História Full Stop - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X, Red Velvet
Tags Jikook, Jimin, Jiseong, Menção Yoonmin, Namjin, Suícidio, Twins!au, Vhope
Visualizações 39
Palavras 1.649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong, voltei com o segundo capítulo.
Esse capítulo era para focar mais no Jimin, mas acabei por falar mais do Jiseong porque eu gosto mais dele kskskks
Algumas alterações no roteiro foram feitas.

Capítulo 2 - Kind


Fanfic / Fanfiction Full Stop - Capítulo 2 - Kind

— Eu mesmo... — Changkyun deu um sorriso irônico. — Vai fazer o que? — Desafiou.

— Só podia ser você, seu otário. — Dá um sorriso de lado e tenta partir para cima, mas é segurado.

— É melhor os dois pararem com isso... — Pacificou Hoseok segurando o amigo.

— Você é um perdedor Im Changkyun... — Debochou ignorando completamente as palavras de Hoseok.

— Seu... — Changkyun cerra os dentes, fecha seu punho e tenta socar Jiseong, mas sua mão é segurada por Seungwan.

— Chega! — Ditou Seungwan. — Podem parar vocês dois! — Ordenou.

— Vocês passaram dos limites hoje! — Repreendeu Joohyun.

— Pare de agir como uma criança descontrolada que quer bater em todo mundo, Park Jiseong. — Advertiu Taehyung, calando o melhor amigo. — E Changkyun, deixa de ser trouxa! Jogar milkshake no Jiseong não vai automaticamente destruí-lo, deixe-o em paz e esquece o que ficou no passado!

— Ei Jiseong, eu trouxe um moletom reserva, por acaso você quer emprestado? — Ofereceu Hoseok e Jiseong assentiu com a cabeça. — Vamos para o banheiro.

 

[...]

 

18:24, 13 de setembro de 2015

Jimin mantinha um olhar sério e biquinho adorável nos lábios, queixo apoiado em suas mãozinhas e as vezes anotava uma informação ou outra que lhe parecesse útil. Bang Joon Young, professor de música, introduzia seus alunos à história da música, mas a maioria sequer prestava atenção; alguns dormiam no fundo da sala, outros conversavam entre si e outros mexiam escondido no celular. 

O cara que sentava-se ao lado, Lee NamJoon, era uma das maiores exceções daquela turma. Estava sempre quieto, só tirava boas notas nos trabalhos e, acima disso, Namjoon era uma pessoa extremamente gentil, apesar de seu olhar cabisbaixo — que não combinava com suas belas covinhas. Não se sabia muito sobre sua vida pessoal, mas segundo alguns rumores da faculdade, NamJoon é o filho secreto de um CEO muito rico e influente. As provas disso seriam sua boa aparência, tinha uma boa dicção, sabia tocar instrumentos como violino e piano, suas roupas aparentam estar sempre novas, além da sua fluência e em inglês, alemão, chinês e japonês.

Jimin não entendia muito bem do porquê se meter na vida um do outro, mas não questionava ou via algo ruim nisso, entendia que é natural que as pessoas sintam curiosidade.

— Quando me inscrevi não esperava que fosse tão chato. — Comentou um aluno perto de Jimin.

— Somos dois. — Respondeu-lhe. — Esperava que fossem nos ensinar a cantar e me decepcionei.

— Jimin... — Sua melhor amiga na turma chamou-lhe sussurrando. — Minha caneta parou de funcionar, pode me emprestar uma das suas?

— Claro. — Abriu o estojo, que não continha muito material por tratar-se de uma faculdade, havia apenas uma tesoura, algumas canetas, lápis, apontador, corretivo e borracha. — Aqui está, YeoShin. — Alcançou uma caneta para ela.

 

[...]

 

19:12, 13 de setembro de 2015

— O professor Bang sempre explica tudo tão bem. — Afirmou YeoShin. — Eu não sei como podem desprezar tanto as aulas que ele dá!

— Verdade, ele é um ótimo professor. — Jimin elogiou. — Se não querem estudar porque então eles não trancam a faculdade e vão embora?

— Eu não entendo esse pessoal. — Declarou. — Eles só sabem de cuidar da vida dos outros naqueles malditos fóruns. — Comentou.

— Ei, Jimin! Aqui estão suas composições! — O homem de meia idade entregou-lhe uma pasta verde.

— Ah, muito obrigado! — Apanhou a pasta.

— Não há de quê, garoto. — Sorriu. — Continue escrevendo, você tem potencial e com certeza vai longe no mundo da música.  

— Muito obrigado novamente, professor Bang. — Retrucou ao elogio envergonhado.

— Sobre o bloqueio criativo que você me comentou ontem, acho que dar uma saída não faria mal. — Sugeriu o professor. — As vezes o problema é que você não tá fazendo muita coisa nova, portanto a criatividade fica realmente bem limitada.

— Obrigado pela dica, eu não havia pensado nisso. — Disse encantado.

— Bom, agora eu preciso ir para casa, eu tenho alguns trabalhos para corrigir. — O professor despediu-se. — Obrigado por dar-me a oportunidade de ler suas composições.

— Por nada. — Curvou-se levemente como sinal de respeito.

— Posso ver? — Pediu Yeoshin.

— Pode. — Concordou gentilmente e deu-lhe uma das folhas.

 

"Eu acabo criando um drama

Faço uma refeição tardia e sem sentido

Meus olhos provavelmente estarão inchados pela manhã, de novo

Fiquei acordado a noite toda

Mas não há ninguém ao meu redor

Pra onde ir

Eu pulo distâncias muito grandes

Estou indo até o fim da minha lista de chamadas

Depois de passar por muitos pensamentos

Só faço uma expressão facial estranha

E passo o momento

Me sinto com sede

Minha voz está rouca por estar seca

Filtrando chamadas desconfortáveis que quebram o silêncio

Não sei como me tornei melancólica, acho que estou mais sentimental

No meu quarto

Todos os dias vejo o seu sorriso

Parece que eu sempre fico muito tempo no mesmo lugar

Há momentos em que eu não lembro como eu ria

Estou invejando sua felicidade hoje, também

Me deixe ver você

Rir realmente combina com você

Me deixe te sentir

Muita cafeína

Acho que vou perder minha manhã de novo

Provavelmente vou abrir meus cadernos à tarde

Ficarei acordado a noite toda novamente

Eu nem mesmo posso conhecer você, a pessoa em quem estou pensando

Eu poderia ver você

Como se ninguém tivesse qualquer preocupação

Mantenho grandes distâncias

Sinto como se estivesse brincando comigo mesmo

Estou sentindo inveja das suas palavras

É só um momento que está dentro desse pequeno celular

Parece que meu julgamento está um pouco precipitado

Minha mente é complicada, estou suspirando mais

Isso me faz ficar acordado a noite toda

No meu quarto

Todos os dias vejo o seu sorriso

Parece que eu sempre fico muito tempo no mesmo lugar

Há momentos em que eu não lembro

Como eu ria

Estou invejando sua felicidade hoje, também"

— Que bonita a música, Jimin, eu posso ficar? — Pediu com os olhos brilhando.

— Claro que pode. — Concedeu. — Provavelmente ia ficar jogada na minha escrivaninha mesmo.

— Muito obrigada! Você é um ótimo amigo!

— Ah para! Não foi tanto assim! — Ruborizou.

— Você é demais, Park Jimin. — Elogiou. —  Tomara que tenha grande sucesso na carreira de cantor e compositor...

— O papo tá ótimo, mas eu tenho que ir.

— Mas já? — Reclamou fazendo biquinho.

— Sim, noona. — Assentiu. — O Jeon me chamou pra jantar e agora ele deve estar doido me procurando. — Riu com a imagem formada em sua cabeça.

— Tchau então! — Acenou para o amigo enquanto ele se distanciava. — Tenham uma boa refeição!

— Obrigado. — Acenou-lhe de volta.

Jimin caminhou pelos corredores procurando por Jungkook até que finalmente o encontrou na porta da universidade olhando algo no celular. O mais velho aproximou-se do amigo com um sorriso travesso e deu-lhe um pequeno e leve susto, mas que para o Jeon foi o suficiente para quase ter um treco.

— Você é maluco? — Resmungou o moreno.

— F-foi engraçado. — Jimin dizia contorcendo-se de rir.

— Então... — Pigarreou. — Vamos?

— Sim. — Assentiu.

 

[...]

 

Na saída da faculdade, os alunos corriam para os seus carros ou carros de parentes para escaparem do frio. Outros corriam em direção aos táxis ou chamavam por aplicativos. Apesar da chuva anterior ter finalmente cessado, a noite estava úmida e bastante fria e os jornais da cafeteria anunciavam que mais frio estava por vir.

O clima levou Jiseong a correr para o primeiro estabelecimento que encontrou, agora ele estava em uma Starbucks que ficava do lado da faculdade sentado em uma mesa aguardando seu Café Latte enquanto jogava algum jogo aleatório no celular.

Notificação de Chimmy34 no Kakao Talk

Jiseong balbuciou alguns xingamentos por ter sua partida de Mighty Moon atrapalhada pelo irmão. Porém mesmo assim respondeu o irmão.

Chimmy34: Fui jantar com o meu amigo e não sei que horas eu volto

Eu: Interrompeu meu jogo pra isso?

Eu: Bom

Eu: Pelo menos eu vou finalmente me livrar de você skskks

Chimmy34: É assim que trata o seu irmãozinho caçula?

Eu: Iti malia

Eu: Irmãozinho de cu é rola seu otário

Chimmy34: Trouxa ksksksksk

Eu: Sou 7 minutos mais velho, você me deve respeito

Chimmy34: Euúh xóooh 7 míínutínhóos máaíixxxx nóóvúh

Eu: Socorro, eu peguei câncer depois disso

 

— Eaí Jiseong! — Ouviu uma voz familiar e bastante empolgada atrás de si.

— Ah, oi Tae. —  Guardou o celular. 

— Nossa... — Bufou. — Que animação. — Ironizou.

— Não me leve a mal, Tae. — Tranquiliza Jiseong. — É que eu tava conversando com o meu irmão e não esperava que fosse ter companhia.

— Sério? O que você e o Jihyun estavam conversando? — Perguntou.

— Não era com o Jihyun, era com o Jimin. — Esclareceu. — Mas não era nada demais, ele só queria me dizer que vai jantar fora com o amiguinho dele. 

— Ah... Tá.

— Mudando de assunto, o meu pai disse que vai me pagar um segurança e um motorista para me levar e buscar da faculdade porque ficou sabendo que eu estou me atrasando.

— Sério? Nossa... O seu pai ainda não te perdoou mesmo. — Comentou.

— Aliás, como é que aquele velho ficou sabendo que eu estou me atrasando? — Questionou.

— Pensa Park Jiseong... — Iniciou. — Seu pai é dono da Busan Airlines e sua mãe é dona das lojas Black Label, com certeza pagaram alguém para ficar de olho em vocês dois porque dinheiro é o que não falta. — Solucionou.

— Faz sentido... — Balbuciou.

— Aqui está o seu Latte, senhor Park. — A garçonete colocou o café na mesa.

— Muito obrigado. — Sorriu galanteador para a mulher.

— Moça, você poderia me trazer um macchiato de caramelo, por favor? — Pediu Taehyung.

— Sim, senhor. — Assentiu corada.

— Gostosinha. — Jiseong comentou quando a mesma foi embora.

— Você não presta! — Taehyung deu um tapa no braço do melhor amigo.

 

[...]

 

00:12, 20 de março de 2018.

Depois de tanto debater-se, Jimin permitiu que a água doce levasse por completo o seu fôlego, os seus olhos castanhos e alegres encontravam-se fechados e sua mente cansada e machucada agora inconsciente de seus atos anteriores e inconsciente do motivo que levou Jimin a jogar sua vida fora no imenso Rio Han. Podia-se dizer que já se encontrava em paz.

Subitamente, sentira algo lhe puxar para fora da água, em seguida viera o frio juntamente de gritos desesperados e depois... A escuridão.


Notas Finais


Capítulo 3 já está em andamento, beijos meus peperonis!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...