1. Spirit Fanfics >
  2. Fugitivo Vol.1 >
  3. O que é ser humano?

História Fugitivo Vol.1 - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A história é bem chata no começo, e estou escrevendo no total improviso, nada foi muito bem planejado, então erros de lógica ou de história serão bem possíveis

Espero que gostem

Capítulo 1 - O que é ser humano?


Capítulo 1

O que é ser humano?

 

Um tiro pode ser ouvido a quarteirões de distância naquela rua fria, o sangue sendo esguichado da artéria de um pobre rapaz pintava o rosto o rosto de um assaltante que corre após cometer seu crime, deixando para trás o corpo de um rapaz que em uma tentativa falha manchava suas mãos com o próprio sangue tentando parar o sangramento, a dor queimava sua garganta. O loiro agoniava silenciosamente tentando gritar com suas cordas vocais estouradas, sangrando até os braços amolecerem. A morte abraça o corpo frio de um rapaz na rua 12 que lentamente adormeçe em seu descanço eterno. Afinal, porque morremos?

 

...

 

*PII PII PII PI-*

*Bocejo*

A janela refletia a luz solar na face de um jovem em sua cama bagunçada, sentado ele então olha o relógio marcando 6:17.

—Que droga, já está tão tarde?

Da cozinha sua mãe chamava o filho para o café pela terceira vez

—Kotaro, vem tomar o café logo

—Já vou –Respondeu rápido, deixar sua mãe brava nunca era uma boa opção

Depois de tomar um banho rápido e vestir o uniforme o Nagakami desceu para tomar o café, nenhum dos dois tentou puxar assunto durante o café, a muito tempo o rapaz não tentava conversar com a mãe. O café seguiu normal, como sempre Nagakami saiu mais cedo para ir para escola, como sempre sozinho, vendo os grupinhos de outros alunos se interagirem, observou o grupo de Nagai zoando um rapaz de cabelo pintado de loiro que acenava para um deles.

—Vai ver ele é um daqueles ajin –Disse um garoto do grupo

—Pois é, ele nem parece humano como a gente –Concordou o outro garoto do grupo

“Ajin” Pensou Nagakami, o que os ajins tem que todos falam neles? Além de serem imortais é claro, e porque todos acham que eles não são humanos? Eles tem caracteristicas corporais humanas, não há nenhuma diferença estética incomum que separa os ajins dos humanos certo? Então porque todos falam nisso?

 

...

 

—Hoje a aula será sobre ajins, e não, isso não vai cair na prova

“Ajins? Caramba, parece que todo mundo ta falando nisso, o que tem de tão errado em alguém ser imortal, certo, é estranho, mas, O que é ser humano?

—Ajins são criaturas imortais que foram descobertas 17 anos atrás na africa, o primeiro ajin foi denominado soldado de deus pelo povo local, quando o exército americano o capturou foi explicado o porque do nome, o governo tentou esconde-lo da população mas haviam provas demais expostas, na internet e provas vivas, essas criaturas foram nomeadas “ajins”, hoje, existem 64 casos registrados no mundo, e 2 deles aqui no japão. –explicou o professor enquanto passava os slides

—Professor

—Diga

—Eu ouvi dizer que pagam uma bolada pra quem pegar um deles –Diz o aluno ao lado de nagai que nem ao menos prestava atenção na aula

—Bem, eles são bem raros, então é claro que isso te daria muito status, mas eu não tenho certeza se há uma recompensa financeira, por exemplo, o direito de propriedade de uma presa que você captura–

—PRESA?! –Gritou Nagai Kei assustando algumas pessoas da classe inclusive o professor, depois dando uma risadinha nervosa e se sentando

—Nagai, levante a mão antes de falar –Disse o professor

Nagai levantou a mão e perguntou —Então... os ajin não são humanos? –Perguntou com uma gota de suor escorrendo de sua testa

—É claro que não

—heh, é, é claro –Disse se sentando na cadeira novamente

—Sim? –Disse perguntando para um aluno que levantou a mão

—Seus usos seriam muito úteis, por exemplo em medicamentos ou armas...

 

...

 

Depois do sino da escola todos iam para suas casas em seus grupinhos, e outros não, Nagai andava distraído em seus pensamentos, enquanto seus grupinho chamava ele “Ele ta olhando por onde anda pelo menos?” Se perguntou Nagakami, observando Nagai atravessar a rua no sinal vermelho, todos em volta imediatamente mudam suas expressões para aterrorizadas ao verem um caminhão atropelar Nagai tão rápido quanto antes de todos perceberem, a cena era aterrorizante, sangue espalhado por toda a rua deixando um braço decepado para trás

O sinal de pedestres muda de vermelho para verde assim que o motorista sai do caminhão

—O-o sinal estava vermelho, o garoto que não prestou atenção, eu-eu não matei ele –Diz o motorista aterrorizado

Todos imediatamente se aterrorizam ainda mais ao verem Nagai se mexendo debaixo do carro, e vendo sua mão crescer de volta, osso, músculo, veias, sangue, tudo se reconstruindo rapidamente enquanto as pessoas em volta assustadas diziam trêmulas:

—Ele é um ajin!

—Ele é um ajin!

—Ele é um ajin!

—NÃO!!

Em um ataque de pânico Nagai Kei gritou paralisando todos em volta e correndo para longe de todos

 

Três dias depois

 

POV: Kotaro Nagakami

 

Parece que tudo se acalmou depois do nagai ser capturado, a essa altura o país todo e até o mundo deve saber do Nagai, as férias de verão estão chegando então, todo mundo tem que estudar bastante, mas eu tenho bastante tempo, oque me leva a uma pergunta, oque será que acontece quando um ajin é capturado?

Imediatamente me dirijo ao meu laptop e pesquiso “experimento ajin”

O vídeo mostrava cenas macabras, de um ajin com o número “002” Tanaka o segundo ajin do japão levando um tiro, e morrendo de diversas forma, em uma parte do vídeo eles torturam o ajin e furam as bolas dele com uma furadeira

—Que porra é essa, meu deus, que-que horror –Fecho o laptop bem rápido e vou em direção a cozinha beber um copo de água, então, é isso que acontece com os ajin? Será que estão torturando o Nagai? É melhor parar de pensar nisso, quanto menos eu souber melhor

 

...

 

—Ei Tomoe, olha isso, é aquele vídeo do ajin –Disse Yamamoto Hayato

—Ah eu já ví esse, coitado do Tanaka –Tachibana Tomoe respondeu dando uma breve olhada no vídeo, e se enjoando com todo o sangue, ela sempre foi sensível a sangue

—É muito bizarro, ei Kota, oque você acha desse? –Me perguntou Nobuhara Daiki se eu tinha visto o vídeo, onde o ajin é torturado até a morte várias vezes

—Me dá enjoo –Respondi seco sem muita vontade de ver o vídeo novamente

—Pois é, deve ser horrível ser torturado sem poder morrer –Disse Yamamoto concordando comigo

—Eu não sei não, o governo não leva os ajin para proteger eles? –Questionou Nobuhara

—Dãã, foi o governo que disse isso, o governo esconde um monte de coisa, tá na cara que isso é mentira, porque proteger alguém imortal? Provavelmente então quebrando os dentes do Nagai com uma marreta nesse momento –Disse Yamamoto revirando os olhos

—Não é da nossa conta isso, seja lá o que acontece com os ajin, fica com eles, a gente nem sabe se esse vídeo é real, até já postaram um do Nagai, com certeza é falso –Disse tentando me convencer de que os vídeo eram falsos, e de fazer meus amigos pararem de pensar demais nisso

 

...

 

—Finalmente a aula acabou –Digo pra mim mesmo saindo da sala de aula  indo atrás dos meus amigos

   Será que existem outros ajin não descobertos por aí? Segundo o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, duas pessoas morrem a cada minuto, então eu chuto que a cada 150 minutos 1 pessoa vai ser um ajin, então devem existir centenas, não, milhares de ajin espalhados pelo japão, e talvez até milhões pelo mundo, "Nossa, que estranho, eu estou pensando demais nessa coisa de ajin" depois do sinal ficar verde pra mim eu atravesso a rua, sirenes podiam ser ouvidas ao fundo, enquanto uma van desgovernada corria pelas ruas como se fosse louca, tão rápido quando eu pude perceber, eu estou na frente de uma van com quatro criminosos que fugiam da polícia estava a poucos metros de mim, vindo em minha direção, “Então é assim? Vai ser assim que eu vou morrer? Eu nem consegui entrar na faculdade” não tem como sobreviver a isso, a van está a aproximadamente 180K/M nessa velocidade os meus ossos seriam quebrados tão forte que perfurariam meu coração, meu pulmão esquerdo e meu crânio racharia, que mesmo sendo um das partes mais resistentes do corpo, só deixaria meu cérebro vivo, o que significa que a dor vai durar no máximo 5 segundos antes de eu apagar e morrer, porra, eu daria um bom médico, se eu fosse analisar uma pessoa enquanto estou com risco de morte porque se adrenalina meu cérebro é lento, “Jesus, e eu ainda continuo fazendo piadas” parece que é isso, adeus mundo cruel, parece a última coisa que verei serão os rostos desesperados de meus amigos e pessoas desconhecidas, eu acho que é isso

 

Antes de sentir o impacto, sinto uma lágrima descer lentamente enquanto sou arremessado e sinto meus osso sendo quebrados e esmagados, minha carne é perfurada e socada pelo carro junto da ponta afiada de meus ossos, a dor é rápida mais ainda assim agoniante, sinto tudo ficando preto e minha consciência sumindo. Aos poucos meus olhos vão se abrindo e sinto como se estivesse acabado de acordar, como se eu estivesse resetado, “Tudo de errado do meu corpo sumiu, o cansaço, a fome, a dor, os meus, ossos quebrados?” Espera, eu fui atropelado, eu deveria estar morto, mas eu me sinto melhor que antes.

Me arrasto debaixo do carro enquanto a polícia parava perplexa, até os criminosos estavam de boca aberta, "Agora eu sou o julgado?" junto de uma multidão de pessoas espantadas em verem alguém simplesmente voltar a vida, um quarto ajin descoberto no japão, 2 ajin descobertos em menos de uma semana “Que recorde!”

—Ele é um ajin!

—Mais um ajin?

—Dois ajin em uma semana que incrível

—Quando mais ajin devem existir?

—Mais uma dessas aberrações por aqui?

—Mais um ajin da nossa sala? Sera que existem outros?

-Eu preciso de reforços, tem um ajin aqui, eu acabei de ver ele morrer –Disse o policial mirando sua arma para mim em aviso para eu me render, uma arma de verdade, com balas de verdade, que matam de verdade, naquela hora, quando eu fui atropelado, por um segundo, não, até mais, aquilo doeu, doeu tanto que eu queria morrer, eu não quero ser torturado, eu não quero morrer de novo.

-Não, não, não não, n-não, NÃO, NÃO. AAAAAAAAAAAAAAAAAHHHH –Em um ataque de pânico extremo, acabo soltando um grito de agonia, fazendo todos se paralisarem, com até alguns caindo no chão, com a adrenalina passando pelo meu corpo, eu corro em direção a qualquer lugar, qualquer lugar longe daquele acidente, longe de onde eu morri


Notas Finais


Se gostou comente, e avalie, se gostou bastante de um favorito, isso motiva muito nós escritores

Espero que tenha gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...