História Fucking pickle - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Gorillaz
Personagens 2-D, Murdoc Niccals, Noodle, Personagens Originais, Russel Hobbs
Visualizações 17
Palavras 1.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo dessa fanfic vai sair igual água, ah se vai

Capítulo 16 - Extra6: O começo da tormenta


Fanfic / Fanfiction Fucking pickle - Capítulo 16 - Extra6: O começo da tormenta

•°•°•°•°P.O.V S/N.°•°•°•°•

- Acordei, aqueles remédios que eu tomei para dor de cabeça funcionaram perfeitamente mano, puta que pariu, nem sinto dor mais, quer dizer, o resto do corpo ainda tá dolorido, mas meh. Me levantei e fui em direção do banheiro, me olhei no espelho encarando a mim mesma por uns minutos, resolvo ter a brilhante ideia de tirar os Band-aids.- Talvez não vá doer na hora de tirar se eu tomar banho primeiro, hm.- Eu digo para mim mesma colocando a mão no queixo, logo tiro minhas roupas e entro no chuveiro, a água estava morna, eu tomo um banho meio longo, após sair me seco com a toalha e novamente vou em direção do espelho, olho para um dos Band-aids que estava na minha bochecha e começo e removê-lo lentamente, causando pouca dor, depois de uns minutos eu o tiro, eu respiro fundo vitoriosa.- Hora de tirar o resto.- Eu digo, começo a tirar um por um lentamente, depois de uma hora já tinha tirado todos.- Até que não doeu muito.- Eu digo um pouco dolorida, saio do banheiro e coloco uma roupa qualquer, respiro fundo e saio do quarto de Noodle descendo as escadas e indo em direção a sala.- Bom dia.- Eu digo, Noodle e Ace avançam em mim.- Você tá bem!? Se sente melhor!? Não precisa descansar mais!?- Os dois dizem em uníssono me fazendo rir.- Eu tô bem, relaxem.- Eu digo sorrindo, eles me abraçam quase me esmagando, mas era um abraço confortável, eu retribuo e logo nos soltamos.- Então, que que tem pro café?- Eu pergunto.- Bem, as mesmas coisas de sempre.- Noodle diz.- Vou lá então.- Eu digo indo em direção a cozinha, lá estava 2D, resolvi não dizer nada e passar por ele, peguei uma maçã.- Ei, uh...S/A.- Ele me chama, eu me viro para ele.- Sim 2D?- Eu digo friamente.- Se sente melhor?- Ele pergunta.- Para a sua tristeza sim, obrigada por perguntar.- Eu digo indo em direção a saída da cozinha.- S/A, espera!- Ele me chama segurando meu braço levemente, eu me solto.- Não. Encoste. Em. Mim.- Eu digo o lançando um olhar mortal.- D..desculpe por ontem! Eu não sei o que deu em mim, por favor, me deixe explicar!- Ele diz, eu respiro fundo.- Explique.- Eu digo o encarando.- Meio que eu senti algo estranho quando você disse que foi ver o Niccals e me subiu uma raiva momentânea me fazendo te bater ou coisa assim.- Ele diz rapidamente brincando com os dedos, eu o olho confusa.- Você tem ciúmes de mim?- Eu pergunto, ele fica todo vermelho.- N..não é bem assim! Argh! Eu não sei explicar!- Ele diz cobrindo o rosto com as mãos envergonhado, eu começo a rir.- Calma 2D.- Eu digo colocando a mão em seu ombro, ele sussurra algo.- O que?- Eu pergunto.- P..pode me chamar de Stu.- Ele diz.- Ok, Stu.- Eu digo sorrindo.- Então, cê me perdoa?- Ele pergunta voltando brincar com os dedos.- Claro, claro.- Eu digo.- Sabe, esse tipo de coisa tem acontecido sempre, eu acabo fazendo coisas estranhas ou agressivas e depois não me lembro de nada, como se fosse algo momentâneo da situação.- Ele diz.- Tipo, Hipnose ou algum espírito entrando no seu corpo e te controlando como uma marionete?- Eu digo colocando a mão no queixo.- Deve ser.- Ele diz confuso.- Ah! Desculpa, as vezes me vem essas teorias loucas, ignore.- Eu digo dando uma risada fraca, ele ri também.- Então fizeram as pazes ein?- Noodle diz se aproximando.- É.- Nós dois dizemos em uníssono.- Seu celular tá tocando, melhor cê ir atender.- Noodle diz, eu escuto o belo toque do meu celular.- Já volto!- Eu digo indo até o meu celular o pegando e por fim o atendendo.- Alô?- Eu digo.- Oi Docinho.~- Eu reconheço a voz rouca e rapidamente vou para fora da casa.- Oi Doc!- Eu digo de forma alegre.- Você tá sozinha?- Ele pergunta.- Sim, sim! Então como cê tá?- Eu pergunto.- Tô bem, e você meu bem?- Ele pergunta, minha mente rapidamente se lembra do ocorrido de ontem.- Mais ou menos, aconteceu umas coisas aqui ontem, mas já tá tudo bem.- Eu digo.- O que aconteceu?- Ele pergunta, acho que o deixei preocupado.- 2D me espancou por ter ido te ver.- Eu digo rapidamente olhando em volta, para ver se não tinha ninguém por perto.- Aquele idiota enlouqueceu!? Quem ele pensa que é pra te bater!?- Ele diz putasso.- Calma Doc.- Eu digo suando frio.- Calma? Como eu vou ter calma sabendo que a porra do FaceAche resolveu te espancar!?- Ele diz furioso, logo em seguida ele respira fundo.- O que aconteceu depois?- Ele pergunta, eu começo a pensar em cada palavra eu eu vá dizer.- Bem, ele queria se explicar do porquê que ele fez isso, eu o deixei explicar, ao que indica ele disse que foi uma espécie de "sentimento repentino", eu disse que tinha o perdoado mas eu só da boca pra fora, aposto que ele só fez isso porquê se sentiu ameaçado em sua posição de líder.- Eu digo.- Doc?- Eu o chamo.- Salve esse número, amanhã eu pretendo te ligar.- Ele diz.- Ok, ué.- Eu digo.- Então docinho, eu tenho que desligar, até logo.- Ele diz.- Até.- Eu digo, ele desliga, eu respiro fundo.- Tenho a leve teoria que eu diz merda, puta que pariu.- Eu digo para mim mesma, eu respiro fundo e entro na casa.- Quem era S/A?- Noodle me pergunta.- Era apenas um amigo de longa data, ele conseguiu pegar o meu número e ficamos conversando.- Eu minto.- Amigo de longa data ein? Hm.- 2D diz de forma arrogante.- Sim, algum problema com isso?- Eu digo.- Sim! Você estando aqui não pode ficar falando com qualquer um, a ligação poderia estar grampeada! E também, eu como líder não quero você falando com qualquer um.- Ele diz, seus olhos pareciam estar em espiral, eu pensei que era ilusão minha então ignorei.- Você é líder da banda, e eu não sou da banda, então você não pode mandar em mim.- Eu digo séria.- Na verdade você é da banda, você assinou o contrato como substituta de tecladista.- Noodle diz.- Substituta não é membro oficial, então eu não sou da banda.- Eu digo, 2D avança me pegando pela gola da blusa.- Deixe de ser engraçadinha e apenas me obedeça vadia!- Ele diz, eu rapidamente dou um chute no meio de suas pernas, o fazendo me soltar e cair.- Vadia é a sua mãe, Pot!- Eu digo, ele me puxa pelo pé me fazendo cair.- Você não tem o direito de falar da minha mãe, vagabunda!- Ele diz começando a me socar, e novamente a cena se repente, só não morri porque Russel, ó Russel, meu salvador conseguiu pegar o 2D a tempo, até lá eu já tinha perdido a consciência. Acordei em cima da cama de Noodle.- S/A!- Noodle e Ace se aproximam.- Uh, em que ano estamos?- Eu pergunto ainda sonolenta.- 2018.- Eles dizem em uníssono, eu tento me levantar, falho apenas dando um gemido de dor.- Cuidado S/A! Descanse um pouco.- Ace diz.- Quanto tempo eu dormi?- Eu pergunto.- 6 horas, pensamos que você até estava morta.- Noodle diz.- Oh.- Eu digo.- Desculpa por preocupar vocês.- Eu digo expressando um sorriso triste.- Relaxa gatinha, o importante é que cê tá bem.- Ace diz sorrindo.- Cadê o Stu-pido?- Eu pergunto.- Lá em baixo, ele parecia preocupado.- Noodle diz.- Preocupado pelo fato que eu poderia muito bem fazer uma denúncia por agressão a mulher, isso sim.- Eu digo.- E você vai?- Noodle pergunta.- Sei lá cara, por agora eu só quero ficar top de novo.- Eu digo, Russel entra no quarto.- S/A! Que bom que acordou, 2D quer falar com você, posso deixá-lo entrar?- Russel diz.- Tá louco é!? vai que ele resolve me matar asfixiada com o travesseiro!- Eu digo meio estressada.- Melhor não Russel, talvez ele possa falar com ela amanhã.- Noodle diz.- Ok, melhoras garota.- Russel diz saindo do quarto.- Então, melhor você ficar aqui deitada no quarto por hoje, quem sabe amanhã já fique melhor.- Noodle diz.- Se você diz.- Eu digo.- Se precisar de algo nos chame, ok?- Ace diz, eu concordo com a cabeça e os dois saem do quarto, eu apenas fecho os olhos e volto a dormir, pensando no dia seguinte.


Notas Finais


Curiosidade: S/N é uma garota rancorosa e vingativa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...