História Fullgás - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Fanfuck, Fullgás, Jikook, Namjin, Realidade Alternativa, Taegi, Taeyoonseok, Vhope
Visualizações 6.356
Palavras 7.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, esse sim é um capítulo de verdade, SÉRIO! Me perdoem a demora, embora eu na verdade tenha colocado vocês um pouco mais na cabeça complicada do Kookie e ainda deixei vocês perguntarem coisas a ele e o mesmo respondeu! ESPERO QUE TENHAM GOSTADO.
Agora preparem-se, vem textão sim!

2.000 FAVORITOS! 2K! DOIS FUCKINGS MIL FAVORITOS! VOCÊS CONSEGUEM ESCUTAR OS MEUS BERROS DAI ONDE ESTÃO?! POR QUE EU ESTOU É CHORANDO, GRITANDO, BERRANDO, FAZENDO O URRO DO SHREK E DA PANTERA BILÍNGUE PRA VOCÊS! MEU GZUIS, SOCORR, GENTE, DUAS MIL PESSOAS LENDO ISSO AQUI, NÃO DÁ, EU ESTOU QOP4EI3UY2´0R58632ÍR4HNP /aqui jaz a falecida Fanfuck~ 3R98Y309R73204HNHR
Cacete, obrigado! OBRIGADO, O-BRI-GA-DO! MEU DEUS, É SÉRIO. Gente, eu já fui tão insegura com essa fanfic, já fui mesmo, já quase apaguei ela, já chorei por ela pensando que eu escrevia algo ruim, já pensei em tantas coisas. E ela tá aqui, crescendo, e tudo graças a vocês! OBRIGADA!

Enfim, eu queria falar sobre os comentários, eu queria dizer que eu sinto falta de vocês, de verdade, eu quero saber o que pensam, quero agradecer vocês, quero dar amor. Plix, se pronunciem mais, PRINCIPALMENTE OS FANTASMINHAS! Poxa tem tanta gente e eu consigo apenas conversar com poucos, comentário anima a gente. Eu quero saber se vocês estão gostando, o que pensam quando leem, o que acharam. Vocês não estão gostando? Tem tanta gente, venham amigar comigo! Eu amo todos vocês! (É só um desafabo tá, to obrigando ninguém).


NOVIDADE: POSTEI UMA FANFIC YOONSEOK NOVA
E FIZ UM GRUPO NO WHATSAPP PARA FULLGÁS, deixarei os links nas notas finais!
Agora bora ler, APROVEITEM MEUS XUXUS! <3

Capítulo 20 - Boquinha da Garrafa


Fanfic / Fanfiction Fullgás - Capítulo 20 - Boquinha da Garrafa

 

— Finalmente sábado, cacete! — Yoongi ditou alto, ao que erguia os braços e sorria para o sol se pondo como se o mesmo fosse algum ser divino que havia acabado de realizar um de seus maiores desejos. Embora na verdade o maior desejo de Min nesse momento fosse dormir num colchão d’água.

 

— Cala boca, cacete. — Jimin chegou por trás do outro e deu um tapa na cabeça esverdeada do mesmo. Yoongi voltou para trás fulminando-o de leve, pronto para abrir a boca e começar uma discussão saudável de que ninguém podia meter a mão na cabeça de um rei, todavia foram interrompidos com a imagem de um J-Hope sorridente.

 

— Ah, vocês chegaram! — ele abriu o portão do pequeno prédio no qual morava, ao que dava espaço para que os amigos entrassem. — São tão barulhentos que eu escutei a voz de vocês lá do meu apartamento. — brincou, embora não fosse uma mentira.

 

— “De vocês” você quis dizer Jimin e Yoongi, né? — Taehyung ditou passando pelo moreno, que o fitou sorrindo grande e rindo baixo. — Eles são pior que uma sirene, sério. — Hobi riu baixo e parou ao lado do loiro que lhe acompanhava na risada.

 

— Cala boca você também. — Jimin ditou dando o mesmo tapa que dera em Suga, em Taehyung. Parou perto do amigo, olhando de relance para trás, esperando quem parecia uma pequena lesma ambulante: Jeon.

 

— Olha como você fala comigo, seu pinguim anão. — Taehyung retrucou com um biquinho na boca e ergueu o queixo, arrancando risadas de todos ali. O ruivo fitou o mais alto indignado, quase retrucando ao “vara pau” a sua frente.

 

— Você não vai me defender? — Park perguntou indignado para Hoseok, que riu mais e o fitou de cima a baixo.

 

— Você mereceu. — e o rosto emburrado do ruivo piorou mais ainda, parecendo inflar, arrancando risadas dos demais ali. Jeon parou ao seu lado, o fitando com um olhar divertido, embora seu rosto não mexesse nem mesmo um pouquinho.

— Você também tá rindo de mim? — perguntou ao moreno, que abaixou a cabeça e mexeu os ombros, arrancando risada dos outros.

 

— Como se o Hoseok e o Taehyung não parecessem duas gazelas assassinadas, berrando por aí todo dia. — Yoongi ditou extremamente ranzinza, fazendo os dois citados pararem de rir e o loiro o fitar sem entender, enquanto Hobi o olhou sem paciência.

 

— Sou mesmo, mas eu sou uma gazela de classe, já você uma ratazana histérica. — Taehyung retrucou ao que dava as costas e subia as escadas, deixando Yoongi abismado para trás. Hoseok gargalhou alto e o seguiu, enquanto o loiro algumas vezes voltava o olhar para trás para o verdinho e ria para ele.

 

— É impressão a minha ou hoje vocês estão pior que palheiro pra levar alfinetada? — perguntou Jin e subiu ao lado de Namjoon, que ainda ria da resposta do Kim mais novo.

 

Yoongi emburrou o rosto e esperou todos subirem, sendo o último. Sua vontade era de puxar aqueles pedaços de pau que Taehyung chamava de perna e o deixar cair pela escada, mas preferiu apenas se manter quieto. Quer dizer, havia ficado irritado agora, porque Kim tinha feito aquilo apenas para proteger Hoseok.

 

Não que tivesse algo para proteger, claro que não. Suga não havia feito nada, só havia brincado e mesmo assim o loiro tratou-lhe de forma rude. E isso realmente foi algo que não o agradou, porque tinha quase certeza de que isso era culpa de Hobi. Ou, quem sabe, lá no fundo, fosse sua por sempre ser tão rabugento e agora estivesse mais com essa repentina aproximação dos dois, enxergando coisas normais como anormais.

 

Mas não admitiria, claro.

 

Parou atrás de Jungkook, que continuava calado, e esperou a porta do apartamento de Hoseok ser aberta, para então todo “bonde” entrar apressado. Como ele havia acabado de se mudar não tinha muitas coisas ainda, apenas um sofá, uma estante com TV, a cozinha, o banheiro e o quarto. Hope não tivera tempo de comprar as coisas e se estabilizar, mas estava indo aos poucos e estava feliz dessa forma.

 

— Aqui é pequeno. — Suga ditou baixinho, não como uma forma de ofensiva, mas realmente inocente. E era uma verdade, o apartamento era realmente pequeno, já que J-Hope não teria dinheiro o suficiente para comprar algo muito melhor que isso, mas vivia bem e tinha um sustento muito bom.

 

Hoseok fitou Yoongi, quase preparando-se para retrucar algo usando um tom de brincadeira, todavia deixou para lá assim que viu que não havia nada rude por trás daquelas falas. Está bem que os dois realmente pareciam – por algum motivo – do nada estar em pé de guerra nesses últimos dias, mas ainda assim o sentimento de amizade e apreciar um ao outro era recíproco, mesmo com as alfinetadas.

 

— Parece um ovo de codorna. — Jungkook ditou baixo, tirando todo o foco de Suga e Hobi para si, assim como todos ali que o fitaram de forma curiosa e um tanto surpresos. Essa por culpa do silêncio quase horrendo no qual o garoto havia ficado, desde que chegaram ele não havia dado um piu e simplesmente do nada a voz dele soou rouca pelo apartamento silêncio.

 

Por alguns momentos Taehyung até achou ser um fantasma. Jungkook os fitou sem entender o porquê de tanta surpresa e deu de ombros, caminhando até o sofá e sentando sobre ele. Não que fosse anormal esse tipo de coisa, mas era que as vezes Jeon realmente assustava os outros.

 

— Cruzes, você estava tão calado que eu cheguei levar um susto, pensei que era um fantasma soprando na minha orelha. Vai se benzer, seu estranho. — Taehyung ditou baixo, arrancando risadas de todos, menos Jimin e Hoseok.

 

— Não fala isso, pelo amor de deus. — Hoseok ditou baixo, aproximando-se do amigo, que tentava ficar sério, mas também agarrou-se ao outro. Se tinha algo que Hobi odiava mais do que bater o dedinho mindinho na quina da cama, essa coisa era fantasmas e, pior que isso, os barulhos estranhos que tinha em seu apartamento de madrugada.

 

— Hoho, alguém tem medinho então? — Yoongi ditou maldoso e Hoseok o ignorou, ficando sem graça enquanto Taehyung o fitava de forma maliciosa.

 

— Psiu. — Namjoon sussurrou baixinho na orelha de Hope, que deu um pulo e um grito tão esganiçado que foi impossível todo mundo não rir. Inclusive o vizinho de baixo sequer iria precisar de um despertador novo, porque pelo berro alto que Hoseok deu, iria ecoar por pelo menos vinte dias nas paredes do prédio.

 

— Não faz isso! — respirou fundo e colocou a mão no peito.

 

— E depois a gente que é barulhento. — Taehyung ditou baixo.

 

Hoseok acabou por ficar vários minutos emburrado, mesmo depois que Namjoon se desculpou – brincando, obviamente. Aparentemente o moreno tinha realmente algum tipo de trauma com fantasmas – ou talvez fosse apenas um cagaço fora do normal – e havia odiado a brincadeira, mas no final esqueceu-se disso.

 

Sentaram todos no sofá e ali ficaram, pelo menos a poltrona era grande o suficiente para os sete – embora Jungkook estivesse esmagado no canto, mas o bom disso era que Jimin estava quase todo em cima de si. Não havia muita coisa o que fazer, além de mexer no celular e olhar para o rosto um do outro. A noite ficava mais tarde e o tédio os consumia. Pelo menos havia internet e... Bem, internet.

 

— Que tédio! — Yoongi ditou alto, bocejando tanto que saía um rio de seus olhos. Quem o visse pensaria que o garoto estava em prantos ali, mas na verdade era apenas o tédio pedindo arrego e implorando para fazer algo de útil, que no caso de Suga era dormir.

 

— Eu falei que aqui não seria o melhor lugar, pô. Acabei de me mudar, vocês queriam o quê? Um parque de diversões e o Ronald Mcdonald como atração? — Hoseok perguntou irônico e todos riram.

 

— Só se o Ronald Mcdonald for você. — Taehyung retrucou e todos gargalharam, achando aquela à pior cantada do mundo.

 

— Puta merda, Taehyung! — Namjoon ditou alto e o loiro mandou um beijinho, sentindo-se um máximo. Porém parou assim que um pé bateu contra a sua perna de leve, lhe chamando a atenção. Fitou Yoongi e esse descaradamente fingiu-se de sonso, sequer prestando atenção em outra coisa que não fosse seu joguinho – do qual já havia perdido o vício, ou quase.

 

— Que foi? — o loiro perguntou e o outro o fitou.

 

— O quê? — Suga retrucou e Taehyung revirou os olhos, cruzando os braços e jogando as costas no sofá.

 

Está certo que os dois não estavam completamente resolvidos. Kim havia se declarado, passado um tempo afastado e depois encontrou com ele no dia do parque, presenciou uma briga estranha entre o verdinho e Hobi, para no final ficar aquela tensão pairando entre os três. Uma realmente estranha e que o loiro realmente não conseguia entender.

 

E era chato, porque gostava muito dos dois – tendo um deles um pouco mais diferente –, mas ainda assim era irritante aquele clima. E ninguém parecia reparar, apenas ele. Suspirou baixo e fitou Hope, que sorriu para si. Em conseqüência escutou um bufar baixo, que quase lhe fez rir indignado. Porra, sua situação com Yoongi estava mais estranha que Jungkook e olha que o loiro não estava entendendo porra nenhuma.

 

Bem, pelo menos alguém naquele local parecia bem resolvido e feliz, e isso alegrava o coração de Tae, ao ver seu melhor amigo tão contente. Era nítido a felicidade nele, mesmo que seu rosto continuasse travado na mesma posição, era possível enxergar através de seus olhos e até mesmo reações estranhas em seu corpo, como o balançar de perna divertido e os dedos brincando um com o outro.

 

Sem dizer nas íris que brilhavam mais que um diamante. E realmente era verdade, não que fosse fácil perceber isso, raros eram o que entediam Jungkook sem ele precisar falar algo – e também quando o que ele falava –, apenas lhe vendo. Estava de verdade feliz, seu corpo todo parecia tremer, não de frio, mas um sensação gostosa e nova para si.

 

Jimin estava quase sentado sobre o seu colo, seu braço direito estava colado ao de Jeon, enquanto as peles se roçavam em uma carícia suave. Embora o ruivo quisesse dizer que era sem querer, na verdade mexia-se várias vezes, apenas para ter mais contato com o outro. E sabia que esse estava alegre, podia ver isso no rosto inexpressivo dele.

 

O mais baixo riu sutilmente, curvando-se para o lado e encostando seu nariz de leve na orelha alheia. Todos os pelos de Jungkook se arrepiaram, ao que seu corpo esquentou repentinamente, fazendo seu rosto corar como um pimentão vermelho e – agora – suas pernas se mexerem de nervosismo.

 

— Por que está tão quieto? — a voz baixa e um tanto rouca soou na orelha do mais novo, que encolheu-se mais um pouco ao sentir como se todas as suas células enlouquecessem com a voz alheia. Abriu a boca de leve, mas parecia saber que qualquer palavra que fosse sair provavelmente acabaria sendo gaguejada, então apenas jogou o corpo mais para o lado e virou o rosto, dando de ombros.

 

Jimin o fitou um pouco chateado. Jungkook havia se afastado de si? Poxa, mas eles estavam tão bem. Suspirou baixinho e balançou a cabeça. Jeon era um caso realmente complicado, quanto mais próximos ficam, mais ele parece querer manter-se afastado, para no final não ser nada disso. Tão confuso que deixava a cabeça de Park louca.

 

Jeon acabou por levar toda a sua atenção para Jimin ao escutar o suspiro dele sair um tanto pesaroso, enquanto o corpo do mesmo tentava – falhamente – afastar-se de Jungkook. O mesmo fitou o ruivo sem entender, pensando no por que esse agora tentava se afastar de si também. Havia feito algo? Estava com bafo? Mas havia escovado os dentes direitinho.

 

Abriu a boca para dizer alguma coisa, mas Park pareceu notar os pensamentos estranhos que com certeza Jeon estava tendo e que provavelmente iriam dar uma ideia errada. Por isso antes que ele pudesse dizer algo, apenas negou com a cabeça e sorriu para ele, deixando seus olhos sumirem. E isso foi o bastante para entalar qualquer palavra na boca alheia.

 

O mais novo de todos realmente adorava o sorriso de Jimin, assim como as ruguinhas que apareciam no canto por conta do eye-smile e as bochechas que empurravam os olhos para cima, fechando-os. Podia jurar que via flores brilhantes em volta dele, deixando um circulo branco bem no rosto alheio e tudo que estava fora dessa roda Jeon não conseguia enxergar.

 

O ruivo desviou o rosto, agora prestando atenção em seu amigo que fitava demais Taehyung e, quando voltou-se para o mesmo, viu Yoongi emburrado olhando para o loiro também e logo para Hope. Estranhou aquilo, quase fazendo um comentário malicioso – apenas para descontrair o clima –, todavia tudo sumiu assim que uma surpresa enorme pesou em seus ombros.

 

Aliás, não só surpresa, Jungkook também. O moreno deitou suavemente, quase evitando o toque, sua cabeça no ombro alheio, sentindo sua bochecha quase derreter levemente. Jimin o fitou rapidamente, mas desistiu de falar algo enquanto o rosto quase explodindo do moreno. Apesar riu e o deixou ficar ali, sentindo-se feliz por não ter sido renegado.

 

O que para Jungkook era algo que havia passado em sua cabeça – achando ser por sua culpa, como o problema com a água – e em um impulso fizera isso, embora não estivesse realmente ruim em estar ali, apenas estranho, como ficar ao lado de um caldeirão. Ou o caldeirão talvez fosse ele mesmo e a água fervente o seu rosto.

 

— Falando em Mcdonalds, me deu fome. Tem comida aí? — Namjoon perguntou, quebrando o silêncio mais do que chato da sala. Jin o olhou rindo enquanto Hoseok revirava os olhos.

 

— Tem miojo. — Jin fitou Hobi de forma quase ofendida, achando um absurdo ter apenas isso no apartamento.

 

— Sério? Miojo? Nem macarrão mesmo? — perguntou indignado e o outro deu de ombros, com o olhar de todos sobre si.

 

— Que foi gente? Eu moro sozinho, vocês queriam que tivesse algo gourmet aqui? É o quê, queria um Master Chef? — perguntou debochado e todos riram, enquanto Rapmon levantou do sofá.

 

— Miojo ou não, eu vou comer. Sai de casa sem comer nada. — todos o olharam em silêncio. Não pela fala, mas tentando entender o porquê dele estar usando óculos escuro à noite. Enfim, cada um com suas bizarrices.

 

O rosado andou até a cozinha, que ficava realmente próxima, mas parou já que todos estavam tão compenetrados em olhar pro seu rosto que ficou sem graça e tropeçou de leve, deixando o óculos cair no chão. No minuto seguinte tentou pegar o mesmo, mas por alguma força maior que controlava sua divina mão da destruição, o mesmo simplesmente rachou ao meio e deixou as lentes caírem ao chão. Todos observaram aquilo surpresos, ao que ele voltava para trás.

 

— Gente, acho que meu óculos meio que... Explodiu? — Hoseok olhou desesperado para Jin e apontou para Namjoon.

 

— Jin, pelo amor de deus, ele vai destruir a minha cozinha! Eu não quero morrer e também não quero passar o resto da minha vida tendo que pagar um prejuízo porque carbonizei o prédio inteiro com ele tentando fazer um miojo! — ditou desesperado, arrancando risadas de todos.

 

— Certo, deixa que eu faço que dessa vez eu vou concordar com Hobi. — SeokJin levantou e foi para a cozinha, escutando resmungos do mais alto, que xingava baixinho a todos ali.

 

— Meu deus, Namjoon é tipo o terremoto personificado na própria destruição e tudo isso na mão dele! — Taehyung ditou baixo, fazendo todos rirem.

 

— Namjoon é como uma bomba atômica ambulante, em constante explosão. — Jungkook ditou baixo.

 

— Namjoon é a bomba, não como uma. — Yoongi completou e todos riram mais.

 

— Eu estou ouvindo vocês! — o rosado gritou da cozinha, recebendo em troca um “que bom, assim já sabe a verdade” de Suga. Rap Monster voltou alguns minutos depois para a sala, soprando o miojo quente e logo o devorando com vontade.

 

— Além de bomba, também é um ogro. Cadê os modos? — Jin perguntou e deu um tapa na cabeça de seu amante, o fazendo engasgar. — Ai meu deus, desculpa! — e os tapas continuaram, só que dessa vez nas costas do mesmo.

 

— Para antes que eu vomite meu pulmão! — Namjoon pediu sôfrego, enquanto o restante do pessoal ria de seu sofrimento. — Seus sádicos, e se eu morresse?

 

— Seria uma diversão para o tédio que a gente está passando. — Yoongi jogou a cabeça para trás no sofá, retrucando.

 

— Bom saber que você estima minha vida.

 

— De nada.

 

— A gente devia fazer algo realmente, está chato! — Taehyung fez um biquinho e cruzou os braços, tendo a atenção de Suga e Hope sobre si. — É sério. Parem de me olhar, aqui tá mais parado que as aulas de Yoga que eu fazia com a minha mãe. Pelo menos eu ainda tinha algo lá né, conseguia ficar mais flexível pra faze— o loiro iria continuar com sua frase maliciosa, mas Jimin acabou cortando dizendo que ninguém ali queria saber disso.

 

— E o que vocês sugerem então? — Hoseok perguntou entediado e olhou para os seis ali presentes, enquanto esses faziam o mesmo – exceto Jeon que estava com os olhos fechados. Esse abriu os mesmos e pensou por alguns instantes.

 

O que se fazia em reuniões desse tipo? Jungkook assistia muitos filmes e todas as vezes que acontecia algo assim, envolvia bebidas e festas, mas ele não queria chegar perto de bebida nenhuma por um bom tempo. Algumas vezes aconteciam algumas brincadeiras, umas estranhas, outras que pareciam divertidas e uma que sempre parecia ser regra. O nome era algo como “verdade e desafio” ou “mentira e verdade” ou, ah, não lembrava o nome.

 

— Poderia ser mentira ou desafio? — Jeon perguntou, fitando de forma curiosa para todos. O seis o fitaram de forma confusa, enquanto riam um pouco.

 

— Você quis dizer “verdade ou conseqüência?” — Jimin perguntou, mexendo o ombro para erguer a cabeça do moreno. Esse exclamou um “ah” baixinho e concordou.

 

— Eu sempre vi isso em filmes. — seus olhos brilharam de leve. Parecia sempre muito divertido, todos faziam coisas engraçadas ou admitiam. O ruivo abriu a boca para falar algo, mas acabou rindo. Isso porque sabia que aquela brincadeira não era do tipo “mais inocente”, o que não combinava em quase nada com Jungkook.

 

— Eu não sei se— acabou sendo interrompido por um Taehyung afoito, que pulou do sofá e correu para a cozinha, logo trazendo uma latinha vazia de refrigerante.

 

— Pronto. — o loiro ditou animado. Park o fitou de cima a baixo e cruzou os braços, suspirando sem paciência.

 

— Vai mandar a gente dançar na boquinha da garrafa? — Hoseok perguntou risonho e Taehyung o fitou, fazendo uma careta engraçada. — O Jimin começa. — o ruivo fitou o amigo.

 

— Foi mal aí, mas isso combina com você, bumbum granada. — retrucou irritado.

 

— A bunda grande aqui é sua.

 

— Você par—

 

— Chega, vamos logo fazer isso ou não? — Yoongi perguntou irritado e bufou, sentando-se no chão, tendo o olhar risonho de Taehyung sobre si.

 

— ‘Bora então. — ditou divertido e logo depois fitou Jeon, que engoliu em seco. Aquele olhar estranho de seu amigo não era bom e conviveu tempo o bastante com o mesmo para saber disso. Nunca saía algo bom daquele olhar malicioso.

 

— Eu fiz algo de errado? — Jeon perguntou um pouco assustado e Jimin suspirou, apenas mexendo em seu cabelo. Logo todos fizeram uma rodinha no chão, ao que observavam o loiro colocar a latinha no meio de todos.

 

— A parte aberta é quem vai ser desafiado e a fechada é quem vai desafiar, ok? — Yoongi ditou e todos concordaram, embora Jeon não estivesse realmente entendendo muito não. Quer dizer, não sobre essa regra, mas sim todos tensos e sentados ali. — Certo, eu giro.

 

— Ah! Por que você? Eu é que peguei a garrafa! — Taehyung emburrou-se.

 

— Pegou porque quis. — Suga retrucou e antes que o loiro pudesse dizer algo, segurou logo a lata e a girou. — Não vale só verdade sempre, então uma rodada é verdade e outra conseqüência. — todos concordaram e lata parou de Namjoon para Suga. — Quê? Por que a pergunta caiu em mim? Era pra ser o contrário!

 

— Se fode aí. — Taehyung mostrou a língua para o verdinho que o remedou com a voz fina.

 

— Verdade ou conseqüência, docinho? — Namjoon fez um biquinho e Yoongi mostrou o dedo do meio para o mesmo, arrancando risadas de todos.

 

— Verdade. — ditou baixo e todos reclamaram por ele ter escolhido essa.

 

— Certo, certo. É verdade... — Namjoon pensou e acabou por se recordar de algo que escutara uma vez, logo rindo em seguida. Yoongi temeu por si no momento. — Que quando mais novo você gostou de uma garota, mas não sabia que na verdade era um homem e o chamou para sair um mês depois?

 

Taehyung soltou uma gargalhada, lembrando-se desse inédito dia extremamente triste, mas que se transformara na melhor comédia do mundo. Suga o fitou sem entender e logo para Rap Monster, franzindo o cenho ao que tentava recordar disso.

 

— Não! — respondeu indignado. — Eu não me lembro de ter gostado de um cara que se vestia mulher, isso nunca aconteceu.

 

— Ah, fala a verdade.

 

— É sério!

 

— Yoongi... — Taehyung gargalhou mais uma vez, quase chorando. — Na verdade aconteceu sim... — o verdinho olhou assustado para o amigo e o fitou de cima a baixo.

 

— Claro que não, se tivesse acontecido eu saberia! — respondeu irritado. — Para de rir!

 

— Não dá, é que... — mais uma gargalhada alta, Kim já estava quase sem ar. — É que você nunca soube que ela era homem até hoje. — Yoongi arregalou os olhos, fitando o loiro de forma horrorizada.

 

— Ela quem?

 

— Irene. — no minuto seguinte Namjoon arregalou os olhos e começou a gargalhar, não acreditando no que havia escutado. “Irene” era um garoto estranho chamado Chung Ho que havia estudado há alguns anos na escola deles, sendo ele um garoto realmente estranho que gostava de se vestir de garota quase o tempo todo, pois dizia que isso lhe fazia “abrir a mente e encenar de forma deslumbrante suas peças de teatro”. Realmente um choque.

 

— Você se declarou pro Chung Ho? Puta que pariu! — e Namjoon já não conseguia mais evitar suas gargalhadas, enquanto acompanhava Taehyung e o restante da sala que havia entendido pelo menos metade da conversa.

 

— Irene era um garoto? — Yoongi perguntou desolado, sentindo-se quase tonto ao saber disso. Era como se seu chão tivesse desabado, lhe afogando num bar de desilusões estranhas onde ele notava ser extremamente tapado. — E eu só fui saber disso agora?! — olhou para o loiro. — Por que você nunca me disse?!

 

— Eu tentei, juro! Mas você tava gostando muito dela e... — a sala inteira não conseguia mais parar de rir, enquanto o verdinho apenas se encolhia no chão e pedia para voltar ao útero de sua mãe.

 

— Eu não acredito nisso... — ditou após alguns minutos, tendo os seus amigos agora mais calmos com aquela revelação.

 

— Mas tu é muito burro... — Jimin ditou baixo e todos voltaram a rir.

 

— Cala boca! — Yoongi retrucou irritado e girou a garrafa, caindo em Jin. Todos pararam de rir, ao que ele bateu palminhas feliz por ter caído nele.

 

— Verdade! — respondeu animado e curioso com o que viria, ao que a outra ponta estava parada para Jungkook, que fitava o sorriso malicioso de Suga. O moreno pensou por alguns momentos no que perguntar, ele não tinha nenhuma dúvida por enquanto, bem, não no mesmo nível que o restante ali – o que Jin agradecia e muito.

 

— É verdade que você e o Namjoon estão namorando? — ok, talvez Jin não agradecesse tanto. O rosto do mesmo esquentou tanto que parecia uma chaleira, ao que suas bochechas ficaram vermelhas.

 

— Q-quem disse isso? — Kim perguntou envergonhado, abaixando o rosto.

 

— Hei! — Namjoon exclamou.

 

— Responde logo! — Yoongi se pronunciou.

 

— Sim... — todos levantaram as mãos para o céu e agradeceram por ele finalmente admitir. — Mas como sabem disso?

 

— Nós vimos vocês na cozinha. — Jin arregalou os olhos e exclamou um “quê?” alto, arrancando risadas dos outros. — Sejam mais discretos... — Hoseok completou sua frase, rindo baixo. O mais velho de todos acabou por esconder seu rosto no peito de seu “namorado”, enquanto esse ria sem graça.

 

— Eu ainda não pedi oficialmente... — ditou baixo.

 

— Boa sorte. — Yoongi riu, recebendo um olhar feio do amigo. Logo tratou de rodar a latinha mais uma vez, ao que essa caiu de Namjoon para Suga, arrancando um sorrisinho maquiavélico do mais alto. — Ah, puta merda, eu de novo?

 

— E aí? — o verdinho olhou para Namjoon, xingando-se mentalmente por ter caído os dois mais uma vez.

 

— Fala logo o que é para eu fazer!

 

— O Taehyung de barra de pole dance.

 

— O quê?! — Yoongi e o loiro ditaram ao mesmo tempo, olhando-se rapidamente.

 

— Você vai fazer pole dance usando o corpo do Taehyung como barra de metal. — Namjoon ditou simplista, sorrindo de forma inocente, ao que era fulminado por Suga. Fala sério, além de ter descoberto que sua paixonite platônica era uma puta farsa, agora também daria uma de gogoboy usando Taehyung para “dançar no queijo”.

 

— Tá de zuera, né? — Rapmon negou. — É sério isso? — o verdinho perguntou, logo se levantando do chão e olhando para o loiro. — Vai tomar no cu, na moral. Vem, levanta Tae, vamos logo fazer isso. — o citado se levantou, enquanto segurava o riso e parava ao lado do verdinho.

 

— Calma aí! — Jimin gritou antes de Yoongi começar seu show. — Tem que pôr a música, né? — logo enfiou a mão em seu bolso e de lá retirou seu celular colocando “Sad Girl” da Lana del Rey para tocar. Suga suspirou quase pesaroso e olhou para Park, sentindo pena daquela alma.

 

— É sério, Jimin? Sua playlist é gay pra caralho.

 

— Combina com você. — o ruivo retrucou e Yoongi bufou, virando-se para Taehyung. Esse lhe fitou com pena, enquanto ria. No minuto seguinte a música começou e o verdinho jogou-se sobre o mais alto, ao que esse soltou uma gargalhada alta. Min desceu lentamente espalmando a mão sobre a barriga do loiro, ao que esse mal conseguia respirar.

 

Estava rindo não só pela graça, mas também por nervosismo. Era estranho ter Yoongi tão próximo assim, passando mão em lugares não costumeiros e, pior que isso, fazendo aquela cara bizarra. Suga desceu até o chão e rebolou realmente muito mal, ao que subiu e virou de costas para o loiro, colocando as duas mãos no pescoço dele – quase o cegando porque bateu com o dedo no olho dele.

 

— Faz cara sexy! — Hoseok gritou e gargalhou, enquanto Suga fechou os olhos e o xingou de tudo quanto é nome, ouvindo mais e mais risadas. No minuto seguinte o verdinho parecia algum tipo de minhoca desesperada, tentando sair da terra de tanto que ondulava o corpo e se remexia segurando-se em Taehyung. E esse? Não aguentou por muito tempo e caiu no chão segurando a barriga, quase urinando nas calças de tanto rir.

 

— Esse foi o melhor dia da minha vida! — o loiro ditou alto, sendo acompanhado por mais risadas, e alguns xingamentos de Suga. Esse sentou no canto e emburrou-se, mandando todos irem tomar no, segundo suas palavras, orifício cavernoso anal deles.

 

Jungkook ainda estava um tanto quieto e, aproveitando o constrangimento de Yoongi, girou a latinha. Logo a mesma acabou por cair de Taehyung para si, tomando a atenção do mesmo na hora e o fazendo rir quase diabólico. Jeon arregalou os olhos e se afastou rapidamente, como se estivesse sendo ameaçado.

 

— Verdade ou conseqüência, Kookie? — até a voz era realmente recheada de malícia e o próprio Jungkook parecia notar isso. O loiro olhou de forma ainda pior para si e logo resvalou em Jimin, deixando claro a mensagem que instantaneamente fora captada. Se o moreno escolhesse verdade, seria obrigado a admitir alguma coisa extremamente vergonhosa sobre Jimin.

 

— Conseqüência! — ditou rápido, surpreendendo a todos, inclusive o ruivo que dera um pulo ao seu lado. Pena que Jeon não pensou muito bem na hora de escolher. O sorriso de Taehyung abriu ainda mais, ao que esse sentia-se extremamente orgulhoso por ter conseguido o que queria. Às vezes era muito fácil manipular Jungkook.

 

— Tem certeza, Kookie? — Jimin perguntou preocupado e o mesmo lhe fitou envergonhado, apenas concordando e se afastando um pouco. O ruivo suspirou, enquanto notava o olhar maquiavélico do único loiro ali presente.

 

— A sua conseqüência é... — o loiro bateu as mãos nas pernas como um tambor. — Tirar o short do Jimin com os dentes. — os olhos de Jungkook literalmente saltaram para fora, vestiram um tutu e dançaram “o lago do cisne” três vezes seguidas. O garoto mal conseguiu abrir a boca e todos já estavam exclamando “oh” pela sala, enquanto seu rosto caía no chão de tão derretido.

 

— O-o quê? Não, Taehyung, pelo amor de deus! — Jimin se encolheu no chão e se afastou de Jungkook. — Isso nem é possível! — não era apenas o outro que estava envergonhado, o ruivo mal conseguia acreditar na audácia do desafio do loiro, enquanto esse ria. Na verdade já estava há um bom tempo querendo fazer aquilo, apenas esperou a oportunidade certa.

 

— É sim, eu já fiz. — Hope respondeu rápido, atraindo olhares maliciosos para si.

 

— Ah, porra, a gente vai ter que assistir dois troncos se roçando? — Yoongi perguntou mal humorado.

 

— Se não gostou vai lá pra cozinhar ficar com a sua depressão. — Kim mais novo ditou e todos riram, enquanto o outro bufava. — Anda logo, Jungkook! Ah, com os dentes! — lembrou.

 

Jimin ainda tentou argumentar, mas acabou desistindo já que sabia que não daria certo. No final, teve de sentar no sofá e observar Jeon vir até si, sem sequer conseguir erguer a cabeça para lhe fitar. Ainda tentou dizer algo para ele, mas antes que pudesse o garotou deixou a cabeça cair e deitar em seu quadril, lhe assustando. Parecia ter desmaiado e o garoto estava tão nervoso que era capaz mesmo.

 

O coração de Jungkook batia tão imensamente forte e rápido que parecia estar tendo um ataque cardíaco. Seu rosto já não era mais da mesma cor, era como se o sangue decidisse virar sua pele, engolindo tudo. Suas mãos tremiam, estava suando mais do que de frio, seu corpo todo chacoalhava em nervosismo e sua boca secou tão rápido que parecia estar no deserto Saara. Respirou fundo e prendeu a respiração, ao que abriu a boca.

 

Jimin exclamou surpreso ao que sentiu os dentes morderem a barra de seu short, de tão mau jeito que mal conseguiu mexer o pano dali. Seu rosto parecia que iria explodir e para piorar mais ainda a situação, todos estavam olhando bem compenetrados aquela cena. Tampou o rosto com as mãos e decidiu que não queria ver aquilo, era realmente vergonhoso e olha que nem era ele quem estava fazendo.

 

O pano saiu um pouco do lugar, obrigando Park a erguer um pouco o quadril para que o ajudasse a sair. Jungkook não tinha nem forças para ficar em pé, sua cabeça estava literalmente rodando, não tinha nem foco em seus olhos. Estava quente e muito calor, mas tremia de frio e não conseguia respirar. Suas mãos nem aguentaram o peso de seu corpo que jogava no mesmo.

 

— Anda gente, vamos. A gente sabe que vocês se pegam, podem ir parando com essa ceninha aí, otários! Não somos bobos, ok? Rápido, rápido! — Taehyung ditou enquanto ria, deixando-os ainda mais constrangido. Jeon acabou voltando-se para trás e fitou o amigo de forma irritava, enquanto Park fazia o mesmo abrindo espaço por entre os seus dedos que tampavam o seu rosto.

 

Jeon não havia gostado daquela fala, aliás, não havia gostado nem um pouco daquele desafio. E ficou realmente irritado, ainda mais pela forma como Taehyung estava. Sentiu-se intimidado com aquilo e alguma coisa pareceu dar pane em seu cérebro, apagando qualquer raciocínio lógico e deixando o desespero da vergonha e da raiva falar ao mesmo tempo.

 

— Cala a boc-AH! — Jimin exclamou alto, olhando para o seu quadril enquanto grunhia de dor. Jungkook havia voltado com toda a força e mordeu sua pele, enquanto puxava quase como um cachorro raivoso seu short para baixo, e não só ele. — Caralho, vai com calma! — ditou desesperado, sentindo o dente morder sua pele, puxar seu short e, de bônus, sua cueca.

 

O desespero correu pelo corpo de Park ao que olhava o rosto de Jungkook. Esse nem abria os olhos, parecia estar quase chorando de tanta vergonha, enquanto puxava de forma realmente bruta o pano para baixo. As risadas ecoaram altas, enquanto Yoongi dizia que Jeon parecia um vira-lata cheio de fome. No final o moreno não conseguiu realmente tirar o short, já que Jimin não deixou porque não estava indo apenas o seu short, estava a cueca, sua dignidade e um pedaço de sua carne também.

 

— Chega, pelo amor de deus. — Taehyung não agüentava mais rir, puxando Jungkook e o abraçando, enquanto esse não abria nem os olhos mais de tanta vergonha, sentindo os olhos úmidos de leve. Estava tão amuado que chegava a dar pena. — Certo, desculpa. — pediu ainda rindo e abraçando o moreno. Esse continuou calado, apenas sentindo as carícias em seu cabelo. Não era para ser algo ruim, Kim realmente apenas quis preparar o seu amigo e o fazer perder aquela timidez toda, antes que algo pior acontecesse.

 

No final Jungkook acabou ficando um pouco melhor, mas desistiu de brincar e apenas ficou observando. Aquele tipo de jogo realmente não era o seu forte e maldita hora em que abriu a boca, indicando o mesmo. Acabaram por jogar mais algumas vezes, Park ficando irritado com Taehyung, que ficou irritado com Yoongi, que ficou irritado com Namjoon, que ficou irritado com Hoseok – por uma piada entre ele e Jin – que, no final, estava irritado com Jimin, tendo agora os dois melhores amigos trocando farpas.

 

— Verdade! — Hobi ditou irritado, quase tacando a latinha no amigo.

 

— É verdade que você beija mal? — Jimin perguntou debochado e arrancou risadas de todos ali. — Disseram que você parece um cachorro.

 

— E você um macaco! — Hoseok retrucou. — E eu não beijo mal, seu escroto!

 

— Beija sim!

 

— E como você sabe?

 

— Porque eu já experimentei? — Jeon fitou surpreso Jimin, que mal reparou no rosto catatônico do garoto, apenas continuava a brigar com seu amigo. Não era muita surpresa o sentimento estranho que Jungkook sentia quando Park e Hope estavam muito perto, mas esse simplesmente sentia-se horrível com isso. Porque gostava muito de Hobi e ele era o melhor amigo de Jimin, mesmo o mais novo gostando do ruivo não significava que ele tinha esse direito.

 

E por pensar dessa forma que ele ignorava as vezes em que, segundo Taehyung, sentia ciúmes. Mas foi realmente impossível não se sentir um pouco irritado e, talvez, até com inveja quando escutou que os dois já haviam se beijado. E isso foi surpresa para todos, não só a ele, mas esse foi o que menos gostou de saber disso, logo depois vinha Taehyung.

 

— Ah, não? Então prova! — Jimin falou. — Escolhe conseqüência!

 

— Tá bom, eu escolho, e aí. — bufou. — Quer que eu faça o quê?! — perguntou Hoseok, realmente irritado naquele momento. Odiava quando Park fazia essas malditas brincadeiras e, pior, havia revelado que os dois tinham se beijado. Mas fazia muito tempo, ainda assim era incomodo relembrar disso, porque era muito apaixonado por ele na época.

 

— Beija o Suga na frente de todo mundo e prova que beija bem! — tanto Taehyung, quanto Suga e Hoseok olharam em choque para o ruivo.

 

— O quê?! — os três ditaram juntos, ao que olharam um para o outro. Não, Yoongi jamais beijaria Hoseok, nem morto faria isso.

 

— Por que eu, caralho?! — perguntou irritado, quase levantando e chutando o rosto do ruivo.

 

— É, por que o Suga?! — sim, Taehyung estava quase desesperado. Não queria ver outra pessoa beijando quem ele gostava em sua frente e outra parte sua não queria ver também alguém beijando Hoseok em sua frente. Ou seja, não queria ver ninguém beijando aqueles dois, principalmente se forem os próprios fazendo isso.

 

— Vai fazer ou não, lambedor de beiços? — Park provocou e isso foi o bastante para irritar Hope. Não que ele beijasse mal, mas no dia em que havia beijado Jimin não era experiente e havia apenas brincado com o mesmo, lambendo-lhe quase a bochecha no beijo porque não queria que o mesmo fizesse isso nunca mais, já que sabia que era apenas por pena.

 

Mas agora isso feria o seu orgulho e, mesmo não sendo muito, não era algo legal. Hoseok bufou irritado e engatinhou até Yoongi, que desesperado se arrastou para trás, mas não teve tempo o suficiente já que seus ombros foram agarrados e seu corpo puxado para trás. Era bem nítida a irritação do moreno, todos podiam enxergar claramente, principalmente Taehyung que era o que tinha a visão mais privilegiada de todas, bem ao lado dos dois.

 

No minuto seguinte um silêncio se instalou no local, ao que Hoseok colou sua boca a de Yoongi. Esse arregalou os olhos, podendo ver os do moreno fecharem e os lábios macios umedecerem os seus. Acabou arfando de leve quando a boca de Hobi mexeu contra a sua, tomando-lhe em beijo realmente calmo e lento. E... Bem, tinha de admitir, ele não beijava realmente mal.

 

Todavia estava surpreso demais e assustado. Isso porque não havia sido ruim, mas também era um homem e não era Taehyung! Não que isso pesasse muito – ou quem sabe sim, já não sabia mais –, era só que ele fora o primeiro homem que lhe beijou e continuaria assim, se Jung Hoseok não tivesse lhe tomado os lábios e agora enfiasse a língua em sua boca.

 

Acabou por fechar fortemente os olhos e deixar com que a mesma vasculhasse sua boca, conhecesse sua língua. Não retribuiu de fato o beijo, mas também não o afastou. Não porque não quis, mas porque não conseguia, estava realmente pasmo, completamente em choque e mal conseguia se mexer. Alguns minutos depois os dois se separaram, enquanto Hoseok voltava irritado para Jimin e o xingava baixo.

 

Yoongi acabou por olhar para Taehyung, vendo os olhos do mesmo brilharem levemente. Não que ele estivesse prestes a chorar, não era esse tipo de brilho, era do tipo de alguém que invocava o próprio espírito de Satã e fazia um contrato com ele para que a alma de Suga estivesse agora marcada no mais puro e profundo inferno em eterno sofrimento. Quem sabe o próprio loiro pudesse encarnar lúcifer e torturar Min ali mesmo. Acabou por se encolher no canto, enquanto Taehyung basicamente lhe matava, metralhava, lhe ressuscitava e depois o assassinava de novo.

 

O Kim mais novo estava realmente agora uma pilha de ciúmes, mágoa, ódio, raiva, enlouquecido e querendo cuspir fogo por todos os seus orifícios. Carbonizar tanto Yoongi, quanto Hoseok. Sentia-se quase traído, sabia que a culpa não era exatamente deles, Hobi havia agido por impulso, mas caralho! Ele sabia que o loiro era apaixonado por Suga e esse maldito havia retribuído – em sua mente – a merda do beijo! Porra, ele estava mais do que maluco para assassinar alguém.

 

Aquilo doeu, principalmente porque foi bem em frente ao seu rosto, o que piorou tudo. Chegara a ficar com falta de ar, sentindo-se trocado e abandonado. Em sua mente ainda havia o pensamento de que Jimin havia se vingado de si pelo desafio com Jungkook, mas ele sequer parecia notar que gostava de Yoongi, ou da sua repentina descoberta de que também estava interessado em Hoseok.

 

Mas não perdia suas suspeitas.

 

E Hobi não havia reparado nisso, até olhar Kim os fitando com raiva e mágoa. O peso lhe acertou em cheio, sabendo que o loiro era há bastante tempo apaixonado pelo outro. Acabou por tentar dizer algo, mas Taehyung apenas desviou o olhar e começou a balançar a perna, mostrando sua irritação e que também não queria papo com nenhum dos dois. Os mesmos se olharam por breves instantes, corando brevemente por conta do que estava acontecendo.

 

— Oh, caiu em você Jimin! — Jin ditou alegre, tentando quebrar o clima realmente tenso e quase denso em volta dos sete ali presentes. O ruivo fitou o mais velho de todos com surpresa, notando que havia caído de Yoongi para si. Acabou por sorrir sem graça ao que sentia o olhar fulminante em si. Pois é, estava fodido. E nem podia pedir verdade já que a tinha usado em uma pergunta anterior – que fora o que acarretou a irritação de Hoseok consigo e os dois discutindo, no final aquela situação.

 

— Verdade ou conseqüência? — Jimin já rezava a deus assim que escutou a voz grave sair entredentes.

 

— Conseqüência. — bem, agora era só rezar e chorar. Yoongi já sabia que ele escolheria aquilo, afinal, era o trato. Mas apenas perguntou para deixá-lo com ainda mais medo. Falando em medo, o segundo mais medroso daquela casa era Park Jimin e usaria isso a seu favor, para o seu lindo e bel prazer.

 

— Você vai ter que invadir o colégio da gente hoje, agora. — ditou o verdinho sério, ao que o ruivo arregalou os olhos e foi acompanhado pelo restante do pessoal.

 

— O quê? Mas é onze horas da noite, nem fodendo vou entrar lá! Estão com boatos de que tem fantasma, fan-tas-ma! — sibilou, ao que ficava desesperado olhando para Suga. Esse sorriu quase de forma diabólica.

 

— Ah, você vai sim.

 

— Não vou não.

 

— Ah, você vai, Jimin. — o ruivo engoliu em seco e se afastou um pouco, negando com a cabeça.

 

— Eu não vou sozinho! — ditou desesperado olhando para os lados.

 

— Não se preocupe... — o sorriso diabólico se abriu mais, ao que um brilho maquiavélico cintilou em seus olhos enquanto mirava Hoseok encolhido no canto. — Você não vai sozinho.

 

— Não! — Hobi gritou, ficando praticamente pálido apenas em se imaginar invadindo aquele local onde trabalhava. — Eu não vou.

 

— Nem eu! — o ruivo decretou. Não, eles dois não iriam nem por um decreto invadir aquela escola onze horas da noite, não mesmo. Nem que os matassem.

 

— Ah, não?

 

— Jamais! — Hoseok e Jimin disseram juntos.


Notas Finais


LINK DO GRUPO DE FULLGÁS: https://chat.whatsapp.com/DfA8piOnUMPBKaHyipyBix

NÃO ME MATEM PELO AMOR DE DEUS ETERNO, POR FAVOR, ISSO TUDO É SÓ PRA PROGREDIR NOSSO TAEYOONSEOK CHEIROSO, CALMA!
E aí, quem gostou do nosso Kookie arrancando o short do Jimin? KKKKKKKKKKK EU TO COM PENA DELE PQ ELE TAVA QUASE CHORANDO tadim do meu bb, olha oq eu faço afu SAI ESPÍRITO TAEHYUNG DE MIM SPAKPOSAKSPOK

ME DIGAM O QUE VOCÊS ESTÃO ACHANDO MEUS AMORES, CRÍTICAS, PIADAS, XINGAMENTOS! Vou ler tudo! OBRIGADA E AMO VOCÊS! ♡ Sério, não deixem de dizer o que acharam. :>

Enfim, quem quiser ler mais coisas minhas E A NOVA FIC YOONSEOK:
Imaginário: https://spiritfanfics.com/historia/imaginario-7292156

O'Clock: https://spiritfanfics.com/historia/oclock-6619965
Let me teach you: https://spiritfanfics.com/historia/let-me-teach-you-6318692

Hanahaki: https://spiritfanfics.com/historia/a-doenca-de-hanahaki-5431616
My Only Angel: https://spiritfanfics.com/historia/my-only-angel-6034769

Como se livrar de um demônio apaixonado: https://spiritfanfics.com/historia/como-se-livrar-de-um-demonio-apaixonado-6705097
(oi @Myung-, larga as cueca da minha mule)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...