História Fuck You - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Gay, Hentai, Original, Romance, Yaoi, Yuri
Visualizações 108
Palavras 3.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Slash, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oioioioioi~ <3

Bom... eu disse que demoraria né?
Me desculpemmmmm!

Os capítulos demoraram para sair, não como esse, ok?

Mas se caso eles demorarem demais... quero avisar que é porque eu estou escrevendo os capítulos seguintes. Irei deixa-los prontos, assim conseguirei postar eles com mais frequência.

E bem, eu já escrevi o roteiro de toda essa historia, por isso demorei um pouco...

Não tenho nenhum cap escrito, por isso irei começar já.

Só... me desculpem, ok?
E não me odeiem, por favor!

Deixei esse cap bem longo para compensar.

E não, não tem fotenha hj ;--;
Acho q não teram mais.

Enfim,

Boa leituraaaa! <33

Capítulo 13 - Capítulo 13


Dylan on

- Aaaa eu não acredito que a Yumi fez isso! (Alyssa grita indignada)

- Fica calma, tenho certeza que o Rui vai conversar com ela! (Digo tentando acalma-la)

- É bom mesmo! Se não eu nunca mais assisto essa série! (Ela cruza os braços e eu reviro os olhos rindo)

Faz umas três horas que Alyssa acabou com todo o estoque de comida que eu havia trazido para o quarto e insistido para que vissemos alguma série na Netflix, eu aceitei e pelo visto ela ja tinha se acalmado.

- Já é uma hora da manhã... você não quer dormir Aly? (Perguntei vendo o horário no relogio)

- Não até a Raquel parar de cu doce!

- haha tudo bem, tudo bem! (Eu me ajeitei do seu lado e cliquei para o próximo episódio)

Alyssa assitia dando palpites, opiniões e teorias durante todo o tempo. Não me encomodei muito, já estava acostumado com seu jeito.

Eu ouvi seu bocejo do meu lado e a olhei.

- Tá! Acho que podemos dormir agora! (Ela disse e eu ri)

- Muito bem. (Eu fechei o notebook e o deixei na minha comoda ao lado da cama)

Alyssa se deitou olhando para o teto e fiz o mesmo, soltando um longo suspiro.

- Obrigada de novo, por me deixar ficar...

- Sabe que eu nunca deixaria você voltar para aquela casa. (Disse e ela se vira para mim olhando nos meus olhos)

- Não sei oque eu faria sem você, maninho... (ela disse sorrindo e eu ri)

- Também não sei, maninha... (respondi repetindo o apelido)

Nós realmente nos consideramos como irmãos, assim como meus pais a consideram como uma segunda filha.

Não sei quando mas eu acabei caindo no sono, junto de Alyssa.

[...]

Acordei sentindo leves tapas no meu rosto.

- Uh...

- Dylan... ei, Dylan! (Ouvi a voz de Alyssa me chamando e abri os olhos devagar)

- Oque foi?

- Como assim oque foi? Se levanta! Vai se atrasar para o colégio! (Ela dizia me chacoalhando)

- Oque...? Não, não. Eu não vou para o colégio Alyssa.

- Não vai por que? Ficou louco?

- Já não deixei claro? Não vou te deixar aqui sozinha Alyssa, vou cuidar de você!

- Olha... isso é muito fofo da sua parte mas você não pode faltar na aula, Dylan!

- Eu posso e vou! (Disse sorrindo)

Alyssa desvia o olhar por um segundo mas logo volta a me encarar com raiva.

- Eu posso me cuidar...

- Não, não pode.

- Posso sim!

- Não.

- Sim!

- Pare de insistir Aly, eu não vou para o colégio se você não vai! Já disse! (Eu falei segurando seus braços e a mesma bufou se jogando ao meu lado)

- Argh! Ok, mas você vai amanhã! (Ela disse cruzando os braços)

- Se você estiver melhor... (eu disse vendo a tentar esconder um sorriso)

- Então... eu vou voltar a dormir! (Ela disse se virando para o outro lado)

- Digo o mesmo. (Falei fechando novamente os olhos e caindo no sono)

[...]

Acordei dessa vez sentindo uma luz forte atingir meus olhos e os forçando a abrir. Resmuguei alto e me levantei, fechando a cortina e tampando o sol.

Olhei novamente para a cama vendo Alyssa dormir encolhiada enquanto murmurava coisas sem nexo.

Eu sabia que mesmo com a postura dura de horas antes ela ainda estava acabada, ela é minha minha melhor amiga e eu sei bem oque ela sente, nem da para mentir para mim.

Por baixo de todo aquele sorriso orgulhoso eu sabia que havia uma menina em pedaços.

E eu a ajudaria a se recuperar.


Sai do quarto tentando não fazer barulho e andei até a sala, estranhando a falta de gritos me chamando para acordar e ir para o colégio.

Olhei em volta, ouvindo o completo silêncio e voltei para cima, indo em direção ao quarto dos meus pais.

Vi meu pai deitado na cama mas sem sinal da minha mãe, ela ainda deveria estar no trabalho.

Antes de voltar ao quarto eu estranhei ao lembrar que meu pai costuma acordar bem antes de mim.

- Pai...? (Eu o chamei)

Ele nem ao menos se mecheu e andei até a ponta da cama o cutucando.

- Pai... pai? você ta legal? (Ouvindo minha voz dessa vez ele se levantou depressa me olhando)

- Oh, filho. Me desculpe! Ando meio cansado esses dias...

- É... (eu murmurei)

- Precisa de algo?

- Não, eu só... queria avisar que não vou ao colegio hoje.

- Tudo bem, ahn... eu vou me deitar um pouco ok? Me chame se precisar de algo.(Ele disse)

- C-Certo... (eu falei estranhando ainda mais)

Sai do quarto depressa.
Minha cabeça martelava e eu estava cheio de dúvidas. Tinha algo acontecendo e eu tinha certeza disso...

1. Meu pai não havia me perguntado do por que de eu não ir ao colégio.

2. Também não perguntou sobre a Alyssa ou minha mãe...

3. Seu cansaço repentino, ele nunca foi de ficar deitado, sempre gostou de levantar cedo para ver o jogo ou ler o jornal...


Bom... ou talvez eu esteja paranóico com o negócio da Alyssa e me preocupando de mais com as pessoas.

Deicidi pensar que aquilo era só por causa da sua idade e voltei para o quarto, vendo Alyssa ainda dormindo.

Me sentei na cadeira entediado e pensando no que fazer. Logo meus olhos cairam para uma sacola ao lado da cama eu eu a peguei, tirando o que havia dentro.

Como um flash, me lembrei do passeio que havia feito com Evelyn no dia passado e no livro que compramos.

- É isso. (Disse encontrando uma forma de matar meu tédio)

Eu li primeiro a sinopse do livro antes de começar.

Ele era com certeza um tipo de leitura nova para mim, não estava acostumado com escritas daquele jeito, mas não era ruim. A historia era realmente boa como Eve tinha dito no outro dia, uma historia contada de um outro século me cativou e acabei nem percebendo quando Alyssa acordou e se sentou na cama me olhando.

- Orgulho e preconceito? (Ouvi sua voz)

- Sim...

- Parece se encaixar perfeitamente para nós! (Ele brinca e eu ri)

Marquei a página que eu parei e fechei o livro, me levantando em seguida.

- Quer comer guma coisa? (Perguntei e Alyssa sorriu zombateira)

- Nem sei por que ainda pergunta! (Ela se levanta da cama e saimos do quarto)

Descemos as escadas e Aly parece também estranhar o silêncio da casa, olhando para todos os cantos.

- Onde está o Tio Arthur e a Tia Helena?

- Minha mãe ainda está viajando e meu pai está dormindo.. (disse estendendo o braço para pegar o cereal)

- Estranho... (Alyssa murmura se sentando na mesa, apoiando a cabeça nos braços)

- Pois é... (eu disse)

Deixei o cereal em cima da mesa e peguei o leite na geladeira.

- Pode pegar uma tigela para mim, Dylan?

- Claro. (Falei e peguei duas tigelas, junto a duas colheres)

Me sentei ao seu lado e despejei o leite na minha tigela, recebendo um olhar reprovador de Alyssa.

- Ainda não sei como você consegue colocar o leite primeiro do Cereal! (Ela disse pegando o pacote do mesmo e colocando uma quantia na sua tigela)

- É o meu jeito, oras! (Eu ri, pegando o cereal em seguida)

Alyssa revira os olhos rindo e pega o leite despejando na sua tigela, por cima do cereal já lá.

- Seu jeito é estranho! (Alyssa diz)

- A ordem não importa! (Eu digo pegando a colher pronto para comer)

- Claro que importa! (Ela diz também pegando sua colher)

Decidi terminar a discução, ela não levaria a nenhum lugar mesmo.

Acabamos de comer e deixamos as tigelas vazias em cima da pia.

- Oque quer fazer agora? (Perguntei olhando para Alyssa)

- Você ainda pergunta? Quero ver se a Raquel vai para de cu doce ou se o Rui vai conversar com a imbecil da Yumi!

- haha Claro, já era de se esperar. (Eu disse rindo e subimos de volta ao quarto)

Nos jogamos na cama e peguei o notebook que havia deixado ao lado da mesma, o ligando e pondo na netfix.

- Argh, que raiva! Por que o Leo é tão tonto?

Alyssa perguntou mas para si mesma depois de uma hora assistindo seguidos três episódios da mesma série.

- O que você quer que ele fassa? Não viu oque a Raquel fez? (Perguntei, vendo a franzir as sobrancelhas)

- É claro que eu vi! Mas isso só aconteceu porque ela ficou de cu doce o tempo todo! (Alyssa disse pela vigessima vez)

- É verdade, mas isso foi porque o Leo a pediu em namoro primeiro! (Rebati)

- Há! Mas ele só fez isso porque O RUI o influenciou!

- É claro! Eles são amigos! O leo já gostava da Raquel a tempos!

- Nada disso! Tudo aconteceu por causa daquela aposta ridícula do Jason!

- Nisso eu tenho que concordar, mas foi a Yumi que falou tudo aquilo para o Rui depois!

- Argh! Não foi isso! (Ela disse)

Assim, começamos a discutir sobre tudo oque aconteceu sobre a série. Sem perceber que não aviamos pausado.

Acabamos por passar mais duas horas assistindo a série até a mesma acabar.

- OQUE? COMO ASSIM NÃO TEM TERCEIRA TEMPORADA? (Alyssa grita indiganada)

- É, acho que passamos tempo de mais assistindo! Cada temporada tem 20 episódios e se cada um deles tem 40 minutos... então ficamos mais ou menos uns...
mil e seiscentos minutos na frente do computador, o que daria cerca de...

- TA BOM! CHEGA DE MATEMÁTICA! (Alyssa me interrompe com outro grito)

- haha Ok! Vem, vamos para a sala! (Eu me levantei da cama junto de Alyssa e saimos do quarto)

Nós descemos novamente até la e eu decidi não incomodar meu pai, afinal ele estava apenas descansando.

Eu me sentei no sofa com Alyssa e ela me abraçou, escondendo o rosto no meu pescoço.

- Dylan... (ela me chama)

- Sim?

- Você acha que... oque aconteceu com a Mad, pode acontecer comigo?

- Como assim? (Perguntei pronto para ouvir mais comentários sobre a série)

- Tipo, os pais dela a expulsaram de casa por ela estar namorando um cara pobre... mas...

- Mas...?

- Mas depois eles se arrependeram e pediram para ela voltar... a-acha que meus pais podem fazer isso também? E-eu não estou dizendo que quero ir embora, m-mas são meus pais, sabe...

- Alyssa, ela não voltou... ela fugiu com o namorado, lembra? E eu entendo, sei que você está com saudades deles...

- Eu sei que a situação é diferente! E ao mesmo tempo que e-eu quero voltar, eu quero socar os dois e chorar o dia inteiro!

Eu suspirei a apertando mais, ouvindo o começo de seus soluços.

- Independente do que eles falaram... continuam sendo seus pais, você está certa, mas isso não quer dizer que estão certos... você entende?

Ela não disse nada, apenas balançou a cabeça positivamente.

- *suspiro* Não se sinta pressionada pensando nessas coisas, eles que disseram aquelas merdas para você... mas...

- O-Oque f-foi? (Ela perguntou entre soluços abafados pela minha camisa que Alyssa apertava contra o rosto)

- Mas, se a sua pergunta é se ele podem voltar a trás... sim, é claro que podem, eles te amam apesar de tudo. A pergunta é, você estará pronta para perdoa-los?




A pergunta a fez pensar.

Passaram-se minutos de silêncio e eu não quis o quebrar, era o momento dela refletir sobre tudo oque estava acontecendo.

Sim, eu conheço minha amiga como ninguém. Mas não posso ler e nem saber oque passa em sua mente.


- A-Acho que... eles... eu... m-mesmo que acabe... (ela falava com a voz rouca)

- Você não precisa responder agora, Alyssa. (Eu disse olhando nos seus olhos)

- O-ok... (ela suspira) eu só n-nunca pensei que algo assim aconteceria c-omigo um dia...

- Eu também não, nunca sabemos oque está por vir... então a única coisa que podemos fazer é nos preparar para o futuro...



- Você esta cheio das frases hoje, não é? (Alyssa deu um riso abafado)

- Sim, haha eu os li no livro que comprei com a Eve.

- Eve?

- Ah, é mesmo... ontem eu sai e acabei encontrando a Evelyn na lanchonete.

- Aquela nerd metida?

- Bom... é, acho que nos enganamos sobre ela, a gente conversou e ela na verdade é muito legal.

- Sério?

- Está duvidando?

- Não, eu acredito em você! É só que isso é... inesperado.

- Sim, é mesmo. Não podiamos ter tirado conclusões precipitadas dela sem conversarmos antes.

- Eu concordo com você! (Aly sorriu) mas e ai, esse livro era oque você estava lendo antes? O de... orgulho e preconceito?

- Esse mesmo! (Eu sorri)

- Hum... bem, qualquer dia eu irei conversar com ela e me descupar então.

- Certo, acho que devo isso á ela também mesmo que ela tenha pensado a mesma coisa de mim.

- Ha? Ela pensava que você era um nerd metido? (Alyssa arregalou os olhos e eu ri)

O clima já estava voltando ao normal.

- Sim, haha. Mas foi legal conhecer ela do jeito certo.

- Imagino, e oque mais vocês fizeram?

- ham... fomos até a biblioteca, compramos o livro e depois fomos ao parque, ela ia me contar algo quando... ah, é mesmo! Eu tinha me esquecido!

- Oque foi? (Aly pergunta confusa)

- Ela ia me dizer algo mas... acabamos sendo interrompidos, eu vou ligar para ela...

- Bom, se fosse importante ela teria ligado para dizer, não é?

- Acho que sim... talvez. (Disse desistindo aos poucos da ideia)

- De qualquer forma, você pode perguntar para ela amanhã no colégio...

- É mesmo, acho que si... Espera! Não! Alyssa! Eu já disse que não vou para o colégio amanhã!

- Não, você disse que iria se eu estivesse melhor! E olha só... (ela sorriu) eu estou melhor!

- Eu vou pensar..

- Dylan! Você não pode faltar!

- É claro que eu posso, não vai mudar muita coisa nas minhas notas!

- Aff, ta bom senhor perfeitinho, sei que suas notas são ótimas! Mas você pode perder alguma matéria ou explicação importante! (Ela insistiu)

- Eu posso pedir as anotações de alguém, afinal, meu pai até me deixou faltar.

- Pff... vamos ver se você não vai mesmo. (Alyssa fez uma cara assustadora e eu engoli seco)

- Bem... oque iremos fazer agora?

- Por que você não me leva naquela biblioteca que falou?

- Aquela que fui com a Evelyn?

- É, vamos?

- Se você quer... vou apenas pegar um casaco.

- Legal! Vou esperar você aqui!

Eu me levantei do sofa e fui até meu quarto, abri meu guarda roupa e peguei o primeiro casaco que apareceu, o vestindo em seguida.

Passei no quarto dos meus pais e abri a porta devagar, vi meu pai dormindo novamente e suspirei.

Desci as escadas vendo Alyssa na frente da porta me esperando e andei até ela.

- Avisou o tio Arthur? (Ela perguntou abrindo a porta)

- Ele estava dormindo, não quis acorda-lo.

- Hum... ok. (Ela disse e fomos até o carro, também conhecido como marquinhos)

Nos sentamos e Aly deu um beijo no volante, como de costume.

- Oi bebê. (Ela falou antes de liga-lo e dar a partida) onde é?

- Fica perto da lanchonete. (Eu respondi)

- Lanchonete Hunger's?

- Essa mesma! (Disse e ela sorriu)

Passaram-se algum minutos comigo ditando o caminho até finalmente chegarmos.

Saímos do carro e Alyssa o trancou andando até a biblioteca ainda aberta.

- Afinal, por que quis vir? Você nem mesmo gosta de ler... (perguntei estranhando)

- A-Ah... porque eu quis sair de casa, oras! Você falou tão bem daqui que fiquei curiosa!

- Tudo bem então... (eu disse sem ter muita certeza)

Entramos no lugar e eu ouvi o mesmo sininho do outro dia. Alyssa olhou para tudo com os olhos arregalados.

- Uau... (ela disse) que lugar incrível! Parece a biblioteca do Harry potter!

Eu ri e concordei com a cabeça.

- É mesmo.

- Oh! Dylan! Que bom te ver aqui! (Eu ouvi a voz conhecida e me virei, vendo Marcela acenando animada para mim)

- Marcela! Boa tarde! (Eu caminhei ate ela)

- Boa tarde! (Ela ri) que bom que veio, fiquei pensando qando você viria de novo! E olha, nem demorou! Haha

- Eu não resisti, mas dessa vez eu quis trazer uma amiga junto. (Eu falei apontando para Aly que nos olhava confusa)

- Oh, qual o seu nome querida? (Marcela pergunta a olhando com um sorriso gentil)

- A-Alyssa...

- Alyssa em? Hum... AH! (Marcela da um grito nos assustando) então foi de você que a Eve falou... você esta bem?

- Sim, c-claro...

- Que ótimo! Bom, não quero ocupar o tempo de vocês! Podem ver oque quiserem!

- Obrigado! (Eu disse e sai de la, indo até umas prateleiras)

- Ham... Dylan?

- Sim?

- Quem era aquela? Como se conhecem? Como ela sabia quem eu sou? Oque a Evelyn disse de mim? Não, melhor! Por que a Evelyn disse de mim para ela?!

- Ah... bem, a Marcela é mãe da Eve e eu conheci ela quando vim aqui ontem.

- Ok... e como ela sabe sobre... bem, sobre mim?

- Ah... a Evelyn deve ter dito para ela sobre nossa conversa no telefone, mas tenho certeza que não foi por maldade.

- Acho que sim, aliás, essa "Marcela" trabalha mesmo nessa livraria?

- Sim... por que?

- Ah, é que normalmente quem trabalha em lugares assim são velhas arrogantes que nos pedem para fazer silêncio a todo minuto. Mas pelo oque eu vi.. ela é bem falante, não é?

- Sim! (Eu ri e Aly me acompanhou)

- Bom, por onde começamos? (Ela pergunta olhando em volta)

- Nós podem-



- Dylan?


Eu ouvi a voz rouca e totalmente arrepiante atras de mim.
Engoli seco e me virei devagar.


- Maicon.. oque faz aqui? (Perguntei e ele desviou o olhar, coçando a nuca)

- Eu recebi uma mensagen dizendo para eu vir aqui... sei lá, estava com tédio, então por qur não? Que coincidência te encontrar aqui, não é? (Ele sorri)

- É... uma tremenda coincidência.


ALYSSA VOCÊ ME PAGA!

Eu griteu mentalmente quando olhei para traz e não a encontrei.

- Bom, não fiquei muito surpreso na verdade, acho que é mais facil eu te encontrar em livrarias do que em baladas!

- Acho que sim! (Eu ri)

- Então, você sabe que não sou muito fã de livros... por que não damos uma volta?






Notas Finais


LEIAM AS NOTAS INICIAIS POR FAVOR! ^^

Espero que tenham gostadoooo! <33
Oque sera que vai rolar com o Maicon e o Dylan em?

Vocês veram nos próximos capítulos!
Comentários e sugestões são sempre bem vindos!

~ Kisses '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...