História Fury-Jikook - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Seventeen
Personagens Hansol "Vernon" Chwe, Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 350
Palavras 2.704
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - XXI


Jimin  queria ir até o centro de detenção e socar Min Yoongi, também conhecido como o vagabundo enfermeiro, Min Kwan. Vernon e Hoseok interrogaram Yoongi até que não aguentou mais e confessou tudo. Alguém das Indústrias Mercile o contratou para sabotar os Novas Espécies para a má publicidade que iriam ganhar. Pensaram que fazer Jungkook agir como um animal iria virar a opinião pública a seu favor.

Jungkook tinha se recuperado totalmente, mas estava muito chateado por ter perdido o controle daquele jeito. A culpa caiu estritamente sobre os ombros do vagabundo  enfermeiro por não ter moral. O NE entregou Yoongi às autoridades para ser processado por uma longa lista de crimes, mas mal consolou Jimin ou Jungkook. Yoongi quase destruiu suas vidas. Escolheu Jungkook porque estava facilmente acessível após o tiroteio. Tinha acabado de ser contratado para fazer atendimento domiciliar e subornou algumas pessoas na lista para recusarem a trabalhar para os Novas Espécies. Min Yoongi  admitiu estar curioso sobre como seria ter relações sexuais com Jungkook. Foi por isso que flertou com ele e fez a vida de Jimin um inferno. Quando finalmente percebeu que Jungkook não queria nada consigo, decidiu implementar o seu plano, enquanto Jimin tomava banho, assim esperava que ficasse louco e matasse o humano que amava. Era um esquema vicioso e que poderia ter funcionado a favor de Yoongi, mas não contava com o quão profundamente Jungkook amava Jimin.

Namjoon olhou para Jimin  e Jungkook severamente.

— Juro que ele vai ficar muito tempo preso. Prometeram que seria um exemplo. Temos que mudar totalmente nossos protocolos de segurança agora. Decidimos iniciar a escolaridade para alguns de nossos povos em enfermagem. Dessa forma, se precisarmos de ajuda, no futuro, não seremos totalmente dependentes de seres humanos para a assistência de enfermagem.

Jungkook se mexeu na cadeira e olhou ao redor do escritório de Namjoon.

— Ele disse se sabia se Mercile iria enviar outros?

Namjoon deu de ombros.

— Temos certeza de que vão tentar nos infiltrar novamente. Pelo menos não foi um ataque tão grande como os nossos médicos temiam. Nosso suprimento de alimentos e água não foi adulterado. Apenas temos que ter muito cuidado integral com os humanos. — Deu a Jimin um olhar de desculpas. — Sem querer ofender. Confio em você com a minha vida. É apenas com os estranhos que temos que ter cuidado. A partir de agora fazemos verificações completas com antecedência em todos os humanos que são permitidos passar pelas portas.

— Precisamos contar mais com nós mesmos — Jungkook concluiu. — Temos um monte de humanos trabalhando aqui. Se Mercile quer jogar sujo poderiam começar a tentar suborná-los para permitir que alguém passe pela segurança para nos fazer mal.

— Vou deixar você no comando disso. — Namjoon pareceu cansado. — Vai sempre ser uma batalha para nós, meu amigo. Haverá sempre inimigos que teremos de lidar. Esperemos que Mercile seja completamente destruída pelos processos judiciais e má publicidade. Um dia espero que não existam mais. Então, todos nós vamos ser deixados para lidar com os humanos que pensam que somos uma abominação contra a humanidade.

Jungkook suspirou.

— Não se esqueça dos empregados da Mercile presos que estão enfrentando anos de prisão. Tenho certeza de que suas famílias e amigos sentem raiva de nós. Há também aqueles que ainda estão lá fora, que evitaram a prisão. Precisamos ter cuidado com eles. Nosso povo pode identificá-los e este incidente me fez perceber o perigo que representamos para eles. Yoongi poderia ter ido atrás de nossas mulheres que o conheciam e poderia tê-las matado. Tivemos sorte que não as atacou também.

— Isso é apenas um outro medo com que vamos lutar. — Namjoon passou os dedos pelos cabelos.

Jimin olhou para o relógio.

— Hey, desculpem por ter que sair, mas tenho que ir trabalhar. As mulheres estão me esperando. Estamos fazendo uma festa de aniversário e não posso chegar atrasado.

Jungkook lentamente sorriu.

— Festa de aniversário?

Jimin levantou-se e inclinou-se para segurar seu rosto nas mãos.

— Sim. Temos presentes, um bolo, decoração, e tudo mais. Vai ser divertido.

Jungkook o  beijou. Jimin sorriu, afastou-se e acenou para os dois homens espécies.

— Bom vê-lo, Namjoon. Te vejo em casa mais tarde, Jungkook.

— Sim, você vai — Rosnou. — Você e eu temos planos agora que fui considerado completamente curado.

Calor subiu à face de Jimin quando Namjoon riu. Alguém não sabia que Jungkook foi liberado para o sexo esta manhã? Provavelmente não. Saiu do prédio para o seu carrinho de golfe. Entrou. Pescou sua chave e foi para o dormitório das mulheres. Dentro todo mundo estava excitado com a festa. Estavam dando uma festa de aniversário para uma das mulheres, prepararam tudo enquanto estava em sua turma na escola dos Novas Espécies. Jimin assumiu o comando. As mulheres tiveram a certeza que estavam em casa para gritar para a aniversariante, quando entrou na biblioteca. A pobre mulher saltou atordoada por meio metro, parecia muito confusa, mas sorriu quando percebeu o que fizeram para ela. Nunca tinha visto aquela mulher tão feliz, fazendo valer a pena cada grama de problemas que foi planejar a festa surpresa.

Após as seis horas da tarde, Jimin abriu a porta da frente da casa de Jungkook. Correu pela casa e foi para a cozinha. Tinha escondido sanduíches na parte inferior da geladeira naquela manhã após Jungkook ter ido a uma reunião de segurança. Puxou-os para fora, pegou um pouco de refrigerante, um saco de batatas fritas do armário, e foi para o quarto. Dez minutos depois a porta da frente abriu. Jimin pulou da cama e correu para o armário. Riu quando se escondeu lá dentro e esperou. Jungkook sempre o procurava no segundo que entrava na casa. Sabia que ia fareja-lo muito rapidamente e que seria divertido tentar se esconder. Park o ouviu.

Jimin tentou não rir quando a porta do armário abriu. Jungkook franziu a testa até o seu olhar lentamente percorrer em seu corpo nu. Park sorriu.

— Levou tempo para me encontrar.

— Por que você está se escondendo?

Jimin deu um passo em direção a ele.

— Pensei que eu deveria, pelo menos, fazê-lo trabalhar um pouco.

— Trabalhar para quê? — Seu foco ficou sobre o pênis do humano.

— Para mim. — Agarrou a frente de seu uniforme. — Pensei em espera na cama, mas isso era muito fácil.

Jungkook ajudou a remover seu colete e a camisa e tirou os sapatos.

— Eu gosto de facilidade.

Jimin riu.

— Você viu o piquenique que fiz? Pensei que poderíamos ficar nus, jantar juntos, e então talvez assistir alguns programas de TV. Isso soa como uma ótima maneira de passar nossa noite. — Brincou.

Os lábios de Jungkook se contrairam.

— Isso é bom. — Afastou de seu alcance para impedi-lo de tocá-lo. Abriu sua calça e a empurrou para baixo com sua cueca. As meias foram removidas em seguida. Totalmente nu e excitado, abriu um largo sorriso para Jimin. — Vamos comer. — Moveu-se para a cama.

Jimin o seguiu. Sentou-se no outro lado do colchão com as pernas cruzadas, de frente para ele, mostrando seu pênis . O olhar escuro de Jungkook estava trancado em seu colo. Respirou fundo algumas vezes e rosnou baixo no fundo de sua garganta.

— O que foi, Jungkook? Não entendi muito bem o que você disse. — Jimin permitiu seu divertimento aparecer em seus olhos quando olhou para cima.

— Nada. — Sorriu. — Isso parece realmente bom. Adoro carne assada.

— Tentei colocar tudo o que você ama na cama. — Jimin lambeu os lábios, deixando a língua passar devagar primeiro pelo lábio inferior, e depois no topo.

Jungkook olhou para sua boca. Mordeu o sanduíche, mastigou e engoliu.

— Dane-se isso — resmungou e jogou o sanduíche de lado quando se lançou para Park.

Jimin bateu suas costas na cama, rindo enquanto Jungkook o agarrava e o prendia debaixo dele.

— A única coisa que eu quero realmente comer é você.

— E o jogo?

Jungkook cheirou o seu pescoço e roçou os lábios em seu ombro.

— A única coisa que estou interessado em assistir é você. — Tocou seu mamilo, esfregando o polegar sobre o mesmo. — Estou completamente curado e planejo fazer tudo que eu quiser com você.

— Você trancou a porta da frente?

— Tranquei e vim correndo. Ainda mantenho a arma dentro da gaveta do criado-mudo também. Vou atirar em qualquer um que entre neste quarto.

Jimin raspou as unhas nas suas costas. Jungkook arqueou contra o seu corpo e rosnou.

— Calma. Não me excite muito. Não demoraria muito para eu perder o controle. Quero que isso seja bom para você também.

— Você confia em mim?

Jungkook não hesitou.

— Com a minha vida.

— Posso ficar por cima?

Surpresa cruzou as feições de Jungkook, linhas lentamente apareceram no canto de seus olhos, enquanto olhava para Jimin.

— Você quer estar por cima? Estou esmagando-o com o meu peso? — Levantou seu peito para longe do humano colocando alguns centímetros de espaço entre eles.

Jimin o puxou de volta.

— Você nunca será muito pesado. Amo sua pele tocando a minha e amo estar embaixo de você. Só quero te surpreender. — Seu olhar estudou-o atentamente. — Breeze mencionou que os machos não permitem que seus parceiros  fiquem por cima, mas quero estar. Você vai, pelo menos, experimentar para mim?

A mandíbula de Jungkook cerrou.

— Você quer eu seja submisso a você?

Jimin sorriu.

— Não. Quero que você confie em mim e deixe-me ficar por cima. Acho que vai gostar.

Jungkook revirou-se de repente até que Jimin montou nele, mas não parecia feliz por fazer isso.

— Eu te amo. Se for importante para você, então serei submisso. Posso provar que eu faria qualquer coisa para você, mesmo isso.

O sorriso de Jimin caiu. Jungkook não parecia feliz ou excitado. Realmente parecia um pouco miserável. Droga. Não teve a intenção de aborrecê-lo ou fazê-lo reagir mal. Se endireitou, colocando as pernas em ambos os lados do seu estômago. Mordeu o lábio, na tentação de fazê-lo rolar de volta para cima, mas em vez disso examinou cuidadosamente o seu corpo estendido sob o seu. Jimin se esforçou para trás sobre sua ereção, feliz de ver que estava excitado nesse departamento, e avançou para baixo para se sentar em suas coxas. Inclinou-se para frente e lambeu um de seus mamilos, puxando-o firme em sua boca, arqueando o estômago o suficiente para colocar um pouco de espaço entre eles quando o seu pau cavava em sua barriga. Jungkook ficou tenso sob Jimin e rosnou.

Jimin usou seus dentes para brincar com seu mamilo e chupava. As mãos de Jungkook agarraram seus quadris com firmeza, mas não se mexeu. Não poderia deixar de notar a maneira como seu pau endureceu ainda mais contra seu estômago.

— Jimin — Rosnou. — Já faz muito tempo desde que estive dentro de você. Não posso esperar mais. Estou tentando esperar por você, mas não sou um de seus machos humanos. Não tenho a paciência que você continua esperando de mim.

Jimin riu, liberando seu mamilo, e sentou-se. O sorriso desapareceu.

— Relaxe.

Jungkook arqueou uma sobrancelha e depois baixou o olhar para o seu e o pau de Park saindo na frente do estômago de Jimin. Seus olhos encontraram os do pequeno.

— Pareço relaxado para você?

Jimin ergueu os quadris e segurou o pau de Jungkook. Enrolou a mão em torno de seu eixo rígido e esfregou as pontas dos dedos para baixo na parte inferior do mesmo, traçando-o levemente com as unhas. Jungkook deu um grunhido gutural e suas mãos soltaram seus quadris. Estendeu a mão e agarrou a cabeceira da cama. A madeira rangeu em protesto enquanto suas mãos apertaram o cerco fortemente. Seu foco deslocou-se para eles, notou os dedos estavam brancos e seus músculos rígidos cresceram em todo seu corpo. Olhou para o espécie, pensando o quão bonito parecia. Jimin levantou até que seu ânus  foi posicionado sobre o pau de Jungkook e afundou devagar, ajustando a ele até que seus corpos estavam perfeitamente alinhados. Experimentou um intenso prazer. Adorava tê-lo enterrado profundamente dentro de si e sentir o que os seus corpos faziam juntos. Jimin estava  muito mais do que pronto para montá-lo para mostrar-lhe o quão bom ser montado podia ser. Gemeu quando levou-o mais profundo dentro de si. Cada centímetro do  pau  de Jungkook deslizou confortavelmente em sua entrada enquanto abaixou-se sobre ele até que estava totalmente encaixado exatamente onde pertencia.

Jungkook jogou a cabeça para trás e rosnou mais profundo quando a madeira se partiu. Seu olhar voou para verificar que havia quebrado uma das barras na cabeceira da cama. Jogou a madeira de lado e agarrou a outra. Seus olhares se encontraram. Isto parecia importante para Jimin e teve que admitir que estava sexy envolta sobre seus quadris. A sensação da entrada de Jimin  apertando quente, confortável em torno de seu pau deixou-o lutando contra o desejo de empurrar para dentro de Park.

— Você vai me matar.

Jimin começou a mover-se sobre ele.

— Se isso é estar morrendo, estou quase pronto — Jimin gemeu antes de se mover nele, levantou, girou seus quadris, e dirigiu com força novamente.

Jungkook soltou a cabeceira da cama e o pegou. Um de seus dedos  segurou o mamilo de Park, enquanto a outra mão deslizou entre seus corpos em movimento. Jimin jogou a cabeça para trás, gemendo alto quando Jungkook masturbou o seu pênis pulsante e inchado. Frenético, se moveu com ele ainda mais rápido, montando-o bem forte. Jungkook rosnou, empurrando seus quadris para cima no pequeno, usando seus calcanhares em cima da cama para aproveitar e bater mais profundo. Xingou ferozmente quando seu pau começou a inchar, suas bolas apertaram, e sabia que não podia segurar mais. O prazer experimentado cada vez que levava seu corpo para dentro de Jimin, combinado com os músculos de Park  apertando ao redor de seu pênis, e com o seu clímax pendente de sua mão masturbando o pau do humano era o paraíso puro. Jungkook rosnou, tentando lutar contra a ejaculação, e conseguiu adiar até que Jimin gritou o nome dele quando o enviou para além do seu limite.

Jungkook balançou sob ele, quase o tirando do lugar quando deu um impulso final para cima. Gemia alto quando gozou. Contraiu seus quadris e gemeu profundamente ao serem enviados para o céu. Jimin desabou contra o peito, os dois ofegantes. Seus braços o envolveram e pura alegria o fez sorrir. Jimin era o céu para ele. Park entrou em sua vida quando esteve no inferno, um anjo de luz do sol e da esperança, mesmo que não tinha percebido no momento porque sua atração por ele era tão intensa. Em algum lugar lá no fundo devia saber que Jimin era a outra metade de sua alma. Quase o perdeu quando estava drogado e o aterrorizou saber o quão perto chegou de ferir a única coisa que mais amava. Mesmo louco, sabia que era especial, que era importante, e nunca teria sobrevivido se tivesse morrido. Seu precioso Jimin fez a vida valer a pena de se viver. Estar com ele o colocou em perigo, mas uma vida sem ele não era vida. Não podia viver sem seu Jimin.

— Então — Park ofegava contra seu peito. — O que achou?

Todos os pensamentos escuros desapareceram. Jungkook riu.

— Vou ser submisso a você para fazer isso quando quiser.

Jimin acariciava-o.

— Achei que poderia amar isso.

— Amo tudo em você. — De repente, rolou arrastando seu corpo com ele.

Jimin olhou para ele quando suas pernas estavam em volta da sua cintura e seus braços enrolados ao redor de seu pescoço.

— Não conseguiu aguentar por muito tempo, hein?

— Quero ter certeza que você não tente se levantar.

— Estamos presos juntos. Não ousaria tentar deixá-lo até que o inchaço diminuísse. Te disse, quero fazer de você um cobertor.

— Você pode fazer isso, mas não é por isso que eu não quero que você se levante ainda.

— Você só quer me abraçar? Isso é tão fofo. — Beijou seu queixo. — Adoro quando você faz isso.

Jungkook riu.

— Não é só por isso também, mas gosto de estarmos ligados e segurá-lo é a minha segunda coisa preferida. Tenho tempo para fazer de novo. — Moveu-se dentro de Jimin, empurrando delicadamente. — Esta é com certeza a minha coisa mais favorita para fazer com você.

Jimin gemeu no prazer imediato, queria-o, mas se surpreendeu.

— Mais uma vez? Tão cedo?

Jungkook assentiu, abaixando a cabeça até seus lábios esfregarem sua garganta.

— De novo.

— Eu amo tanto você. — Jimin sussurrou.


Notas Finais


Tenho mais um capítulo pronto. 😞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...