História Fuck me Daddy (imagine hot Jungkook) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Visualizações 942
Palavras 1.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura
Gente, tem incesto, quem não gosta pelo sangue não leia, e sem atritos, por favor

Capítulo 6 - My daddy is very violent!


Fanfic / Fanfiction Fuck me Daddy (imagine hot Jungkook) - Capítulo 6 - My daddy is very violent!

Ele derruba a porta, com total força e brutalidade, que se alguém visse de longe o confundiria com um leão atrás de sua presa, assim que me virei e o encarei nos olhos, vi uma lágrima cair, não dos meus, mas sim, dos dele, me olhou com ódio e tristeza, eu simplesmente abaixo a cabeça e o deixei se aproximar, sem me por a frente de nada, e seja o que Deus quiser

Por que ligou para seu irmão?- ele me pergunta "calmo", sentia cheiro de ódio, parecia dentir raiva só de ouvir falar em minha mãe ou irmão, parecia sentir raiva de mim, não o respondi- POR QUE LIGOU PARA SEU IRMÃO?- ele me pergunta novamente, mas em um tom de voz auto, estava se aproximando casa vez mais, e senti meu corpo se amolecer de medo

Estava me cobrindo com meu lençol de cama para que não aparecesse meus seios - P-pai, e-ele que l-ligou, não foi eu- eu tento mentir, mas sou péssima nisso, percebi minha vista escurecer, de sentada passo a estar deitada na cama, de olhos fechados e lucida, apenas ouvindo

Além de vadia, uma mentirosa, você é a cópia da sua mãe- ele diz e ouço a zoada de algo ser jogado no chão, provavelmente, o objeto que usou para me bater

~Jungkook~

Sai do quarto de (S/N), e fui para o meu, ao chegar no mesmo, me deitei, a consciência pesou, mas meu orgulho eu dizia que estava certo, e meu coração se apertava a cada toque violento cometido por mim, contra a minh... contra (S/N), é impossível não olhar para ela e lembrar de sua mãe, seu corpo, seu cabelo, seus olhos, seu sorriso, até os seios são idênticos, ela é igual a mãe, o seu olhar de inocência, pelo qual me apaixonei. Meu Deus no que eu estou pensando. A pequena que eu criei durante 14 anos, cresceu, e vivi em um inferno causado por mim, que tipo de monstro eu sou?! É tão parecida com sua mãe, que tenho ódio de olha-la e lembrar daquela vadia de quinta categoria, aquele manipuladora, como eu amo a odiar, me vingar na (S/N) pode ser algo do qual eu me arrependa, mas é glorigicante saber que tenho a mini-(S/M) em minhas mãos, comendo o que eu sou, bebendo o que eu permito, limitada ate a respirar, mas ela é uma boa garota, acho deveria a tratar melhor

Saiu de meus pensamentos, quando percebo que começo a sentir pena de (S/N), Jeon Jungkook ela é igual a mãe, ela não presta- diga a mim mesmo, e desço para beber água

(...)

Ao subir ouço choramingos e resmungos do quarto de (S/N), paro na porta do mesmo e ouço tudo, encostando o meu ouvido na porta

Por que? Por que ele me trata assim?!eu só queria uma explicação, meu Deus, me leva, me tira desse inferno que vivo, ele está me matando aos poucos, por que uma morte tão lenta?!- ela exclama aos prantos, a vontade de entrar lá e a abraçar e falar que a amo, que é minha pequena, é enorme, mas meu orgulho diz seria o pior erro da minha vida, ouvi passos vindos até a porta, corro para meu quarto, me senti uma criança bisbilhoteira, fiquei encostado na porta do banheiro, do segundo andar, e vi a mesma sair, a encarei com um olhar amedrontador, e a vi olhar para mim, com seus olhos enchados, sua blusa toda molhada, suas pernas trêmulas, e com ronchas marcadas por toda a extensão.

Ela estava realmente com minha marca, me senti vitorioso e ao mesmo tempo culpado, por que? Não faço ideia. Ela olhou para mim, novamente, abaixou a cabeça e continuou a andar e desceu as escadas, assim que vi a mesma descer, novamente, aquele aperro no coração por ver ela naquele estado lastimável, causado por mim, pela minha pessoa, eu que causei isso na minh... na (S/N). Entrei no meu quarto e fui tomar banho

(...)

Após ter passado a tarde assistindo filmes para maiores, comendo, dormindo, fazendo qualquer coisa. Eu me vi em um estado de dó, estava assistindo um filme porno e me peguei pensando, chupando os lindos seios de (S/N)

QUE MERDA HEIN JUNGKOOK, VOCÊ É UM NOJO- eu grito batendo em mim mesmo com a almofada, sentir nojo só de pensar que um dia eu poderia pegar naqueles lindos e redondos seios, por em minha boca e chupa-los sem que houvesse o amanhã, aperta-los, com tal brutalidade e malícia, que ele nunca mais esqueceria- JEON- me bato novamente ao perceber que estava pensando de novo naquele, o que eu posso fazer é contra meus instintos, é contra meu sangue, se bem que né... isso não é algo que eu deva me importar muito- MEU DEUS JEON NO QUE VOCÊ SE TRANSFORMOU, QUE NOJO - grito novamente, minha pequena deve está assustada...alguém bate na porta

Entra- falo me arrumando, e desligo a televisão - P-papai- era a (S/N), entrou de cabeça baixa, estava usando um shorts moletom e um cropped, o que deixava seu corpo, lindamente, maravilhosamente, a minha total vista- eu ouvi você gritar, e também começou a chover forte - não a deixo terminar, pois isso duraria um século, que garota lerda e linda, aish... O que eu to pensando

Você está assustada, e quer dormir comigo!- eu afirmo e a mesma entendi como uma pergunta e balança a cabeça, sinalizando um "sim", abaixando mesma, como ela pode ser tão besta, eu a mal-trato, eu a machuco, eu a faço sofrer, e ainda me mostra tanto afeto por mim, e por cima pedi para dormir comigo, admito que ela é bem corajosa, isso  só a deixa mais linda- você não tem mais idade para isso- eu falo firme e vejo uma gota de lagrima cair no chão

Okay, papai- ela diz, sussurra, sei lá, sei que quase não ouvi, muito bem, senti pena, e uma grande dor no coração, esse coração tambem num colabora com o meu lado autoritário, porra.

Ela abria a porta- (S/N)- grito e ela vira para mim- você pode ficar, até a chuva forte passar- eu falo pego em sua mão, ela me olha incrédula- P-papai, eu...- antes dela falar qualquer coisas a puxa e a abraço, não sei o por que de eu estar agindo assim, simplesmente, resolve fazer o que o coração manda- deite comigo, e relaxe- elá se solta do abraço com um olhar confuso e lindo, eu sorriu e ela me devolve da mesma forma

(S/N) deitou na cama, e virou de costas para mim, encolheu seus joelhos para perto da barriga, me dando uma visão perfeita de sua bunda redondinha, ela era tão inocente, que acho que não sabe nem como que funciona o sexo, as vezes eu até penso em.deixar ela ir para escola, mas não quero a expor a tal coisa, eu posso até parecer um psicopata, mas acho que tenho vontade de ficar minha filha


Notas Finais


Continua???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...