História Fucking pickle - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Gorillaz
Personagens 2-D, Murdoc Niccals, Noodle, Personagens Originais, Russel Hobbs
Visualizações 13
Palavras 1.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Extra7: vingança.


Fanfic / Fanfiction Fucking pickle - Capítulo 17 - Extra7: vingança.

•°•°•°•°P.O.V S/N.°•°•°•°•

- Acordei, me levantei lentamente, não doía mais tanto quanto antes, nem pensei em tomar banho, só troquei de roupa e com cuidado escalei a janela até a parte de fora da casa, me sentei num canto alí e esperei pela ligação de Doc, passou se uns eternos minutos e nada, logo eu desisti,coloquei o telefone pra vibrar quando tocasse e entrei pela porta dos fundos de casa, tentei disfarçar o suficiente para que pareça que eu acabei de descer aquelas escadas, peguei uma maçã na cozinha e fui em direção a sala.- Bom dia.- Eu digo.- Bom dia S/A, se sente melhor?- Russel pergunta.- Sim sim, obrigado por perguntar.- Eu digo me sentando do lado dele, do outro lado estava 2D, resolvi ignorar a presença dele.- Ei Russ, cadê a Noo e o pepino?- Eu pergunto.- Lá no porão, acho que ensaiando.- Ele diz.- Ok, valeu Russ.- Eu digo me levantando e indo até o porão, lá estavam os dois tocando.- Bom dia!- Eu digo alegremente entrando no local.- Bom dia S/A!- Os dois dizem em uníssono.- O que cês tão tocando?- Eu pergunto de forma curiosa.- Bem, nada definido, só estamos tocando mesmo.- Noodle diz, eu me sento num canto alí e fico vendo os dois tocarem por um tempo, até que meu telefone vibra, eu o pego, Murdoc.- Gente, já volto, tenho que atender um bagulho aqui.- Eu digo indo em direção a saída, eles fazem um "ok" com a cabeça, eu subo até a superfície e saio da casa, logo atendo.- Oi Doc.- Eu digo.- Oi docinho.~- Ele diz de forma ao meu ponto de vista alegre.- Como foi ontem?- Ele me pergunta rapidamente, eu engasgo com a pergunta, mas rapidamente me recupero.- Err...- Dessa vez eu realmente estava com medo de contar.- O que aconteceu?- Ele pergunta.- Ele me espancou de novo...- Eu digo olhando em volta para ver se não tinha ninguém por perto.- Esse idiota vai estar fudido quando eu sair daqui.- Ele diz.- O..o que você pretende fazer?- Eu pergunto.- Vou bater nele até ele ficar roxo, você vai ver, ele não tem o direito de encostar um dedo em você.- Ele diz.- Ele disse que podia pois era o líder da banda.- Eu digo, ouço Murdoc engasgar.- Doc?- Eu o chamo.- LÍDER DA BANDA O CARALHO, ELE TÁ ACHANDO QUE É QUEM SÓ PORQUE EU ESTOU FORA, A RAINHA ELIZABETH!?- Ele diz, eu fiquei surda por um momento, mas me recupero.- Melhor você se acalmar, os outros podem estranhar você se estressar do nada.- Eu digo.- Nah, eu literalmente mando nessa porra, eles sabem que eu tenho um celular.- Ele diz de forma arrogante.- Ui, ui.- Eu digo convencida, logo em seguida rindo.- Sua risada é tão linda docinho.- Ele diz.- Isso é efeito do telefone, eu dou risada igual uma gralha mano.- Eu digo.- Pra mim sua risada é linda.- Ele diz de forma fofa.- Bobo!- Eu digo alegremente sorrindo como tal.- Bem, eu tenho que ir, se cuida ein docinho.- Ele diz.- Tchau.- Eu digo, ele desliga, eu coloco o telefone no bolso e entro em casa, 2D estava encostado na parede, eu passo por ele, estranhamente comecei a tremer, mas me mantive forte indo em direção a escada.- S/A.- Ele me chama, eu ignoro, não pretendo cair nessa de novo, subo as escadas e vou até o quarto de Noodle, eu entro e tranco a porta. Me deito no chão e começo a olhar para o teto, pensando em tudo que aconteceu, até que alguém bate na porta.- Quem é?- Eu digo desconfiada.- Sou eu, Stu.- 2D diz, eu ignoro.- Eu posso falar com você?- Ele diz, eu coloco os fones com o objetivo de não ouvir mais aquela voz de merda dele, coloco uma música em meu celular e aproveito para avisar Noodle que tranquei a porta, continuei a olhar para o teto brisando com a música, eu fecho os olhos entrando numa puta paz interior, só faltou eu flutuar, até que eu escuto um estrondo vindo da porta, eu abro os olhos e olho para a porta, ele a arrombou, eu tiro os fones.- Cê sabe que não sou só eu que durmo aqui né?- Eu digo olhando para ele.- Sei, mas precisava da sua atenção de alguma forma.- Ele diz sério, ele avança em mim, ficando cara a cara comigo, estávamos bem perto um do outro.- O que você pretende fazer?- Eu pergunto assustada.- Fazer o que não tive coragem de fazer a muito tempo.- Ele diz se aproximando mais, eu tento me distanciar, falho, já estava encostada na parede, eu rapidamente uso a cabeça, fecho os olhos fazendo o máximo de força mental que eu poderia fazer, logo não sinto mais a respiração dele perto de meu rosto, eu abro os olhos, ele estava a flutuar, eu estendo minha mão de longe e começo a movimenta-lo para um lado e para o outro, ele me olhava assustado.- Qual é o problema Stu-pido? Tinha esquecido como é ser violentado?- Eu digo batendo ele no teto, não com força, mas o suficiente para fazer com que ele tenha dores.- P..PARA, ME POEM NO CHÃO!- Ele diz.- Qual a palavra mágica?- Eu digo em tom de deboche.- ME POEM NO CHÃO VAGABUNDA, EU MANDO, VOCÊ OBEDECE, ME POEM NO CHÃO!- Ele diz.- Beeeh, errou.- Eu digo sorrindo, movimentando ele para cima e para baixo.- Zuuum.- Eu digo rindo em seguida.- Então Líder Stu-pido, qual a palavra mágica?- Eu digo sorrindo de forma maligna.- ME POEM NO CHÃO, POR FAVOR S/A!- Ele diz.- Bom menino.~- Eu digo rindo de forma maligna, logo o pondo no chão.- Tenta mexer comigo de novo que você vai ver, vai ser duas vezes pior do que foi agora.- Eu digo o lançando um olhar mortal, ele sai correndo do quarto, eu volto a rir.- S/A, MAS QUE PORRA ACONTECEU AQUI!?- Noodle diz entrando no quarto.- Stu arrombou a porta por atenção, falo mesmo.- Eu digo.- TOOCHI! VOCÊ ME DEVE UMA PORTA NOVA!- Ela diz indo em direção ao quarto dele putassa, Ace entra no quarto.- Uh, gatinha, seu nariz.- Ele diz apontando para o meu nariz, eu o limpo com a mão mesmo.- Me conta, o que cê fez?- Ele pergunta.- Ah meu caro, é uma loonga história, vamos sair por aí enquanto melhor.- Eu digo me levantando e indo até ele, nós dois saímos conversando e rindo juntos.


Notas Finais


:v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...