História "Game" - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Soul Eater
Tags Asthma, Marie, Soul Eater, Steinxmedusa
Visualizações 21
Palavras 1.859
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Magia, Musical (Songfic), Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gostaria de falar que nem eu sei oq escrevi aq
Eu so taquei a musica e fui escrevendo ent perdoem a falta de sentido em algumas partes
A fanfic foi totalmente inspirada em "Asthma", da Gumi, e fecha a triologia junto com "Copycat" e "Hide and Seek". Deixarei nas notas finais tanto o link da musica como das fanfics anteriores, então... Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo Único - "Game"


Corri animada pelos corredores que sempre foram confusos pra mim daquela escola, conseguindo informações com Spirit onde seria a sala onde eu seguia dando aulas enquanto Stein continuava incapacitado. Estava razoavelmente atrasada, então abri rapidamente a porta, com força o suficiente para assustar alguns dos alunos que conversavam. Um tanto envergonhada, adentrei-a, iniciando as aulas por mais um dia. Nada diferente de minha rotina na Shibusen.
Voltando para casa, não encontrava Stein, a porta de seu laboratório trancada, como sempre. Passei por seu quarto, o procurando, vendo algumas de suas pesquisas antigas jogadas pelo chão, indicando prováveis surtos de insanidade enquanto estava sozinho. Não era a primeira vez que isso acontecia, porém era a terceira que eu me pegava as lendo em vez de apenas recolher. Nem mesmo sei por que comecei a fazer isso, talvez para entendê-lo nem que fosse um pouco.
Dia após dia, semana após semana, "eu" desaparecia aos poucos, essa "nova pessoa" tomando seu lugar aos poucos cada vez que eu adentrava o mundo daquele que eu amava, como uma "Copycat" de Stein. Pela primeira vez, em meses, eu estava... Feliz...
Abri os olhos lentamente, desfazendo o sorriso que se formara inconsientemente em meu rosto, ele estando minimamente em minha face por rever lembranças felizes em vez do inferno que eu atualmente estava. O vento frio que entrava pela janela batia em meus cortes, alguns ainda abertos, me fazendo recuar na parede, deixando escapar um gemido de dor devido ao meu corpo dolorido, a verdade batendo em meu rosto com mais força que quando destrui aquele vaso sanitário.
Nada daquilo foi um sonho. Nem mesmo Stein aproximando-se de mim ou a "brincadeira" de "Hide and Seek" com ele e aquela maldita bruxa. Por mais que eu não quisesse aceitar, minha vida agora era deles. Impedida de morrer, não sabendo o que aconteceria com minha vida no dia seguinte, temendo aqueles dois que sempre voltavam, sendo apenas um brinquedo para a diversão de ambos. Se é que alguém normal ousaria chamar isso de diversão. Não sabia o quanto minha alma seria capaz de suportar eles me quebrando e reconstruindo a cada dia.
Estendi a mão para pegar a unica coisa que me aquecia naquela sala escura onde eles me deixavam, o som das correntes ecoando enquanto eu segurava o pano manchado de meu sangue devido a dias anteriores, enrolando-me nele. Não era muito, mas deveria agradecer por tê-lo, conhecendo a "boa fama" de Medusa. Dentro do meu eu destruído pouco a pouco tanto internamente como externamente, eu sabia que deveria haver uma maneira de escapar daquele inferno. Apenas... Não sei como ainda. Só me resta esperar pela oportunidade. Mesmo que meu corpo não aguente, apodrecendo nesta "cela", eu ainda acredito na "luz".
Os dias passam. Eles me "destruiram" uma vez, e me levantei novamente. Me "destruiram" pela segunda vez, e fiz o mesmo. Dia após dia, esta é minha atual rotina: ser retalhada por um casal de sádicos. Seus sorrisos assustadores, suas risadas, seus olhares curiosos pelo meu corpo cada vez mais aberto por aquelas mãos... É dificil ter um bom sonho quando essas coisas ficam em sua mente noite após noite. Não sei quando eles vão voltar. Mas... Mesmo com tudo isso... Devo estar chegando ao meu fim. Parece que não posso voltar...
É só eu fechar meus olhos e eu vejo perfeitamente a cena. Tanto os vetores como as lâminas de prata cortando minha pele, meu sangue pingando de ambos ao redor da maca em que me prendem, meus gritos já não saindo depois de tanto forçar a garganta, e o que era pior, os lábios daquela cobra indo até os de meu (ainda) amado Stein, o que eu tanto me esforcei para ter e não consegui, tão facilmente em suas mãos. As vezes, posso até ouvir uma voz no fundo de minha mente já não tão saudável, uma voz semelhante a "dela", como se me oferessesse uma saída, dizendo calmamente "por que você não pode simplesmente acabar com a sua vida?", repetindo sempre que eles terminavam, agora eu sendo capaz de ouvi-la mais claramente. Uma vez eu tentei atender a seu pedido(?), usando um pedaço de vidro que achei jogado pelo chão, mas uma cobra como a das tatuagens de Medusa enrolou-se em mim, impedindo-o de alcançar meu pescoço.
Meus sonhos deixavam de vez de ser um refúgio para se tornarem continuações desse inferno, porém cada vez mais confusos. Sempre estavam aqueles dois, acompanhados de um líquido escuro e um trio de olhos vermelhos, as vezes com faixas estranhas ou os vetores de Medusa me puxando na direção deles, eu acordando antes que suas lâminas voltassem a encostar em mim. Eu estava perdendo minha crença na "luz".
Eles me "destruiram" uma vez, e me levantei novamente. Eles me "destruiram" pela terceira vez, mas não foi o mesmo. Ambos me encaravam, eu não estava mais "durando" como antes. Perdia minha consciencia mais rapidamente a cada dia, eles assumindo que eu estava chegando ao limite que uma pessoa suportaria após me examinarem, sabendo que eu morreria se continuassem assim. Vi ela me encarar quando desviei meu olhar em sua direção, sendo o máximo que eu poderia fazer no momento, ouvindo seu riso em seguida.

-Está querendo uma pausa? - Ela disse, continuando a rir, como se aquilo fosse uma piada.

Sairam depois disso, me deixando sozinha novamente, dessa vez por dois dias. Foi estranho, mas ao mesmo tempo pior que se eles aparecessem. Qualquer movimento minimo naquela sala me faziam crer que eles voltariam a qualquer minuto. Devido a isso, começaram a aparecer um par de sombras com vozes confusas e que eu não entendia muito bem, talvez por causa da insanidade de Asura mais forte a cada dia, dançando pela sala, a maior delas parecia sorrir enquanto me encarava, deliciando-se com meu estado, enquanto a outra parecia com pena de mim, ficando menor aos poucos.
Vez ou outra a sombra maior tentava me levar a algum lugar, puxando meu braço, algo semelhante a unhas afundando em minha pele. Era estranho sentir aquilo, por mais que não deixasse marcas, eu sentia a dor daquelas "garras" adentrando a pele de meu pulso. Não demorava muito para a menor a afastar, ela parecia querer me proteger da outra. Como se eu pudesse ir a algum lugar presa aqui com aqueles monstros. Como eles mesmos disseram... Minha vida agora é o jogo deles.
No fim do segundo dia, eles voltaram, Stein me levando para uma das macas enquanto a bruxa trazia alguns instrumentos estranhos, um liquido estranho em um recipiente de vidro entre eles. Ele sorriu me encarando enquanto me prendia, abraçando a cobra ao terminar.

-Se acha que esse é o fim, Marie...
-Estamos apenas no começo. - Ela completa, beijando novamente Stein após injetar algo em meu braço, observando aquela cena sem poder fazer nada, enquanto eu apagava.

Acordei no mesmo local de sempre, as algemas nos pulsos, porém não encontrava nenhum corte pelo corpo, seja recente ou antigo. Pela primeira vez em dias eu não sentia dor. Mas após passar tanto tempo aqui, eu sabia que não era um bom sinal. Sorri inconscientemente, lágrimas escorrendo pelo meu rosto enquanto eu examinava cada centimetro visivel de meu corpo, rindo baixo. Eles me modificaram. Me deixaram mais resistente. E minha regeneração, mais rapida. Não sei como posso continuar com isso... Não tem fim...

-Es**o de*t**i*do v*** p*r de**r*... D**ru**nd* a s** de***a, a un*** qu* ***ê a**da ma***m, s*a po**a s*n***de. - A sombra menor aparece novamente, tão pequena que caberia em minhas mãos. Senti ela segurar minha perna, movendo-a gentilmente, como se tentasse me confortar. - S**to m*i**... N*o t**ho *a*s f**ç*s pa*a *e pr*t**er "d**u*l*"... Nã* pos** f**er ma*s n**a...

A pequena sombra desaparece, a maior tomando forma acima da maca que geralmente me colocam, rindo louca, como se estivesse me retalhando junto a Stein e aquela cobra. Pouco a pouco, ela toma uma forma humana feminina, se assemelhando a uma "fusão" dos loucos que me usavam como cobaia, mexendo as pernas animada enquanto me encarava com os olhos cor de ambar de Medusa, os cabelos curtos no mesmo tom de meu amado Stein balançando junto a ela.

-Pela sua cara, consegue "me ver" agora... É uma pena, sua "Sanity" era divertida. Bem... Espero que não imagine que eu posso te tirar daqui. - Ela olha na direção da porta, sem desfazer o sorriso. - Eles estão voltando. Vão continuar mesmo depois de seu sangue secar ou sua alma se desfazer, independente do que aconteça primeiro. Estão famintos por mais, você esteve apagada por quase uma semana, não podiam fazer nada enquanto você não mostrava resultados.

O som de passos aumentava pouco a pouco, aproximando-se, a garota acenando antes de desaparecer. A porta abre, aqueles dois adentrando a sala e me olhando animados por ver que seu "experimento" deu certo. Me levantei, meus olhos sem vida encarando-os, apoiando-me na parede para manter o equilibrio. Medusa me ergueu usando os vetores, trazendo-me até a maca, sorrindo satisfeita, vendo que eu cedi a eles.

-Sim, isso mesmo, sua tola... - Olhando atrás da bruxa que me prendia novamente, vejo a garota de cabelos brancos, o sorriso em sua face identico ao da loira.
-Siga as malditas regras impostas por eles...

Sem fazer cerimonia, a loira usa os mesmos vetores que ainda serpenteavam atrás dela para abrir um corte em "Y" pelo meu peito, Stein em sua frente analisando meu interior enquanto ela continuava com cortes menores por todo o meu braço, usando um bisturi no lugar de sua magia. Era terrivelmente doloroso, mas após tantas vezes seguidas, eu esboçava cada vez menos reações, o que só os levaram a ser mais criativos. Enquanto eles me cortavam, costuravam e cortavam novamente, eu sentia algo semelhante a um líquido caindo sobre mim, como se aa insanidade do kishin estivesse me "banhando", rindo loucamente mesmo durante aquilo, fazendo seus olhares curiosos desviarem-se em minha direção. Se eu tentasse fugir agora usando esse poder, eles me arrastariam cortariam fora minhas pernas. É meu destino ficar aqui para sempre.

-Se agora este é o fim... Nós ainda estamos no começo. - A garota volta a falar, embora tenha ouvido relativamente pouco em meio ao meu riso, observando-os sem poder fazer nada naquela sala. Ignorando-me, eles voltam a sua "diversão", "devorando-me" e cantando algo que desconheço, repetindo e repetindo.

Medusa volta a usar magia, agora reparando que meus cortes se curavam mais rápido devido a insanidade mais forte em minha alma, formando uma broca e perfurando-me, vendo meus órgãos regenerando-se lentamente enquanto eu me engasgava com meu próprio sangue entre as risadas, voltando a beijar Stein, manchando tanto suas roupas como os cabelos albinos de vermelho, ignorando minha presença por poucos minutos antes de voltarem a me retalhar por horas, como se sacrificassem meu corpo e alma para Asura.

-La la la... La la la... La la la la la la la... - Cantei em uma voz fraca enquanto forçava um sorriso, tombando a cabeça para o lado enquanto aqueles loucos demonstrarem seu "amor" de sua forma unica, entre caricias e golpes, minha visão escurecendo-se aos poucos.

Minha vida é um jogo agora.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...