História Fuck Buddies - Reylo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Finn, General Hux, Han Solo, Kylo Ren, Leia Organa, Luke Skywalker, Rey
Tags Ben, Rey Kylo, Reylo, Universo Alternativo
Visualizações 325
Palavras 2.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, galerinha!!! Depois de 84 anos, finalmente a atualização de fuck buddies UIIIII!!
Sinto que as atualizações serão rápidas a partir de hoje, já que eu tive a oportunidade de achar um boy magia para esse fim de semana, e espero que ele me ajude com as inspirações haha

Eu espero que gostem.
Obs: Apreciemos esse monumento de homem que é Adam Driver.

Capítulo 3 - III - The Party


Fanfic / Fanfiction Fuck Buddies - Reylo - Capítulo 3 - III - The Party

"Eu tenho arrepios

Eles estão se multiplicando

E eu estou perdendo o controle

Porque o poder que você está fornecendo

Ele é eletrizante"

Lo-Fang – You're the one that I want



Quando o barulho irritante do despertador soou pelo quarto, Rey bufou contra o travesseiro, tateando pelas cobertas à procura do celular e respirou aliviada quando o aparelho parou de apitar.

Ela se sentou na cama com lentidão, vendo que sua colega de quarto aproveitava um sono pesado na cama ao lado. Rey esfregou os olhos, buscando disposição para levantar da cama e se arrumar para a aula. Pegou o celular e o desconectou do carregador, olhando rapidamente as notificações e abrindo o facebook apenas para confirmar sua presença na festa de hoje à noite.

Ela esticou o corpo, se espreguiçando lentamente e forçando seu corpo para fora da cama antes que se rendesse à vontade de dormir de novo.

Um banho gelado foi o suficiente para despertá-la por completo. A mochila pendurada nas costas estava meio aberta enquanto ela procurava os livros que usaria hoje. Antes de sair, ela pegou a camisa branca de botões em cima da escrivaninha e a guardou na mochila.

Rey caminhou apressada, passando os olhos com atenção pelo campus, procurando pela cabeleira negra e os ombros largos, mas não havia sinal dele. O café expresso comprado no campus desceu por sua garganta, queimando de uma maneira boa e fazendo aumentar a disposição para aguentar várias horas de matéria quando tudo o que Rey realmente queria era encontrar o pirata charmoso da festa da noite passada.

A sala de aula já estava cheia quando ela chegou e agradeceu com um sorriso ao ver o lugar que Finn reservou para ela.

***

A última aula acabou há exatos sete minutos e ela já estava atrasada para a festa. Pessoas arrumadas passavam por ela, carregando packs de cerveja e falando alto demais para que Rey pensasse que estavam sóbrias. Ela procurou mais uma vez, mas não avistou Kylo em lugar algum.

Ela abriu a porta do quarto com rapidez, assustando Rose que estava sentada na cama com o notebook no colo. Rey havia trocado poucas palavras com a garota, mas havia gostado dela e se sentiu culpada por atrapalhar o que for que ela estivesse fazendo.

- Desculpe. Eu não quis te assustar! - falou, recebendo um sorriso pequeno em resposta.

- Não é nada! Você está bem?

- Estou. Só estou atrasada! - Rose assentiu com a cabeça, mas franziu a testa.

- Você tem aulas à noite? - perguntou, acompanhando Rey arrancar os tênis de qualquer jeito, se esforçando para se equilibrar num pé só.

- Não. Na verdade, estou atrasada para uma festa! - sorriu.

- Ah, claro! - ela soltou uma leve risada. - Você não precisa chegar cedo, sabe? Essas festas costumam durar a noite toda.

Rey levou as mãos para a barra da camisa, olhando significativa para Rose e recebendo um olhar afirmativo da garota. Ela passou a camisa pela cabeça, feliz por Rose não se importar em vê-la de sutiã pelo quarto.

- Eu sei disso. - ela falou ao mesmo tempo que abriu as portas da sua parte no guarda-roupa, se amaldiçoando por ser extremamente indecisa quanto ao que vestir. - Mas me disseram que quanto mais tarde, mais lotada estará aquela fraternidade. E eu pretendo encontrar alguém por lá. - ela pegou dois vestidos dos cabides e os analisou sem chegar a uma decisão. - O que você acha? - perguntou, erguendo as duas peças de roupa para Rose.

A garota deixou o notebook de lado para levantar da cama. Rose se aproximou de Rey e analisou os vestidos mais de perto.

- Hmm... essa pessoa que você vai encontrar, você pretende impressionar? - a pergunta veio acompanhada de uma sobrancelha arqueada e um sorriso divertido nos lábios da garota.

- Digamos que eu pretendo chamar a atenção dele. - Rey confirmou, fazendo Rose aumentar seu sorriso.

- Sendo assim, definitivamente deve usar este aqui. - ela apontou para o da esquerda.

- Esse é o meu preferido!

***

Os sapatos de salto afundavam um pouco na grama enquanto Rey seguia o fluxo de pessoas que seguiam para a festa. O vestido justo moldava bem o seu corpo e a maquiagem leve que ela se esforçou para fazer a deixaram bem apresentável.

A grande casa estava cheia e uma música estupidamente alta fazia os vidros das janelas tremerem. Rey se esgueirou para dentro da grande casa, já sentindo seu corpo querer se mover de acordo com o ritmo rápido da música que ela não conhecia, mas gostava.

A dificuldade para andar era grande e ela nem ao menos sabe se o cara alto e animado escutou o seu pedido de desculpas por ter pisado no pé dele. Mas apesar do grande aglomerado de pessoas, Rey reconheceria aqueles cabelos negros em qualquer lugar.

Kylo estava no fim do corredor. Uma camiseta preta marcava os músculos das costas e os braços estavam completamente expostos. Ele estava de costas para ela e parecia gargalhar enquanto conversava com um grupo de caras que ela não conhecia. A calça jeans escura fez a bochecha de Rey esquentar quando ela se pegou dando uma espiada em como a bunda dele ficava marcada no tecido.

Cruzar o mar de bêbados se mostrou ser mais difícil do que ela esperava, mas quando finalmente conseguiu se aproximar, a falta de jeito a pegou de surpresa. O que ela falaria com ele? Como deveria iniciar aquela conversa?

Respirando fundo e se esforçando para pôr em prática toda a sua habilidade de atuação, ela aproveitou a grande quantidade de pessoas naquele lugar para fingir um desequilíbrio. Ela se jogou contra ele e quando sentiu mãos grandes segurarem seus braços e depois sua cintura, ela fingiu irritação e surpresa.

- Desculpe! - ela diz, abrindo um sorriso tímido e usando suas mãos nos ombros firmes de Kylo para se segurar.

- Não foi nada! - o sorriso que ele abriu fez os dedos de Rey deslizarem discretamente pelos braços definidos.

Os olhos castanhos escuros deslizaram pelo vestido apertado, e Rey estremeceu quando a visão da língua de Kylo lambendo os próprios lábios fez um arrepio descer por sua espinha direto para sua intimidade. O sorriso se alargou para o lado direito e ele firmou a mão direita na cintura dela. Colocando os fios de cabelo castanhos que caíram em seu rosto atrás da orelha com a esquerda.

Porra! Ela estava doida para que ele a tocasse mais.

- Você está bem? Se machucou? - a voz grave adentrou os ouvidos de Rey como pura tentação.

- Estou bem, alguém só esbarrou em mim. - ela aumentou seu sorriso. - Que sorte que te encontrei por aqui!

- O quê? A música está alta demais! - ele falou mais alto, sorrindo divertido. A mão direita na cintura de Rey a puxou para frente até que eles se encostassem e Kylo se abaixou lentamente, levando sua boca até o ouvido direito dela. - Você deveria falar mais perto do meu ouvido. - a boca dele roçou no pescoço dela e ele inspirou fundo, como se quisesse sentir o perfume dela. Ela conseguiu sentir cada pelo de sua nuca se arrepiar com a proximidade inesperada.

Quando ele se afastou sorrindo de lado, Rey subiu as mãos mais uma vez por aqueles braços, até enlaçá-los no pescoço dele para puxá-lo para baixo. Mesmo com os saltos, ele era tão maior do que ela que foi preciso ficar nas pontas dos pés para levar sua boca para perto do ouvido dele.

- Eu disse que tenho sorte por ter te encontrado aqui. - ela o ouviu rir.

A mão grande apertou mais a cintura de Rey e a outra retirou com delicadeza os fios de cabelo castanho que cobriam a pele do pescoço. Rey teve que fechar os olhos quando o sentiu arrastar os lábios cheios por ali antes de responder.

- Acho que quem tirou a sorte grande fui eu. - ele depositou um beijo na curva do maxilar e soltou uma risadinha ao ver o quão arrepiada ela estava. - Quer beber alguma coisa? - ela confirmou com a cabeça.

Caminhar pela casa lotada parecia muito mais fácil com Kylo abrindo o caminho e agarrando sua mão. Ela se distraiu com o movimento dos músculos das costas enquanto ele se ocupava de arrumar uma cerveja para ela.

- Espero que goste de cerveja quente. A organização dessa festa é uma porcaria.

Ela se encostou no balcão da cozinha e deu um gole na bebida.

- Já fui a festas piores. Não tinha nenhum louco vestido de pirata para me entreter nas festas que eu frequentava em Londres. - Rey mordeu o lábio inferior quando percebeu que até a risada dele fazia seu corpo esquentar.

- Já vi que gosta de piratas. É uma pena!

- Por quê? - ela perguntou, entrando no jogo.

- Você se interessa por homens rudes e brutos, e eu sou um cavalheiro. - quando o corpo dele se encaixou ao dela, a encurralando entre ele e o balcão, Rey suspirou. O sorriso sacana no canto dos lábios tinha um efeito direto na região em que as coxas de Rey se encontravam.

- Cavalheiro?

- Pois é. Eu adoro ser gentil com as mulheres. - ele largou a cerveja e depositou as mãos no quadril de Rey, dedilhando o caminho até a cintura. - Eu poderia ser um cavalheiro para você essa noite. - esse sussurro ao pé do ouvido fez Rey fixar os olhos cor de avelã naqueles lábios pecaminosos de Kylo. Merda de homem gostoso!

- E o que você faria para mim?

- Eu poderia ser um cavalheiro e te ajudar a tirar esse vestido. - como ela deveria resistir a ele quando ele continua agindo assim, fazendo seu corpo tremer e sua intimidade vibrar de tesão?

Ela não podia mais esperar. Sua boca estava faminta para provar a dele e seu corpo estava quente o suficiente para fazê-la puxá-lo ainda mais para perto.

Ela não conseguia mais resistir. A expressão no rosto dele, a expressão de quem sabia todos os desejos dela. Ela nunca quis um homem assim. Sua mão direita subiu até cabelo preto e seus dedos puxaram os fios até que ele se abaixasse o suficiente para sentir a respiração dela em sua boca.

A língua de Rey vibrava em excitação. Ela fechou os olhos e o sentiu se aproximar, mas os lábios dele só roçaram nos dela antes dele se afastar.

Rey abriu novamente os olhos, confusa.

- Mas que merda! Não está vendo que eu estou ocupado? - ele gritou, irritado com o homem que o interrompeu.

Merda!

- É o Hux! Está brigando de novo! - o rapaz falou.

- E desde quando isso é um problema meu? - Rey percebeu a irritação refletir no corpo dele. As mãos a apertaram com mais força contra ele e ela sentiu um volume delicioso contra sua barriga.

- Ele é seu amigo! E está levando uma surra de um calouro. - ele suspirou pesado e revirou os olhos.

- Depois que eu o livrar dessa surra, vou encher a cara dele de porrada! - Rey suspirou, decepcionada. - Me desculpe por isso.

- Está tudo bem. - ela falou, tentando sorrir animada.

- Vamos ver quem está dando uns socos na cara desse babaca dessa vez. - ele se afastou dela, mas enrolou mais uma vez seus dedos nos dela até que chegassem a sala, onde uma quantidade imensa de pessoas se juntou em um círculo, e no centro deste, Finn estava sentado sobre um homem de cabelo ruivo e o socava sem parar.

- Oh, meu Deus! Finn? - ela gritou.

Kylo empurrou os curiosos e usou sua força para puxar Finn para longe do ruivo.

- Hey, cara! Você já conseguiu acertar uns bons socos no meu amigo, não acha? - Kylo falou.

- Finn, o que está fazendo? - ela se aproximou do colega. Ele tinha um corte no lábio e se rebatia para que Kylo o soltasse.

- Me solta! - ele pediu.

Kylo o soltou, assistindo a multidão se dissipar com o fim da briga e se abaixando ao lado de seu amigo.

- Hux? - ele chamou, recebendo um gemido de dor como resposta. - Ele está bem! - falou, agarrando um dos braços do ruivo e passando por seu pescoço para que pudesse ajudá-lo a levantar.

- Espere um segundo. - ele pediu a Finn antes de se aproximar de Kylo. - Tem certeza que ele está bem? - perguntou a ele.

- Não se preocupe. Hux faz isso mais vezes do que você pode imaginar. - ele lançou um breve olhar para Finn. - E o seu amigo me parece bem melhor que ele.

- Finn está bem.

- Bom, eu vou levar esse idiota para casa antes que arrume mais problemas. - ele disse com um tom de voz irritado. - Parece que terei que tirar a sua roupa um outro dia! - Kylo sorriu de lado quando Rey soltou uma risada. - Boa noite, Rey!

- Boa noite, Kylo! - ela diz e o observa enquanto arrasta o amigo para fora da festa.


Notas Finais


Esse Kylo todo safadinho. Só Deus sabe o quanto eu queria um homem desses na minha vida haha

O que vocês estão achando, amores? Comentem aqui embaixo! Vamos conversar 😊

Beijoooos! 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...