1. Spirit Fanfics >
  2. Fui criada para matar-NaruHina >
  3. Capítulo 2- Explicações do passado

História Fui criada para matar-NaruHina - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Capítulo 2- Explicações do passado


Hinata On

Bem eu vou contar um pouco da minha infância. Quando eu nasci minha mãe me abandonou na frente de Um orfanato, ela bateu na porta e saiu correndo, a diretora me encontrou na frente dos portões no orfanato, ela me pegou é me levou para dentro, cuidou de mim até eu ter um três anos, quando eu cheguei nessa idade fui adotada por um casal bem rico.

Depois que eles me lavaram para casa eu fui mimada de todos os jeitos, eu não me importava mais deixava né, eu aproveitava da bondade deles, o meu novo "Pai" era prefeito da cidade, e minha "mãe" era uma modelo que ficava fumando o tempo todo.

Quando eu era pequena eu não entendia mais agora eu vejo claramente, eles eram dois drogados que se metiam com dividas mesmo tendo uma boa condição financeira, eram dividas atrás de dividas, é ainda para piorar meu querido "pai" estava envolvido com Trafico de drogas.

Eu tive uma infância ruim nessa época, mais isso tudo mudou quando um certo senhor apareceu para me "salvar" desse inferno. Era de noite eu estava dormindo do meu quarto tranquilamente, até eu ouvir um barulho de arma, eu comecei a ficar com medo era normal para uma criança de três anos, meu quarto ficava no segundo andar, eu comecei a sair na minha cama é abri a porta de vagar eu não vi nada então sai, eu fiquei abaixada e comecei a engatear até a escada fui andando com cuidado para não cair, quando eu cheguei lá embaixo pude ver meus pais adotivos amarrados com um pano na boca para eles não gritarem, eu fui andando abaixada até embaixo da mesa que conseguiu me cobrir por inteira já que a toalha de mesa era longa.

Eu fiquei lá por um tempo, quando eu ouso mais um barulho de arma, eles estavam discutindo sobre uma coisa, discutindo não brigando, ele tinha atirado no meu "pai" bem na minha frente, a mulher que havia me adotado estava em prantos, eu estava tentando entender oque estava acontecendo, eu só via sangue é mais sangue.

Ele ficou sem paciência é a matou também, ele começou a olhar em tudo até parar seu olhar na mesa, eu lembro bem oque ele disse: Não precisa ter medo eu não vou te matar, eu só matei seus pais não vou matar ninguém alem deles, pode vir até mim eu sei que você está em baixo da mesa.

Eu com ainda um pouco de medo sai de baixo da mesa, ele me olhou é sorriu ele se abaixou é fez um sinal para que eu fosse até ele, eu fui e ele estava sujo no rosto com um pouco de sangue, eu botei minha mão para limpar, ele me olhou surpreso mais sorriu para mim, mais sua expressão muda ao ouvir o som da sirene da policia.

Ele me pegou no colo é foi para cima comigo, ele perguntou aonde ficava meu quarto é eu apontei ele foi até ele. Ele me botou no chão é começou a procurar algo no guarda-roupa, ele pegou uma roupa para mim é começou a me trocar era uma blusa branca é um casaco marrom junto com uma calça jeans, ele botou um tênis rápido em mim é foi procurar uma mochila ele começou a tacar roupa. Ele me pegou no colo rápidamente o som da sirene do carro da policia estava ficando cada vez mais alto, ele me leva para fora de casa tinha uma moto, ele me bota sentada em cima dela, ele sobe também é me deixa na frente.

Ele começa a pilotar de um jeito rápido, ainda havia barulho de sirene atrás de nos, ele foi para um beco que não daria para o carro passar, é foi assim que a gente despistou a policia, eu acabei dormindo mais quando eu acordei, eu já estava deitada em um quarto diferente do meu.

Mais pulando essa parte, eu estudava em casa não gostava de sair, mais eu era bem inteligente para a minha idade, aos 5 anos eu já presenciava pessoas morrerem na minha frente, claro o senhor Tanaka ele sempre pedia para mim sair, mais quando não tinha jeito ele matava na minha frente, ele é muito carinhoso comigo, mais quando eu completei os meu dez anos o Senhor Tanaka começou a me treinar, eu já tinha uma ideia doque ele queria que eu fizesse eu não tenho problema com isso, fui criada vendo isso mais ainda era difícil fazer isso, ainda mais para mim que era uma criança de dez anos.

Minha primeira vitima foi um homem que tinha estrupado 16 crianças, na logica do senhor Tanaka eu só devo matar pessoas más mais eu tenho que ter a consciência que eu não sou uma pessoa boa também, então quando eu fui matar esse homem era de noite eu estava com o senhor Tanaka em um beco, quando eu vi o Homem ele estava bêbado, então era até que fácil matar ele.

Bem eu acho que vocês não vão querer saber de tudo, mais eu vou fazer um resumo, quando ele estava passando Takano puxou ele e o botou contra a parede, ele deu um soco nele fazendo ele cair no chão, é subiu em cima dele começando a dar socos na sua barriga, é eu ficava apenas olhando, até ele parar de bater nele é começar a olhar para mim, eu atendi então fui até ele, ele me deu uma arma carregada, eu fiquei na frente dele é antes de disparar o gatilho eu fecho os meus olhos com força é conto até 3, Um, dois é três...

É eu atirei, quando eu abri meus olhos vi um homem sangrando morto , senti minhas bochechas molhadas, eu realmente tinha tirado uma vida, eu já tinha visto mais eu nunca tinha feito algo como aquilo, essas coisas que eu estou falando me ajudaram no meu futuro, hoje eu sou uma assassina profissional, sou uma procurada da policia, eles não sabem meu rosto mais ainda estou procurando por mim, mais antes eu matava para tirar esses lixos no mundo agora eu mato por...Bem eu mato por prazer, eu mato pelo o puro prazer.

Mais quando eu fiz 18 anos eu decidir beber um pouco já que eu já era de maior, então eu fui para um bar que era um pouco longe de casa. Estava indo tudo bem até eu ouvir gritos que parecia uma briga, eu fui ver oque estava acontecendo atrás do bar, é quando vi tinha 3 homens tentando abusar de uma mulher de cabelos loiros.

Quando eu vi aquilo fiquei com raiva, tipo que babacas ela não conseguiria se de vender por está sozinha e desarmada. Eu saquei minha arma chamando atenção deles, eles parecem tá desarmados também para tarem fugindo.

-Obrigada -Fala a loira

-Denada tenha mais cuidado -Falo

-Terei -Ela começa a arrumar suas roupas que estava bagunçadas

-Mais você não deveria tá com uma arma -Fala ela me observando 

-Não é uma coisa que você deveria saber -Eu falo guardando a arma cintura

-Bem eu gostei de você que tal a gente se encontrar em outro dia -Parece que a maluca não tem medo de morrer

-Talvez -Falo a olhando

-Bem se quiser falar comigo aqui meu número -Ela me dar um papelzinho com o número dela e sai andando

Bem depois daquilo se passou mais ou menos um mês, eu ainda não tinha ligado para ela, então teve um dia que eu estava indo lavar um casaco para usar e eu encontro o papel com seu número, então porque não né.

Eu começo a botar os números no papel para o meu celular, é quando já tinha botado todos eu aperto no botão para ligar, começou a chamar e chamar...Depois mostrou conectando é eu ouso uma voz, a mesma voz que eu ouvi no mês passado.

-Alo que é? -Pergunta a voz da outra linha

-Ah...Oi eu sou Hinata, você me conheceu em um bar

-Ah sim é você eu pensei que você não iria me ligar

-Eu encontrei o papel que você meu deu então eu pensei porque não ligar né

-Que bom! bem se você quiser podemos sair hoje a noite

-Claro pode sim -Fala e começamos a conversa no celular normalmente

Então eu desliguei para me arrumar a gente iria em um restaurante simples, então eu não iria exagerar na roupa, eu peguei um vestido azul com flores brancas, eu tomei banho e arrumei meus cabelos, botei um colar e por fim botei um salto branco.

Eu chamei um uber para a gente ir para o tal restaurante que ela quis ir comigo, quando eu cheguei já vi ela sentada em uma mesa com um copo de água, eu descobri que o nome dela é Ino, ela estava com uma pasta deve ser de trabalho, ela estava vestida com um vestido branco que ia até seu tornozelo ela estava com um salto branco combinando com seu vestido, seu cabelo estava solto é não estava com muita maquiagem, ela parece que estava me procurando na mutidão de pessoas.

Eu começo a andar até a mesa que ela se encontrava, quando ela me ver da um sorrindo, eu sento na sua frente, a gente da um boa noite e começamos conversa normalmente, pedimos a nossa comida acompanhado com uma taça de vinho.

-Hinata -Ela me chama

-Sim -Pergunto

-Bem foi ótimo conhecer você mais eu acho que você já pode saber, naquele dia do bar foi tudo planejado, aqueles homens que tentaram me "abusar" eram meus empregados, tudo que você viu era apenas uma atuação, bem você não deve tá entendendo nada meu nome e Ino Yamanaka, eu sou das empresas Yamanaka´s , eu andei te vigiando é você talentosa na questão de matar, mais eu vou falar a situação apesar da empresa da minha família ter a ficha limpa, a gente meche com Dinheiro, drogas, mortes, tudo de errado é que iria dar uma merda se a media descobrisse, mais bem o problema é que uma das meninas que me ajudam nisso acabou falecendo.

-Tá é oque eu tenho haver com isso? -Pergunto já querendo saber de suas intenções-

-Bem eu quero que se junte a mim, eu tive um briga com meu pai, eu falei que eu podia herda empresa e que eu podia cuidar de tudo ele poderia se aposentar, mais ele falou não, falou que se eu quisesse de tudo eu deveria me casar para o meu esposo cuidar de tudo, então eu decidi eu vou construir uma nova empresa para mim, uma lugar que só eu possa comandar, é bem eu comecei a chamar pessoas que se escodem nas sombras fazem o trabalho que a policia não faz, eu preciso de um braço direito uma pessoa que me defenda é comande se alguma coisa acontecer comigo.

-Você quer que eu trabalhe para você?

-Não só como trabalhe mais também que seja a minha amiga, então você aceita?

-....

Continue...

-Oque acharam desse capítulo fale para mim, lembrando isso é uma lembrança do passado ela tem 23 anos, isso já aconteceu.

 


Notas Finais


Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...