1. Spirit Fanfics >
  2. From the future - Supercorp >
  3. Capítulo 49

História From the future - Supercorp - Capítulo 49


Escrita por:


Capítulo 49 - Capítulo 49


Lena e Kara entraram apressadas na delegacia, a noticia que um de seus filhos estavam preso dava há ambas borboletas no estomago, no mas péssimo sentido. As mais velhas não sabiam quão ruim isso poderia ser e saber que era um menino de 8 anos piorava seus nervos. Seus três filhos mais velhos viam atrás delas, não parecendo preocupados ou nervosos, como se isso fosse mais comum do que elas pensavam.

-  Oi sou Lena Luthor me ligaram a alguns minutos, sobre um... - A morena iria terminar sua frase e ela teria conseguido se não fosse pelo policial em sua frente a interrompendo.

- Sala do capitão, aquela porta ali. - O policial respondeu sem muita importância, sem ligar para nada. Para ser mais exata ela nem olhou nós olhos da mulheres e mantinham seus olhos no computador em sua frente. - Se for só isso podem ir.

A Luthor até iria responder o oficial, mas a situação de seu filho era mais importante naquele momento e ela poderia acabar com a carreira do policia depois. Juntos a família seguiu até a porta da sala indicada e conseguiram escutar alguns resmungos. Kara bateu na porta e logo em seguida um " entra " foi escutado.

- Oh senhorita Luthor, você finalmente chegou para que pudéssemos resolver isso. - O homem que tudo indicava ser o capitão exclamou ao ver quem entrava em sua sala.

Todos os Danvers podiam sentir o tom de alivio na voz do homem, como se a chegada deles fosse resolver tudo. Lena e Kara ficaram literalmente confusas com o tom de voz, porem os irmãos deram um leve sorriso por saberem exatamente o estava acontecendo, pois Kael poderia ser bem irritante quando queria e eles tinham certeza que o menor usou isso ao seu favor.

A cada passo que davam era um observada na sala e todos podiam ver o capitão sentado em sua cadeira e Kael deitado relaxadamente em um sofá - O menino parecia não ligar muito pro lugar em volta de si e parecia que a criança estava em casa - Isso causou mais confusão as mais velhas, mas isso seria deixado para depois.

- Não posso acreditar que os policiais dessa delegacia colocaram algemas numa criança capitão... capitão Vegas. - A voz e expressão de Lena eram ambas neutras mais tinham um pitada de raiva, que não passou despercebido pelo o homem sentado. - Ele somente 8 anos.

- Quase nove. - O menor comentou parecendo ofendido e Tessa deu um olhar de aviso - para que o menino entendesse que aquele não era o momento exato para isso - e rapidamente Kael se calou.

- Me desculpe senhora Luthor, porem a criança tentou fugir 2 vezes desde que entrou na delegacia, portanto resolvemos por as algemas mesmo não sendo o procedimento padrão do nosso trabalho. -  O homem que parecia ter mais de 45 anos tentou explicar a situação. - Peço que vocês sente-se fazendo o favor, para que eu possa explicar tudo calmamente.

Sabendo que aquilo poderia demorar mais do que o previsto antes de entrar na delegacia as mulheres se sentaram nas duas cadeiras em frente ao capitão, já os mais novos se sentaram no sofá de 3 lugares e Tessa fez o ato de colocar Kael em seu colo.

- Dois dos meus oficiais estavam em patrulha quando viram um senhor acenar para eles de um carrinho de cachorro quente, os policiais foram e enquanto o senhor relatava a situação o menino foi posto na viatura. - O homem dava todos os fatos, um de cada vez para que não houvesse duvidas naquela situação. - O senhor que deu o depoimento disse que o menino pareceu em frente da barraca todo agitado, perguntou se o dono do carrinho sabia aonde ficava a L-corp ou a Catco, também relatou que o garoto olhava para os lados como se alguém estivesse atrás dele. Ao chegar aqui perguntamos se tinha alguém para ele ligar e ele falou o nome da senhora, até achamos que era brincadeira, pois nunca vimos uma noticia sobre um garoto e Lena Luthor...

- Sabia que nem tudo passa no noticiário ou jornais capitão. - Lena ironizou rangendo os dentes. - E não tem nenhuma necessidade de todos saberem sobre minha vida pessoal.

- Sim.. sim correto, me desculpe pelo inconveniente senhorita Luthor. - Pediu o homem, supostamente nervoso e preocupado em causar um discussão desnecessária ali. - Mas voltando ao assunto anterior, o garoto no meio disso tudo tentou fugir e por causa disso as algemas foram necessitadas. Bom esse foi todo o contexto da situação, então acho que agora podemos conversar e resolver tudo isso, sem causar problemas a ninguém.

- Sim isso seria muito bom capitão Vegas. - Kara se pronunciou, com certo receio de Lena falar e ironizar algo novamente. - Antes peço que o senhor tire as algemas de Kael.

O homem confirmou com a cabeça, se levantando e desalgemando o menor e assim votando para sua cadeira. 

Lena resolveu ficar calada e deixar Kara conversar com o capitão, pois ela estava mais calma e relaxa naquele momento. A morena decidiu se ocupar, então procurou algo que pudesse ficar observando e assim seus olhos caíram em direção aos seus filhos, com isso a mulher de olhos verdes não pode deixar de sorrir. Lena rapidamente se questionou se em seu futuro havia algumas situações assim e pela pouca importância que seus filhos transmitiam ela se auto confirmou.

Kael agora estava esticado em cima dos seus três irmãos mais velhos e parecia triste com algumas coisa que Lionel contava - Lena pensou ser a noticia sobre as memorias de Tessa - e quando um bico de tristeza apareceu no rosto do menor e ele se esticou um pouco para abraçar o pescoço de Tessa, só foi novamente um coisa confirmando pela Luthor mais velha.

A Luthor não sabe quanto tempo ela ficou observando, porem não deveria ser mais de 10 minutos. A atenção da morena voltou a conversa de Kara com o capitão, ao escutar seu nome sendo chamado pela loira.

- Certo Lena? - Kara questionou, porem ao ver a sobrancelha de Lena se levantar em confusão a loira tratou de explicar o que foi discutido com o senhor Vegas. - Concorda que isso foi um mal entendido e que quando chegarmos em casa iremos conversar com Kael e explicar que ele simplesmente não pode sair dos lugares sem permissão e também não pode ir para tão longe.

- Sim concordo. - A mulher diz, já se levantando. - Agora podemos ir?

- Na verdade ainda não senhorita Luthor, preciso de algum documento que prove que a senhorita conhece e tem autorização para cuidar da criança. - Comentou o capitão. - Não posso simplesmente deixar vocês 5 saírem com a criança antes de vocês me comprovarem que tem autorização para ir com ele.

Ali estava um problema, pois nem Lena nem Kara pensaram nisso, obviamente a delegacia pediriam documentos ou algo assim e nenhuma das mulheres tinham nada disso. Ambas tentando pensar em como resolver aquilo acabaram não percebendo Tessa ficar em pé ao lado delas e esticar seu celular ao capitão.

- Sou irmã mais velha dele, já sou maior de idade e tenho um documento que diz que sou responsável por ele, assim como meu irmão sentado ali. - Tessa falou, enquanto observava o homem passando umas fotos de alguns documentos. - Infelizmente não tenho nada imprimido aqui em minhas mãos.

- Então temos um problema garota, não posso liberar o menino só com isso, pode ser totalmente falso essa fotos, precisava de algo original, RG, certidão de nascimento ou algo do tipo. - O Vegas juntou as mão em sua frente e tinha uma expressão totalmente seria.  - Eu nem sei qual é o relacionamento de vocês 4 com a senhorita Luthor ou a senhorita Danvers. 

- Pode procurar nossos nomes no sistema, somos primos de Kara e ela está cuidando da gente quanto nossos pais estão... estão meio longe. - A jovem gaguejou no final, mas sabia que tinha possibilidade do homem acreditar.

Eles esperaram minutos, até o sistema da policia desse a confirmação que Tessa havia contado.

-  Ainda não explica o porque o garoto pediu para ligar para a senhorita Luthor. - Comentou o homem e naquele momento Tessa estava começando a ficar nervosa de tantas perguntas, mesmo sabendo que aquele era o trabalho do capitão. - Se a senhorita Danvers é a responsável ele deveria pedir para fazer contato com ela, a senhorita Luthor não está fazendo sentido nessa questão.

- Isso é bem simples de explicar, Kael gosta muito de Lena. - Tessa diz, pensando muito bem nas suas próximas palavras. - E vemos muito a Lena, por causa do namoro que ela tem com Kara.

A ultima frase deu um choque no capitão e em ambas as mulheres que somente olharam com os olhos assustados para a filha. Lio e Drew somente soltaram uma leve risada em conjunto, porque a irmã deles tinha cada ideia de ultima hora.

- Elas.. elas namoram? - Gaguejou o Vegas. - Eu... eu não sabia disso.

- É como Lena disse, nem tudo se torna ou necessita se tornar publico. - Lio comentou com um sorriso irônico no rosto. - Agora podemos ir senhor?

O Vegas somente balançou a cabeça e toda família começou a sair da sala. Lena ainda estava chocada com o que Tessa disse e então enquanto saiam da delegacia a mulher puxou sua filha mais velha um pouco para trás.

- Porque disse que eu e Kara namoramos? Você sabe que não namoramos né? - Questionou a mais velha.

- Sim mãe eu sei. - A garota confirmou tanto verbalmente quanto com a cabeça. - Mais é serio que você está chocada com isso? Eu sou sua filha e te amo muito, mais do que posso expressar, então vou falar a verdade para você. A senhora está chocada com o fato de eu falar que você namora a mamãe, quando seus 5 filhos do futuro estão aqui no passado e estão vivendo com você, bom pelo menos 4 estão vivendo com você. E outra depois de tudo que você e a mamãe passaram já deveriam estar namorando, há muito.. muito tempo.

E com isso Tessa deixou Lena chocada para trás.

Continua...  


Notas Finais


Demorei e peço desculpas por isso, iria postar na terça, porem fiquei ocupada para terminar o capitulo.

Semana que vem estarei de volta e peço que falem o que estão achando da fic.

Beijos e Até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...