece que ele estava a chamando pra sair.

- Que festa é essa?- escuto Louisi perguntar.

- Você não sabe?! Vai ser a maior festa do ano!- ele parecia indignado, porém achava graça da situação- Pensei que Tessa tinha te falado.

- É... não falou- senti um pouco de tristeza naquela frase, que merda esse cara tava fazendo com minha irmã?

- Olha, que se foda- ele ri e se aproxima, segurando em sua cintura com um sorriso malicioso- Venho te buscar as 18hrs ok? E...- ele se aproxima de seu ouvido e murmura algo que não consigo entender, consigo ver as bochechas de Louisi ruborizarem.

Mas que merda é essa?! Não to entendendo nada, e afinal, que festa é essa que ele estava falando??

Vejo os dois se despedirem e minha maninha entrar em casa.

O garoto deu um sorriso travesso na direção da porta e começou a caminhar pra onde eu estava.

- Eae cara- o surpreendo.

- Eita! Caramba cara, que susto você me deu- ele sorri sem graça- você deve ser o irmão da Lou né?

- Sou sim, um irmão que acabaria com qualquer desgraçado que tentasse magoar ela- lhe dou um sorriso largo o vendo estremecer- então é o seguinte cara- me aproximo do mesmo até suas costas se encostarem em um muro- eu vi o olhar que você tava dando a minha irmã, se alguma coisa acontecer com ela- aproximo minha boca de seu ouvido e sussurro- eu acabo com você.

- T-ta bom cara, n-não vai acontecer n-nada com ela- ele fala com dificuldade e seu corpo se tenciona.

- Que bom que entendeu o recado- rio- agora se manda- saio de sua frente e o mesmo corre do local, assustado.

Ninguém ia ferir minha Louisi, não ia permitir que qualquer coisa a magoasse novamente.

Entro em casa e a vejo sentada no sofá. Como imaginei, estava risonha de mais.

- Que sorrisinho é esse, hein?

- Hum?- ela me olha e abre um sorriso ainda maior- Maninho! Finalmente chegou, vamos ver aquela seri-

- O que você tá fazendo, Louisi?- a interrompo, tenho que ser o mais direto possível, não quero que ela saia machucada, eu tenho que proteger ela, é minha obrigação como irmão mais velho.

- O que?- ela me olha sem entender.

- Você sabe bem do que estou falando- suspiro e me sento ao seu lado- olha, eu sei que você já tá grandinha pra sair com quem bem entender, mas preste atenção nas pessoas ao seu redor, elas nem sempre são o que parecem ser, tá legal?

- Do que você tá falando??- ela parecia confusa, ainda não tinha sacado do que eu estava falando.

- Daquele garoto que você estava conversando agora- a olho e a mesma cora- tá vendo só?! Você até mesmo corou quando falei dele- a olho preocupado e seguro em suas mãos- olha maninha, eu não sou esse tipo de irmão chato que priva minha irmã de sair com os caras, mas por favor, tome cuidado com esse guri de hoje, ele não parece o tipo de pessoa que te deixaria feliz nem aqui, e nem na China!- a mesma ri e me abraça, logo retribuo.

- Fica tranquilo maninho, eu nunca faria algo que te preocupace, eu te amo, lembra?- ela me olha e beija minha testa- e pode deixar que eu não vou me envolver em nenhum problema, eu juro- ela faz um desenho de "X" no peito com o indicador.

- Ahhh, eu te amo tanto sua pestinha- a abraço novamente- não sei como ainda me preocupo tanto com você. Sei que tem a mente aberta para essas coisas- rimos juntos e logo nos soltamos.

Sinto como se um peso houvesse saído do meu peito, agora sei que posso ficar tranquilo quanto a essa situação.

Louisi me conta sobre a tal festa e diz que era apenas uma festinha sem muita importância, não era algo que eu devesse me preocupar. Também a fiz jurar não beber nada que pareça suspeito e nem aceitar copos de estranhos, essas coisas que os pais sempre falam para os filhos antes de sair. Como nós nunca tivemos esse afeto com nossos pais, sempre agimos sozinhos, e eu como o único "homem" sempre presente, tenho que tentar manter uma ordem em casa. Agradeço que minha maninha não é aquele tipo de garota rebelde que só quer dar uma fugidinha e beber até não aguentar mais. Bem ao contrário, ela sempre me ajudou em casa, e até hoje não causou nenhum problema. Sinceramente, essa guria é a pessoa mais importante da minha vida. Não sei se conseguiria viver um dia sequer sem ela.

Depois de maratonarmos uma série que Louisi colocou, ficarmos muito putos com o final e chorarmos que a segunda temporada iria demorar uma década, resolvemos fazer uma macarronada. Mesmo não sabendo nem cozinhar o macarrão direito, conseguimos até fazer um bom trabalho no final.

Nos deitamos na cama e ficamos um bom tempo conversando, ela me contava sobre as coisas que vinham acontecendo no seu dia-a-dia, eu amava a escutar. Louisi parecia cansada e as vezes piscava os olhos sonolentos lentamente para logo depois abri-los com relutância. Pego um cobertor e coloco sobre nós dois, a abraço enquanto acaricio seus cabelos.

- Te amo, maninha- murmuro, despejendo um beijo no topo de sua cabeça.

- Também te amo, maninho- ela me abraça com força e fecha os olhos com um sorrisinho nos lábios.

Depois de um tempo acabo dormindo também. Fazia um tempo que não dormia assim com minha irmã, havia esquecido o quanto ela era importante pra mim. Não deixaria nada acontecer com ela. Jamais.

•~•~•

Já era exatamente 6hrs quando me levantei. Queria muito faltar novamente, mas não posso evitar essa situação por muito tempo, uma hora ou outra eu teria que falar com ele.

Vou ao banheiro e faço minha higiene matinal, logo depois me arrumando.

Tomo meu café da manhã com calma, não estava nem um pouco ansioso para ir a escola.

Depois de aceitar o fato de ter que ir, saio de casa, trancando a porta em seguida. Fui o trajeto todo escutando "I want to break free", não era a música perfeita pro momento, porém não há nada que Fredinho não melhore, sinceramente.

Já estava no portão da escola e sem perceber minhas mão apertavam as alças da mochila com tal força que as pontas dos dedos estavam brancas. Não queria admitir, mas estava mais nervoso que parecia, que droga. Suspirei fundo e adentrei os portões. Evitei qualquer conversa e fui direto pra sala, me sentando em meu lugar. Ainda faltava alguns minutos para o início do primeiro horário, então resolvi terminar um desenho pendente. Esse era um segredo que somente Sy e Louisi sabem, eu desenho. Não sou lá esses artistas fodas que vemos por aí, mas eu até que desenho bem, sou daqueles com o estilo puxado para o Cartoon ou anime, mas consigo me virar um pouco com outros jeitos. Estava distraído desenhando enquanto ouvia "Somethings" dos Beatles, mas saio de meus devaneio ao escutar uma cadeira se arrastando próxima a minha. Já estava preparado pensando ser Fred com aquele papo de sempre, mas fui surpreendido com Connor, um amigo próximo de Sy. Nunca havia conversado com ele antes, mas admito que ele era um gato.

- Eae- ele diz folgado, enquanto olhava meu desenho com admiração e curiosidade- Sy tinha me dito que desenhava bem, mas não esperava isso.

- O que quer dizer com "isso"?- faço um sinal de aspas com os dedos o olhando com uma sombrancelha arqueada.

Ele me olha por alguns segundo e se levanta, indo até sua mesa. Remexe sua mochila com desleixo e volta com um caderninho colorido em mãos, se sentando novamente.

- Veja você mesmo- ele apoia um dos braços em sua cadeira e estica uma mão com o caderno.

Pego com uma certa relutância. O olho de canto e o mesmo assente, então abro o caderno e não pude não me surpreender. Era um espécime de Sketchbook improvisado, e me surpreendi ainda mais por ver que ele também desenhava Cartoon.

- Uol- digo com admiração a cada página folheada, seus rascunhos eram incríveis- Seu traço é muito bom! Não sabia que você desenhava cartoon também.

- Não é pra tanto- ele ri com modéstia e olha seus próprios desenhos comigo- você estava bem concentrado quando passei e me surpreendi, não esperava que fizesse esse estilo de desenho. E seu traço é muito bom, você desenha a quanto tempo?

- ahh, eu nunca desenhei pra valer, sempre fiz rascunhos aqui e alí, mas nada a sério- rio de mim mesmo e o elogio por um rascunho bem elaborado de Rick and Morty- e você? Faz desenhos a quanto tempo?

- No meu caso sempre desenhei, desde meus 9 anos eu já era fanático por animação e resolvi treinar algumas técnicas de esboço. Hoje em dia eu meio que vivo disso. Não faço somente cartoon, é claro, mas é meu estilo favorito.

- Entendi- folheio as últimas páginas de desenho do Sketch e o entrego- gostei bastante dos esboços, você até poderia me dar algumas dicas depois- rio, recendo uma risada do mesmo.

- Sem problemas. Aliás, sou Connor Duskin, prazer- ele estica uma mão e ri.

- Prazer, Connor. Sou Rayan, Rayan Wisley.

- Faz parte dos Weasleys, Rayan?- ele arqueia uma sombrancelha e ri de minha expressão.

- Só não levo a mau porque sou fã de Harry Potter, ok?!

- Parece que temos mais coisas em comum do que eu imaginava então.

Ia respondê-lo mas o professor de Português havia acabado de chegar.

- Bem, acho melhor eu ir para meu lugar- ele se levanta e pega sua cadeira- até mais tarde, Wisley- ele sorri sacana e vai para seu lugar, duas fileiras depois da minha.

A aula foi uma chatice, português para os terceiros anos é uma tristeza, o professor só falava em como fazer uma redação perfeita em poucas palavras, enquanto 80% dos alunos ou dormiam ou conversavam. Os outros horários foram um tédio e o intervalo foi ainda pior. Estava conversando com Connor na fila para o lanche, porém estava muito intertido para ver um copo de suco tombar ao meu lado. Moral da história, meu blazer está manchado de suco de uva.

Os últimos horários foram mais tranquilos, tivemos matemática, que o professor Tom resolveu não passar nada e apenas tirar algumas dúvidas frequentes, e educação física no último horário, que apenas dividimos a sala em dois times e jogamos queimada. Apesar de ser péssimo em esportes e jogos em geral, eu até que era bonzinho em queimada. Meu time acabou ganhando no final e Adryan me pegou no colo, me rodando e rindo, por eu ter queimado mais de três pessoas do outro time.

A aula finalmente havia acabado e eu tinha passado meu número para o Connor. Iríamos marcar um dia para treinarmos nossos traços e trocarmos dicas um para o outro.

Estava exausto, então apenas fui direto para casa. Esperava que Fred tentasse alguma merda, é bem a cara dele. Porém parece que percebeu o tamanho da idiotice que fez, e apenas me olhou o dia inteiro. Como notei? Não tem como não perceber um olhar te perfurando o dia inteiro né.

Já estava no portão de casa. Agradeço muito pela escola ser próxima a minha casa, assim não tenho que andar muito.

Girei a maçaneta e fui surpreendido com um grito assim que entro.

- NÃO QUERO SABER! VOCÊ NOS ABANDONOU AQUI, NÃO IMPORTA O QUE DIGA, EU NUNCA IREI A PERDOAR!

Louisi gritava e lágrimas escorriam sem parar de seu rosto. Demorei um pouco para processar o motivo daquilo tudo, até perceber uma silhueta apoiada na bancada da cozinha. Ela também só havia me percebido agora.

- Olá querido- sorri para mim.

- Mãe...?


Notas Finais


Espero q tenham gostado e desculpa pela demora!
Até a prox~
Bjs de morango 🍓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...