História Fucking pickle - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Gorillaz
Personagens 2-D, Murdoc Niccals, Noodle, Personagens Originais, Russel Hobbs
Visualizações 19
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Extra5: Visita privada.


Fanfic / Fanfiction Fucking pickle - Capítulo 15 - Extra5: Visita privada.

•°•°•°•°P.O.V S/N°•°•°•°•

- Estava deitada na cama de Noodle, olhando para o teto entediada, começo a brisar alí, até que ela entra no quarto.- Ué, quê cê tá fazendo S/A?- Ela pergunta me olhando.- Nada, o mais legítimo nada.- Eu digo de forma dramática com as pernas para o ar.- Sabe, eu tenho algo para você fazer.- Ela diz se sentando do meu lado, eu me arrumo curiosa.- O que?- Eu pergunto.- Por que você não vai visitar o Niccals?- Ela diz.- Até que não é uma má ideia, hmmm.- Eu digo colocando a mão no queixo.- Se quiser, eu te levo!- Ela diz.- Bem, então eu vou!- Eu digo me levantando.- Já volto, vou me arrumar.- Eu digo sorrindo de forma alegre.- Ok!- Ela diz. Eu saio do banheiro depois de umas horas, coloquei uma camiseta listrada de preto e branco, era um pouco larga então mostrava um pouco do meu ombro, uma calça jeans preta e um simples All Star vermelho, virei meu cabelo todo para esquerda e fiquei com o colar que estava antes.- Que cê acha?- Eu pergunto para Noodle colocando as mãos na cintura sorrindo.- Tá gatona, então, vamo?- Ela pergunta.- Só vamo porra.- Eu digo animada, nós duas saímos do quarto e descemos as escadas até a sala.- Vão aonde?- 2D pergunta, Ace estava do lado dele olhando para nós de cima a baixo.- Rolê.- Noodle diz.- Aonde?- Ace pergunta insistindo.- Não interessa pra vocês porra.- Eu digo perdendo a paciência, Noodle dá uma risada fraca pela minha resposta, logo saímos e entramos no carro dela.- Liga o rádio ae pô.- Eu digo do lado dela, ela liga, estava tocando Believer.- Essa música é do caralho mano.- Eu digo, logo nós duas ficamos cantando igual duas doidas durante o caminho até que chegamos depois de umas horas.- Você vem?- Eu digo colocando a mão na porta do carro.- Não, eu te espero aqui.- Ela diz.- Tenho que fazer umas coisas aqui no carro.- Ela diz, eu faço um "ok" com a mão e saio do carro, indo em direção a entrada.- Bom dia!- Eu digo para a recepcionista de forma animada.- Bom dia, hoje visitas não são permitidas, apenas para entes queridos.- A moça diz de forma grossa.- Eu vim aqui visitar privadamente um de seus presos.- Eu digo séria.- E qual preso seria?- A moça pergunta.- Preso número 24602, Murdoc Niccals.- Eu digo.- Você é o que dele?- A moça pergunta, eu penso um pouco e acabo corando levemente.- E..esposa! Eu sou esposa dele.- Eu digo, a moça me encara e logo faz algo em seu computador.- O guarda já já vem para te levar lá, Senhorita.- A moça diz, eu fico aliviada e espero uns minutos, logo um guarda aparece.- Senhorita S/N, pode vir.- O guarda diz com seu semblante ameaçador, eu chego perto do guarda e ele começa a andar por uns lugares que não sei identificar, apenas o seguia meio insegura.- Aqui estamos, vocês tem 1 hora.- Ele diz abrindo uma salinha, ao entrar, dou de cara com umas  barreira de ferro, e atrás delas, lá estava ele, o Niccals.- Esposa ein?- Ele diz sorrindo de forma debochada.- Não enche, eu queria te ver porra.- Eu digo cruzando os braços corada.- O que aconteceu com o olho?- Eu pergunto.- Machucado idiota, não se preocupe. Ele diz, eu me aproximo dele.- Já sabe quando vai sair?- Eu pergunto.- Bem, se meu plano der certo, eu diria que lá pra outubro eu vou estar solto.- Ele diz.- Que bom!- Eu digo sorrindo.- Como aqueles idiotas estão?- Ele pergunta.- 2D ficou mais arrogante, mas ainda humilde em meu ponto de vista, Russel sendo o Russel, e Noodle está bem.- Eu digo.- E o Ace?- Ele pergunta.- O Pepino? Bem, ele vive lá literalmente.- Eu digo.- Pepino?- Ele pergunta em tom um pouco ciumento.- Apelidinho que dei a ele.- Eu digo sorrindo de forma maligna.- Mudando de assunto, eu quero saber, o álbum que o Dullard fez, é bom?- Ele pergunta.- É daora mano.- Eu digo.- Aí, vem cá.- Eu digo, ele se aproxima das grades que nós separam.- Será que tem como eu sair daqui com um beijo seu?- Eu pergunto sorrindo de forma maliciosa, ele sorri da mesma forma.- É claro docinho.- Ele diz, Eu me aproximo mais de seu rosto e dou lhe um beijo calmo, doce e quente, depois de uns minutos nos separamos.- Não vejo a hora de sair daqui pra poder te pegar em meus braços garota.- Ele diz me encarando, eu coro.- Aí, quer algo legal?- Eu digo.- Pode ser.- Ele diz.- Tem alguma coisa aí?- Eu pergunto, ele me entrega um lápis, eu pego o lápis e o ponho no chão um pouco longe.- Fica vendo.- Eu digo sorrindo, logo me viro para o lápis e estendo minha mão para ele de longe, faço uma força mental, e de repente o lápis começa levitar, como eu já estava meio treinada, movimentei o lápis até o outro lado da sala, onde Murdoc estava, logo solto o lápis, fazendo o mesmo cair no chão, meu nariz sangra levemente, eu o limpo com a mão mesmo.- O que acha?- Eu digo sorrindo de forma maligna.- Incrível.- Ele diz boquiaberto.- Descobri isso semana passada, foi louco.- Eu digo.- Você é incrível, docinho.- Ele diz sorrindo de forma fofa, eu coro, não me acostumei com ele sorrindo assim.- Ei, vocês dois!- O guarda aparece.- Acabou o tempo, hora de ir.- Ele diz.- Tchau Mozão, te amo!- Eu digo me distanciando de Murdoc sorrindo.- T..tchau docinho, também te amo.- Ele diz meio corado, eu saio da sala junto do guarda, após andar pelo mesmo caminho, voltamos para recepção, eu saio de lá e vou até o estacionamento em busca de Noodle, lá estava ela, sentada na parte de trás do carro fumando, me aproximo dela.- Vamo.- Eu digo sorrindo, ela se levanta jogando o cigarro no chão e o pisando.- Pelo jeito a visita foi boa ein.- Ela diz sorrindo de forma maliciosa, nós duas entramos no carro.- Foi ótima.- Eu digo meio no mundo da lua de tanta paixão, Noodle dá partida no carro e começa a dirigir.- Como ele está?- Ela pergunta.- Ele parece bem, só estranhei o bagulho no olho dele, ele disse que era um machucado idiota.- Eu digo.- Ele perguntou da banda?- Ela pergunta.- Sim, eu falei que todos estavam bem, perguntou do álbum também, eu disse que era top e pá.- Eu digo. Continuamos conversando durante o caminho até que chegamos em casa, eu e Noodle saímos do carro e entramos em casa.- Voltamos!- Nós duas dissemos em uníssono.- Bem vindas de volta, meninas.- Ace diz.- Oi.- 2D diz, parecia concentrado, logo para o que estava fazendo e olha para nós.- S/A, Por que seu batom tá borrado?- Ele pergunta, eu engoli seco.- Apenas acabei passando a mão sem querer, não aconteceu nada  de mais 2D.- Eu digo mentindo.- Hm.- Ele diz se levantando e se aproximando, ficamos cara a cara.- Algum problema?- Eu pergunto confusa.- Você foi vê-lo, não é?- Ele pergunta olhando para minha alma com aqueles olhos.- Sim fui, idai?- Eu digo séria, ele se distancia.- Entendo.- Ele se vira, quando penso que estava tudo em paz ele se vira novamente vindo para cima de mim, eu tento me defender, falho, ele é mais forte que eu, ele me bateu me deixando com um olho roxo e sem um dente da frente, Russel chega rapidamente tirando ele de cima de mim, Noodle me ajuda a levantar.- O que deu em você cara!?- Ace diz, 2D parece sair do transe que estava.- O que aconteceu? - Ele pergunta confuso.- Vai se fuder!- Eu já de pé digo, logo sentindo uma pontada forte na cabeça colocando a mão onde  doía.- O que houve com você, S/A?- Ele diz.- ...- Eu fico em silêncio boquiaberta do quão falso ele podia ser, com ajuda de Noodle eu subo até o quarto da mesma.- O que aconteceu alí!?- Ela diz perplexa.- Quem dera eu saber.- Eu digo me sentando na ponta da cama dela.- Eu vou te ajudar com esse machucados.- Ela diz pegando um Kit de primeiros socorros, ela o abre e pega uns frascos.- Vai arder um pouco.- Ela diz, ela começa a passar o remédio em meus machucados, eu gemia de dor. Depois de umas horas, eu já estava remendada de band-aid, só restava a dor de cabeça, tomei uns remédios que encontrei e me deitei esperando a dor passar, acabei dormindo.


Notas Finais


eu gosto de escrever treta
desculpa :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...