História Fuck the Shame - Skam - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Skam (Vergonha)
Personagens Christoffer "Chris", Eva Kviig Mohn, Noora Amalie Sætre, Sana Bakkoush, William Magnusson
Tags Chris, Eva, Romance, Skam
Visualizações 1.266
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem os erros ortográficos.

Capítulo 34 - Diabo Escarlate


Fanfic / Fanfiction Fuck the Shame - Skam - Capítulo 34 - Diabo Escarlate

             SEGUNDA-FEIRA    10:30

Meus olhos insistentes procuravam por ele na escola, mas não o encontraram em qualquer ocasião. 

- Está tudo bem? - Noora perguntou enquanto entrávamos na sala de espanhol.
- Dor de cabeça. - ela assentiu. Me passou pela cabeça que o William havia contado para ela sobre eu e Chris. Não queria que ela soubesse, já que tudo estava acabado - Hey, - ela arrumou seu cabelo atrás da orelha - O William comentou algo de extraordinário com você? Sobre mim...
- Não... - ela enrugou a testa - Por que ele faria? 
- Hmm nada. É que a gente tropeçou ontem. - entra logo professora, por favor!
- Você está estranha. - neguei com a cabeça. Agora ela iria comentar com o William e amanhã teria que explicar tudo para ela. Me remoer ainda mais.

Não aconteceu. Noora agiu normalmente. Eu parecia fingir bem demais. 

                     SEXTA      23:00

Minha maquiagem estava toda borrada. Meu reflexo no espelho era muito engraçado para mim. Vilde estava na privada enquanto eu ria para mim mesma no espelho. Meu olho estava vermelho por causa da bebida e tudo para estar se movendo.

- Eva! Vamos! - ela me puxou para fora do banheiro da casa de alguma garota do segundo ano.

Jonas. Jonas estava beijando uma garota. Engoli em seco e pisquei forte para me concentrar. Olhei para o lado mas ninguém estava lá. Vilde havia me deixado. A música alta quase estourava meus tímpanos, me apoiei na parede e fugi daquela cena. Jonas. Me escondi em um quartinho cheio de produtos de limpeza.

Escorreguei pela porta que abafava o som. Agarrei com força meus fios de cabelo, abafei um grito. Respirei fundo.

Eu me sentia sozinha, sozinha agora que Jonas não pensava em mim. Chris não estar aqui. Minhas amigas estarem mais ocupadas com suas vidas. Não era isso que eu queria? Estar sozinha e solteira? Sozinha não.

Senti aquele forte cheiro de cloro. Me deu coragem. Peguei meu celular e disquei o número que geralmente me ligava de madrugada. Fechei os olhos, o que eu estava fazendo? 

Cancelei a chamada. Fiquei encarando o celular. Eu estava esperando ele me ligar?

Uma lágrima escorreu pelo meu rosto quando lembrei das suas palavras no final de semana. Quando lembrei dos seus beijos. 

Peguei um pacote de sabão em pó e joguei com força na parede oposta à mim. A raiva me consumia. Eu estava louca. Levantei, determinada, limpei com força as lágrimas que insistiam em cair e abri a porta. Procurei por alguém conhecido. Todos pareciam estar curtindo a noite da suas vidas e eu, ali, perdida.

Cheguei na cozinha e observei uma menina ruiva e uma morena preparando um líquido vermelho. Parecia sangue com água. Fui pega em flagrante.

- Te faço um. - a ruiva falou rindo - Se você quiser... - balancei a cabeça, concordando. Me aproximei quando ela me ofereceu o copo - Diabo Escarlate. - fiz uma careta quando senti o amargo passar pela minha garganta. Elas riram e eu ri depois delas fazerem o mesmo.
- Você se acostuma depois de uns goles. - a morena me consolou com uma mão no meu ombro - Vem cá, não te conheço, mas você está com uma cara péssima. Meu nome é Cara e o dela é Zu. 
- Meu nome é... - pensei, eu podia deixar a Eva de lado hoje - Meu nome é Elta. 
- Elta! O que você acha de a gente ir arrumar sua maquiagem e depois curtirmos a noite? - meu sangue com álcool respondeu mais rápido do que eu. Logo elas estavam me levando para o segundo andar. Entramos em algum quarto de menina e eu me sentei em uma cadeira e fechei os olhos. - Hey Elta, podemos fazer um olho preto? - assenti.
- Você está em boas mãos. Sou maquiadora. - acho que era Zu falando.
- O que você está fazendo em uma festa de adolescente? - elas riram com meu comentário.
- Meu ficante era para estar aqui, mas me deu um bolo. Então trouxe Zu. Bebida de graça sempre é bom.
- Qual o nome do seu ficante? - por favor não seja Chris.
- Bryan. Ele é do terceiro. - assenti - Ele é um galinha, mas o sexo é incrível. - parecia com alguém... - Mas nós dois sabemos que não temos nada. 
- Eu tinha uma relação assim... - isso aí! eu iria me abrir para desconhecidas - Não terminou bem.
- Por isso você está assim? - Zu falou enquanto esfregava um pincel no meu olho.
- Sim. - respirei fundo.
- Quer explicar?
- É complicado.
- Ok. Sabemos como é... - Cara passava a mão no meu cabelo.
- Pronto! - abri meu olho e me vi no espelho.
- Bem melhor... - até sorri. Olhei para elas - Vocês são muito legais. - elas sorriram e deram um toque. 
- Agora vamos!

A animação delas me comoveu e logo eu estava no clima. Passamos por Jonas e a garota e eu parei. Fiquei encarando.

- Vamos Elta! - elas me chamaram e fiz sinal para me esperarem. 

Me aproximei deles. Segurei seus ombros, fazendo eles se afastarem. Cheguei perto de Jonas.

- Espero que ela seja sua nova droga. - sorri e ele sorriu junto, meio estranho, mas sorriu. Cheguei perto dela. - Obrigada por salvar ele. 
- Eva! - ele me empurrou um pouco rindo - Você parece minha mãe! - sai rindo e ouvi eles gargalhando. 

Eu estava no estágio feliz da bebida. Encontrei Cara e Zu.

- Elta! - elas me abraçaram, melhores amigas da bebida - Tem uma cama elástica no jardim! - arregalei os olhos e nós corremos para lá. 

She Knows tocava enquanto pulávamos como crianças. Eu me sentia leve e fechava os olhos para sentir melhor a sensação. Minhas coxas já estavam cansadas, mas eu não queria parar de rir.

- Peidei! - Cara gritava alto de em quando e eu me matava de rir.
- Peidei! - Zu entrou na brincadeira e eu ria mais ainda. Falar coisas desse tipo não chamava atenção de ninguém naquela hora. Ninguém estava preocupado com a vida alheia.
- Caguei! - elas pararam de pular e ficar me encarando. Parei também, rindo. Elas gargalharam e caíram na lona. Deitei junto à elas e esperamos passar a crise de risos. - Estrelas...
- Não entendo nada dessa porra! - gargalhei com Zu.
- Vamos fingir! Aquela ali é a constelação dos pintos. - Cara apontou para algumas estrelas.
- Aquela ali é a constelação das piranhas. - falei rindo e apontando para qualquer estrela.
- Essa a gente varre.
- Ei! - um cara alto e musculoso, tipo esportista chacoalhou a cama elástica. Olhamos assustadas. - Saem daí! A gente quer pular! - vimos os 5 rapazes atrás dele.
- Desculpa, mas vocês vão estourar isso aqui. - Cara falou direta. O musculoso sorriu.
- Iiiiiii... Apaixonou - falei de canto.
- Sai fora! Sou muito louca para o amor. - Cara se levantou e puxou nos duas para fora. Antes de sairmos dali, o musculoso agarrou o braço dela - Me solta! - ela rosnou - Ninguém pega em mim assim! - ele soltou e se afastou.
- Ia te pedir para ficar... - ela se justificou.
- Eu não ia aceitar. - ela virou o rosto e seu cabelo preto longo bateu na cara dele. Gargalhei junto com Zu.

Seguimos até um carro conversível antigo. Zu entrou no lado do motorista e Cara no outro lado.

Vai ficar plantada aí? - Zu chamou minha atenção e eu pulei para a parte de trás. - Vocês estão prontas? - Zu olhou para Cara que olhou para mim com um sorriso esperançoso. Eu fechei a cara.
- Você não bebeu?
- Ela não bebe.
- Mas e a coisa do diabo?
- Sem álcool... - olhei desconfiada. - Pode fazer o bafômetro! - ela riu.
- Você parecia bem louca lá... 
- Elta, juro para você. - respirei fundo e fechei os olhos.
- Se você nos meter em um acidente, eu juro que mato você com as mãos.
- Essa é das minhas... - Cara afirmou gargalhando.

Ela arrancou e aumentou o som. E em câmera lenta vi seus olhos. Sério ele me encarava com um copo na mão. Seu casaco branco com capuz o cobriam, e quando eu já estava por tempo demais em seu olhar, ele fechou o olhou e se virou. Em câmera lenta, eu me afastei dele e quando o campo magnético foi quebrado, tudo voltou para o modo normal.

                  QUINTA-FEIRA 11:00

Você que sabe... Podemos te pegar na sua casa. Esse cara é conhecido por fazer festas memoráveis em Oslo. - Zu estava no telefone comigo.
- Ok. Me pega amanhã?
- Certeza gata! - ela deu um gritinho - Lembre-se de levar camisinha. Vai ter muito gato universitário. - gargalhei alto, mas impedi rapidamente com a minha mão para não chamar atenção.
- Tenho que ir. O professor chegou.

                    SÁBADO 13:37

Neném... - abri um olho só. Um cara estranho estava na minha frente. Dei um pulo. Onde eu estava? Como? Pelo menos vestida. Ele tinha pele negra e um tanquinho legal, ah! Ele era o cara das festas memoráveis. Sentei no sofá em que eu estava dormindo, muito pior do que a cama de Chris. - Cara está dando PT. Preciso de ajuda.
- Onde está Zu?
- Na minha cama. - ele riu safado. Cocei meus olhos, ontem foi realmente louco. O cara morava no alto de um morro que dava para ver toda a cidade. As pessoas dançavam e pulavam na piscina. Zu realmente não bebia, ela era louca naturalmente. Lembro de nós 2 pularmos na piscina e depois Cara ficar chorando por que não pulou junto. Eu ria e ao mesmo tempo tentava consolar.

Beijei alguém qualquer e... Meu Deus! Fiz um boquete. Corri para o banheiro com a ânsia de vômito. Eu não sabia onde era o banheiro e então, corri para a pia da cozinha que já estava vomitada. Aquilo me fez vomitar ainda mais.

- Neném, - o que aquele cara tinha?
- Meu nome é Ev... Elta! - rosnei. Havia aprendido alguma coisa com Cara nessa última semana.
- Elta, Cara está te chamando... - revirei os olhos. Limpei minha boca e fui para o banheiro que ele indicava.
- Graças a Deus. Preciso ir para o hospital.
- Menos drama Cara. Vamo tomar bastante água e pedir para Zu levar a gente embora.
- Você é mais querida bêbada. - ri e a ajudei com o banho. - Vou achar uma toalha para você. - sai dali sem saber para onde ir, não queria ninguém mais me chamando de “neném”, então resolvi fazer minha busca sozinha.

                    SEXTA-FEIRA   1:14

- CALA A BOCA! - Zu estava comandando a tropa toda. Seus amigos universitários não conseguiam parar de rir e gritar bêbados. Invadir a festa da sua turma rival da gincana da universidade era a missão. Na verdade, no final, iríamos todos ficar bêbados e fingir sermos amigos de longa data.

Marchávamos em direção a um galpão velho onde tocava Steve Aoki. Aquilo estava sendo adrenalina pura para mim, no meio do mato parecíamos agentes especiais. Cara olhou sorrindo para mim e eu sorri também.

- Filhos da put... - vi, lentamente, uma tinta vermelha escorrer pela cara de Zu. Logo senti o líquido frio ser jogado na minha cabeça também, minha visão ficou turva e fiz uma careta.
- Vocês achavam mesmo que iam ganhar essa? - um cara com voz grossa gritou e várias vozes ecoaram um grito de guerra: “ 2B, 2B, a gente vai vencer! “. Ouvi Cara dar um grito histérico no meu lado, enquanto eu limpava meu olho, recém maquiado, da tinta.
- Pensei que vocês fossem adultos... - me virei para quem havia derramado o líquido em mim. Seu boné para traz e seu moletom branco - Babaca.
- O que você tá fazendo aqui Eva? - Chris me olhou confuso. 

 


Notas Finais


Gente, esclarecendo algumas coisas:
• sei que às vezes é confuso, mas meio que não quero ser a narradora em 3ª pessoa. E como é ela sendo a narradora, as coisas são confusas. A adolescência é confusa.
• ela não sabia direito o que sentia por Jonas ainda; nessa festa ela se ligou.
• as novas amigas: a Eva da minha fic é meio muito louca para ficar APENAS com as garotas. Não é que ela não queira mais ser amiga delas, só foi uma mudança. E como no final da série cada uma tinha seu drama para resolver, botei a Eva um pouco na bad por se sentir sozinha. Quem nunca se sentiu assim? Ela podia estar de TPM (esse detalhe fica por conta da sua imaginação)
• amigas loucas que só querem curtir e são mais velhas = Eva tem que sair do seu mundinho/caixinha.

TODOS TEMOS QUE SAIR DA NOSSO QUADRADINHO.

Qualquer dúvida me chamem;
Melhor: esperem o próximo, porque o nosso otp não morreu! Confiem 😘





E MEU DEUSSSSSSS! 400 favoritos!!!!! AMO VOCÊS, SÉRIO.
Muito bom saber que gostam da minha história ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...