História From Zero (Imagine - Jooheon MONSTA X) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Armyzquad, Jooheon, Kpop, Monstax
Visualizações 128
Palavras 1.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHÁ SÓ QUEM VOLTOU E NÃO VAI MAIS EMBORA?
EU MESMO
GENTE MUITO OBRIGADA POR TODO O APOIO QUE VOCÊS ME DERAM QUANDO EU PENSEI EM DESISTIR DE TUDO! OBRIGADA MESMO <3 EU AMO VOCÊS
E TAMBÉM TENHO UMA SURPRESA PARA VOCÊS
EU FIZ UMA PLAYLIST PARA A FANFIC NO SPOTIFY!
ESTÀ NAS NOTAS FINAIS
EU REALMENTE ESPERO QUE GOSTEM PORQUE EU FIZ COM MUITO CARINHO E AMOR
COM O TEMPO EU VOU ADICIONANDO MÚSICAS! NÃO SE PREOCUPEM COM ISSO.
BOA LEITURA <3

Capítulo 11 - Luck or bad luck?


O olhei incrédula e ao mesmo tempo dei risada, JL é realmente uma pessoa bem-humorada.

- Hey! Me respeita – Me afastei um pouco dele e ri, não consegui segurar.

- Você que me olhou com malicia primeiro! - Ele falou e riu também, se ensaboando. - Sei que quer ficar aqui comigo, mas, pode sair, consigo tomar banho sozinho. - Revirei os olhos e sai do box. 

- Espero que tome uma queda – Brinquei e me repreendi mentalmente.

- Que malvada você é! - Reclamou de dentro do box e eu sorri saindo do banheiro.

Procurei sua mochila que eu tinha trazido e peguei uma muda de roupas para ele se vestir após o banho, deixando no banheiro sem ele perceber.

Troquei de roupa e prendi meu cabelo, indo até a cozinha para fazer algo comestível, decidi fazer um lámen, algo rápido, quente e gostoso.

Enquanto o lámen estava quase pronto, ouvi o chuveiro desligar, provavelmente já tinha acabado seu banho e deixei as coisas para fazer seus curativos encima do sofá... A cena de mais cedo não saia da minha cabeça e me doía o coração. 

JL apareceu na cozinha se encostando do lado da porta para me encarar. 

 - Vem, vou fazer seus curativos – estava saindo da cozinha quando ele me puxou pelo braço e eu me arrepiei inteira com o seu simples ato.

- Ah não, depois você faz! Esse cheiro está fazendo minha barriga roncar – Ele pediu manhoso.

- Prometo ser rápida, é que tem algumas feridas que não pode ficar muito tempo aberta, uh? - Ele bufou e me seguiu até o sofá. - Pode tirar a camisa, por favor? 

- Com todo prazer – E depois eu que sou a pervertida da história, não é? 

Peguei as coisas e comecei o procedimento que no caso, é um pouco complicado, mas tentei fazer o mais rápido possível.

- S/N, quando para de arder? - Diz ele se referindo ao remédio que eu tinha colocado em algumas feridas nas suas costelas.

- Em instantes, não seja tão impaciente. - Disse terminando o curativo e me levantando – Vamos comer, uh? - Me direcionei a cozinha me servindo e servindo a ele também.

Ele se sentou ao meu lado e degustou meu lámen como se fosse a comida mais gostosa do mundo, uma cena que me satisfez.

- Está realmente ótimo, além de tudo... cozinha muito bem – Queria entender o "tudo" que ele me disse.

- Obrigada – Sorri em resposta e continuei a me alimentar.

Depois de algum tempo, acabamos de comer e pedi para JL descansar um pouco... a noite já estava chegando e eu ainda tinha tanta coisa para pensar, para resolver, estou com medo de contar sobre JL para a minha mãe, por ela ser um pouco paranóica. 

Odeio mentir para ela, mas pelo visto, é a minha única opção saudável por enquanto, ele só vai ficar até amanhã mesmo, porém mesmo assim, não posso me atropelar em mentiras e aí eu não vou ter que dar apenas satisfação a minha mãe. 

Minha vida está virada de cabeça para baixo e o pior de tudo é que eu não sei lidar com o rumo que ela está tomando, fora que eu não posso levar tudo na base do choro! Tenho que tomar atitudes, repensar atitudes feitas e tentar resolver, efeitos colaterais da responsabilidade  

Estava distraída em meus pensamentos quando senti o sofá afundar do meu lado.

- Sabe que precisamos conversar, né? - JL me encarou com um olhar desconfortável, que me fez o encarar. 

- Sei, sei sim – Respirei fundo e já estava esperando para que ele me dirigisse palavras desagradáveis. 

- Antes de tudo... Eu não consigo entender o porquê de você ter feito isso por mim, não temos um nível de intimidade tão grande assim, na verdade, agora temos. - Ele sorriu afirmando sua última frase e eu sorri em resposta – E até mesmo de ser muito inocente ou muito confiante em colocar dentro de casa uma pessoa que você não sabe nem o nome, saiba que eu ainda tenho muita coisa para te esclarecer, e vice-versa.

- É mais um motivo para você me falar o seu nome... não acha? - Falei em meio a sorrisos, e ele sorriu ironicamente.

- Está tão curiosa assim? Não vou falar – Fiz uma expressão emburrada e ele sorriu, que sorriso lindo, afinal. - Brincadeira, meu nome é Jooheon... Lee Jooheon – Repeti seu nome várias vezes em minha mente como se eu fosse esquecer em algum momento.

- Imaginei qualquer nome na minha cabeça, menos Jooheon, prazer – Estiquei minha mão e ele deu um tapa de leve, brincando, obviamente.

- Acho que não vai ser um prazer muito grande em saber quem eu sou de verdade, S/N, Eu não sou a pessoa que você está pensando... - Eu revirei os olhos e suspirei alto, está na hora dele saber que tem uma stalker.

- Jura? Jura que você não é irmão daquele cara malhado do cabelo platinado? Que te fez o mandato de matar o Sr. Yoo? E que você estava apanhando porque não cumpriu o que tinha que fazer? Jura, JL? - Eu o encarei assim que terminei de falar, ele estava boquiaberto, nem piscava. - Antes que me pergunte como eu sei disso, eu tinha uma psicose muito grande com você, eu precisava saber quem você era... Me desculpe por isso, mas... é mais forte do que eu.

- Não... Não tem porquê se desculpar, você salvou a minha vida, sou muito grato por isso, mas você tem um parafuso a menos, não é? Quem em sã consciência faria isso? Colocar a vida em risco por uma pessoa que nem conhece? E ainda por cima saber todo o histórico estranho e ruim dessa pessoa? Eu estou com medo de você, muito medo – Sei que suas últimas palavras foram brincadeira. 

- Eu não sei nem o terço do que eu queria saber sobre você, eu tomei decisões precipitadas porque eu não podia assistir você naquela situação e ficar quieta. Eu não pretendia ter essa conversa com você tão breve assim, você me entende? Deve estar me achando uma louca – Abaixei a cabeça, em segundos depois ele levantou o meu queixo me fazendo olhar para ele.

- Se eu te acho louca? Um pouco, muito talvez..., mas isso foi a melhor coisa que já fizeram por mim, ainda mais vindo te alguém que eu admiro a séculos.

 

 

 

"...Eu fui seguindo suas pegadas o seu cheiro
Eu ja tô indo te encontrar não tenha medo
Que pra gente desenrolar não tem segredo
Não não não não
E como dois gatos pretos no telhado a gente foi parar
Sorte ou azar?..."


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...