1. Spirit Fanfics >
  2. Fucking Love - Lisa Manoban >
  3. Te tocar?

História Fucking Love - Lisa Manoban - Capítulo 36


Escrita por:


Capítulo 36 - Te tocar?


Os olhos ardentes de Lisa não deixam o meu corpo e eu caminho até ela. Coloco o joelho na cama e subo. Ao mesmo tempo, ela se levanta contra a cabeceira da cama e me estende a mão. Coloco a minha pequena mão na dele e ela envolve os dedos nela, me puxando até onde está. Meus joelhos estão em cada um dos lados dela e estou no seu colo. Já fiz isso com ela, mas não com tão pouco roupa. Faço força nos joelhos para me levantar para que não nos toquemos, mas Lisa não parece ter gostado muito e coloca as mãos sobre a minha cintura, me puxando suavemente para baixo. Sua camisa sobe, fazendo com que minhas coxas fiquem completamente à mostra. Fico feliz por ter feito depilação nas pernas esta amanhã. No segundo em que os nossos corpos se tocam, meu estômago começa a se mexer. Eu sei que esta felicidade que estou sentindo não vai durar e me sinto como a Cinderela à espera que o relógio bata as 12 horas e acabe com a minha noite feliz.


_Muito melhor.- ela diz e me dá um sorriso malicioso.

Eu sei que ela está bêbada e é por isso que ela está sendo tão gentil, bem gentil segundo a perspectiva dela, mas vou aproveitar. Se está é verdadeiramente a última vez que vou estar perto dela, então é assim que a quero usufruir. Continuo dizendo isto a mim mesma. Posso me comportar como quiser hoje a noite com ela, porque quando a luz do dia vier vou dizer para nunca mais voltar a se aproximar de mim e ela vai cumprir com isso. É o melhor e eu sei que quando ela não estiver embriagada é isso que ela vai querer. Para minha defesa, eu estou tão intoxicada pela Lisa como ela está por causa da garrafa de whisky que bebeu.

Enquanto ela continua olhando nos meus olhos, começo a me sentir nervosa. O que é que devo fazer em seguida? Não faço ideia para onde é que ela vai levar isto e eu não quero fazer papel de idiota ao tentar fazer alguma coisa primeiro.


Ela parece reparar na minha expressão desconfortável.


_O que é que há de errado? - ela pergunta e leva a mão ao meu rosto. Os dedos dela passam pela minha bochecha e eu fecho involuntariamente os olhos com o seu toque que é surpreendentemente suave.

_Nada... só não sei o que fazer. Admito e olho para baixo.

_Faz o que quiser S/A, não pense demais.- ela aconselha e eu aceno com a cabeça. Me inclino um pouco para trás para criar cerca de alguns centímetros de espaço entre nós e levo a minha mão até o tronco nu dela. Olho para ela para ter permissão e ela concorda. Pressiono as duas mãos contra os seus seios suavemente e ela fecha os olhos. Meus dedos traçam as andorinhas em seu peito até a borboleta na barriga. Seus cílios se mexem enquanto traço as escritas que ela tem nas costelas. A expressão dela é tão calma, mas seu peito está se movendo para cima e para baixo muito mais rapidamente do que há alguns instantes atrás. Sou incapaz de me controlar enquanto levo a minha mão para baixo e passo o meu dedo indicador ao longo da faixa da cueca box. Os olhos dela se abrem de repente e ela parace nervosa. Lisa nervosa?

_Posso hm... te tocar? - peço, na esperança de que ela entenda o que quero dizer, sem eu ter que dizer isso. Me sinto fora de mim mesma, quem é está garota montada nesta mulher punk e pedindo para te tocar... lá em baixo? Penso que ela disse há um tempo atrás de eu ser o meu verdadeiro eu com ela. Talvez esteja certa. Adoro como me sinto agora, adoro o tiro de eletricidade que sinto em meu corpo quando ela concorda.


_Por favor.- ela responde e eu desço a minha mão. Mantenho em cima dos boxers e, lentamente, chego a ligeira elevação que lá se encontra. Ela suga a respiração enquanto passo a minha mão por lá. Não sei o que fazer, então apenas lhe toco, correndo os dedos para cima e para baixo. Estou nervosa demais para olhar para ela então mantenho os meus olhos no que estou fazendo.


_Quer que eu te mostre como fazer? - ela pergunta silenciosamente, a voz dela está trêmula. O seu comportamento arrogante habitual mudou.


Concordo com a cabeça e ela coloca a mão dela sobre a minha mais uma vez e leva de novo lá para baixo para lhe tocar. Ela abre a mão e faz com que meus dedos se envolvam em torno do seu comprimento. Ela suga a respiração entre os lábios e eu olho para ela através dos cílios. Ela tira a mão da minha, me dando total controle.

_Porra S/A, não faça isso.- Lisa fala com um grunhido... eu ainda estou com a mão lá e tento tirá-la.

_Não, isso não. Continue fazendo isso, quer dizer, não olhe para mim desse jeito.

_Que jeito?

_Dessa forma inocente, faz com que eu queira fazer tantas coisas taradas contigo.- ela diz e eu quero me jogar na cama e deixá-la fazer o que quiser. Dou um pequeno sorriso e começo a mover a minha mão novamente. Quero tirar a sua box, mas estou com medo. Um gemido escapa dos seus lábios e aperto a minha mão nela, quero ouvir o som novamente. Não sei se devia fazer movimentos mais rápidos ou não, por isso continuo lentamente, mas um pouco mais firme e ela parece gostar. Me inclino e pressiono os meus lábios contra a pele úmida do seu pescoço, causando um novo gemido.

_CARALHO, S/A! Sua mão é tão boa me tocando.- ela diz. Aperto mais um pouco e ela estremece.- Não tão forte assim, baby.- sua voz é suave e não aquela voz habitual que usa para zombar de mim.

_Desculpa.- digo e beijo outra vez seu pescoço. Passo a minha língua sobre a pele em sua orelha e seu corpo dá um salto, as mãos dela vão ao meu peito e ela envolve os meus seios com elas.

_Posso. Tirar. O. Teu... sutiã? - a voz dela é tão descontrolada e rouca. Estou impressionada com o efeito que estou dando a ela. Concordo com a cabeça e seus olhos brilham de excitação. Suas mãos estão trêmulas quando ela chega ao fundo das costas volta a subir, desta vez por baixo da camiseta até o meu sutiã, soltando-o assim que o alcança. Começo a pensar em quantas vezes é que ela já fez isto para ser capaz de fazer tão rapidamente. Forço os pensamentos voltarem para trás da minha cabeça e Lisa desliza as alças pelos meus braços, fazendo com que fique sem o sutiã, ela leva as mãos até a frente e agarra nos meus seios novamente. Os dedos dela beliscam levemente os meus mamilos enquanto ela se inclina para me beijar. Gemo na boca dela e estendo a mão e agarro outra vez no seu membro.


_Porra... S/A... eu vou gozar.- ela diz e eu sinto a umidade crescer na minha calcinha, mesmo com ela só tocando no meu peito. O toque dela é divino e eu sinto que também posso gozar, apenas ouvindo seus gemidos e da sua leve investida contra o meu peito. As pernas dela estão tensas debaixo de mim e o beijo se torna mais lento, suas mãos caem no meu colo e eu sinto uma umidade que se espalha por sua cueca box, e então puxo a minha mão. Eu nunca tinha feito uma pessoa gozar, obviamente. A cabeça de Lisa se inclina para trás e ela respira um pouco enquanto eu sento sobre suas coxas, sem saber o que fazer. Os olhos dela se abrem e ela levanta a cabeça para olhar para mim. Um sorriso preguiçoso cruza o rosto dela e ela se inclina e me beija na testa.

_Nunca tinha gozado assim antes.- ela diz e começo novamente a ficar envergonhada.

_Foi muito ruim? - pergunto e tento sair das pernas dela. Ela me para.

_O que? Não, foi muito bom. Geralmente, é preciso mais do que alguém apenas me tocar pelos por cima da box.- ela responde e uma pontada de ciúmes me atinge. Não quero pensar em todas as outras garotas que já fizeram com que ela se sentisse assim. Ela percebe o meu silêncio e cobre as minhas bochechas, passando o polegar ao longo delas. Estou confortada pelo de que as outras tiveram que fazer mais do que eu fiz, mas ainda gostaria que não houvesse outras. Não sei porque é que isso me incomoda, eu e Lisa ainda não somos nada. Nós nunca vamos namorar ou ser outra coisa qualquer além disso, mas agora só quero viver o momento. Rio um pouco enquanto penso nisto. Eu não sou do tipo de pessoa que "vive o momento".

_Está pensando em quê? - ela pergunta e eu digo que não com a cabeça. Não quero falar sobre os meus pensamentos ciumentos.


_Oh vamos lá S/A, me diz.- ela fala, e eu balanço a cabeça negativamente outra vez. Num movimento "não-Lisa" ela me agarra pelos quadris e começa me fazer cócegas. Eu grito com risos e saio de cima dela, caindo na cama macia. Ela continua fazendo cócegas e eu não consigo respirar. A risada dela explode pelo quarto e é o som mais bonito que já ouvi. Nunca tinha ouvido ela rindo desta maneira e algo me diz que quase ninguém tenha ouvido. Apesar das falhas dela, das muitas falhas, me considero sortuda por vê-la assim.

_Ok...ok... ok! Eu vou dizer! - grito e ela para.

_Boa escolha.- ela diz.- Mas espera um pouco, preciso trocar de cueca.- ela sorri e eu coro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...