1. Spirit Fanfics >
  2. Game lOver the History >
  3. Capítulo 14

História Game lOver the History - Capítulo 17



Notas do Autor


Oi bom dia, tarde ou noite, como estão? (Ñ sei que hora vc está lendo isso então vai td só por precaução kkkk)
Já perceberam que estou animado hoje? espero que sim.
Não vou contar spoilers mais o capítulo de hoje é +18, então por favor não leia se você for menor.
Até daqui a pouco.

Capítulo 17 - Capítulo 14


- Como você conseguiu subir?  Pergunto tentando parecer o mais natural possível.

- Esperei até que alguém deixasse a porta da recepção aberta.  Ela responde fazendo uma cara de "relaxa isso é normal".

- Super normal, o quê você quer?

- Preciso da sua ajuda.  Ela diz com uma voz triste.

- Tenho certeza que sim.  Digo com sarcasmo.

- Gary está atrás de mim...

Ela diz isso e eu paro.

Trouxe ela para dentro nos sentamos na mesa e ela me explicou toda a situação desde o início a 4 meses atrás. Coloco as mãos na cabeça e grito em voz alta.

- Porra, eu sabia que você ia entrar nessa vida. O Gary não era de brincadeira, ele era um viciado drogado que além disso se envolve com tráfico até hoje, eu te disse merda.

Dou um soco na parede que faz um barulho imenso.

- Eu devia ter te escutado e mantido distância.  Ela abaixa a cabeça falando baixo.

- Agora você não conseguiu pagar, ele e te ameaça, merda.  Leio as últimas conversas dos dois.

- Eu me transferir pra cá para tentar fugir dele mais ele conseguiu de alguma forma saber que vim para NY.  Ela tenta se explicar.

- Bem que percebi que você estava mentindo quando disse aquilo. Você está usando a quanto tempo?  Pergunto e ela se encolhe.

- Há cerca de 1 ano.

Agora eu preciso respirar para manter o controle com essa revelação mas falho miseravelmente.

- Mesmo sabendo que seu tio morreu por conta disso e que eu era contra, você usava?  Pergunto incrédulo.

- Sim, eu sinto muito.  Ela abaixa a cabeça.

Pego uma das banquetas e começo a bater com ela nas paredes. Ela percebe que estou quase saindo de mim e da um grito chamando meu nome, olho para ela e respiro tentando me controlar até que me apoio na parede e sento no chão encolhido. Ela vem até mim e se senta ao meu lado.

- Por isso aceitei ir para Washington, para que você não descobrisse, pedi para a Kátia te contar aquilo sobre mim e Doug para você ficar longe de mim.

Consigo me acalmar e fico com minhas costas retas e olho em direção ao teto tentando assimilar o que ela disse.

- Você está sóbria a quanto tempo?  Pergunto.

- Há 2 semanas e meia.  Consigo pensar quando ela chegou.

- Por isso você chegou tão diferente... Daquela forma.

Movo minhas mãos por seu rosto me lembrando do que já fizemos juntos, ela chega mais perto mas algo a faz parar então ela apenas diz:

- Você não imagina o quanto tive que lutar para que você não descobrisse, me desculpa.  Lágrimas caem do seu rosto então a abraço para conforta-la.

- Tudo bem eu vou te ajudar, somente me diz onde você está...

Pela manhã Victoria vai embora e eu consigo deitar um pouco mas... 135 minutos depois o despertador toca.

- Esqueci da Rave que merda.

Me levanto, tomo um banho e tiro minha barba, levanto e olho uma notificação.


(Fê muito obrigada)

Mando a resposta.

(Você e uma importante amiga me sinto na obrigação de te ajudar)

Ela não responde, olho uma outra que acabou de aparecer.

(Estamos passando ai)

(Ok)


Respondo e espero uma notificação até que alguém bate na porta.

Abro e a porta e Gabriela me cumprimenta.

- Oi Felipe.

- Oi Gabi, algum problema?  Pergunto porque ela aparecer para dar um oi e uma coisa rara.

- Não e só que fiquei preocupada com algumas pancadas e gritos que ouvi ontem a noite.  Ela diz e coço minha nuca.

- E um probleminha que tive ontem a noite, mas já está resolvido.  Digo mais ela aponta para minha mão que está ferida.

- Tive um round contra a parede e perdi.  Rio e ela revira o olho.

- Tá bom, se você diz eu vou acreditar, tenha um bom feriado.

- Te desejo o mesmo.  Ela sai entrando no elevador.

Volto para dentro, tomo uma água e alguém me liga, olho e vejo que e a Evy.

Desço e entro na Bentley e Becca se vira para mim.

- Você não tem carro?

- Sim mais as vezes e bom ir de carona, falando nisso cadê o Jack?

- Jack mora relativamente mais perto do evento então ele foi mais cedo a pé.

- Relativamente, esse gosta de andar.  Gargalhamos dentro do carro.


Chegando mostramos as nossas pulseiras e os seguranças nós deixam entrar, tivemos que parar algumas vezes por conta das pessoas pedindo autógrafos por conta do X24.

No meio do que parece uma feira de alimentação Jack está apoiado em um poste de iluminação.

- Tá maluco as pessoas não param de me pedir autógrafos.  Jack comenta chateado.

- Lembra o que eu te disse vai se acostumando.  Digo a ele é entramos no meio da multidão.

Chegando no meio Duke e Jones estão tocando Burner e fico todo animado.

- Quem e o próximo DJ?  Chris grita para nós.

- Pela organização e o Vintage Culture.  Steph diz abrindo o sorriso.

Evy que está na minha frente está curtindo muito e seguro sua cintura e chego perto ao seu ouvido.

- Preparada pro primeiro andar?

- Se você conseguir me aguentar?  Ela sorri então me viro e abaixo e ela sobe nos meus ombros.

- Melhorou?  Pergunto.

- Da para ver melhor.  Ela sorri parecendo que tem 16 anos.

Olho para o lado onde Chris tenta levantar Becca mas não consegue.

- Como você fez para ela subir?

- Você não vai conseguir levantar ela dessa forma, e não vai conseguir aguentar o peso dela por muito tempo.

- Então deixa.  Chris reclama e Becca faz biquinho.

- Depois que a Evy descer e eu me recuperar você sobe ok?

- Vou cobrar.  Ela diz se movendo com a música.

Consigo aproveitar muito durante as 5 horas seguintes mas o peso de Evy combinado com o Becca aumentam na parte do DJ Schoolboy então vou até a feira, bebo alguns copos de Vodca, compro um óculos e um chapéu e volto para a multidão.

Me perco mas não ligo pois o Martin Garrix está tocando Animals ou seja todo mundo fica louco, o bom e que o tempo está nublado então a bagunça e maior. Onde paro tem um grupo que todos já estão bêbados e tão fora de si que esbarram em muita gente, gerando uma confusão imensa então saio de perto o mais rápido possível, andando consigo ver um rosto e um cabelo conhecido.

- Helena.

- Oi Fê, eu tinha me perdido mas Martin Garrix começou a tocar então tive que parar.  Ela se vira ao mudar de música, passo um copo na frente de seu corpo e ela segura e vira.

- Vodca, que delícia.

- Prefiro você a vodca.  Digo e ela sorri, coloco minhas mãos na sua cintura.

- Você andou bebendo além da conta não foi?  Helena se vira ficando de frente para mim e colocando meu chapéu.

- O bom e que assim eu me solto, e tenho mais vontade de fazer isso...

Aperto a bunda de Helena e saboreio seus lábios, ela me puxa pra mais perto.

Paro de beija-la e acabo com meus olhos no telão onde uma câmera capturou a gente.

- Merda.  Reclamo.

- Uma hora ou outra ela teria que ver isso.  Helena se diverte dando tchau.

Puxo ela e vamos em direção as tendas, chegando lá encontro as outras 3 disputando o banheiro químico.

(Graças a Deus ela não nós viu)

- Olha quem eu achei perdida.  Digo e Helena fica ao meu lado.

- Quem e a próxima? Também preciso entrar.  Becca sai e Evy entra dizendo:

- A próxima e você.

Vou até uma barraca e pego um copo e Steph chega perto de mim me perguntando:

- O quê vocês estão fazendo pode acabar mal você sabe disso?  Viro para ela.

- Você viu?  Ela balança a cabeça em acordo e diz:

- Aquele cabelo chocolate em ondas e impossível de não reconhecer.

- Mas você e detalhista.  Digo e ela diz no meu ouvido:

- Naquela noite não foi só vocês que se divertiram...  Não me lembro muito daquela noite apenas alguns lapsos mas...

- Você estava atrás da porta vendo tudo não é?  Pergunto me lembrando.

- Exatamente, devo dizer que Evy e Helena tem muita sorte.  Ela diz mordendo os lábios e olhando para meu short.

- Stephanie eu te conheço para com isso, você bebeu muito não foi?

- Não custa nada tentar e sim bebi algumas.  Ela diz derrotada.

- Ainda bem porque já estava preocupado com o que você estava querendo.  Digo baixo e ela gargalha.

- Só toma mais cuidado ou posso aparecer quando você estiver fora de controle.  Engulo saliva e me levanto indo até a Evy.


- Adivinha de quem e o próximo DJ?

- Zedd?  Pergunto e ela balança a cabeça indicando negativo.

- Ookay bobinho, pela música do MX ele já está terminando.  Ela diz e olho que as outras 3 estão reunidas na barraca.

- E melhor tirar as 3 dali ou elas vão passar dessa para melhor.  Ela ri e puxamos as 3 pela galera até quase a frente palco.

O Ookay começou com Cool e a animação começou a tomar conta do corpo de Evy que estava pulando e curtindo as músicas, depois de algumas uma em particular inundou o lugar.

Eu abraço Evy e canto Fight 4 U junto com ela.


It doesn't really matter if I let you go

You always find your way right back to me

And I don't really know how to let you know

And because of you,

I'm right where I should be

So give me your love, give me your all

Because when I'm with you I can't fall

What am I supposed to do?

I'm gonna fight for you

..........


Por conta da bebida erro algumas palavras, mais Evy percebe e se diverte me provocando até que nós beijamos.

Novamente a câmera me pega mas agora ela trava e percebo o porque...

- Vocês tiram uma selfie comigo?  Uma garota pergunta já tirando as fotos.

-Vai ser difícil ficarmos sem usar alguma coisa no rosto.  Digo no ouvido de Evy no meio das fotos e ela concorda. Um homem usando máscara e chapel chega perto de nós e diz:

- Fê o próximo e o Chemical Surf.  Não entendo porque ele diz isso até que ele tira a máscara ...

- Vocês não estão me reconhecendo?  Jack diz e balançamos a cabeça e rimos.

- Tomem usem esses.

Jack nós entrega 1 óculos e uma mascara, fico com a máscara e consigo um chapéu que estava voando.

Chemical Surf toca uma música que se me lembro bem se chama: Matei o Presidente. Horas depois anoitece e quem aparece: Marshmello.

Jack e eu conseguimos chegar bem perto do frente palco, nos juntamos a Mello Gang e usamos o capacete, ficando totalmente esgotados depois de um tempo. Zedd vem logo em seguida, e depois alguns DJs novos. David Guetta vem trazendo aquela batida impossível de ficar quieto até que finalmente decidimos parar e sentar na grama para relaxar.


- Alguém sabe que horas são?  Pergunto e Chris estende o braço olhando o relógio.

- 04:01, mas nem parece.

Me estendo na grama e Becca se senta e dobra as pernas do meu lado.

- Oi Becca.

- Fê ainda não entendi muito a questão de ontem que você disse sobre esse monstro.

Explico detalhadamente e todos se juntam ao nosso redor, quando termino vejo que Jack, Evy e Steph estão dormindo.

- Foi tão demorado assim?  Pergunto e Chris me responde:

- E porque eles estavam cansados mesmo, relaxa.  Olho para a campina e vejo o tanto de pessoas sentadas e dormindo quietas em quanto do outro lado o povo está maluco ao som de Excision.

Durmo e acordo me afogando.

- Porra, qual e?

- Levanta dorminhoco tá na hora de ir.  Stephen diz me levantando com uma garrafa de água, sinto uma dor forte de cabeça efeito colateral da ressaca.

Saímos e do lado de fora comemos algumas coisas para recuperar a energia, as 11:00 saímos para minha casa. Chegamos mas não tem ninguém ou seja deitamos no tapete, no sofá e em cima do outro. Somente as 16:00 alguém resolve fazer suco desintoxicante para ressaca.

Me entregam um copo e tomo gostando do sabor de frutas misturadas, nós levantamos tomamos um banho e levo todos para casa pois viemos de Uber e o carro de Chris ficou no evento.

Levo Evy, Becca, Steph e Chris já que eles moram perto um do outro. Chego em casa e acordo Jack e também Helena, deixo Jack primeiro já que ele e o mais longe e na volta deixo Helena em casa.

- Chegamos.  Digo e ela olha para mim.

- Sim, a-a-a Fê aquela história do monstro que você contou e verdadeira?

- O quê você acha daquela noite na casa de Steph?   Digo e ela ri mas ao invés de abrir a porta ela sobe no meu colo me beijando.

- Acho que eu quero que você cumpra a aposta agora.

(Até sei o que é)

Ela aperta o botão da garagem coberta e simplesmente entro com o carro, estaciono em uma vaga e nos dirigimos ao apartamento.


- Minha casa sua casa.  Ela diz ao entrar, olho em volta e não percebo muitas coisas caras como imaginava, mas uma cor chamou minha atenção de um jeito que fui até aquele cômodo enquanto Helena foi até a cozinha.

O quarto e quase ao sonhos que tive a começar pela cor bege, a cabeceira da cama e o guarda roupa de carvalho e as janelas transparentes que é impossível não acordar com o sol no rosto pela manhã, com cortinas Blackout Marrons. Entro e me sento na cama Queen Size olhando ao redor até que ouço um sussurro:

- Gostou do quarto de hóspedes?  Olho para meu lado esquerdo e vejo Helena sentada.

- Bonito quarto.

- Taylor decorou e preparou esse apartamento para mim, claro que já arrumei várias coisas.  Ela me explica e volto a analisar o quarto até que novamente ela sussurra:

- Queria saber o que está pensando.  Viro o rosto devagar olhando para a mulher do meu lado cheia de desejo.

- No que podemos fazer aqui.

Como se o que eu disse fosse o botão "START" ela me empurra se senta e se inclina sobre mim beijando minha boca. Tiro sua roupa deixando sua pele rosada a mostra. Dou chupadas em seu pescoço e ela me provoca com mordidas no lóbulo da minha orelha.

Em alguns minutos estamos nus e dando prazer um ao outro até que ela começa a me provocar mais ousadamente me lembrando uma pessoa...

(Karen)

Ao me lembrar dela percebo que seus métodos são iguais mas não consigo me concentrar porque estou em uma guerra enorme com meu consciente pelo controle da minha mente...


Capítulo 15, Life 2

Percebo que Felipe está em uma guerra interna pois sua íris o denúncia.

"... quando seus olhos começarem a escurecerem saindo do castanho para um leve tom cinza e porque ele esta no limite..."

Foi o que Karen disse e o que está acontecendo agora mas ele ainda luta com tudo ou seja plano B...

"... já aconteceu dele conseguir não se soltar para isso basta você puxar o cabelo estando com seu membro entre sua bunda..."

Me posiciono como ela explicou realmente um sorriso sádico toma o seu rosto e na luz o castanho parece cinza.

- Ok Helena já que você quer tudo de mim você terá...

Me posiciono em cima de seu membro colocando-o dentro de mim, uma sensação maravilhosa me consome ao ver que tenho Felipe Rodrigues ao meu controle.


- Vou me mexer agora.  Ela diz e fico surpresa pela estocada lenta e funda em meu interior, aos poucos ele aumenta o ritmo até que depois de não sei quanto tempo me sinto mole então percebo que perdi meus sentidos por alguns segundos.

(Como ele fez isso? Só sei que preciso mais)

Meu corpo inconscientemente da minha vontade se mexe o deixando ainda mais excitado.

Ficamos nisso de provocar um ao outro até ele jogar a 5° camisinha fora após tomarmos um banho, deitamos um de frente para o outro. Aparício seu queixo e percebo sua íris voltar ao normal a medida que suas pálpebras fecham, ele dorme calmamente e beijo sua testa e também caio no sono com a promessa que ele me fez voando em minha mente...



Notas Finais


Não é fácil fazer um POV feminino quando se fala de sexo.
Pelo menos consegui é o que importa.
Uma coisa... vou reduzir os tópicos para apenas 2, está ficando muito extenso e cansativo fazer. (Podem me chamar de preguiçoso kkkkkk)

1. Gary.
Agora sim a história vai ficar tensa, os próximos capítulos prometem bem mais detalhes sobre ele. Esperem com paciência ok?

2. Helena com a ajuda da Karen??
Eu tinha dito que a Karen voltaria a aparecer, exato as duas se juntaram.
Coitada da Evy.

Obrigado a todos que estão lendo a história. @CoisaInusitada está bastante atarefada então está sendo uma história solo, mais em breve esperem pela volta dela.
Uma boa semana para todos e até próxima sexta.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...