História Fuck me, teacher - Imagine Namjoon (HOT) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Seokjin (Jin), Personagens Originais
Tags Aluna, Colegial, Pesado, Professor
Visualizações 348
Palavras 982
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, eu voltei com uma nova fanfic que, caso vocês gostem muito, só terá dois capítulos bem gostosos para vocês, caros leitores, irem a loucura com a gostosura do Namjoon.

A "______" tem 18 anos, portanto, já é de maior e está finalizando o ensino médio. Nem venham com pipipi pópópó pro meu lado, obrigada.

Pra você, leitor de Killer Bunny Girl, voltarei com um capítulo fresquinho da fanfic até quarta feira que vem, aguarde mais um pouco por favor. Consegui recuperar bastante minha saúde emocional e psicológica, por mais que não esteja 100% não devo deixar vocês na mão, já tive tempo o bastante para descansar e pensar sobre a vida. Aprendi que não devo me colocar tanta pressão e me cobrar tanto, isso acabou me fazendo mal e não foi legal.

Agora, boa leitura, meus doces.

Capítulo 1 - Capítulo um.


Fanfic / Fanfiction Fuck me, teacher - Imagine Namjoon (HOT) - Capítulo 1 - Capítulo um.

Seu cheiro doce inebriante e inconfundível entra em minhas narinas e um arrepio percorre meu corpo, alertando-me de sua presença dentro da sala de aula extensa e cheia de alunos, com um falatório um tanto chato. 

Ajeito minha postura, porém não deixo de ser sensual. Cruzo as pernas e bato o solado de meu sapato baixo no chão, colocando os braços abaixo de meus peitos e levantando-os, deixando o vale dos seios a mostra sobre o pequeno decote de dois botões abertos intencionalmente.

Namjoon pousa os livros sobre a mesa e seu olhar percorre a sala agitada, parando sobre mim, analisando a única quieta em meio aquela bagunça e euforia por estarmos no último mês de aula. Um pequeno sorriso surge no canto de sua boca como cumprimento.

Consegui me destacar de alguma forma, quero fechar esse final de ano com chave de ouro.

Levanto as sobrancelhas ao vê-lo suspirar já perdendo a paciência com a falta de conveniência dos alunos. 

- Bom dia, pessoal. - diz em seu tom de voz calmo de sempre, mas dando a perceber que está se esforçando para controlar os nervos.

A turma não se cala e eu continuo observando suas ações e expressões que me deixam curiosa para saber o que fará.

- Calem a boca! - o Kim grita em um ato repentino, surpreendendo-me. Todos se calam e um silêncio absurdo paira no ambiente.

Sorrio ladino com tamanha sensualidade daquele homem. Ele consegue ficar mil vezes mais sexy quando se estressa, o que é algo raro pois sempre tenta ser o mais pacífico possível. 

Como pode uma matéria tão chata como matemática ter um professor tão gostoso?

- Como disse antes: Bom dia, pessoal.

- Bom dia, professor Namjoon. - respondemos em coro e ele sorri mais uma vez de forma mínima, recuperando a paciência.

- Vamos começar a aula, já perdi muito tempo esperando vocês notarem minha presença. Abram o livro na página...

[...]

Difícil, muito difícil. A questão que um colega de classe responde agora no quadro é um desafio para minha capacidade, que não é grande coisa quando se trata de números e mais números.

Quem vai responder no quadro a próxima atividade, será eu. Espero que todo esse tempo estudando em casa valha a pena para não fracassar nas provas finais.

- _______. - Namjoon fala meu nome com sua voz grossa. E que voz! A calcinha molha só de escutar meu nome saindo pela sua boca recém umidecida por uma passada rápida de língua pelos lábios. 

Queria que aquela língua passasse em outros lugares, quem sabe um dia isso aconteça.

Levanto sem muito entusiasmo olhando para o quadro com a devida equação.

Mexo um pouco nos cabelos, não posso perder a oportunidade de ter sua atenção.

Analiso o quadro lentamente já com o giz em mãos. 

Até que não está difícil, já desvendei sua resposta. Porém, se eu errar uma questão no quadro mais uma vez ou ficar sem saber sua resolução, pegarei detenção pelo resto da tarde, e pensando bem, isso é exatamente o que quero já que Namjoon é o professor que fica na detenção.

Com entusiasmo começo a resolução da fórmula que, aparentemente, eu não sei resolver. Qualquer um saberia a resposta disso, acho que como ele sabe que sou horrível em matemática me deu a mais simples para facilitar as coisas. Pois é, errarei de propósito.

Termino todas as contas e descanso o giz no quadro, observando toda aquela estupidez e virando-me para Namjoon, que encara tudo aquilo incrédulo assim como o resto da sala, que murmura comentários ofensivos sobre mim. Mal sabem eles que isso não passa de fingimento.

- Terminei, professor. - sorrio inocente.

O Kim morde seu lábio inferior rosado e leva os longos dedos até suas têmporas, massageando-as e bufando de decepção.

- É sério isso? Você está estudando? Você ao menos prestou atenção em todas essas minhas aulas no decorrer do ano? - abaixo a cabeça em tristeza falsa. - Olha, _______... Você é uma ótima aluna, sempre calada e obediente, porém não adianta você estar aqui se sua cabeça estiver em outro lugar, principalmente agora que estamos no último mês e você deve ter notas boas para seu currículo. Infelizmente, terei que te colocar na detenção. - marejo os olhos, mas gargalho por dentro. Eu deveria investir na carreira de atriz. Levanto o olhar para ele, que confere as horas no pulso. - Te vejo às 14:30, _______.

Fala exatamente antes de o sinal para a troca de horários bater e soar por toda a escola, causando novamente um falatório pela sala.

Viro-me ainda encenando para ir a minha cadeira, mas sinto uma mão em meu pulso, mantendo-me no lugar.

Olho para trás com curiosidade e o professor me encara profundo, como se conseguisse enxergar minha alma com suas orbes jabuticaba que me hipnotizam.

- Eu sei que está fingindo, aquela questão é impossível de errar, ainda mais que você andou ficando mais atenta desde o final do segundo bimestre. - seu tom rouco e baixo serpenteia em meus ouvidos e meus pelos eriçam imediatamente.

Finjo de boba.

- N-não sei do que f-fala, s-senhor. - maldita hora para gaguejar.

- Oh, baby, você sabe muito bem. - minhas bochechas coram. - Não fique timida, querida, não quero te ver tímida quando eu estiver naquela sala escura com você e só der para te escutar gemendo. - sorri malicioso. Seu dedo acalenta minha pele lentamente e de maneira discreta.

Se ele não quer, não serei.

- Pode deixar, professor, não serei tímida. - retribuo seu sorriso de segundas intenções. - Te vejo mais tarde, daddy. - digo a última palavra bem baixo, para que ninguém escute a não ser ele.

Viro novamente sem ao menos olhar para trás, andando até a cadeira com um sorriso orgulhoso no rosto e nariz em pé.

Mal posso esperar para ter minha punição.



Notas Finais


Querem que eu poste o próximo capitulo?
Espero que tenham gostado e eu sinto muito mesmo pelos erros de português.

Beijos da tia Miih!!! ♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...