História Fruto Proibido (Vmin ' Mpreg) - Capítulo 7


Escrita por: e LadyBoomies

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lisa, Lu Han, Rap Monster, Rosé, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Bts, Crime, Drama, J-hope, Jimin, Jin, Mpreg, Namjin, Policial, Rap Monster, Sope, Suga, Taehyung, Universo Alternativo, Vmin
Visualizações 535
Palavras 2.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EHHHHHH EU VOLTEI CAMBADA!!!!!
*vergonha alheia*
Pessoas turu bom??
Espero que sim, né gente

Boa leitura 👍

PS: aviso de Lemonada

Capítulo 7 - Act. 6 - É Melhor Assim


Fanfic / Fanfiction Fruto Proibido (Vmin ' Mpreg) - Capítulo 7 - Act. 6 - É Melhor Assim

Act. 6 : É melhor Assim...


Parece que todos os pesadelos de quando eu era criança finalmente

Tornaram-se verdade

Assim, assustando minha realidade

E o meu futuro...


————————{...}————————

Um turbilhão de coisas e sentimentos passaram por sua cabeça, sua mente encontrava-se violada. E além disso, as lágrimas começaram a banhar seu belo rosto, sua mãos pequenas vieram a encontro de sua face tentando inutilmente enxuga-las. Passava por seus cabelos cinza, o sentimento de se sentir como um objeto sem valer mais do que isso invadia seu peito. 

Sentia-se sujo, nem que limpa-se adequadamente. Mordeu os lábios carnudos forte, resultando em filetes de sangues arrancados. Jimin encontrava-se em um quarto de motel, completamente nú, seus quadris e pernas doíam muito. Há pouco tempo teve noção de que aconteceu na noite passada, tinha transado com a pessoa que mais amava e que praticava bullying contigo. Chorava, chorava como uma criança abandonada sem seus pais.

— Porque... Porque, quê eu fui fazer isso? Porque eu consenti? — perguntava-se com as mãos puxando levemente seu cabelo bagunçado.

A dor não era insuportável, apenas incômoda. Se levantou lentamente, e rapidamente tratou de procurar seus roupas e vesti-las, viu a camisa Branca e o termo junto a calça, encontradas respectivamente atrás da cabeceira da cama, e encima do abajur. Tudo em sua vida encontrava-se se uma perfeita bagunça, depois de vestir totalmente suas roupas, saiu daquele quarto que nunca mais queria lembrar ou tocar no nome. 

Andava por o corredores, até chegar a recepção, tudo pago. A única coisa que teve que desembolsar foi a corrida para de volta a sua casa. Dentro do carro, sua cabeça doía bastante, assim como da cintura para baixo, chovia fraco em Seul, encarava cada pingo de água caindo no vidro da janela onde seu crânio estava apoiado.

Chegou ao apartamento onde morava.

Pagou a corrida, sorte que era ao seu único dinheiro, foi arrastando-se até o apê. Parou frente ao elevador, esperou mais poucos segundos e adentrou apertado o botão do seu andar. Saiu, assim parando na porta de casa, respirou fundo, pegou as chaves tremia e teve dificuldade em colocar-las na fechadura. Dividia esse apê, ele, Hoseok e Yoongi, como os dois últimos eram namorados não era incomum de encontrá-los nus ou a casa bagunçada. Sabia o Park que desde que conheceu o Min que tinha uma quedinha por ti, mas tratou de esquecê-lo com o ruivo. 

Entrou finalmente no lar, fechando a porta com força, parecia que havia ninguém em casa. Olhou para o relógio estampado na parede próxima, marcava 02:56 P.M, tinha chegado tarde ou Taehyung pegou pesado na noite passada. Entretanto, isso era apenas flertes de memórias, pequenos de pedaços de lembranças dele gemendo alto ou sendo muito fudido. Seria as duas coisas — pensou cambaleando para trás.

Rapidamente Hoseok saiu do quarto vendo Jimin se apoiando na primeira superfície que via.

— Hey, o que aconteceu na noite passada? — perguntou, apoiando o menor em si, ele viu que começou a chorar sentindo sua regata ficar molhada. — O que aconteceu Jiminnie?

— Porque, PORQUE? — gritava em soluços, apertando o mais velho contra si. — Eu não quero que nada acontecesse ontem, eu queria me divertir não dá para a pessoa que me tratava mal no colégio! Não queria ser arrombado por a pessoa que praticava bullying comigo!

Jung respirou fundo, passando as mãos nos cabelos do mais baixo tentando de alguma forma consola-lo, calado ou trocando singelas palavras de conforto. Park estava em estado de choque, culpava a si mesmo na noite passada por consentir que aquilo fosse feito, odiava-se tanto mutuamente. Depois de uma longa hora desabando nos braços de seu fiel amigo que tentava de alguma forma conforta-lo sobre a realidade tão vil.

Assim, Jimin saiu de seus braço ainda em estado de decadência e foi para o banheiro, tomar um banho afim de tirar a sensação de estar muito sujo por os toques daquele bastardo que mais amava. Entrou no box, girou a torneira e as primeiras gotas já caiam no seu corpo, as lágrimas salgadas se misturavam no gosto uniforme da água do chuveiro. Apoiou a cabeça na parede a frente, tocando nas marcas vermelhas espalhas no seu peitoral. Aquela vontade de suicídio subia cada vez mais na sua cabeça...

Afinal Jimin tinha superado tudo que tinha vivido no colegial, mas não esperava uma reviravolta tão grande da sua vida... E a vida ter dado uma volta de seu piores demônios...

Atualmente...  

Havia passado uma semana desde o incidente no hospital, e sinceramente Lalisa ficou perplexa com o ato que pensava ser do Park. Ter sumido sem dar notícias algumas, nem as câmeras dariam conta de algo, estavam em manutenção no dia do evento. Estava preocupada com Jimin e com a criança que carregava, não sabia do desfecho trágico que essa história iria acarretar. Hoseok com estadia a uma semana no hospital, perdido era palavra que lhe definia. Sem saber fim levou o acinzentado e seu namorado, Yoongi, desde o último dia em que foi pego por a gangue de Taehyung.

Quem sabia do filho de Jimin era apenas o Min, que agora estava em coma. Ou seja o Jung nessa situação não valia de nada. De qualquer forma, NamJoon de namorico com Seokjin que há uma semana lhe dava um gelo (Autora: pq será pessoas?), e no final era o carcereiro do Park que não tinha nem ânimo de pedir para sair da gaiola. Taehyung continuava com seu lindo plano de torturar Jimin até lhe implorar para abortar o bebê e JungKook? Bem... O garoto não dava nem sinal de vida sobre o que iria fazer, comia pelas beiradas, ouvindo de canto todas as falas ditas naquela casa. Se todas as maneiras, parecia que formava um plano.

Digamos que quando Jimin entrou na porta daquela coisa não foi recebido da forma mais cortez possível, de longe tratado como lixo por todos. Taehyung parou o carro, dando solavancos para que o acinzentado prontamente batesse uma cabeça ou se machucasse. Saiu do automóvel, era uma casa simples no bairro de classe baixa, vida de bandido era assim. Abriu a porta brutalmente, vendo o mais baixo cair nos seus pés, se agachou a sua altura.

— Vê se fica esperto! — disse por fim, se levantando e puxando com força Jimin para frente que rapidamente se levantou, meio grogue e sendo arrastado por Taehyung.

Assim, o Kim abriu a porta, dando um chute e jogando o Park bem ali não dando chance para reconhecer o bairro. Ele caiu, o acastanhado deu seu sorriso macabro dando círculos envolta de si.


— Bem vindo ao seu novo lar... — sorriu novamente, o acinzentado se encolheu com a ação repentina. — Até largar essa idéia de ter essa aberração...

Dito, andou mais alguns passos, deixando a mostra que procurava por algo ou alguém. Colocou a mão na cintura, Jimin se levantou se apoiando no sofá perto. Perplexo. Taehyung logo avistou uma loira que vestia roupas, bem... Roupas que uma moça de família não usaria. Quando viu o moreno, tratou de correr em sua direção. Pulou em seus braços, deixando o Kim em formato de vírgula, e logo foi repreendida por este.

— Chefinho estou tão feliz que tenha voltado! — gritou estética, igual a Army's mesmo, depositando vários beijos em sua face.

— Ok, ok Hyuna... Ten— interrompido.

— Que pitelzinho é esse hein, chefinho? — perguntou apontando para Jimin.

A tal Hyuna olhou em direção para o Park sentado no sofá observando a cena que desenrolava diante de seus olhos, é lógico que sentiu uma pontada de ciúmes quando viu aquela loira oxigenada, vulgo puta, aos beijos e abraços com seu homem. Digamos que Taehyung não sabia também desse outro rótulo. Hyuna correu em sua direção, abraçando-o e em seguida se ajoelhando aos seus pés.

— Chefe porque nunca me apresentou esse presentes dos céus? — disse olhando com cara feia para o mais alto presente. E depois começou a encarar o acinzentado que já estava constrangido com aquilo tudo. — Quem é ele?

Taehyung encarando aquela cena com a cara fechada, não acreditava naquilo que ocorria. Sua contratada, dando mole para um cara que nem ao menos conhece, e o pior, o idolatrando. Tratou de terminar logo aquilo antes que tivesse que matar a loira e não ter mais nenhuma comparsa feminina.

— Park Jimin também gay, agora se nós dê licença... — disse arrastando Hyuna desanimada por a resposta para o outro cômodo, cozinha, e a deixando lá.

— Eu sou bissexual, e Hyuna talvez nós podemos nos encontrar depois... — disse sedutor, piscando para a figura feminina que se derreteu todinha antes de ir embora.

— Onde estávamos? Ah sim na parte em que eu ia te prender. — tentou vagamente mudar de assunto.

— Está com ciúmes de mim com a Hyuna? — perguntou, jogou verde para vê se caia maduro. Taehyung parou o que estava fazendo e olhou intrigado em sua direção.

— Que drogas está usando? É efeito da gravidez ter ilusão? — disse sarcástico, rindo do final da frase.

— Se está dizendo isso é porque está escrito na sua testa idiota! — rebateu, assim tendo um sorriso vitorioso estampado nos lábios.

— Não estou com ciúmes... — negou.

— Prove! — desafiou Jimin, o Kim engoliu a seco virando sua face para a do Park e se aproximou deste.

Assim, parou na sua frente, à essa altura o mais baixo estava com um rosto completamente vermelho. Pegou no seu queixo o levantando, antes que o acinzentado pudesse revogar alguma coisa, selou os lábios em um beijo suave. O Park estremeceu com o contato tão primitivo, assim, apertando entre os dedos o estofado do sofá onde estava sentado. Taehyung não foi mais do que um selar de apenas dois segundos, assim durante esse pequeno período de tempo fez com que todo ódio, raiva fosse embora deixando apenas os dois ali sozinhos.

Para Jimin seu coração pulou uma batida, quando sentiu a boca alheia colar na sua, não queria que esse beijo durasse pouco, assim afundou o selar levando suas duas mãos para a nuca livre, aprofundando o beijo. Puxava levemente os fios ali presente, Taehyung também não deixou barato, pousando uma de suas mãos na cintura e apertando essa região recebendo um gemido em resposta.

Ele estava tão sensível por causa da gravidez, até que sentiu algo viscoso, macio, quente e áspero perto de seus lábios, cedeu passagem para a língua agora enroscando-se com a sua. O Kim não sabia o que sentia por o Park, era uma bagunça seus sentimentos e emoções perto do mais baixo. Ambos se deixando levar por o simples selar que se transformou em um beijo quente e necessitado. Se separaram encarando um ao outro, perdidos no olhar de um do outro.

Taehyung sentou no sofá, deitando Jimin abaixo de si. Sua face estava vermelhinha, como se nunca tivesse feito isso antes. Desviava a tudo custo seu olhar felino sobre ti, suas respirações profundas quentes uma sobre a outra. O Kim continuava a olhar de forma felina, e começou a beijar seu pescoço, mordendo, lambendo, deixando sua língua brincar com perímetro. Jimin vez ou outra soltava gemido, entre mordia seus lábios para que não soltasse sons impuros. E o mais alto fazendo o serviço pesado, parou pegando com sua destra livre no rosto meio corado.

— Tem certeza disso? — perguntou com sua voz grave saindo trêmula, o menor riu de nervoso.

— Da última vez, há três meses atrás você me engravidou... — deu uma pausa suspirando. — Sim eu tenho certeza, mas por favor tenha cuidado com nosso filho...

— Sim eu terei...

Os dois, ambos decidiram tirar as roupas. E o beijo ia se intensificando cada vez mais, e toques desprevenidos, gemidos manhosos sendo liberados...

————————{...}————————

Há alguns minutos podia-se ouvir gemidos, sons impuros, ambos corpos quentes e suados. Agora, Jimin estava sentado na beirada da cama, lembrando de que aconteceu com ele a poucos minutos atrás, com uma das mãos na boca tapando uma sorriso singelo. Tinha sua roupa trocada, agora com uma bermuda preta e uma camisa de manga longa branca, encarando seus pés balançando. Desceu suas vistas para seu baixo-ventre e colocando a sua mão que estava nos lábios, no pequeno volume e depositando um carinho e sorrindo. Ele ficaria preso bem ali, sem ter contato com o mundo, as vezes se sentia trouxa por uma pessoa chamada Kim Taehyung, como ele conseguia permitir-lhe fazer papel de idiota. Seu coração batia mais forte, deitou a cabeça na cama com as pernas para fora, encarava o teto formulando idéias malucas de como dar o fora dali.

Não creio que transei com ele de novo... — sussurrou, sentido algo subindo sua garganta a cima. Levantou como The Flash e correu até o banheiro, jogando tudo que provavelmente começou para fora. Deu descarga, indo até a pia e lavando a boca.

Saiu do banheiro, vendo Hyuna na porta do quarto. Se aproximou da mesma.

— Ah... Olá Jimin... — ficou encabulada. Coçando levemente a nuca e jogando os cabelos descoloridos para trás.

— Sim o que foi?

— Meu chefinho mandou avisar que ele vai sair, resolver problemas e não sabe quando vai volta... — disse por fim, recebendo uma respiração pesada de Jimin que sentou na beirada da cama.

— Okay... — respondeu, olhando para um ponto fixo. Hyuna sem pestanejar sentou do seu lado.

— Posso lhe perguntar uma coisa? — falou, olhando para ele com os olhos brilhando.

— O que? — indagou.

— Você ‘tá mesmo esperando um filho do Tae? Sério que você ‘tá grávido? — disse por sim, encarando o volume debaixo da roupa do acinzentado, que sorriu com sua pergunta.

— Sim estou... — afirmou, acariciando ainda mais sua barriga. A mulher levou suas vistas a seu baixo-ventre, encarando-o. Park olhou para onde ela olhava. — Quer tocar?

— E-E-Eu... Bem, quero sim! — assentiu, o médico pegou na sua mão esquerda e a levou para o pequeno volume, Hyuna sorriu quando sentiu que havia mais alguma coisa alí. — Está de quantas semanas?

— treze semanas... — declarou.

— Você realmente ama o TaeTae né? Porque uma pessoa que engravidasse de um criminoso, traficante e assassino, abortaria... — continuava a acariciar, Jimin se jogou na cama novamente.

— Amo sim, e sou muito trouxa por ele... — virou seu rosto para o lado, a figura feminina deitou-se também na cama.

— Planejava essa gravidez?

— Sinceramente? — a garota abanou a cabeça positivamente. — Eu nem sabia da existência do Taehyung, até aquela noite...

— Que noite? — perguntou, se virando de lado e o fitando.

— Porque está me perguntando tanto sobre isso? — disse Park se levantando.

— Porque eu sempre quis ter um filho, mas eu ainda não encontrei o cara certo sabe? — admitiu olhando em direção para suas mãos. — Porque?

— É que digamos eu não tive um boa impressão sua... — disse por fim.

— Ahh sim, todos pensam que sou puta por causa da minha cara... Sabe, eu acho isso ridículo, porque os homens sempre pegam várias mulheres e são chamados de miserave , o pegador, já as nós mulheres não. Quando pegamos vários homens, somos chamada na sociedade de rodada, prostituta, puta... — suspirou. — A vida é injusta para a mulher...

— Desculpa eu não queria— interrompido.

— Você não tem culpa, eu so que a sociedade já colocou rótulos para indagações. — deu uma pausa. — Mas eu não vim aqui falar disso, o Taehyung me mandou avisar sim, quero te dar outro aviso da minha parte.

— O que Hyu? — Park riu um pouco com o apelido que deu a nova amiga.

— Tome cuidado com o garoto JungKook... Ele pode parecer fofo e gentil com você, porém não se engane, ele não está na linha de frente da gangue do V por nada... Tome muito com ele, olha boas pessoas são o NamJoon irmão do seu namorado/marido— interrompida.

— Quem me dera ter essa posição. — confessou.

— Tá, continuando... NamJoon é uma boa pessoa, o namorado dele o Jin é um amorzin que só ele vai gostar de você, eu linda e maravilhosa já gosto de você só lhe alerto para JungKook... — se levantou da cama indo em direção a porta.

— Ahhh obrigada Unnie... — disse brincando.

— Unnie a mãe, eu sou mais nova do que você! — gritou, dando tchau e saindo do cômodo, deixando Jimin inércio em seus pensamentos sobre o tal JungKook.

Deitado de braços para cima.

JungKook eu me lembro de você da época do ensino médio... — balbuciou.

Depois de mais algum tempo, dormiu cansado das altas emoções do dia hoje. Mal sabia Jimin que o futuro poderia ser cheio de incertezas.

————————{...}————————

O que desafiam-me a achar

É que o meu futuro é assombrado por meus inimigos

Sem saber que os mais próximos serão os mais falsos


Notas Finais


Então pessoas gostaram do capítulo e que capítulo né gente???
Estou muito eufórica eu estou voltando a atualizar minha fic querida do kokoro!!!
Estou pasma com o que escrevi, véi Jimin larga de ser idiota, o menino deu de novo. Eu hein!
Dessa vez, tem personagem nova na área, Hyuna chegando arrasando com tudo né mona Amour? Gente a Hyu kkk, vai ser uma Lisa 2 dessa fic, pq sim!
I Loves demais

Culpem a música “Cars, Clothes and Calories” por esse meio lemon pq eu cortei a cena, tbm tava com peguicinha de escrever. Mas quero ver vcs sofrendo.
Gente o que será que o Jungkook tá armando para o nosso Shipp OTP??
Avisando que nessa fic Vai ter sim lemon TaeKook só pra constar...

Obrigada por darem uma segunda, terceira, quarta chance para ela. Obrigada por visualizar e pfvr comentem eu quero ver o que vcs acham desse capítulo

Beijinhos de Nutella e até amanhã para Att


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...