História Fúria Dos Deuses: Mágisses (Interativa) - Capítulo 5


Escrita por: e Harry__Bolt


Notas do Autor


Primeiro: Desculpa a demora!

Segundo: A imagem representa o refúgio da América

Terceiro: o nome do capítulo
"To parelthón eínai parelthón kai to méllon den ypárchei" , significa O Passado Já Passou, e o Futuro não Existe. E sim o nomes dos caps vai ser sempre em grego.

Capítulo 5 - "To parelthón eínai parelthón kai to méllon den ypárchei"


Fanfic / Fanfiction Fúria Dos Deuses: Mágisses (Interativa) - Capítulo 5 - "To parelthón eínai parelthón kai to méllon den ypárchei"

No capítulo anterior conhecemos a durona Karen e o inocente Luccas, que perderam sua a mãe de uma maneira brutal, sem muitas opções eles foram obrigados a ir para casa da madrinha deles, a mesma morava em um lugar chamado "Refúgio Da América", que era basicamente uma escola para semideuses a madrinha deles se chamava Andreia uma fada, gordinha que sempre estava a sorrir não importando a situação, é claro que Karen e Luccas não faziam ideia, que a "Dinda", deles era uma fada eles não tinham noção nenhuma que a magia, realmente existia, bem pelo menos se tratando de Karen , já que Luccas preferia sim acreditar que magia de fato existia.

— Tem certeza que é aqui Sam? — Disse o inocente Luccas a sua irmã aos perceber que eles estavam em uma floresta onde teria que que ser a casa da madrinha deles.

— Não me chame assim! E sim tenho certeza que aqui é o endereço que a mamãe deixou em casos de emergências, mas pelo visto ela se enganou ou a Dinda se mudou. — Disse ela desiludida que ela e seu irmão tivesem um lugar para dormir o que não seria um problema para ela, porém Luccas ficava doente muito fácil, então a preocupação da garota era mais pelo seu irmão.

— Eu sinto que estamos sendo observados — Disse Luccas ao sentir com sua mágia, que alguém os observava é claro que Luccas não sabia que isso se tratava de sua magia até onde ele sabia era intuição.

— Luccas não temos tempo para suas brincadeiras idiotas! Vamos arrumar um lugar para dormir.— Disse a garota ainda com menos fé que o garoto se Luccas que sempre viveu no mundo da lua não acreditava em magia a racionalista de Karen então, nem imaginava.

— Brincadeira? A morte da mamãe que eu vi também foi uma brincadeira? Então eu imploro, que essa brincadeira acabe!! — Disse ele debulhado em lágrimas, Karen conhecia seu irmão muito bem e sabia que ele mesmo sendo "frágil", não chorava por qualquer coisa.

— Eu acredito em você Luccas, de verdade eu acredito, vamos sair daqui pode ser perigoso! — disse Karen pegando seu irmão pelo braço, ela não entendia exatamente o porque mais sentia que seu irmão dizia a verdade e eles corriam perigo.

— Mas vocês já vão? Acabaram de chegar, fiquem mais um pouco por favor, Karen e Luccas. — Disse um homem com vestes pretas, um metro de altura, olhos castanhos e suas mãos tinha duas armas.

— Quem é você? Se pensa que estou intimidada pela suas armas está enganado! — Disse Karen entrando na frente de seu irmão, para proteger ele.

— Eu sou, Vladimir Casttely, o último decendente de Salem, cujo a memória não foi apagada pela asqueroso da mãe de vocês Lumém Alexia Loveres, mas podem me chamar de assasino, pois, eu serei o de vocês.

— Como sabe o nome de nossá mãe? — Perguntou Karen apavorada com conhecimento de Vladimir.

— Foi ele! Ele matou a mamãe!! — Confirmou Luccas, pois, recordará do sonho dele que havia sido esse o assasino de sua mãe.

— Olha só que o Mágisses em miniatura, já despertou seus poderes, ele tem razão eu matei a mãe de vocês e teria os matado também, se ela não tivesse protegido vocês com aquela canção idiota! Mas agora vocês não escaparam, adeus. — Disse ele disparando as duas armas, a uma delas aceitaria o peito de Karen e a outra a cabeça de Luccas os dois com certeza morreriam, mas um escudo envolveu os dois.

— Seria bem mais inteligente se você ficasse longe de meus afilhados Vladimir — Essa era a fada Andrinia, mais conhecida como Andréia, ela era meio gordinha, suas asas estavam aparetemesnte queimada, suas vestes eram um vestido bege cheio de brilho, mas a principal característica de Andréia era seu bom humor, não importava a situação estava sorrindo, além de tudo isso ela tinha um poder extraordinário, ouve uma vez que ela enfrentou os três grandes deuses e sobreviveu para contar a história.

— Merda! Andrinia, não estará sempre por perto Karen e Luccas! — Disse ele saindo correndo dali com medo da lenda que era a fada Andrinia.

Luccas e Karen ficaram felizes ao ver sua "dinda", ela ao ver eles, o tempo passou e Andréia explicou para os garotos toda a verdade, eles perceberam que a mãe deles de certa forma sempre disse a verdade porém ela distorcia os fatos, para proteger seus filhos. A esse ponto eles não tinham mais como negar que agora um novo mundo estava se abrindo para eles, Luccas se encantou com a ideia de poder explorar um novo mundo repleto de magia, já Karen ficou apreenciva, pois temia o que o futuro reservava para eles, todo o lado bom que Luccas via, Karen via oposto sempre o ruim, naquela noite Andréia e Karen tiveram uma conversa que mudaria tudo mesmo...

— Dinda, o que será de mim e do Luccas agora? — Disse a garota sabendo que eles dois nunca iriam se adaptar no refúgio da América.

— Acho que vocês dois precisam seguir a herança que sua mãe deixou para vocês, vão para o refúgio da Ásia, lá vocês encontraram a resposta, para todas as vossas perguntas — Disse a fada sorrindo

— Estou com medo dinda! Preciso ser forte para o Luccas, mas estou apavorada!!

— Ser forte é importante, mais entrar em contato com seus sentimentos é tão importante quanto, uma vez fui expulsa do campo das fadas e aquilo me destruíu, então uma pessoa me ajudou a entrar em contato com meus sentimentos, e por isso estou aqui, pois parei de temer por um passado que ja passou, é chorar por um futuro que não existe! entendeu Karen? O passado já passou e o futuro não existe, então para! De se preocupar, levante limpa a poeira e honra o nome Loveres! — Disse a fada Andrinia para sua afilhada

— Eu e Luccas, iremos atrás de nossa herança amanhã de manhã! — Disse Karen com brilho no olhar.

E assim aconteceu na manhã seguinte Karen e Luccas, estavam partido do refúgio da América e indo para o da Ásia, em busca de respostas mal sabia eles que eles só iriam achar, mais perguntas.

— Tchau, meus pequenos! Que os deuses estejam com vocês, seja forte Karen, mas não esqueça da nossa conversa tá? — Disse a fada

— Tchau dinda, não esquecerei e obrigada por tudo — disse a garota indo a frente esperando seu irmão se despedir.

— Adeus dinda — Disse o garoto abraçado ela é indo em embora, mais antes disso a fada segura a mão dele o impedido de prosseguir.

— Se sua irmã, se perder no caminho dela somente seu amor irá trazer, ela de volta então ame ela com tido seu ser, mais se necessário acabe com ela essa é sua missão! Não se esqueça disso!! — Disse a fada Andréia, e o garoto confirmou com a cabeça e foi embora com sua irmã, então um homem de terno se aproxima de Andréia e diz.

— Você acha que a profecia de meu irmão se referia a esses dois? — Disse o homem bem vestido.

— "Os gêmeos, um trará Luz e outro trevas, os filhos de uma Mágisses que foi morta em meio ressurgimento dos descendentes de Salem" essa é a profecia, é os fatos apontam para eles, eu acredito que a profecia esteja falando deles, e se não for? De quem falaria? Quem seria as trevas desse mundo? E a luz?

DiasAtuais Estocolmo,Suécia/Premiação do Nobel/

— E o vencedor do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, vai para.... Luccas Thiago Loveres, o médico que descobriu a cura para pelo menos oito diferentes tipos de câncer — Disse o representante do Instituto Karolinska de Medicina, ao entregar para o Luccas que agora já era um homem de 30 anos.

— Primeiramente eu queria agradecer por essa imensa honra, a partir dos meus 8 anos de idade me vi obrigado a se esconder atrás, de minha irmã e sinceramente achei, que ficaria assim para sempre! Mais hoje estou aqui ganhado essa grande, honra da qual eu dedico a todos os defeituosos como eu, pois, hoje eu sei que mesmo eu tendo nascido defeituoso, eu conseguir provar meu valor! — Disse Luccas em lágrimas, ao falar da honra que era receber esse prêmio, ele desce do palco e recebe um abraço extremamente apertado de Karen.

— Foi lindo, Luccas!! — Disse a Karem também em lágrimas.

— Você está sorrindo, faz tempo que não a vejo fazer isso — Disse Luccas.

— Mas meu irmão, ganhou um prêmio Nobel, não sei como expressar a felicidade que estou a sentir — Disse ela abraçado ainda mais seu irmão.


Notas Finais


Espero que tenham gostado foi de coração! Os personagens que me enviaram vão começar aparecer no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...