História Game Of Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tom Hiddleston
Personagens Tom Hiddleston
Tags Elizabeth Debicki, Empresaria, Intimidade, Italia, James Mcavoy, Michael Fassbender, Mulher, Paixão, Sexo, Tom Hiddleston
Visualizações 49
Palavras 4.669
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


para o momento em Giovanna está conversando com Heldor sobre Michael, coloque a música JED KURZEL - THE CREED

Capítulo 1 - Poder e destino - cap 1


Fanfic / Fanfiction Game Of Love - Capítulo 1 - Poder e destino - cap 1

O cheiro do café se espalhava por todo meu apartamento, quase 7 da manhã e eu estava no banho para mais um dia de trabalho, um banho quente e relaxante sempre me fazia bem, deixe eu me apresentar à vocês .

      Me chamo Giovanna Bianucci , tenho 25 anos e sou natural de Verona, Itália. Moro em Londres a exatamente 17 anos, após a separação dos meus pais, escolhi vir morar com meu pai, ele sempre quis que eu tomasse conta dos negócios da família então fui praticamente programada para isso, sou formada em administração executiva em Cambridge e estou a frente como diretora e acionista master da nossa empresa de gerenciamento de atores e atrizes britânicos, a Hamilton Hodell. Meu pai resolveu se aposentar e voltar a morar na itália e eu tomei frente dos negócios da família aqui em londres, às vezes é muito complicado, os outros acionistas são homens que não aceitam o fato de uma “menina” de 25 anos ser a ponta de frente de uma empresa que á anos é gerenciada por homens mas eu me imponho e eles baixam o cabeça, com muita raiva, eu sei. Sou britânica de corpo e alma, o sangue italiano quase sempre fala mais alto, meus trejeitos e costumes não saíram de mim. Moro em Chelsea em frente a marina, um bairro luxuoso e repleto de famosos, grande maioria nossos clientes na Hamilton, levo cerca de 30 minutos até a agência que fica na Golden Square. Eu não preciso estar fisicamente na empresa mas gosto de ver tudo e estar lá pra resolver pequenas coisas, como meu pai diz “o olho do dono que engorda o gado” . Saí do banho e me vesti, fui diretamente a cozinha tomar meu café, forte e sem açúcar, apenas um pouco de chantilly em cima, comi uns dois biscoitos e me preparei pra sair, desliguei minha cafeteira e fui até meu quarto terminar de me arrumar. Passei somente um blush e um batom nude, peguei minha valise, a chave do meucarro, o celular e sai.

    O trânsito estava bom, cheguei no tempo exato sem mais delongas. Heldor, o vallet da empresa estava a me esperar como todos os dias de manhã mas hoje o sorriso não estava no seu rosto como de costume. saí do carro com minhas coisas e entreguei a chave a ele, “Bom dia senhorita Giovanna” eu prontamente o respondi “Bom dia Heldor, que cara mais abatida… claramente aconteceu algo, o que foi?” ele baixou a cabeça, olhou pra mim com os olhos cheios de lágrimas e falou “ o pequeno Michael não está bem, tivemos mais uma noite complicada com ele” , Michael tem 4 anos de idade, eu amava aquela criança com todo meu coração, quase toda semana Melinda ia buscar Heldor com ele e eu sempre tirava alguns minutos do meu dia para brincar com ele, além de meu funcionário, Heldor era um ótimo amigo e conselheiro, está na Hamilton a anos e meus pais sempre tiveram um carinho especial por ele, ele é aquele funcionário que veste a camisa de verdade e está disposto a tudo, é cordial e polivalente com todos. Eu o encarei por alguns segundos e disse “ Bom, acho melhor você sair mais cedo hoje, passe na minha sala na hora do almoço tudo bem?” ele assentiu com a cabeça e foi levar meu carro para a minha vaga no estacionamento. Entrei no hall de entrada e as duas recepcionistas estavam conversando e vendo algo no celular, elas demoraram 10 segundos para me notar em pé no balcão, as duas com olhar embaraçado me olharam e disseram em uma só voz “Bom dia senhorita Giova…” “Se fosse a Meryl Streep ela já sairia daqui falando mal da minha empresa e super incomodada, esperam a hora do almoço para mostrar coisas no celular, isso aqui não é uma lojinha de café.” virei me e saí andando com muita raiva, o supervisor delas com certeza iria ouvir um pouco de sermão hoje. Entrei no elevador e fui para minha sala que ficava no 6° andar, o elevador dá direto a minha recepção onde minha secretária particular e melhor amiga desde a faculdade, Louise fica sempre atenta, com sorriso no rosto recebi seu bom dia, ela levantou e foi logo atrás de mim em meu escritório “Eu acho que você deveria deixar seu cabelo crescer Gio, como na época da faculdade” , sentei em minha cadeira e disse “bem que eu queria mas não consigo, é tão simples ele cabelo curto, você não tem ideia! O que temos para hoje sem ser a reunião com Daniel Craig ?” , ela sentou de frente para mim com alguns papéis na mão e me bombardeou com informações “ Tem um almoço com Kevin Scott sobre o novo projeto com a RADA, tem que ir no escritório do Kenneth Branagh falar sobre a peça que ele quer fazer no DONMAR WAREHOUSE na qual a senhorita vai financiar, Bobby está na escócia, diz que tem uma surpresa pra você e me disse que volta amanhã, ele tá bem puto que você não o responde e disse que irá dar o vibrador pra outra pessoa (nós duas rimos) e o pior, recebi estes papéis do financeiro que precisam ser revistos por você e seu pai, tem pessoas que estavam na lista de cortes a 3 meses e ainda estão aqui fora empreendedores em débito.” “ Ai caramba, vamos lá, confirme o almoço e tente adiantar para as 11, vou ligar pessoalmente o Kenneth e marcar o horário, Bobby é um idiota, só liga quando não posso atender, sobre a papelada de cortes, eu não poderei resolver isso com meu pai por skype, vou a itália sábado e resolvo com ele lá, faça cópias para você e deixe esses aqui, ahh , ligue para George (gerente de operação) e mande ele dar um esporro no supervisor de recepção, aquelas meninas estão me tirando do sério. Peça para liberarem o Heldor o mais rápido possível e preciso dele na minha sala em 40 minutos.” Loui levantou e saiu, abri meu notebook e comecei a organizar minhas coisas, estava no meio da ligação com Kenneth quando Heldor apareceu em minha sala, fiz sinal para ele entrar enquanto ainda falava ao telefone, ele ficou em pé na porta até eu ainda com sinais mandei ele sentar, não me demorei ao telefone e assim que desliguei me direcionei a Heldor, “ Desculpa mas era uma ligação importantíssima.” ele sorriu e me respondeu “ Não precisa se desculpar, sei como sua vida é atribulada.” um silêncio de 5 segundos percorre a sala até que falei “bom Heldor, me diga o que está acontecendo com o pequeno Michael.” Heldor respirou fundo, segurou as próprias mãos em sinal de nervoso e com um imenso pesar na voz começa a falar, “ Bom, já faz um tempinho que ele estava doente e meio fraquinho, Mel e eu fomos a uma consulta ontem à tarde e …” ele interrompe a fala, eu permaneço em silêncio apenas o observando, ele respira fundo e continua “ então, descobrimos que ele está com leucemia.” um frio se instala por todo meu corpo, meu coração aperta e meus olhos se enchem de lágrimas que tento prender para não piorar a situação, heldor é tomado pela emoção e já chorando continua a falar “ Eu não sei o que fazer Giovanna, meu filho, meu pequeno príncipe. ele tem apenas 4 anos, não sabemos se vai suportar, o tratamento é absolutamente caro e pela saúde pública demora meses para liberar, teremos que levar ele a vários hospitais, a quimioterapia teremos que pagar metade, procurar doador de medula, eu não sei o que fazer, melinda está sozinha o tempo todo, ela está esgotada…!” suas lágrimas se misturam com soluço e eu já não controlo mais as minhas, levanto de minha cadeira e vou ate ele, pego na sua mão, ele levanta e nos abraçamos. eu mal posso acreditar no que acabei de ouvir, o Michael era como o mascote da Hamilton, sempre que vinha arrancava sorriso de todos, inclusive de alguns de nossos clientes, sempre alegre e saltitante como uma criança deve ser. depois de alguns minutos abraçada, consolando e chorando junto com Heldor nos soltamos, fui até a mesa de canto pegar um copo de água para nós dois, respirei fundo e então falei “ Vai ficar tudo bem, vamos fazer o seguinte, você vai se afastar pelo tempo que precisar, não se preocupe com seu salário e sua bonificação, vai receber assim mesmo, cobrimos você tranquilamente, o tratamento de Michael está pago, não percam tempo indo até hospitais públicos, eu irei pagar tudo, meu pai tem um amigo italiano, excelente oncologista e pediatra, vou ligar pra ele e tomaremos conta de tudo. nem ouse negar, nem ouse abrir a boca para falar que não.” ele sorri e fala “ mas como vou lhe pagar tudo isso de volta Giovanna? somos fudidos e você sabe disso…” eu complemento “ não lhe pedi nada de volta, eu quero o Michael bem, você sabe o quanto amo seu filho… Não tem mais discussão nem conversa. Ao sair daqui vá direto ao RH, estou avisando a George, fique tranquilo que não entrarei em detalhes.” “meu deus Giovanna, muito obrigada. eu não sei como agradecer, vá a minha casa visitar ele, ele vai amar sua visita!” eu sorri para Heldor e o abracei novamente “com certeza vou, pode ir pra casa cuidar do príncipe.” Heldor me agradece mais uma vez e sai. eu fico um tempo em pé na sala tentando digerir aquela notícia, me pegou realmente de surpresa, fui ao banheiro dar um jeito no meu rosto e me preparar para o almoço com o pessoal da RADA, antes de saí liguei para George diretamente e dei as ordens do que fazer com Heldor, ainda resolvi algumas coisas no notebook e interfonei para Loui “Peça pra preparar meu carro, estou descendo em minutos.” peguei meu celular e os documentos e sai.

Ao chegar na recepção percebo uma pequena confusão fora do comum, dois seguranças estavam ao lado de um rapaz, as recepcionistas e George no balcão explicando algo ao mesmo rapaz, cheguei sorrateiramente próximo a George e ele me fala “Este rapaz insiste em vê-la, ligamos para Louise e a mesma diz que ele não tem hora marcada.”, eu o olho dos pés a cabeça e ele se vira para mim, o olhar dele é tão intenso que gelou todo meu corpo, um frio na barriga me atinge, ele está com um casaco preto e jeans escuro, um sapato velho e uma mochila. Ele caminha até a mim, o que me deixa mais nervosa e intimidada , odeio me sentir assim, os seguranças vão em direção a ele, eu aceno um “não” e então ele estica a mão para apertar a minha, sua mão é branca e grande, masculinas mas ao mesmo tempo delicadas, com dedos finos e unhas bem feitas, exitei em apertar, ele ainda com a mão esticada em minha direção fala “Desculpa a pequena bagunça em seu estabelecimento moça, me chamo Josh, Josh Mc Landell.” a voz dele parecia um furacão dentro de mim, mas que diabos, penso comigo mesma, estico minha mão para apertar a dele, nossas mão se encontram e parece que nós dois levamos um choque, os olhos dele direto nos meus e eu não desviei, o encarei de volta, ele solta um pequeno sorriso que me derrete completamente, solto um involuntário pigarro e falo “Olá senhor Mc Landell, quem é você e o que gostaria?” ele solta minha mão e enquanto fala mexe em sua mochila “Eu vim aqui porque o senhor Bobby disse que a senhorita poderia me ajudar, eu preciso de um emprego, não sabia que a senhorita era uma pessoa tão importante assim.” ele segurando o que me parecia um currículo olha para mim novamente. “Bobby Waller ? de onde conhece bobby ? se o conhecesse realmente saberia que não é bem assim que as coisas funcionam aqui.” ele ficou aparentemente sem jeito e abaixa a cabeça, eu continuo “ eu estou atrasadíssima para um almoço importante e não posso falar com você, deixe seu currículo com George , aquele alto alí e qualquer coisa entraremos em contato.” depois de falar fui caminhando até onde o Vallet estava com meu carro, eu sentia o olhar daquele homem mesmo não o vendo, eu sabia que ele ainda estava me olhando e antes de entrar no carro olhei para a recepção e não deu outra, ele estava me encarando. entrei no carro e respirei fundo, imediatamente pego meu celular e ligo pra Bobby, ele demora um pouco a atender e antes mesmo de começar a falar eu já o corto “QUEM DIABOS É JOSH MC LANDELL BOBBY E PORQUE VOCÊ MANDOU ELE ME PROCURAR NA HAMILTON PARA ENTREGAR UM CURRÍCULO? TÁ PENSANDO QUE ALÍ É UMA PADARIA?” bobby começa a rir e fala “IIIIH calma sua histérica…” “HISTÉRICA NÃO, MEU DEUS! FICOU UMA CONFUSÃO NA RECEPÇÃO QUE VOCÊ NÃO TEM IDEIA” , eu respiro fundo mais um vez na intenção de me acalmar, “Mana, desculpa, eu esqueço que é difícil falar com você sem hora marcada.” , “ eu sou do RH Bobby? desde quando eu contrato gente? desde quando faço entrevista?” bobby dá uma gargalhada e fala “ Pensei que para aquele gostoso você poderia abrir uma excessão” eu começo a rir e realmente ele era um lindo homem. “ Fala sério seu ridículo, quem é esse cara?” bobby então começa a falar “ele é escocês, conheci ele e a irmã aqui, um fudido que quer melhorar a vida, um bom moço sabe, ele me disse que iria tentar a vida em Londres, ele aceita qualquer trabalho e pensei de você dizer pra alguém contratar ele como sei lá, faxineiro, porteiro, ele tem porte até de segurança.” eu fico em silêncio por alguns segundos e Bobby continua, “Dá uma chance pro menino sua monstra, ele é minha surpresa pra você” , eu começo a rir novamente e falo “Você fez recursos humanos quando? estudou o currículo da criatura ou só quer pegar o cara? Puta que pariu Bob, só você mesmo. Eu preciso desligar, estou chegando em um almoço importante agora, conversamos quando você chegar aqui viu! idiota, amo você!” Desligo o telefone, mais um vallet a minha espera no Ledbury, restaurante onde iria almoçar com Kevin e mais um pessoal importante da RADA.

            Reunião de negócios são sempre uma chatice sem tamanho, muita cordialidade e olho grande de todas as partes mas aquela foi repleta de boas risadas e concordâncias em tudo que o projeto fornecia. Todos os jovens atores da RADA que se destacam vão direto para nosso painel de clientes, uma chance de distribuir novos talentos e aumentar a renda bruta de ambas as interessadas. Eu vou envolver Kenneth nisso da maneira mais sutil do mundo e tenho certeza que ele irá topar. Quase duas horas de almoço e reunião e ao sair dali fui direto a Hamilton novamente pois em uma hora iria me encontrar com Daniel Craig para acertar algumas coisas sobre a nova empreitada dele. No caminho até a empresa pensei no tal Mc Landell e aqueles olhos ridiculamente intimidadores e lindos, Bobby deve ter algum problema mental, não é possivel! pensei comigo mais uma vez, bom, se ele tiver alguma experiência como Vallet ele pode cobrir o Heldor… Esse pensamento me acompanhou até Hamilton, chegando lá e para minha surpresa, o cara ainda estava lá, sentado na mureta da parte do fora do estacionamento, “ah não!” falei saindo do carro, entreguei ao vallet e entrei, na recepção encontro George, “ele ainda está aqui? meu deus!” George com um sorriso no rosto me fala “ ele não vai desistir até falar com você” , “Mas eu não tenho tempo, fora que eu nem sei o que ele faz, quem ele é.” George me entregar o currículo dele e fala “ Ele não tem um currículo muito bom não, quer dizer, é comum. Bom que ele fala várias línguas, Francês, Escocês nativo, Inglês, espanhol, um poliglota.” , enquanto olhava para o currículo pensava no que fazer, até que falei “Vai lá naquela criatura e manda ele subir até minha sala em 30 minutos, leve um segurança junto por favor.” Subi e fui imediatamente falar com Louise, ela estava como sempre compenetrada no trabalho, “vai subir um cara sem hora marcada agora, fica atenta ao celular que se algo tiver estranho você manda o segurança entrar.” Loui me encarou surpresa e fala “Ok, mas quem é o sortudo?” eu entrando na sala falo “ A surpresa de Bobby.”

       Eu estava mexendo em alguns papéis quando o interfone toca, Loui anunciando o cara, estranhamente me sinto nervosa, dou um jeitinho no cabelo, me posiciono em pé ao lado da minha cadeira e segundos depois ele entra. Alto e com porte atlético, agora que reparei bem no corpo dele, realmente ele era um homem extremamente atraente. “Pode sentar, fique à vontade… Hum, você quer uma água?” com aquela voz forte e um sotaque escocês carregado ele me responde “ Não, estou bem, obrigado.”, eu sento e pego o currículo dele, eu já tinha lido e então fingi ainda estar lendo, o silêncio é quebrado por ele que fala “ Belíssimo escritório, tem uma bela vista daqui.”, eu automaticamente olhei para trás, fazia tempo que eu não percebia a vista que estava ali todos os dias para contemplar, “Sim, é realmente lindo. Aquela é a London Bridge, já conheceu Londres senhor Mc Landell?” ele sorri e o frio na barriga volta, “Ainda não, estou aqui à apenas dois dias e pode me chamar de Josh, não sou ninguém importante para o título de senhor.”, ( “Meu deus eu não sei nem o que falar pra esse cara” - pensei comigo mesma) mais uns minutos de silêncio e então eu falo, “ vou ser extremamente franca com você, seu currículo é comum e não sei se Bobby lhe falou mas aqui é uma empresa de agenciamento de atores e atrizes britânicos, trabalhamos com ganhadores de oscar, diretores e produtoras imensas. Eu dirijo esta empresa à 5 anos e antes disso ainda estava aqui com meu pai enquanto me formava, não me entenda mal, não estou dizendo que você é uma pessoa menos importante que nossos clientes mas está desqualificado para um trabalho mais executivo como o de Bobby, Você fala várias línguas, o que acho impressionante mas não tem formação acadêmica. O que eu poderia fazer por você é indicar para algum conhecido meu e ver o que podemos fazer por você.” ele continuava a me encarar com aqueles olhos azuis que mais pareciam dois oceanos, “ Você não é londrina é?”

“O que ? você prestou atenção em alguma coisa que eu disse?” , ele sorriu e falou “sim, mas percebi que seu sotaque não é cem por centro britânico, de onde você é?”, eu queria dar um soco nele , “Sou de Verona, Itália. Olha, minha naturalidade não está em jogo aqui e sim seu emprego.” , ele me encarou e falou “ Eu sei, só achei lindo seu jeito de falar. Escuta moça, acho que se chama Giovanna não?” , acenti com a cabeça, “ então Giovanna, eu posso fazer qualquer coisa, o que você me pedir, eu preciso de um emprego e sua empresa tem um grande nome mundial, não quero prejudicar você em nada mas quero muito trabalhar aqui, eu preciso ajudar minha irmã na escócia, consertar algumas coisas e  futuramente trazer ela pra cá, quero me formar e sei que você pode me ajudar.”, ele continuou me olhando, eu abaixei a cabeça e levantei, Peguei um copo de água e falei “Tem carteira de habilitação?” ele afirmou com a cabeça, “ Eu coincidentemente afastei um dos meus Valets hoje, é a única vaga que tenho para você.” Ele se levanta e com sorriso no rosto fala “Me dê essa chance, não vou decepcionar você” , eu o olhei de cima a baixo, o homem era realmente uma obra de artes, devolvi o sorriso e falei “ espero mesmo que não, eu nunca fiz isso que fiz aqui hoje então não pisa na bola comigo ouviu? Espere um momento.” , peguei meu telefone e interfonei a Loui, “ Louise, por favor peça para alguém do rh vir a minha sala buscar um novo funcionário que irá cobrir Heldor e prepare a sala para reunião com Daniel Craig , ele já deve estar chegando aqui.” ele novamente fala “ Eu estou impressionado com essa vista” eu sorrio para ele e falo “ pata lhe ser bem sincera, fazia tempo que eu não reparava nela até você falar hoje.” ele chega perto da janela e olhando para o horizonte fala “pois deveria, é uma privilegiada. Mais uma vez obrigada.” e estende a mão pra mim, eu prontamente aperto a mão dele mais uma vez e mais uma vez a sensação de choque percorreu meu corpo, ele percebe e fala “ Isso foi estranho.”, eu solto a mão dele e falo “ Você também sentiu?” ele sorri e fala “ Sim, lá embaixo também, acho que somos positivo e negativo.” eu não pude deixar de gargalhar e esfregando minhas mãos falei “ Ou estamos sob tensão, mas foi realmente estranho.” Uma das meninas do rh bate a porta e então digo para ela entrar, explico a ela o que fazer e ambos saem da minha sala. Eu sento exausta em minha cadeira e segundos depois Loui entra na sala “ Pelo amor de deus, quem é esse maravilhoso Gio?” eu encosto minha cabeça na mesa, depois de uns segundos levanto e falo “ NÃO SEI, mas é realmente maravilhoso e tem um olhar tão intimidador que chega me irrita.” , loui sorri e fala “Você contratou ele ?” “sim, pra cobrir o Heldor na portaria, ele fala várias línguas e tem porte fino, acho que se dará bem. Bobby mandou essa criatura lá da escócia pra vir falar comigo.” , contei tudo que Bobby me falara sobre o Josh para Loui e ela me diz “Minha nossa senhora, que história bizarra, no mesmo dia que Heldor sai de licença ele aparece. parece destino.” eu me levanto pegando meu notebook e falo “Que mané destino, coincidência apenas, agora vamos que Daniel já está aqui.”

  A reunião com Daniel Craig foi um pouco complicada como imaginei, ele é cheio de exigências e o agente dele não colabora nem um pouco, Bobby era excelente nessas negociações com os Lordes britânicos, ele como um sabia muito bem conduzir a reunião mas me saí bem. Uma reunião rápida comparada a outras que já tive, uma hora e vinte apenas. O dia acabou e eu estava esgotada, precisava urgentemente da minha casa, eu e Louise já iriamos sair, “Vamos tomar um chá? São quase cinco da tarde.” , ah o costume britânico do chá das cinco, minha amiga seguia a risca essa tradição, entramos no meu carro e liguei na BBC radio one, estava tocando Adele - water under the bridge, uma das minhas músicas favoritas dela  e que meu deu um grande up após o dia corrido. Fomos a Twining como de costume e a mesa em que sempre sentamos estava lá vazia. Pedi meu Lady grey como sempre e a Loui o earl Grey, uma pequena porção de Hobnobs para completar o chá das cinco chegou e então Loui falou “Olha ali do outro lado da rua, você não vai acreditar.” quando viro me para minha esquerda vejo Mc landell , sozinho, sentado em um bar tomando o que me parecia um chá preto sem leite ou café. Eu senti um frio na barriga estranho mais uma vez “Não é possível…” , loiu completou “ Na rua de trás é cheio de hotéis baratos, ele deve estar em um desses.” “ É, pode ser… Vamos comer logo e ir embora.” falei levando minha xícara de chá ate a boca , “ tá incomodada por ele? sério?” indagou Loiu, após beber um pouco de chá falei “Não, só quero ir descansar, estou realmente cansada hoje, não sei porque mas parece que o dia não tem fim sabe? Só preciso de um banho e tô nova.”, enquanto comia meus hobnobs senti o olhar dele me atravessar, olhei para Loui e falei “Ele ta olhando pra cá não está?” , loiu sem nem se quer disfarçar olha para ele , ela dá um tchauzinho e sorri e fala entre o sorriso “Meu deus ele é muito gato…” eu automaticamente abaixo a cabeça e falo “Pra que você foi dar tchau, ele vai querer vir aqui.” ela sorriu e falou “Na hora que eu olhei ele olhou de volta e me abriu um sorriso que puta que pariu…” eu já estava me aprontando para sair quando ele passou ao nosso lado, nossos olhares se cruzaram mais uma vez só que dessa vez não vi mas somente um oceano azul, vi um oceano azul profundo e sombrio, arrepios cobriram todo meu corpo, ele não sorriu, ele só nos olhou e saiu rua à baixo. “Okay, isso foi tenso.” disse Loiu levantando a mão ao garçom para pedir a conta, o garçom veio prontamente, pedimos a conta e saímos do Twining. levei Loiu até a esquina da casa dela e dirigi por mais 15 minutos até chegar a meu apartamento. Quando entrei em casa parecia que um mundo tinha caído nas minhas costas, larguei minhas coisas de qualquer jeito e me joguei no sofá, um dia anormal hoje, a notícia da leucemia do pequeno Michael foi o que desencadeou tudo, eu fiquei realmente abalada com isso e ainda esse estranho Mc landell, tão intenso, sedutor e intimidador. Fiquei alguns bons minutos ali sentada sem me mexer, completamente inerte olhando para o teto, tirei meu salto e com ele nas mãos fui caminhando até meu quarto, coloquei o salto no canto quarto e fui até meu banheiro ligar minha banheira, hoje eu merecia um banho de espuma relaxante, peguei meu celular e liguei para Jason, um amigo meu da polícia especial britânica, ele me atendeu prontamente como de costume “Bianucci querida quanto tempo!” , eu sorri e respondo a ele “Como vai Jason? preciso de um favor seu…” “Vou bem, pode pedir mas aconteceu alguma coisa com você?” , já colocando os sais de banho na banheira falo “ Não, nada demais, preciso que você levante a vida de uma pessoa pra mim, mas ele é da Escócia, você consegue?” “Sim, claro que sim, só preciso do nome completo e registro de nascimento.” , corri na sala e peguei o currículo de Josh e passei as informações que estavam lá para ele, “com isso você consegue?” “sim, consigo sim, amanhã à tarde está no seu email.” , volto ao banheiro e desligo a banheira

“ Não, preciso disso nas minhas mãos, leve pessoalmente para mim.”, “Okay querida, nos vemos amanhã.” Desligo o telefone e coloco na mesinha perto da minha cama, tiro minha roupa e ligo o ipad (Mariah Carey - bringin’ on the heartache), vou até a cozinha e pego uma garrafa de vinho branco, acendo um cigarro e entro na banheira com uma taça bem cheia na mão “Isso é o paraíso….” , enquanto relaxo ali penso em tudo que aconteceu hoje, penso um pouco no que terei que fazer amanhã e continuo curtindo meu banho.

     O tempo passa que mal percebi que zerei minha garrafa de Chardonnay e nem alegre se quer fiquei, sempre bebi bastante, afinal de contas sou italiana. Visto meu roupão e vou até a cozinha levar a taça e a garrafa, pego minha valise e começo a organizar para o dia seguinte. O sono começa a chegar então faço o resto bem mais rápido para ir logo para cama. coloco uma camisola de cetim azul royal e vou me deitar, não demora nem 5 minutos e já caio no sono.

   

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...