1. Spirit Fanfics >
  2. FUCKBOY (Sammy Wilk) >
  3. 02. A primeira vez

História FUCKBOY (Sammy Wilk) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


As personagens principais são a capa do capítulo.

Não se esqueçam de ler as notas finais!

Capítulo 2 - 02. A primeira vez


Fanfic / Fanfiction FUCKBOY (Sammy Wilk) - Capítulo 2 - 02. A primeira vez

Sexta-feira: A festa

— Vou atrás do Sammy. — Vívian disse assim que entramos na tal casa.

Ela nem esperou nossa resposta e se afastou, indo em direção à uma confusão na cozinha. Eva entrelaçou os dedos comigo e me puxou até o sofá, me fazendo sentar ao seu lado. Sammy e Cris foram atrás da Vívian, tentando impedir a garota de fazer alguma besteira.

— Não me deixe sozinha... — Eva disse preocupada quando nos sentamos — Eu estou namorando e o Nate não para de me encarar.

Olhei para onde a garota apontou e lá estava o mesmo garoto que a cumprimentou na quarta-feira. Ele estava com um baseado em uma das mãos e na outra uma lata de cerveja. Apesar de estar rodeado por duas garotas, seu olhar estava fixo na Eva, que tentava a todo custo desviar.

— Ele está te secando. — Disse rindo.

Ela iria responder, mas parou quando eu desviei o olhar para o meu celular. Ele estava com a tela piscando, mostrando a ligação do Eskild, meu colega de apartamento. Atendi a ligação, mas não conseguia ouvir nada que o garoto falava.

— Eu preciso atender, é meu colega de apartamento. — Disse rapidamente enquanto me afastava.

Aquele garoto não faria nada de errado, não se ela não quisesse. Seria rápida a ligação e depois eu voltaria. Fui rapidamente para a entrada da casa e continuei meu telefonema.

— Pode falar, Eskild. — Disse voltando a atenção para o aparelho.

— Linn está passando mal. — Ele disse rápido — Vou levá-la ao hospital, mas não consigo ficar como acompanhante. Você pode nos encontrar?

— Me mande a localização que estou indo agora!

Ele concordou e desligou a chamada. Guardei meu celular na bolsa e voltei para casa, indo em direção ao sofá que estava com a Eva. Ela estava em uma conversa com o tal Nate. Seus rostos estavam mais próximos do que deveria, mas ela não parecia querer sair dali. Me afastei novamente, indo em direção ao hospital.

Eva entenderia. Todas elas entenderiam.

(...)

Segunda-feira

Estava sentada com Eva em uma das mesas do refeitório e a garota, que antes tinha me contado sobre a festa, agora falava sobre os problemas do seu relacionamento quando fomos interrompidas por Vívian e seus dramas.

— Cris precisa dizer para Sammy que ela não pode mais ficar no grupo. — Ela disse quando se sentou.

— Por que? — Estava confusa.

Até onde tinha entendido, Cris convidou Sammy para entrar em nosso grupo, mas ninguém tinha problemas com a garota, exceto Vívian.

— Alô? — Vívian disse perplexa — Ela quase arruinou nosso status social, e tive que dar um jeito. Tive que explicar para o squad que não fazemos tanto drama. É muito importante o que eles pensam da gente!

— Talvez não tenha sido culpa da Sammy. — Falei rapidamente.

— Você conhece a Sammy? — Vívian se justificou — Ela é muito rude!

— Aquele grupo de garotas populares do segundo ano não são as pessoas mais legais do mundo! — Eva falou normalmente.

— Conheço aquelas garotas e elas não são de começar drama. — Vívian continuou.

— Sério... — Comecei a falar, mas fui interrompida pelo celular da garota apitando.

— O Sammy! — Ela disse empolgada.

— O que há entre vocês dois? — Eva estava curiosa.

Acho que vamos transar. — Vívian disse empolgada e eu e Eva nos entreolhamos confusas.

— OK? — Eva disse.

— Não acha que deveria conhecer ele melhor antes? — Continuei.

— Por que? — Vívian rebateu — Ele é totalmente perfeito. Prefiro que a minha primeira vez seja com o cara mais lindo e popular do que algum básico. Vamos lembrar da primeira vez para sempre!

— A primeira vez dele? — disse com uma certa ironia.

— Ouvi dizer que o Sammy é muito, muito bom de cama. — Vívian ignorou o que eu disse — E que normalmente você não tem um orgasmo na primeira vez. Mas, com o Sammy, você tem! Ouvi de cinco garotas que tiveram orgasmos.

— Ok... — Falei chocada com aquilo.

— Estou fazendo por vocês também! — Vívian continuou — Isso vai garantir nosso lugar nas festas.

— Vívian?! — Falei encarando a garota.

Nosso assunto acabou e cada uma focou na comida que estava à sua frente. Eu não era nada a favor da ideia da Vívian perder a virgindade com o Sammy ou de usarem a Eva para se aproximar do Nate. Até qual extremo elas chegariam pela popularidade? Até onde elas se objetificariam por esses garotos?

(...)

Sexta-feira

Estava descendo as escadas para ir embora e encontrei Eva se agarrando com o namorado. Me aproximei lentamente, mas eles não pararam os beijos, o que me fez emitir um som para eles se separarem.

— Fizeram as pazes ou? — Eu disse com um sorriso sem graça.

— Essa é a Noora. — Eva me apresentou — Te falei sobre ela.

— Jonas. — Ele disse movimentando a cabeça para me cumprimentar.

— Vamos? — Direcionei meu olhar para a garota que concordou.

Eva se despediu do namorado e fomos atrás das outras garotas, passaríamos a tarde juntas para nos arrumarmos para a festa de mais tarde.

Ficamos todas reunidas no quarto da Eva durante todo o resto da tarde, com algumas garrafas de cerveja espalhadas pelo chão. A festa começaria somente em algumas horas, mas o nervosismo das garotas era enorme.

— Seja sincera: dói muito? — Vívian perguntou com medo.

Eu encarei as garotas, mas ou elas pareceram desistir de tirar essa ideia da cabeça dela ou estavam com receio de tocar nesse assunto.

— Eu... — Cris começou gaguejando — Eu não me lembro de nada da minha primeira vez. Só bebe, não vai sentir nada.

— Você quer ficar tão bêbada a ponto de não se lembrar de nada? — Questionei.

— Estava bêbada na sua primeira vez? — Vívian direcionou sua pergunta para Eva, que negou com a cabeça.

— Só relaxa, aí não vai doer. — Falei desistindo de convencê-la.

— O que você sabe? — Ela debochou — Nem fez sexo.

Eu ignorei a sua grosseria, pois sabia que aquilo era devido ao seu nervosismo. Vívian era a pessoa mais doce que já havia conhecido, da mesma forma que era ingênua. Ela seria facilmente usada, com o próprio consentimento, pelo Sammy e, depois de conseguir sua virgindade, ela seria desprezada. Era assim que garotos como ele agiam. Eles se importavam apenas consigo próprio, sem pensar nos sentimentos dos outros. O típico fuckboy.

Continuamos conversando, mas a Vívian deixava evidente o seu nervosismo e medo. Ela não queria aquilo.

— Vívian, não precisa fazer se não quiser. — Disse tentando passar confiança.

— Eu quero! — ela foi firme — Mas eu não quero que doa.

— Não, mas é por isso que tem que relaxar. — Disse com um sorriso. — O que te deixa excitada nele?

— Excitada? — A garota disse confusa.

— O que te deixa com tesão? — continuei.

— Tesão... — Vívian repetiu tímida. — Nada me deixa com tesão.

— Você nunca ficou com tesão? — estava incrédula com aquilo.

— Você fica? — Ela estava curiosa.

— Sim! — respondi normalmente.

— Por que você não faz sexo então? — Ela rebateu.

— Eu sei o que pode te deixar com tesão então! — Disse a encarando.

— Ew. — ela fez uma careta — Não quero me envolver com coisas de lésbicas.

— Vívian, não é coisa de lésbica. — Disse calma enquanto apontava para a cama — Deita aqui e fecha os olhos. — a garota fez o que eu mandei — Imagine você e o Sammy em um quarto. Está imaginando? — ela abriu um sorriso e concordou com a cabeça — O que está acontecendo?

Vívian começou a descrever a cena, focando na sua roupa e em todos os detalhes, seu cabelo, maquiagem e também na decoração do quarto. Ela sorria como se fosse a melhor coisa do mundo. Mas, apenas um detalhe me chamou atenção: Sammy não estava sendo descrito em nenhum momento.

— Isso até que funciona! — Ela disse com um sorriso, me interrompendo dos meus pensamentos.

— Sério? — Perguntei confusa.

— Acho que sim. — Ela estava sorrindo.

(...)

Quarta-feira

Conforme todos os outros dias, nos reunimos na cantina durante o almoço. Estávamos na quarta semana de aula e, com ela, nos estabilizando na faculdade. Vívian estava nos contando como foi sua primeira vez com o Sammy.

— Não pode ficar por aí falando do pinto dele! — A repreendi.

— Por que não? — Vívian estava confusa.

— Está perguntando por que não pode falar sobre a parte mais vulnerável dele? — Continuei.

— Primeiro... — ela disse com um sorriso — Essa parte não era tão vulnerável. E segundo, ele com certeza vai falar sobre meu corpo com os amigos dele. Garotas também podem fazer isso. Eu apoio a igualdade e feminismo.

— Mas, Vívian, primeiro, tamanho não tem nada a ver com orgasmos. — tentei soar calma — E segundo, só porque garotos são idiotas, não quer dizer que também devemos ser. Também não tem nada a ver com igualdade.

— Que seja. — Ela deu de ombros

— Mas foi bom, então? Essa parte é a mais importante.

— Foi muito bom! — a garota respondeu — Mas, só tem uma coisa... Ninguém avisa quando acaba.

Não usou camisinha? — Eva disse debochando.

— Não. Ele disse que não usa. — A garota respondeu normalmente.

— Vívian! — A repreendi.

A garota continuou contando a sua experiência e eu só esperava estar errada em relação à tudo. Queria eu que o Sammy fosse alguém legal, que não ficasse a tratando como lixo depois. Ela não merecia isso. Nenhuma garota merecia.


Notas Finais


O que estão achando?

Querem atualização dupla? Segunda-feira virá outro capítulo!

Não se esqueçam de votar e comentar ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...