1. Spirit Fanfics >
  2. Fugitive >
  3. Chapter 01.

História Fugitive - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Chapter 01.


Fanfic / Fanfiction Fugitive - Capítulo 2 - Chapter 01.

- Eu já cansei de tudo mãe, eu me sinto preso, condenado a uma prisão perpétua na minha própria vida. Eu só quero poder ser eu mesmo, me ajude com o meu pai. - Kim implorou para sua mãe.

A mesma levou as suas mãos até seus ombros, apertou os mesmos de maneira fraca assentindo com a cabeça, sorrindo fechado. Deixando o mais novo tranquilo.

Depois de várias súplicas da mãe de Kim, seu pai finalmente deixou que o mesmo fosse para Coreia do Sul, viver sua vida lá, sem muita privacidade já que os seguranças continuava a rodear o mesmo.

Kim no auge dos seus vinte anos já queria começar a faculdade dos seus sonhos, mas longe de seu país natal. Onde todos o conheciam, e onde não podia sair de casa sem uma dúzia de seguranças na sua cola. O jovem tinha a esperança de ir para o país vizinho para poder ter uma vida normal. Já que ninguém o conhecia no país.

- O que são esses cinco seguranças? - Olhou incrédulo para a mais velha, negou com a cabeça apertando a alça da mochila com força. - E eu aqui pensando que só seria eu e você. - Suspirou abaixando a sua cabeça. - Mesmo eu querendo que não tivesse ninguém comigo. - Sussurrou revirando seus olhos.

- Filho, você vai ter a vida que tanto quer. Eles são apenas simples seguranças. - Falou óbvia.

- Você acha mesmo, mãe? - Suspirou olhando a mais velha. - Vou perder a minha virgindade enquanto eles ficam me olhando, parecendo que estão vendo pornô? - Falou emburrado vendo a mais velha levar uma de suas mãos até a testa em uma forma de reprovação.

- Ok! Vou no banheiro. - Sorriu assentindo brevemente com a cabeça. Começou a andar até o banheiro, se virou pra trás para ter certeza que nenhum de seus seguranças o seguia, bufou negando com a cabeça. - Ei! Ei! Não preciso de uma comitiva me vendo mijar.

- Tudo bem, deixem ele ir sozinho. - A mãe de Kim pediu para os seguranças andando até um banco de sentando. - Não demore, querido.

Sorriu pequeno acenando com a cabeça, Kim voltou a andar até o banheiro. O moreno tinha um pequeno plano planejado, ao chegar no banheiro ele olhou para a pequena janela do cômodo, a mesma dava para o estacionamento do local.

Abriu a janela laçando a sua mochila pela a mesma, o moreno imaginou que não passaria no pela pequena janela, mas passou facilmente. Era nessas horas que o jovem Kim agradecia por ser tão magro.

Fazia mais de uma hora que o jovem estava perdido na grande cidade, a todo momento olhava pra trás para ter certeza que não tinha ninguém o seguindo.

Parou um pouco de correr abaixando-se para recuperar o fôlego perdido, levantou a sua cabeça olhando para frente, respirou fundo olhando um garoto com sua cabeça quase raspada, se aproximando de uma das casas próximas de si.

Kim pegou seu celular rapidamente, em seguida correu até o garoto colocando o aparelho na nuca do baixinho.

- É um assalto! - Falou engrossando a voz. - Vamos, abra a porta! - Ordenou de forma durona. Aquela cena até parecia de um filme de comédia.

- Ok! ok! - O baixinho levantou suas mãos para cima, Kim sorriu pequeno vendo que o mesmo estava acreditando que era realmente um assalto. - Só não me machuque, certo? - Abriu a porta da casa, fazendo assim que ambos entrassem. - Pegue tudo que quiser e vá embora. - Respirou fundo deitando baixinho ainda de costas pro Kim.

O moreno suspirou sorrindo pequeno, parecia mesmo que o coreano na sua frente estava realmente com medo. Tirou o celular da nuca do baixinho, andando até ficar na frente do mesmo, sorriu mostrando seu celular.

_- É só meu celular... - Sorriu novamente, já que podia vê o baixinho melhor. Ele era da altura do peitoral do mais novo, seus lábios estão canudinhos e em forma de coração, que se encaixava perfeitamente com seu rosto levemente másculo. Realmente os homens sul-coreanos são mesmo de se apreciar.

- Você quase me matou de susto. - Ele levou suas pequenas mãos até seu coração, que estava acelerado pelo susto que tomou minutos atrás.

- Desculpa. - Sussurrou sorrindo pequeno. - Eu só preciso ficar aqui por algumas horas.

- Por quê precisa ficar aqui? - Se sentou respirando fundo, o mais velho parecia mais calmo.

- Então... Na verdade... - O jovem Kim foi interrompido quando alguém bateu na porta, o mesmo segurou na mão do mais velho, puxando o mesmo. - Você precisa me esconder.

- Tem um quarto na última porta do corredor. - O baixinho soltou a mão alheia andando até a porta, respirou fundo se virando vendo o moreno correndo até o local indicado.

Abriu a porta engolindo em seco enquanto olhava para os dois homens com ternos pretos.

- O que vocês desejam? - O baixinho perguntou com um tom um pouco assutado.

Enquanto isso o jovem Kim estava parado na porta do quarto do baixinho desconhecido, sorriu vendo que o mesmo era simples e perfeitamente arrumado, diferente de seu quarto no Japão.

[...]

- O jovem senhor Kim Jongin. - Sofá um dos seguranças falou calmamente. - Estamos aqui para o levar para casa.

- Quem? - Riu baixinho negando com a cabeça. - Desculpa, não tem ninguém aqui com esse nome.

Os seguranças ignoraram a presença alheia adentrando a casa sem permissão.

- Vamos vê lá encima. - Sota ditou começando a subir as escadas.

[...]

Os seguranças entraram no quarto do baixinho, assustando de maneira leve o jovem Kim que estava debruçado na janela calculando a altura para pular.

O mesmo foi pego por ambos os seguranças, um de cada lado de seu corpo segurando firmemente seus braços.

- Sua mãe está preocupada com o senhor. - Sota disse calmo. - Vamos, temos que lava-lo até ela.

[...]

- Oi amor. - A mulher sorriu beijando os lábios do coreano em seguida. - Você parece tenso. - A mesmo adentou a casa alheia colocando a sua bolsa no sofá.

- É... Hoje foi um dia cheio. - O baixinho fechou a porta andando até a sala, suspirou sentando-se no sofá. - Quer beber ou comer algo?

A mesma assentiu andando até a cozinha, o baixinho seguiu a mesma, andou até até o balcão se sentando em um dos bancos. Olhou a mulher que pegava os ingredientes necessários para fazer seu chá.

- Me conte o que aconteceu. - Murmurou baixo sorrindo pequeno enquanto colocava a água para fever.

- Então... - O baixinho levou uma de suas mãos até a nuca coçando a mesma envergonhado. - Eu perdi o emprego hoje. - Sorriu amarelo. - Fui assaltado de mentira... E uns seguranças japoneses invadiram a minha casa.

A mulher se virou séria para o baixinho, soltou um suspiro pesado andando até um dos armário pegando o chá.

- Kyungsoo, você tem que ter mais controle da sua vida. - O olhou novamente. - O que será da gente quando nós casarmos? Essas coisas não podem ficar acontecendo.

[...]

- Seu pai queria conversar com você. - A mulher mais velha falou enquanto o jovem Kim entrava na sala de jantar. - Mas você já estava dormindo. - Sorriu pequeno bebendo um pouco de seu café.

- Quando eu chegar da faculdade eu ligo pra ele. - Kim pegou uma maçã beijando o topo tá cabeça da mais velha. - Prometo não voltar tarde.

[...]

Kim pegou o papel dos horários das suas aulas suspirando, entrou na primeira sala onde teria aula. Observou as pessoas que conversavam e riam, suspirou novamente andando até uma das últimas carteiras.

Sentou na cadeira colocando sua mochila na mesa, olhou para o lado sorrindo pequeno ao vê o coreano pequeno que tinha assaltado. O baixinho parecia que estava tirando um cochilo, com os olhos fechados e a cabeça apoiada e uma das suas mãos.

- É um assalto. - Kim falou baixo vendo o baixinho levar um pequeno susto, riu baixinho sorrindo em seguida.

- O que você tá fazendo aqui?

[...]

Após as aulas Do levou o jovem Kim até uma das cafeterias do campos, sentaram-se em uma das mesas.

- Desculpa te por não ter me aparentado. - Riu envergonhado. - Sou o Kyungsoo. - O baixinho chamou o garçom. - Um café por favor.

Kim sorriu pequeno pedindo o mesmo que o baixinho coreano, acompanhado de um bolo Red Velvet, um de seus preferidos.

- O que você costuma fazer para para se divertir?

- Eu costumo sair com os meus amigos. - Sorriu sem mostrar os dentes assim que o garçom entregou os seus pedidos. - Obrigado. - O baixinho olhou para a entrada da cafeteria rindo baixinho - Falando no diabo. - Acenou com as mão para os seus amigos.

- Oi Kyung. - O cara de madeixas vermelhas sorriu sentando-se do lado do baixinho.

- Oi Myeon. - Sorriu - Oi Yixing. - O baixinho olhou para o garoto alto ao lado do Kim mais novo. - Oi Chanyeol.

- Quem é elel? - Park apontou para o moreno.

- Ele e o Jongin, ele é no novo no país e na faculdade. - O baixinho apresentou o jovem Kim.

- Minseok tá uma fera com você. - O chinês ignorou a apresentação alheia.

- Eu não fiz nada dessa vez. - Reclamou pegando seu café para beber.

- Parece que é ao contrário. - Park riu baixinho.

- Ele sempre fica bravo comigo. - O baixinho revirou os olhos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me desculpem qualquer erro de português. Me avisem se não entenderam alguma parte do capítulo. Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...