História Fuck you, my dear! - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Visualizações 127
Palavras 754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas!
"Oh my God, isso é hora de postar? 4:12 da manhã, jura?!"
Desculpa kk, ainda é bem cedo na minha cabeça de doente mental!
Enfim, fiquem com o capítulo aí!
Boa leitura!

Capítulo 3 - Ovos? Rosalya? O que está acontecendo?


Ele abriu a boca para falar alguma coisa mas a fechou novamente. Logo depois disso ele revirou os olhos e colocou de volta os fones de ouvido.

Melhor assim. Eu fico feliz ouvindo as minhas musiquinhas e fazendo a minha dançinha, que nomeei de Vanessa, e ele continua sendo ignorante enquanto ouve as músicas dele. Ele não vai me bater. Bom, assim espero.

(...)

Depois de alguns minutos zelando pela minha vida, o professor abriu a porta e mandou nós entrarmos, e, obviamente, foi o que eu fiz.

— Bom, meu nome é Faraize e eu serei o professor de história de vocês. Não se atrasem novamente por favor. Castiel, seu lugar e a mocinha, poderia se apresentar? — ele disse depressa enquanto escrevia algo no quadro

Me virei para a humanidade e fiz o que ele mandou:

— Bom, meu nome é Meena e... Isso é tudo que precisam saber sobre mim! — eu disse com um sorriso que era para ser amígavel, mas com a cara que eles me olharam deve ter sido o contrário. Caguei para eles.

Me dirigi até a a fileira perto da janela e sentei na última carteira, ao lado de Armin.

(...)

Não prestei atenção na aula, para variar. Estava ocupada demais lendo meu livro de Romance, extremamente clichê por sinal. A mocinha escrota que trabalhava como cientista conhece um cara lindo, simpático e, para completar, inteligente (Sério? Esse cara nunca vai existir!), que se apaixona por ela e blá blá blá. Por que eu estou lendo isso?

Só percebi que estava livre da aula de história quando recebi uma ovada na cabeça. Eu fechei os olhos, com o objetivo de não executar um massacre.

— Você me paga Alexy! — eu berrei ainda de olhos fechados, tinha gema pingando na carteira que eu estava — Nem pense em jogar o trigo Armin! Quer morrer também?!

Nem eu mesma lembrei que hoje era meu aniversário, acordei tão focada em não me manter focada que me esqueci totalmente disso. Tudo bem, foi fofo da parte deles lembrarem do meu aniversário, mas ovo? Trigo? Jura? Eu vou ter que dar uma passada no inferno para trazer meu lindo cabelinho de volta.

— Vai mesmo matar a criatura mais divosa e lacradora já existente nessa merda que chamam de Terra? Saiba que não existem muitos Alexys perambulando por aí, minha espécie esta em extinção! —Alexy disse provavelmente tentando me convencer de não matar ele. O olhei com uma cara de bunda.— Além do mais, quem vai trazer chocolatinhos para você quando estiver de TPM?

Respirei fundo enquanto buscava paciência na Polônia. Realmente, não posso matar Alexy. Não hoje.

— Dessa vez passa — eu disse calma, até parecendo controlada.A busca na Polônia foi concluída com sucesso!

Me levantei saindo da sala e indo na direção do banheiro, bom, eu espero que tenha algo que tire essa merda da minha cabeça.

Entrei no banheiro abrindo a torneira rapidamente, vamos lá, não pode ser tão difícil assim... Enfiei minha cabeça ali embaixo e, meu Deus, que água fria é essa?! Não sabia que estava no Alaska!

— Filha da puta, infeliz, anta triste, topeira sem coração! — murmurei enquanto batia o pé freneticamente no chão. Uma tentativa falha de amenizar meu desespero diante daquela situação

Escutei o barulho da porta sendo aberta, mas não me dei o trabalho de ver quem era. Minha popularidade já mora no chão mesmo.

— Ei! Você é a Meena não? Alexy me falou tanto de v — ela parou de falar quando viu minha situação — Wow, o que aconteceu aqui?

— Feliz aniversário para mim! — eu disse tirando a cabeça de baixo da torneira para encara-la

Ela inclinou um pouco a cabeça para o lado, provavelmente tentando ligar os pontos

— Oh, foi por isso que Alexy trouxe ovos?! —ela disse aparentemente indignada — Que filha da puta...

— Tem um pente aí para me emprestar? Maquiagem talvez? — eu disse apontando para mim mesma enquanto fazia uma expressão sugestiva

— Claro claro, faço questão de te ajudar! — ela disse já tirando algumas coisas da bolsa

(...)

Depois de um tempo me "produzindo" ela anunciou que havia terminado. Finalmente...

— Oh meu Deus, muito obrigada, estou te devendo um rim! Afinal qual é o seu nome? — eu perguntei realmente curiosa

— Sou Rosalya, não se preocupe com o lance do rim! Aceito corações! —ela disse sorrindo

Oh meu Deus! Ela é a Rosalya? Eu tinha imaginado uma menina toda patricinha, loirinha, peituda e com uma voz de taquara rachada, mas em vez disso ela tinha cabelos platinados, olhos âmbar, assim como os meus e usava roupas! Nunca julguei uma pessoa tão mal...




Notas Finais


Voltei yai!
Mais alguém ai curte madrugar?
A minha família inteira dormindo e eu aqui shaushaus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...