História From Zero (Imagine - Jooheon MONSTA X) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Armyzquad, Jooheon, Kpop, Monstax
Visualizações 216
Palavras 1.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente do meu core.
Me desculpem por ter quase dado hiatus!
Eu quase não tinha tempo para nada.
Mas estou de volta
Prometo postar sempre (não só a from zero rs)
ESCUTEM A PLAYLIST NO SPOTIFY
POR FAVOR

Capítulo 11 - Stay


Eu o olhei surpresa pela a sua revelação,ele já me notava antes e isso me deixa feliz e desconfiada.

- Você me admira? Era algo que eu nunca passou pela a minha mente,acredite. - Ele sorriu meio tímido respondendo o que eu disse.

- Tem muita coisa,S/N... Que você nem sonha que aconteceu ou que acontece comigo,eu não quero te meter nisso! Não é o certo. - o interrompi.

- Olha só, eu já me envolvi nisso desde o momento em que não te deixei morrer naquele lugar podre!agora não podemos voltar atrás, e para ser sincera... Eu não voltaria. - respirei fundo e o olhei nos olhos.- Eu não sei tanto do seu passado,mas sei o que está acontecendo no presente e me desculpe por te seguir, por invadir a sua privacidade, por ser incrivelmente imatura,eu não sei porquê fiz isso. - Abaixei a cabeça envergonhada, eu achei que nunca iria precisar contar isso para ele e por sinal, não é algo que eu me orgulho.

- Eu desconfiava,garotas como você não anda por aqueles bandos, apesar da ótima desculpa da padaria com um ótimo café,senti que você estava nervosa - Ele riu e levantou a cabeça - S/N,eu não sou nenhum santo e você deve saber muito bem disso,estive interessado em te conhecer por um tempo, você sempre foi uma garota discreta, na sua,poucos amigos e inclusive... Muito bonita - Eu sorri em resposta, ainda surpresa com tudo que ouço. - Mas aí eu achei que não tinha chances,por ser conhecido como um estranho por ali,e também,algo me dizia que eu não podia te fazer feliz,eu literalmente,não posso que ninguém se apegue a mim,S/N... Entenda, você não merece sofrer por tão pouco.

- Me desculpe mesmo mas,agora é tarde... E como você afirma isso tudo sem nem ter tentado? Eu não entendo,saiba que eu quero te prender a mim, eu tomo decisões aleatórias a todo momento,e na maioria das vezes essas decisões afasta alguém de mim.- Falei enquanto ele estava fitando o chão,engolindo tudo que está acontecendo.

- Você sabe que apesar de querer,eu não posso ficar aqui,né? Só se eu quiser morrer esquartejado pelo o meu próprio irmão. - ele ri sem graça e me embrulha o estômago só de pensar em uma cena tão macabra.

Ficamos nos olhando por um tempo,o fitei sem medo algum da sua reação... Realmente tínhamos um conexão única.

- Que merda, S/N! - ele levantou ficando de costas para mim - Você é tão perfeita que eu tenho até medo de te tocar e você partir.

- Não tenha,por favor. - Falei destemida me levantando e ficando de frente para ele.

A ação dele de me beijar foi tão rápida que eu simplesmente paralisei enquanto sua língua passeava na minha boca,depois de alguns segundos,eu cedi com todo prazer,o puxando para mais perto.

Nos beijamos freneticamente,um atrás do outro,não paramos nem para respirar,aquela boca parecia ser o meu oxigênio.

Eu me separei dele por ter perdido totalmente o fôlego; Eu estava insana.

Nos olhamos novamente e eu pulei em seus braços praticamente,eu queria sentir teus beijos mais uma vez, é algo viciante.

Uma de suas mãos desceram até minha cintura, apertando firme o local, segurei sua nuca com mais força e precisão.

Ele se sentou no sofá me puxando para o seu colo e puxou o meu cabelo para trás e beijou toda a extensão do meu pescoço,fechei os olhos aproveitando todo aquele momento proporcionado por JL.

- S/N! EU SEI QUE VOCÊ ESTÁ AÍ! PRECISAMOS CONVERSAR!ABRA JÁ ESSA PORTA! - Ouvi a voz da Haru gritando do lado de fora da casa.

Me levantei rapidamente e JL foi para o quarto de hóspedes,para onde o encaminhei.

- O que você quer, Haru? - Disse a baixinha assim que abri a porta.

- Nós precisamos conversar... Nossa, você está suada,o que estava fazendo? - Ela pergunta curiosa.

- Sinceramente, não é da sua conta e não temos nada para conversar... A nossa amizade simplesmente evaporou, e a minha confiança em você também! Por favor, vá para casa... Já vai escurecer. - Fechei a porta em sua cara e por surpresa, ela não bateu na porta novamente.

Fui até o quarto de hóspedes vendo JL se arrumando para sair, me deixando curiosa.

- Para onde você pensa que vai? - Perguntei o fitando.

- Não posso ficar aqui,eu tenho minhas economias,vou me hospedar em um lugar distante, não se preocupe... - ele veio até mim e me deu um selinho. - Você pode ir me ver todos os dias, para trocar os curativos - Ri com sua ironia.

- Sendo assim, tudo bem,sabe onde está sua moto, as chaves estão no sofá,por favor, tenha cuidado. - Eu o abracei e ele retribuiu na mesma intensidade.

- Está tudo bem,não se preocupe!Por favor... Porém eu te peço uma única coisa - diz ele sem se desfazer do abraço.

- Pode falar - Respondo de olhos fechados.

- Não se apegue a mim... Você não merece, é sério. - O soltei do abraço e o olhei um pouco triste e de alguma forma,nervosa.

- Não vou, não se preocupe - Minto,para confortá-lo.

- Ótimo,estou de saída... Se cuide, mocinha. - Ele me beija e sai quarto a fora.

- Cuidado com esses machucados! Ainda estão muito recentes e arranje um celular, por favor! - Grito ainda do quarto.

- Pode deixar, até depois! - Sinto a porta da sala fechar.

Meu celular vibra e o pego,dando de cara com uma mensagem do Kihyun,avisando que viria aqui mais tarde.

Aish! Quando estou com JL mal lembro em voltar a realidade.

Tomo um banho e destraio a barriga com alguns doces, ouço batidas na porta e suponho que seja Kihyun.

Passo pela sala lembrando de momentos antes naquele mesmo local e me arrepio inteira.

- Falei que voltaria e temos que conversar sobre suas atitudes. - Assim que abro a porta, Minhyuk adentra a minha casa sem nem pedir licença. - Que cheiro de sexo é esse nessa sala? Changkyun esteve aqui? - Dei risada e neguei com a cabeça. - Não que ela mereça mas Haru me ligou completamente desesperada pelo fato que você bateu a porta na cara dela, S/N, por favor! São amizade de anos, suponho que ela não mereça.

- Não que te tratar com grosseria e muito menos ser vulgar mas eu tenho meus motivos para tratá-la desse jeito, só te peço pra não se preocupar com isso.


Notas Finais


Bjinho da tia zd ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...