História Fuckgirl - SKAM - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Skam (Vergonha)
Personagens Chris Berg, Christoffer "Chris", Emma W. Larzen, Eskild Tryggvason, Eva Kviig Mohn, Even Bech Næsheim, Ingrid Theis Gaupseth, Isak Valtersen, Jonas Noah Vasquez, Kasper Folkestad, Linn Larsen Hansen, Magnus Fossbakken, Mahdi Disi, Noora Amalie Sætre, Personagens Originais, Sana Bakkoush, Sara Nørrstelien, Vilde Hellerud Lien, William Magnusson
Tags Eva + Jonas, Even & Isak, Noora + William, Putaria Pq Eu Gosto Sz, Russ Buss, Skam, U&satan, Vilde + Magnus
Visualizações 191
Palavras 1.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amores♡
¤ Boa leitura;
¤ Desculpa os erros;
¤ Notas finais.

Capítulo 15 - Capítulo 14; Sou uma bagunça


“Eu sou uma bagunça, eu sei, mas você merece meu lado mais bonito.”

~ Pietro

Austrud -

O sol iluminava minha pele fria, deixando-me com uma sensação gostosa. Meu corpo relaxava sob a espreguiçadeira que havia feito questão de comprar e colocar no quintal da casa.

- Trudy, acho melhor você ir tomar um banho ou…- Leonor apareceu na porta principal, que dava para a sala.

- Vai embora. - dito sem ao menos olhar em sua direção. Não estava com cabeça para aquilo.

- O que aconteceu? Você está assim desde que voltou daquela festa! - me sacode - Faz três semanas que você não faz nada, só fica aí, comendo e respirando. Nem banho tomou! - grita enfurecida, deixando lágrimas escorrerem pelo rosto delicado.

- Por que quer saber tudo agora? - questiono sarcástica - Tenho certeza que estava junto à Eva.

- O que? - estava desacreditada.

- Eu sei que você foi atrás da Eva, que você nutre sentimentos por ela e que falou de Nadine. Você quebrou a merda da minha confiança! - me levanto com ódio. Grito enquanto pulava em cima da mesma, agarrando seus cabelos.

Uma ardência invade minha bochecha assim que ela crava suas unhas em mim. Nos estapiávamos, rolavamos pela grama molhada e socos eram distribuídos. Éramos uma confusão de pernas e braços aleatórios. 

- Hey! O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? - a voz de Eirik sobressai sob nossa briga, fazendo nossos corpos se separarem.

- Vocês estavam bem! - nos fitava incrédulo - Resolvam-se agora.

- Não mesmo, ela que me atacou sem motivos. - Leonor estava vermelha, com cabelos bagunçados e ofegante. Tinha feito um bom trabalho em seu rosto, que possuía vergões feitos pelas minhas unhas.

- Você me traiu, como isso não é um motivo? - eu estava intorpecida com tudo que havia acontecido.

- Quer me explicar?

- Eu sei que foi atrás de Eva, que eram amigas! Como pôde? Você contou! - esbravejo, sentindo as lágrimas invadirem meus olhos.

Um silêncio se dá naquele gramado, me dando a confirmação de que ela havia concordado e me traído. Como eu estava furiosa, decidi não ligar para aquilo no momento. Me afasto e vou para dentro de casa, lugar que não frequentei durante três semanas.

Vou até a cozinha, lugar o qual não estava frequentando durante essas semanas que passei vegetando no quintal. Encontro mamãe escorada na bancada, me observando como se eu fosse um rato imundo, nojento. Todo meu corpo doía, mas nada naquele momento me feria mais do que saber que fui traída pela pessoa que me apoiou durante muito tempo.

Corro desgovernadamente pelas escadas, indo até meu quarto. Vou ao banheiro. O espelho refletia algo que eu desconhecia; revelava a verdadeira Austrud. Era uma visão horrível, sabia disso, mas estava pronta para mudá-la. meus cabelos estavam ressecados e quebradiços, formando um ninho. Minha pele fedia, assim como minhas roupas e tudo que me cercava.

Queria vomitar, entretanto, sabia que a culpa daquilo tudo era minha e somente minha. Os lábios esbranquiçados, assim como as fundas olheiras diziam em alto e bom som “Ela é uma piranha mal amada que se deixou levar pela emoção”. 

Decido me reerguer diante de toda a parte ruim. Tomo um banho demorado, lavando meus fios escuros e hidratando minha pele. No final, me sentia mais leve, cheirosa e poderosa.

Ponho roupas que me deixavam elegantes, com direito a uma maquiagem confiante. Olho-me novamente no espelho, encontrando quem, um dia, eu fui. Alguém que valia a pena ser, alguém que não era meu eu interior.

Saio, depois de mandar uma mensagem para as meninas, que estavam desesperadas com meu sumiço repentino, pedindo para que as mesmas me encontrassem na casa abandonada perto da casa de William, e que levassem cigarros e álcool, muito álcool. Do tipo que, em uma golada, pudesse fazer você entrar em um estado vegetativo no coma alcóolico.

Meus saltos faziam um barulho irritantemente alto no piso polido, chamando a atenção de meus parentes, que prontamente questionam onde eu iria toda arrumada em plena tarde de sábado. E eu, como uma pessoa sensata, respondi o mais sinceramente possível: iria me entupir de bebidas misteriosas até esquecer meus problemas, mesmo isso sendo bem difícil.

- Não pode fazer isso; fugir dos seus problemas! - Leonor rosna, puxando a barra de meu vestido tubo preto, bem curto.

- Não posso fingir que não estou fugindo, pois estou...Mas tenho direito de fugir, então, com licença. - empurro seu corpo magrelo, passando pelo hall de entrada.

[...]

- Truddy...Onde você estava durante todo esse tempo? - Sana, que era uma das únicas sóbrias, juntamente à Noora, questiona-me, enquanto tomava, em goles, sua cerveja.

- Eu precisava de um tempo para mim, para pensar e refletir sobre certas coisas. - respiro fundo, focando em minhas outras amigas, que sapateavam ao som de uma música que tocava.

- Você está bem? - Noora encosta sua mão gelada em meu ombro, fazendo-me estremecer com o frio que corroeu-me.

- Sim, por que não estaria? - faço uma pergunta retórica, rindo sem graça. Não, eu não estava nada bem, mas todos nós mentíamos, certo?

Decido dançar um pouco ao som de Like That. Meu corpo involuntariamente sacudia-se ao som da batida, que envolvia todas nossas células.

Can see it from the way you looking at me

You don't think I'm worth your time

Don't care about the person that I might be

Offended that I walk the line

Me sentia fraca, meus olhos fechados e o gosto fraco da bebida se dissolvia em minha boca. Eu não estava nem aí, foda-se o resto.

So what if I'm not

So what if I'm not everything you wanted me to be?

So what if I am

So what if I am more than you can see?

Um, dois, três, quatro, cinco, seis copos. Já perdi a conta. Lágrimas brotavam em meus olhos, borrando a maquiagem que custava a ser reproduzida.

When you treat me like that, when you treat me like that

It's pushin' me harder, it's pushin' me harder

When you breakin' my back, when you breakin' my back

I only get stronger, I only get stronger

I should've walked away one year ago

When you said I couldn't make it out alive

Um rebuliço se dá em meu estômago, dando a entender que já era hora de parar com as doses fortes. Sinto minha cabeça rodar ao passo que abro meus olhos e roubo mais um copo de uma bebida desconhecida. Queria vomitar, mas me seguraria. Sinto uma dor atingir minha cabeça, fazendo-me lacrimejar. Doía como o inferno. Caio sentada, ou deitada, não sabia mais, no chão.

When you treat me like that, when you treat me like that

I only get stronger, I only get stronger

When you treat me like that

- PELO AMOR DE DEUS! - dizia uma voz distante - ELA ESTÁ ESPUMANDO!

Não escutava mais nada, apenas o vago som da gritaria.

When you treat me like that, when you treat me like that

I only get stronger, I only get stronger

When you treat me like that


Notas Finais


Então, olha quem voltou k

Desculpa a demora e aproveitem o capítulo. Está sendo uma semana bem rápida e tensa, mas prometo recompensa-los quando entrar de férias♡

Eu estou bem triste pelo hexa perdido e por não poder mais ir no show do meu amor, mas não é como se a vida não te desse facadas todos os dias para ver até onde você aguenta. Enfim, é isto.

Link do grupo que eu criei para interagirmos mais; https://chat.whatsapp.com/LeReebGcF8C7X50VDt98CK


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...