1. Spirit Fanfics >
  2. Game Boy >
  3. Prólogo.

História Game Boy - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


YO!
Olha eu com mais uma história pra vocês né.
NÃO, EU NÃO ABANDONEI 8 PASSOS PARA CONQUISTAR SEU CRUSH OK? AQUELA AINDA É A MINHA PRIORIDADE!!!!!

Mas eu achei a ideia bem legalzinha e não consegui me segurar, tive que postar. Ela não vai ser curta, a premissa é que seja um pouco mais longa mesmo E os capítulos vão ser longos SIM, mas esse primeiro como é apenas o prólogo eu deixei curtinho e faltando informações mesmo pq vão ser explicados nos outros capítulos ok?
Espero que gostem <3

Capítulo 1 - Prólogo.


Leiam as notas iniciais!! 

Law cruzou seus olhos com os de Luffy pela quinta vez naquele dia e a cada troca de olhares parecia ser mais extasiante. Não sabia quando exatamente, mas em algum ponto de sua existência o moreno tatuado se pegou imaginando o quão gratificante seria ver o outro trajado em um terno branco de frente para o mar, que era a sua maior paixão, dizendo-lhe “aceito” com os olhos marejados e carregados do amor mais puro que poderia existir.

Monkey D. Luffy era perfeito em todos os aspectos, seus olhos, seu sorriso, seu cabelo levemente bagunçado e até mesmo a voz infantil eram extremamente cativantes e formavam um conjunto incrível no qual Trafalgar era perdidamente apaixonado. O único detalhe que os impedia de ficarem juntos era apenas o fato de que o garoto do chapéu de palha... Não era real.

Na realidade pertencia ao universo de One Piece, onde um pequeno pirata que estica— o dito cujo Law é perdidamente apaixonado— tentava se tornar o Rei dos Piratas e a sua função era apenas auxiliá-lo nisso controlando o personagem através das fases que aumentavam a dificuldade com o passar do tempo.

Então o tatuado estava ali, de frente para a televisão, que também utilizava como monitor do seu computador, com um joystick na mão encarando os olhos ônix de seu pirata preferido e sorrindo com o sorriso que ele sempre carregava consigo, passaria as noites como qualquer outra: trancado em seu quarto jogando.

Não olhou que horas eram quando se deitou para dormir, mas estava vívida em sua mente a memória de que havia fechado a sua porta com Bepo, seu cachorro, fora do quarto e naquele momento o Husky Siberiano estava em cima de si o lambendo.

— Bepo?

Acordou meio zonzo, sentia-se nervoso sem motivo algum e resolveu que a razão para tal sintoma era apenas a grande interrogação que tinha em sua mente do por que sua porta estar aberta. Cogitou a hipótese de ser seu pai, mas ele sempre a fechava quando entrava em seu quarto e ainda sim mesmo que Bepo entrasse, o mais velho o tirava por saber que Law não gostava de sua cama cheia de pelos. Ouviu um barulho vindo do andar de baixo e franziu o cenho, seu coração estava acelerado com a imaginação de um ladrão poderia ter entrado ali e roubado algo, mas nada aparentava estar fora de seu usual com exceção de sua cadeira derrubada no chão. Levantou em um sobressalto ao ouvir mais um barulho em baixo em seguida de um leve grito, então correu até a fonte do barulho e paralisou ao ver um garoto mais baixo de si fuçando seu armário.

— Q-quem é você?

Com o susto o menor acabou caindo de bunda no chão fazendo um barulho mais alto ainda, pois levou uma panela consigo. Com a pouca luz que entrava na cozinha conseguiu observar melhor a face de quem havia invadido sua casa, inacreditavelmente aquele rosto era bastante familiar, aqueles olhos, o nariz e a cicatriz abaixo de seu olho esquerdo.

A cicatriz abaixo do olho esquerdo.

Aquele garoto era o cosplayer perfeito de Luffy, com exceção de alguns detalhes como a boca inacreditavelmente bonita e os olhos um pouco menores; era como um Luffy da vida real, mas como diabo aquele garoto havia entrado na sua casa sem motivo nenhum? Logo ele se recuperou da queda e estava de pé em frente o tatuado com um sorriso incrivelmente brilhante.

— Eu sou Monkey D. Luffy e vou me tornar o Rei dos Piratas.

Aquilo seria cômico se não fosse assustador.

— Escuta aqui garoto, você sabia que é crime entrar na casa dos outros sem a autorização deles e ainda por cima no meio da noite?

O cosplayer tombou a cabeça para o lado e seu chapéu de palha mexeu um pouco.

— Mas eu não entrei aqui. Eu tava dormindo e acordei aqui, aí deu fome e eu vim procurar comida.

Trafalgar respirou fundo tentando arrumar paciência para aquela brincadeira sem graça. Acendeu a luz da cozinha para poder enxergar melhor e soltou um sorriso fraco ao ver o quão bonito de fato aquele garoto era e o quão parecido ele era com o Luffy de seus jogos. O olhar do garoto com o chapéu de palha parou em algo atrás do dono da casa e em um segundo um pedaço de bolo se encontrava dentro da boca dele; Trafalgar sentiu quando algo passou raspando pelo seu braço direito e então viu.

O braço do garoto simplesmente esticou e não havia sido alucinação nenhuma já que conseguiu ouvir claramente o barulho do braço se chocando com o ombro.

— Que porra é essa?

E em seguida não viu mais nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...