1. Spirit Fanfics >
  2. Gajog - Família (Jikook) >
  3. Coisas que escondo

História Gajog - Família (Jikook) - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite gente!

Vocês também já voltaram às aulas?
Ao trabalho?

Força para nós!

Boa leitura!

Capítulo 10 - Coisas que escondo


Fanfic / Fanfiction Gajog - Família (Jikook) - Capítulo 10 - Coisas que escondo

Capítulo 10 Coisas que escondo

[Ele parecia perceber e aceitar minhas intenções, então parti para o beijo. Fui aos poucos beijando sua bochecha até alcançar seus lábios. E fui retribuído como nunca havia sido. A língua dele invadiu minha boca me surpreendendo e acendendo meu fogo imediatamente. O apertei tanto que cheguei a imaginar que nossos corpos iriam se fundir. Me deixei levar pela música e pela poesia contida nela. Era exatamente como eu me sentia. Eu o queria na minha vida, pois ele melhorava meus dias. Aquela era nossa música.

MinHo: - O que vocês estão fazendo? – Apontando a lanterna do celular bem nos nossos rostos. ]

Jimin (on)

Me deixei levar pela música que escutavamos e acabei dando um beijo bem caprichado em Jeon. Fizemos isso enquanto dançavamos no escuro. Só não esperávamos que MinHo iria ligar a lanterna do celular e aponta-la para nós.

MinHo: - O que vocês estão fazendo? – Apontando a lanterna do celular bem nos nossos rostos.

Jimin: - Tira essa luz daqui! – Reclamei.

MinHo: - O que vocês estão fazendo? – Insistiu.

Eu e Jeon nos soltamos. Ele foi acender a luz e eu me aproximei de MinHo que ainda estava em pé no sofá.

Jimin: - A gente estava... – Pegando o celular da mão de MinHo.

- O que a gente estava fazendo Jeon? – Passando a explicação para Jeon.

Jeon: - A gente?

- É....

- Estávamos... – Enrolando.

Jimin: - Quer saber?

- Chega de brincar!

- E você, deixa de ser curioso! – Repreendi MinHo em tom bravo.

MinHo: - Tá bravo?

Jimin: - Está vendo isso? – Perguntei ao Jeon que já estava sorrindo.

Jeon: - O que foi? – Sorrindo.

Jimin: - É culpa sua!

Jeon: - O que?

Jimin: - Ele aprendeu isso com você. – Sobre perguntar se eu estava bravo.

Jeon: - Deve ser porque você fica bravo com facilidade.

Eu não estava só bravo, como também com raiva. E acabei beliscando Jeon sobre o peito.

Jeon: - Aí! Isso dói! – Reclamou após o beliscão.

- Credo! Você tem que cortar as unhas! – Passando a mão onde eu havia beliscando.

Jimin: - Deixa de drama!

Jeon: - Não é drama!

- Está doendo! – Me fazendo arrepender.

Jimin: - Deixa eu ver! – Puxando a camisa dele.

Jeon: - Sai! Seu bruto! – Tirando minha mão de seu peito.

Jimin: - DEIXA EU VER! – Disse em tom alto enquanto puxava ele pela camisa novamente.

Seok: - Olá pessoas! – Entrando em casa.

- O que estava acontecendo por aqui? – Colocando umas sacolas no chão.

- Vocês estavam brigando?

Jimin: - Não.

Seok: - Então, por que o MinHo está com essa cara?

Jeon: - Jimin me machucou!

Jimin: - Nem foi tanto assim.

Jeon: - Feioso! – Indo para o quarto.

Jimin: - O que? – Indo atrás dele.

Seok: - Vem MinHo! Eu trouxe uma coisinha para você.

MinHo: - Eba!!! – Escutei eles conversando enquanto ia para o quarto atrás de Jeon.

Quando cheguei no quarto, Jeon já estava no banheiro. A porta não estava fechada então entrei. E o vi diante do espelho, com parte da camisa levantada, e olhando o local onde havia o beliscado.

Jimin: - Deixa eu ver?! – Em tom baixo.

Ele se virou de frente para mim com a camisa ainda levantada. E seu rosto me mostrava que agora quem estava bravo era ele. Eu havia beliscado bem sobre seu mamilo, que estava bem avermelhado.

Ah mas eu tinha pensado em uma técnica para amolecer ele. Eu ia repetir o que MinHo fazia quando eu o repreendia. Os olhinhos redondos e tristes, acompanhados do bico. E foi o que fiz. Encarei Jeon fazendo aquela expressão e pedi desculpas.

Jimin: - Desculpa?!

Jeon: - Desculpa não sara dor! – Me pagando na mesma moeda.

Eu ia berrar com ele. E até me preparei para isso, mas me controlei.

Jimin: - Mas... isso sara? – Me aproximando dele e beijando o local onde besliquei.

Ele ficou quieto esperando eu beijar seu peito. Pelo menos eu achei que ele ficaria. Mas me enganei. Jeon segurou e em meus ombros e me empurrou contra a parede. O empurrão foi forte e acabei batendo a cabeça de leve na parede. Mas é claro que eu não iria deixar por isso mesmo.

Jeon: - O que você quer? – Perguntou já me beijando.

Jimin: - Jeon, o Seok... – Sendo interrompido por um beijo.

Jeon: - Tá na cozinha. – Disse rápido voltando a me beijar.

Jimin: - Você me machucou.

Jeon: - Onde?

Jimin: - Bati a cabeça na parede.

Jeon: - Então já descontei o beliscão. – Sorrindo.

Jimin: - Não tem graça! – Fazendo drama.

Jeon: - Tem porque você fica lindinho fazendo drama. – Me abraçando e me espremendo contra a parede.

Seok: - O que vocês estão fazendo? – Aparecendo na porta do banheiro junto com MinHo.

MinHo: - Seok, eles não respondem.

Seok: - Se querem fazer suas safadezas não façam na frente do MinHo.

Jeon: - Safadeza?

- Onde está vendo safadeza aqui? – Me soltando do abraço.

Seok: - Sei. – Nos dando as costas e saindo da porta do banheiro.

- Trouxe comida.

- Venham comer! – Nos chamou.

Jeon: - Está vendo o que você fez?!

Jimin: - Eu?

- Foi você quem me beijou. – Disse em tom baixo.

Seguimos Seok até a cozinha e nos sentamos a mesa. Jeon sentou em uma cadeira em frente a mim. Resultado foi nós dois trocando olhares e Jeon me cutucando com o pé.

Seok havia trazido bolinhos com recheio de frango e umas tortas que eu não sabia o que tinha dentro, mas que estavam gostosas.

Seok: - Quando quiserem ficar a sós me avisem. E eu levou o MinHo para passear. – Avisou.

Jimin: - Não estávamos fazendo nada. – Menti discaradamente, pois já havia contado ao Seok sobre gostar do Jeon.

MinHo: - Eu quero café!

Seok: - Com leite.

MinHo: - Não. Só café!

Jeon: - Nem em sonho! - Mudando o foco da conversa.

- Café vai te deixar igual ao dia que comeu doce demais.

MinHo: - Jimin! – Recorrendo a mim.

Jimin: - Com leite. – Vendo o bico de insatisfação de MinHo crescer imediatamente.

Coloquei um pingo de café no copo dele e uma quantia generosa de leite. MinHo bebeu tudo reclamando.

Seok: - Parabéns Jeon!

Jeon: - Hã?

Seok: - Até para reclamar eles são parecidos.

Jeon: - Isso é culpa minha?

Seok: - Não. Mas boa sorte! – Se levantando e deixando louça na pia para o reclamão aqui lavar.

Todo mundo saiu da cozinha e eu lavei a louça. Quando terminei e fui para a sala também, Seok estava sentado lendo um jornal.

Jeon: - Seok virou o tiozão do jornal. – Fez graça.

- Agora falta só a cadeira de balanço. Porque o chinelo de couro ele já está usando. – Apontando para o pé de Seok.

Seok: - Fica quieto!

MinHo: - O que isso? – Sobre o jornal que Seok segurava e tentava ler.

Seok: - Um jornal.

MinHo: - Isso faz o que?

Seok: - Serve para ler.

MinHo: - Ler?

Seok: - É.

- No seu caso, olhar as imagens.

- Vem cá! – O chamando para seu colo.

MinHo sentou no colo de e ficou olhando o jornal com ele. Eles comentavam cada imagem que havja ali. Jeon e eu tentávamos ver televisão com os dois conversando em nossos ouvidos.

MinHo: - Jimin, tem um monte de fotos aqui. – Sobre o jornal.

Resolvi dar atenção ao MinHo, e olhei as imagens que ele me mostrou em uma folha do Jornal que Seok repartiu com ele.

Seok: - Eita! Escuta isso...

- Jeon?

Jeon: - Hum?

Seok: - Lembra daquela empresa de turismo que os donos morreram?

Jeon: - Sim. O que tem?

Seok: - Saiu uma nota no jornal falando que fizeram uma investigação e descobriram que eles deram um calote enorme em uns clientes.

Jeon: - Como?

- Foi a empresa?

- Eles vão falir assim!

Seok: - Pelo o que parece não foi a empresa em si. Mas sim os antigos donos.

Jimin: - Isso é mentira. – Não me contive.

É. Aquela notícia era sobre a empresa dos meus pais. Mas eles não fariam algo assim. Aquilo era mentira. Era coisa dos parentes do meu pai. Os mesmos que colocaram eu e MinHo naquele abrigo. Os mesmo que viviam de olho grande em cima da minha família.

Seok: - Você acha?

Jimin: - Uhum! – Tentando responder com mais indiferença.

Seok: - Conhece eles?

Jimin: - Não.

- Só não acho que iriam estragar anos de trabalho dando calote em alguém. Eles tinham muito mais que esse dinheiro do calote.

Seok: - Como sabe?

Jimin: - Vi nas notícias. – Menti.

Seok: - E ai Jeon? O que você acha?

- A empresa Bak turismo não é cliente lá de onde você trabalha.

Jeon: - Não sei.

- Nunca ouvi falar nessa empresa por lá.

Me levantei e fui para a cozinha. Eu precisava sair de perto deles antes que dissesse mais alguma coisa. Eu não queria falar sobre meus pais, nem sobre a familia do meu pai.

Fiquei uns minutos na cozinha me escondendo da conversa deles. Mas MinHo começou a chorar, me fazendo voltar para a sala.

Jeon: - Ele está com raiva do jornal. – Sobre o motivo do choro de MinHo.

Jimin: - Ele está cansado. – O pegando no colo.

Levei MinHo para o quarto. Lhe dei banho e o coloquei a cama. E me deitei ao seu lado.

MinHo: - Jimin?

Jimin: - Hum?

MinHo: - Está bravo com o Jeon?

Jimin: - Não.

MinHo: - Por que machucou ele?

Jimin: - Eu já pedi desculpas.

Jeon: - Estão falando de mim? – Entrando no quarto.

MinHo: - Uhum.

Jeon: - Quer que eu conte uma história? – Se juntando a nós na cama.

MinHo: - Quero!

Jeon: - Então presta atenção!

- Era uma vez um príncipe, lindo, charmoso, alto...

Seok: - Igual a mim! – Passando pela porta do quarto.

Jeon: - Não se intrometa na minha história! – Reclamou.

Jimin: - Continua!

Jeon: - Tá!

- Então esse príncipe morava em um castelo com o seu amigo bobo da corte.

Seok: - Esse era você. – Passando novamente pela porta do quarto.

Jeon: - Aaaaaah! – Se levantando para fechar a porta.

Após fechar a porta, Jeon voltou para a cama e continuou a história.

Jeon: - Só morava o príncipe e o bobo da corte no castelo.

- Até que um dia o príncipe saiu para caçar na floresta e encontrou dois garotos.

- Um mais velho e outro que ainda era bem pequenininho.

- O príncipe ficou com dó deles, porque estavam com fome e frio.

- Aí o príncipe levou eles para o castelo dele. E passaram a morar juntos.

MinHo: - Igual a gente? – Já sonolento.

Jeon: - É mesmo! Parece com nós três, né? – Se fazendo de desentendido.

- Continuando....

- O príncipe gostava muito dos dois garotos. Mas gostava de jeitos diferentes de cada um deles.

- Pelo menorzinho ele sentia um carinho e um amor enorme. Era como se aquele menininho fosse filho dele.

- Agora pelo maior dos irmãos, o príncipe sentia algo mais. O príncipe era apaixonado por ele.

MinHo: - O que é isso?

Jeon: - Apaixonado? – Vendo MinHo balançar a cabeça assentindo sobre sua dúvida.

- É quando se gosta tanto de alguém que se quer dividir a vida, a casa, a cama...

Jimin: - Ele não entende essas coisas. – Avisei.

Jeon: - Deixa eu terminar a história! – Fazendo bico.

Jimin: - Vai!

Jeon: - MinHo, o príncipe queria saber se ele podia namorar o irmão do menininho.

- O que você acha?

- Eu posso namorar o Jimin?

MinHo: - O que é namorar? – Mais sonolento ainda.

Jeon: - É fazer carinho e dar muito amor a alguém.

MinHo: - Você é o príncipe da história? – Já fechando os olhos.

Jeon: - Eu posso ser o príncipe?

MinHo: - Pode. – De olhos fechados.

Jeon: - Posso namorar o Jimin? – Repetindo a pergunta.

MinHo: - Uhum! – Balançando a cabeça de olhos fechados.

Jeon: - Obrigado. – Dando um beijinho na bochecha de MinHo que já estava dormindo.

- Ouviu né? Ele já permitiu. – Vindo para cima de mim.

- Quer namorar comigo? – Me deixando mais nervoso.

Jimin: - Será que isso está certo?

Jeon: - Você acha que não?

- Eu gosto de você. Você gosta de mim?

Jimin: - Você sabe que sim. – Tampando o rosto com a coberta por estar com vergonha e nervoso.

Jeon: - Então por que acha não está certo? – Em cima de mim tentando destampar meu rosto.

Jimin: - Não sou uma garota. – O lembrei.

Jeon: - E daí? – Finalmente conseguindo destampar meu rosto.

Jimin: - Não vai sentir falta de uma garota?

Jeon: - Está falando de que? – Me encarando.

Jimin: - Daquela moça.

Jeon: - Por que lembra dela constantemente?

- Estou começando a achar que foi você quem se apaixonou por ela.

Jimin: - Claro que não! – Fazendo cara feia.

Jeon: - Ela é irrelevante na minha vida agora. – Sendo cruel.

Jimin: - Você é mau!

Jeon: - Me responde logo!

- Quer namorar comigo? – Fazendo bico.

Jimin: - Eu quero! – Em tom baixo.

Jeon: - Não escutei. – Me fazendo repetir.

Jimin: - Quero! – Em tom mais do que na primeira vez.

Jeon: - Huuuuuuum! – Me dando um beijo na bochecha.

- Sabe o que eu quero agora?

Jimin: - Hum?

Jeon: - Um beijo. – Já encostando seus lábios nos meus.

O beijei gentilmente de volta. Mas as mãos e as atitudes dele pareciam querer mais de mim. Pois suas mãos começavam a subir sob minha camiseta, me causando arrepios.

Jeon: - Língua? Hum? – Me beijando novamente.

Uma das mãos de Jeon estava sob minha camiseta e a outra segurava meu queixo me fazendo abri um pouco a boca durante o beijo. E assim sua língua encontrava a minha me causando sensações e reações por diversas partes do corpo.

Jimin: - Não. – Terminando nosso beijo.

Jeon: - Fui rápido demais? – Com relação a sua mão sob minha roupa.

- Vou me controlar.

- É que... você é tão irresistível! – Sorrindo sem graça.

- Melhor a gente ir dormir né? – Se aconchegado ao meu lado.

Apenas assenti. Eu sentia uma vontade enorme de receber todo o carinho e outras coisas mais que Jeon queria me dar, mas ao mesmo tempo seu toque no meu corpo me deixava nervoso e apavorado pelas reações.

Me ajeitei na cama e Jeon colocou o braço sobre mim. Dormimos naquela posição.

Pela manhã, minha orelha e ombro ardiam por ainda estar na mesma posição de quando adormeci. Jeon ainda estava abraçado a mim. E sua respiração esquentava meu pescoço.

Abri os olhos um pouquinho e vi MinHo descendo silenciosamente da cama. Ele saiu do quarto sem fazer barulho. Precisávamos tomar cuidado pois ele estava aprendendo a chegar de fininho. E não demoraria muito para ele nos ver em pleno beijo.

Seok: - Jeon! – Aparecendo na porta do quarto.

Jeon: - Hum? – Com voz sonolenta.

Seok: - Me ajuda com uma coisa na cozinha.

Jeon: - Agora?

Seok: - Claro.

Jeon: - Já vai! – Se mexendo na cama.

- Vou levantar. – Me falou ao ouvido.

E eu só me lembro de ter me encolhido sob a coberta. Estava realmente fazendo frio.

Jeon se levantou e foi para a cozinha.

Jeon (on)

Seok me fez levantar cedo em pleno domingo.

Jeon: - Quer ajuda em que? – Ao chegar na cozinha coçando os olhos.

Seok: - O fio disso. – Me mostrando a sanduicheira.

Jeon: - O que tem?

Seok: - Pegou fogo!

MinHo: - E Seok apagou com o pano. – Apontando o pano de prato todo queimado.

Jeon: - Quase incendiou a casa foi?

Seok: - Exagerado!

Jeon: - O que quer que eu faça?

Seok: - Concerta!

Olhei para ele uns instantes sem acreditar que ele queria que eu emendasse o fio.

Seok: - Vai arruma!

- Eu e MinHo queremos comer um pão apertado na sanduicheira.

MinHo: - Arruma Jeon! – Me precionando.

Jeon: - Tá bom!

Arrumei o fio da sanduicheira e liguei ela na tomada já esperando um novo princípio de incêndio. Mas não. Deu tudo certo e Seok fez os sanduíches. E eu me sentei à mesa e fiquei esperando junto com MinHo.

Seok: - Não brinque com ele.

Jeon: - Hum?

Seok: - Estou falando do Jimin.

Jeon: - Não estou brincando com ele.

Seok: - E a Byeol?

Jeon: - Não conversei muito com ela. Só o básico mesmo.

Seok: - Hum! – Parando de falar.

Jimin apareceu na cozinha quando os sanduíches já estavam pronto.

Seok: - Bom dia passarinho! – Ao ver Jimin.

Jimin: - Bom dia! – Se sentando à mesa ainda de olhos fechados.

MinHo: - Passarinho?

Seok: - É.

MinHo: - Por que?

Seok: - Porque ele come pouco.

Jeon: - Mas hoje ele vai comer muito. – Colocando um sanduíche no prato dele.

Jimin: - Sabe que não consigo.

Jeon: - Consegue sim. – Falando baixinho.

- Você vai ficar muito fofo se engordar um pouquinho.

Jimin: - Não Jeon.

Jeon: - Vou colocar na sua boca como se fosse com o MinHo. – Ameaçando enfiar o sanduíche na boca dele.

MinHo: - Eu como sozinho!

Seok: - Porque você quer ficar forte, né?! – Conversando com MinHo.

Enquanto os dois conversavam eu tentava fazer Jimin comer mais.

O restante de nosso domingo foi calmo. Ficamos em casa assistindo televisão e comendo pipoca.

Quando chegou a hora de irmos dormi, ainda fiquei brincado com MinHo na cama. E Jimin até brincou com a gente também.

Jeon: - Vamos brincar de contar segredos?

Jimin: - Que brincadeira é essa?

Jeon: - É assim ó... vou te contar um segredo. – Me aproximando dele.

- Eu amo vocês! – Cochichei em seu ouvido.

MinHo: - Eu quero brincar!

- Mas... O que é segredo?

Jeon: - É uma coisa que não pode contar para ninguém.

MinHo: - Conta para mim? – Me fazendo sorrir.

Me aproximei de MinHo e também Cochichei em seu ouvido.

Jeon: - Eu amo você e seu irmão. – Cochichei o fazendo sorrir.

- Agora conta para o Jimin. – Em tom alto.

- Mas tem que ser como eu fiz.

E MinHo repetiu o que fiz cochichando no ouvido de Jimin que também sorriu.

Jimin: - Tá bom! Agora vamos dormir! – Puxando MinHo para deita-lo.

Não questionei e apenas obedeci. Porque estava com sono e se deixasse MinHo iria querer brincar mais.

Me deitei ao lado dos dois e estava quase cochilando quando meu celular. Alcancei ele na mesinha ao lado da cama e atendi sem olhar quem me ligava. E a voz da minha mãe me fez levantar rápido, já que MinHo ainda conversava com Jimin.

Jeon: - Oi, mãe! – Me levantando.

MinHo: - Mãe?

Jimin: - Shiiiu!

Jeon: - Hum?

- Aconteceu alguma coisa? – Falando com minha mãe.

MinHo: - Jeon está falando com quem?

- Ele tem mãe? – Invadindo meu ouvido embora falasse em tom baixo.

Jimin: - Shiiiu! – Tentando cala-lo.

Enquanto isso minha mãe falava sem parar no telefone e com um pouco de sorte ela não tinha escutado a voz de MinHo. Mas...

Mãe: - Eu.. escutei uma voz de criança?

Jeon: - É... deve ser a televisão.

Mãe: - Hum...

- Não está com novidade não né?

Jeon: - Não mãe.

Mãe: - Do jeito que você é não me espantaria de conhecer um neto depois de ele já estar grande.

Jeon: - Nossa! Nem sou assim! – Sorrindo.

Mãe: - Tá certo!

- Filho, liguei porque fiquei preocupada. Você não me liga faz alguns dias.

- Está tudo bem?

Jeon: - Está sim.

Mãe: - E aquele seu amigo? Ainda mora aí? – Sobre Seok.

Jeon: - Sim senhora!

Mãe: - Filhote, estou de férias!

Jeon: - Que bom!

Mãe: - Então... estou pensando em ir aí fazer umas comidinhas para você e seu amigo.

Jeon: - Não mãe. Não precisa.

- Suas férias são para você descansar. – Tentando me livrar dela.

Mãe: - Jeeeeeooooon!

- Está me escondendo o que?

Jeon: - Nada!

- Faz assim... Eu vou aí ver a senhora.

- Faz tempo que não vou aí em casa.

Mãe: - Você vem mesmo?

Jeon: - Vou mãe.

Mãe: - Tá bem!!!!

- Ainda namora aquela menina?

Jeon: - Depois a gente conversa sobre isso.

Mãe: - Está aprontando né?!

Jeon: - Já disse que não.

Mãe: - É a faculdade?

Jeon: - Indo bem. Inclusive tenho aula amanhã cedo. – Novamente querendo me livrar dela.

Mãe: - Entendi!

- Beijo amor!

- Dorme bem! E vem logo me ver.

Jeon: - Sim senhora. – Sorrindo.

Mãe: - Tchau! – Com um estalo de beijo.

Jeon: - Tchau! – Sorrindo.

- Uffa! – Desligando o celular.

MinHo: - Sua mãe não virou estrelinha?

Jeon: - Não. Ela não é uma estrelinha. – Me deitando na cama.

- Minha mãe está mais é para furacão! – Disse sorrindo.

MinHo: - Minha mãe está lá no céu. E ela brilha de noite.

Jimin: - Ela queria vir aqui? – Sobre minha mãe.

Jeon: - É.

- Mas dei um jeito nisso.

Jimin: - A gente está atrapalhando?

Jeon: - Claro que não.

- Não se preocupa com isso. – Beijando seu rosto.

MinHo: - Você beijou a bochecha dele?! – Surpreso.

Jeon: - Quer um beijo também? – Segurando seu rosto e beijando sua bochecha também.

- Vamos dormir.

Me aconcheguei novamente na cama. Logo adormecemos.

No dia seguinte, minha rotina de faculdade e estágio recomeçou. Na aula foi tudo bem.

E quando Seok e eu voltamos para a casa na hora do almoço encontramos uma bela macarronada. Estava ótimo!

Mas durante a tarde, no estágio, tive um chamado surpresa. Minha chefe apareceu na sala onde eu estava e pediu que eu fosse até a sala dela. Meus colegas de sala me olharam com cara de “ você vai levar bronca". Então já fui para a sala da minha chefe me preparando para o pior. Mesmo não sabendo o que havia feito.

Cheguei na sala da minha chefe e fiquei parado e calado em um dos cantos.

Chefe: - Senta aí!

Me sentei todo duro de nervosismo.

Chefe: - Como estão os meninos? – Me surpreendendo.

Jeon: - Estão bem!

Chefe: - Jimin melhorou? – Me surpreendendo novamente por lembrar o nome dele.

Jeon: - Sim.

Chefe: - Jeon eu não sei como começar essa conversa. – Fazendo meu coração acelerar.

- Entao vamos lá!

- Onde conheceu os meninos?

Jeon: - Por que.... – Sendo interrompido.

Chefe: - Por que do meu interesse? – Me vendo assentir.

- Conhecia os pais deles. – Fazendo minhas pernas tremerem e o suor brotar gelado.

- Fui amiga de escola da mãe deles.

- E eu queria entender.. por que eles estão com você?

- Você os conhecia antes?

Jeon: - Antes?

Chefe: - Antes dos pais deles...bem... falecerem.

Jeon: - Jimin não me fala muito sobre os pais.

Chefe: - Quando eles voltaram?

Jeon: - De onde?

Chefe: - Eles...

- Depois do funeral tentei falar com Jimin.

- Liguei e fui na casa deles, mas me disseram que eles haviam ido para a casa de um parente fora do país.

- Eu não sabia que tinham voltado.

Jeon: - Tem algo errado nessa história.

Chefe: - O que?

Jeon: - Que eu saiba, Jimin e MinHo estavam em um abrigo.

- E eles fugiram de lá.

- Quando conheci eles, estavam fracos com fome e frio.

- E MinHo estava doente.

Chefe: - Onde os conheceu?

Jeon: - Na rua.

Chefe: - Eu não acredito nisso!

Jeon: - Juro que não estou mentindo.

Chefe: - Não é Jeon.

- Eu não acredito que os próprios parentes fizeram isso com eles.

- Será que... foi tudo por causa da empresa de turismo?!

Jeon: - Hum? – Sem entender nada.

Chefe: - Sabe o casal que era dono da Bak turismo?

Me lembrei imediatamente da reportagem que Seok leu e comentamos durante o final de semana. Então era por isso que Jimin havia defendido o casal dizendo que eles não tinham dado calote em ninguém.

Cbefe: - Quero falar com o Jimin.

- Jeon?! – Me fazendo voltar a realidade.

Jeon: - Agora sou eu quem não acredito.

- Por que ele não me falou nada?!

- Eu perguntei...

- Mas não insisti. Porque sempre que MinHo ouve a palavra “Mãe” ele chora.

Fiquei calado uns instantes. Não conseguia raciocinar direito.

Chefe: - Me leva até ele.

Jeon: - Não!

Chefe: - Como assim?

Jeon: - Como vou saber que não está mentindo?!

- E se você for uma desses parentes que colocaram eles no abrigo? – Arriscando meu emprego.

Chefe: - Ele me conhece.

- Converse com ele primeiro.

- Eu espero!

- Mas não fuja. E nem os esconda de mim.

Jeon: - Posso ir embora? – Me sentindo mal.

Chefe: - Vai!

- Por favor! Faça o que eu disse.

Eu saí da sala dela tentando não socar as paredes. Queria entender tudo aquilo. E mais do que isso queria explicações de Jimin. Porque ele escondia coisas assim?

Eu não conseguia pensar direito. E passei na minha mesa e peguei minha mochila que estava pendurada na cadeira. Sai dali sem me despedir. Depois que já estava longe é que fui pensar que todo estavam imaginando que eu tinha sido despedido.

Cheguei casa cego de nervosismo. Quando abri a porta MinHo pulou na minha frente com seu “ oi".

MinHo: - Oi Jeon! – Todo sorridente.

Jeon: - Oi. – De cara fechada.

MinHo: - Está bravo? – Me vendo passar por ele sem responder.

Jimin: - Chegou cedo! – Se aproximando.

- O que foi? – Ao ver minha cara nada feliz

Jeon: - Por que não me contou sobre os seus parentes? – Em tom bravo.

Jimin: - Hum? – Me olhando com os olhos bem arregalados.


♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Primeiramente... vocês estão bem? Está todo mundo bem de saúde? Sem tristezas? Sem dores? Sem perturbações? Estão vivendo os pequenos momentos felizes e guardando as memórias boas direitinho? Espero que sim!

Eu tô na luta tentando ver o lado bom de tudo! Até das coisas ruins. Senão eu piro!

Queria apresentar minhas dolls para vocês quando as três últimas que comprei chegassem. Mas foram apreendidas pela fiscalização aduaneira. Então... uma delas era um menininho e o nome dele é MinHo. Sim! Eu homenageei a fic. Mas espero que consiga resolver tudo com a fiscalização e ele possa chegar em casa. ( A louca aqui chama as Dolls de meus meninos ou meus filhos). Bom... torçam que o MinHo e os outros dois possam chegar em casa. Torçam por mim! ♡

Meu user no instagram é kook1704 e lá praticamente só tem fotos dos meus meninos. Não vale rir da maquiagem das dolls porque não sei nem me maquiar direito. Aí as vezes treino nos rostinhos deles. Tem também as Dolls oficial da mattel. Meus sete cotoquinhos. Até minha mãe brinca com o Taehyung doll. Sério! Eu dia cheguei em casa e achei ele segurando um ursinho e não me lembrava de ter colocado o ursinho nos braços dele. Aí fui falar para minha mãe e ela me disse que estava conversando com ele enquanto eu estava trabalhando. E que colocou o ursinho nos braços dele kkkkkkkkkkl

Ok! Chega das minhas Dolls... Senão falo nisso até raiar o sol.

Ok! Hoje terminei no momento tenso. Então.... estou realizando as teorias de vocês. Kk kkk

Mas muita coisa não ficou sem nexo imediato. Exemplo.... a reportagem que Seok leu e a reação do Jimin. XD

Não vou escrever muito hoje porque estou cansada T.T

Voltei a trabalhar hoje! .. Então voltarei a escrever partes dos capítulos quando estiver na coordenação do meu trabalho kkkkkkkk Deus queira que eu tenha bastante tempo livre. Kkkk

E o Jimin evitando os beijos calientes e as mãos bobas do Jeon. Eu virgem ali. Muito eu. Kk kkk mas não enrolei tanto quanto ele.

Ódios, traumas, raivas, ameaças, xingamentos, amores, carinho e sugestões nos coments! 

Bjim gente! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...