1. Spirit Fanfics >
  2. Fruto Proibido >
  3. Capítulo 7 - Flores

História Fruto Proibido - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, gente! Eu não postei ontem porque simplesmente esqueci. Estava empolgada escrevendo o meu livro, aí não consegui lembrar de postar. Prometo que semana que vem vou postar no dia certo, prometo :)

Boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 7 - Flores


Bakugou Katsuki

- Você o que?! - Kirishima faz questão de gritar no meio da rua, que irritante. - Vocês vão... de novo?

- É, Kirishima, a gente vai.

- Vocês estão doidos? - ele me segue pela rua, gritando toda hora. - Se alguém descobrir, você tem ideia do que vai acontecer?

- Ninguém vai descobrir. A gente vai apenas foder bem gostoso na minha casa de campo e depois, nunca mais vamos conversar.

- Ah, acredito nisso. Claro que acredito. Bakugou, pô, eu não nasci ontem. Vocês vão transar de novo e de novo, até que sejam pegos.

- Não vamos ser pegos, merda. É só a Ochako manter a pose.

- Que pose? A menina parece um disco travado que mal sabe falar e você acha que ela vai conseguir manter o segredo? Por favor, não seja besta! - travo os dentes, ficando com ódio. - Meu irmão provavelmente já sabe, ele não vai concordar com isso. Não vai mais nunca!

- Cala a boca um pouco, porra. - chegamos no meu carro. Assim que entramos, ele começa a falar de novo.

- Vão usar proteção pelo menos? Você sabe do risco de uma gravidez? E se ela tiver uma doença? E se os Uraraka's descobrirem? Você vai estar morto. M-O-R-T-O!

- É melhor parar de surtar se não quiser ir de a pé pra casa. - minha voz sai num rosnado.

- Que saco! Ah, e você me deve um carro. - arqueio a sobrancelha, confuso. - Você disse que iria me dar um carro se ela fosse uma Uraraka. Anda, passa o carro.

- Vá a merda.

O resto do caminho eu preciso me controlar muito para não assassinar o Kirishima. Ele sabe ser irritante quando quer.

Quando chegamos em casa, vejo minha mãe conversando com o meu pai na sala. Ignoro os dois e subo para o meu quarto. Já na minha cama, eu procuro o Instagram da Ochako. Ela deve ter isso, todos têm.

E ela realmente tem.

Mando uma mensagem.

[Instagram chat 3:15 PM] Bakugou: Vou mandar a localização. Esteja lá amanhã às quatro da tarde.

Envio apenas isso.

- Você é um caso perdido. - suspira. - Mas por favor, se previne, Bakugou. Usa camisinha.

- Tá. Agora para de bancar a mãe. Fique feliz porque eu finalmente estou realmente querendo transar com alguém. Mesmo ela não preste.

- Eu ouvi direito? - reviro os olhos ao ver o chato do Mirio na minha porta. - Bakugou Katsuki querendo transar com uma garota que não presta? Essa é nova.

- Não se intromete, Mirio. - bufo. - O que você quer?

- Queria saber se já conhece a Uraraka-chan. Ela é bem linda.

- Ela é tapada, deve fazer o seu tipo - começa a rir.

- Meu tipo é diferente do que imagina.

- Curte rolas?

- Bakugou, que linguajar feio. - toma um espaço na cama, se sentando. Kirishima está do meu lado mexendo no celular.

- Eu falo como eu quiser. Você é um saco. Quer voltar logo pro escritório do meu pai e me deixa em paz?

- Quer ver uma foto da garota? Você vai achar ela linda. - pega o celular e entra numa foto. Na foto, a Uraraka está de vestido longo, que é colado e marca toda as suas curvas. Não consigo ver aquela bunda maravilhosa pela foto, mas só de imaginar já quero afundar meus dedos nela.

- Uma gata que nasceu na família errada.

Se a Uraraka fosse de outra família, talvez dos Asui's, eu poderia fazer as coisas com mais facilidade. Por que ela tem que ser justo uma Uraraka?

- Você é tão mente fechada, Bakugou. - se levanta. - Bem, eu vou indo. Kirishima, mande um abraço para o Tamaki.

- Pode deixar! - sai do quarto.

- Bakugou, por que você não manda um presente para a Uraraka?

- Como assim?

- Um agrado, sabe. Agrade ela.

- Por que diabos eu faria isso?

- Pra provocar o Midoriya! Ele saiu com ela, né? Então, se você mandar flores ele vai ficar puto e também nunca vão desconfiar que você que enviou.

- Entendi. Mas por que você tá falando isso? Não era contra?

- Se não se pode contra você, se junte!

- Idiota. - pago o o celular e ligo para uma floricultura. - Quero o maior buquê de rosas desse lugar. Quero que enviem em até dez minutos.

Uraraka Ochako

- Tamaki. - bato na porta antes de entrar. Quando entro, o vejo usando óculos enquanto mexe em alguns papéis. - Podemos conversar?

- Rápido. Preciso resolver umas coisas.

- É que… meio que eu… e-eu…

- Você tá precisando de um fono. - sorri. Ajeita os papéis e se senta ao meu lado na cama. - Diga logo.

- Eu marquei de ver o Bakugou-kun de novo. - a face dele se distorce e dá um grito. Pega o travesseiro e me bate com ele. - Tamaki!

- Você tá doida, Ochako? - percebo que ele está bem bravo. - Você não pode.

- Vai ser só mais uma vez… - para de me bater. - Eu não consigo resistir, ele é…

- Gostoso? Você vai dormir de novo com alguém que nossos pais odeiam, pelo simples fato de que ele é gostoso?!

- Não é bem assim… - enrolo uma mecha do cabelo nos dedos. - Quer dizer, não tem um motivo. Mas eu quero dormir com ele de novo.

- Isso se chama tesão acumulado. - fico vermelha. - Tudo que você quer é sentir prazer com um homem bonito e sensual. É uma coisa idiota.

- Mas…

- Se você transar com ele, sabe o que vai acontecer? Você vai querer mais e mais. Assim, vocês nunca vão parar com isso. Sempre vão estar transando pelos cantos, até que sejam descobertos ou até ele cansar de transar com a filhinha dos Uraraka. - favo um biquinho, infelizmente sabendo que ele está certo. - Ochako, por favor, não faz sexo com ele de novo.

- Eu…

Meu celular vibra.

É uma mensagem de…

Bakugou Katsuki?!

[Instagram chat 3:15 PM] Bakugou: Vou mandar a localização. Esteja lá amanhã às quatro da tarde.

Junto da mensagem está a localização.

- Me dá esse celular. - toma o aparelho da minha mão. - Vocês já marcaram até o lugar? Ochako, você tá doida?

- Eu devo estar doida mesmo, mas…

- Não.

- Mas…

- Você não pode fazer isso, Uraraka Ochako! Você nem toma pílula, então é perigoso. Vocês também com certeza nem vão lembrar que existe camisinha. Estão doidos.

- Não estamos. Irmão, eu prometo, vou usar proteção dessa vez. Então, me apoie nisso. Por favor.

- Ochako…

- Com licença. - a empregada abre a porta segurando um belo buquê de rosas. - Um presente para a senhorita.

Arregalo os olhos.

Levanto e vou até ela. Pego as flores, que são tão lindas.

- Aqui o cartão. Com licença. - sai do quarto.

- Por favor, não seja de quem estou pensando... - Tamaki diz surpreso.

Pego o bilhete. Nele está escrito assim:

"Use algo da cor das rosas. Vai ficar lindo em você. BK."

- Bakugou… - releio novamente. Ele realmente me mandou flores? Que gentil da parte dele.

- Eu vou matar esse idiota! - Tamaki toma o buquê de mim. - Ele está tentando te seduzir com presentes.

- Devolve minhas flores! - pego de volta. - Ele só está tentando ser legal. Isso não vai mudar a minha decisão.

- E qual a sua decisão?

 - Eu vou dormir com ele de novo.


Notas Finais


No próximo capítulo vamos ter um especial Miritama! Eu estou apaixonada por esse casal, então sinto necessidade de escrever sobre eles. Aí, depois do especial, teremos o hot da Uraraka com o Bakugou!

Até a próxima segunda!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...