História Game of Thrones: Winds of Winter - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Benjen Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Cersei Lannister, Daario Naharis, Daenerys Targaryen, Davos Seaworth, Euron Greyjoy, Gendry, Jaime Lannister, Jon Snow, Jorah Mormont, Melisandre, Olenna Tyrell, Petyr Baelish, Samwell Tarly, Sandor Clegane, Sansa Stark
Tags Cersei Lannister, Daenerys, Fire Blood, Game Of Thrones, Jon Snow, Season 7, Starks, Winter Is Coming
Visualizações 214
Palavras 1.700
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - The End Begins


Fanfic / Fanfiction Game of Thrones: Winds of Winter - Capítulo 8 - The End Begins

Fortaleza Vermelha

Sentiu o ar gélido adentrar em seus pulmões como um estranho. Não deixava de pensar no dia em que vira a coisa mais horrível em sua vida. Quando viu a criatura, tudo em que pensou foi na criança que carregava no ventre. Ela não teria oportunidade de crescer e tornar-se forte. Não poderia amar uma mãe quando monstros a matassem. “ Está é a única guerra que importa. A Grande Guerra. E ela chegou. “ As malditas palavras do bastardo Stark ainda ressoavam em sua mente. Mas não importava agora. Nada era mais importante do que a família. Sua única família. Ela e seu filho. Não desejava nada a Tyrion que não fosse uma morte dolorosa e Jaime partira para o Norte como um heroico tolo, ela já não o amava. “Se a vadia Targaryen e seu cãozinho Stark voltarem vitoriosos, não terão este Trono com tanta facilidade. Tenho algo para eles. “ – Pensou. Cersei levou as mãos ao ventre.  “ – No entanto, se eles não podem vencer  os mortos, então ninguém pode. Já não há meio termo. Quando o mundo acabar, estarei aqui. E o meu filho estará comigo. – Pensou, observando daquela pequena  janela Porto Real sendo coberta pela neve.  O inverno chegou, para temor de todos. Ou quase todos...

Porto Branco

A neve cobria tudo a sua volta. Caminhava errante com  Garralonga em punho. Ao longe via as torres de Winterfell destruídas  e pilhas de cadáveres estavam ao redor do castelo. O odor de sangue espalhava-se pelo ar gelado enquanto os mortos se erguiam novamente, o Rei da Noite montado em Viserion levantou o braço.  Os mortos corriam até Jon Snow, que apenas esperava ao erguer a espada. Alguém toca seu ombro, o toque era gelado. Quando se virou, Daenerys cravou uma espada de gelo em seu tórax, sua pele estava tão alva quanto à neve e o violeta dos olhos dela era agora um terrível azul cintilante.

Abriu os olhos. Ofegante e aliviado por ter sido apenas um sonho. Jamais se perdoaria se algo assim acontecesse com Daenerys. Virou a cabeça. Uma maravilhosa vista. As madeixas prateadas dela estavam sob seu peito. Estar com ela era reconfortante.   Sentia a leve respiração de Daenerys que ainda dormia tranquilamente ao seu lado. Ambos mereciam aquele momento, depois de tudo que passaram. Do muito que perderam, estavam ali. Muitas noites juntos ao consumarem o que sentiam. Dany acordou com um singelo sorriso nos lábios ao vê-lo. Drogo, Jorah, Daario todos foram heróis que tentaram impressiona-la, mas Jon Snow era diferente. Um homem cujo dever estava acima de tudo. Suas cicatrizes mostravam o quanto ele se sacrificou pelo seu povo. Jon afagou-lhe o rosto, beijando-a novamente.  – Parece que finalmente vou conhecer seus irmãos. Deve estar ansioso para revê-los.

- Sim. Lembro-me de Arya quando brincávamos em Winterfell, ela odiava ter que aprender etiqueta e costurar. Ela saia escondida para brincar e treinar comigo e Robb. Uma vez eu e meu irmão estávamos ensinando Bran a atirar com o arco. Ele errou todos os disparos e Arya, escondida a uma distância maior acertou em cheio. Apesar de amar todos eles é dela que mais sinto falta.  – Dany recostou-se em seu peito e observava o brilho no olhar dele com um sorriso no rosto.  – Gosto quando você fala assim. Arya parece uma garota e tanto.  - Conte-me sobre Robb. 

- Robb... Ele era melhor em tudo do que eu. Com a espada, na montaria, e até com as garotas. Deuses, como elas adoravam ele.  Mas não era para menos, ele era o herdeiro de Winterfell e eu um bastardo. Quando eu o vencia nas lutas, a Senhora Catenly sempre me olhava com rancor. Eu não a culpo, embora sentisse raiva dela as vezes. Que mãe reagiria bem ao saber que seus filhos cresceriam com o bastardo de outra mulher? Robb era um bom irmão. Apenas queria que ele tivesse um fim diferente, que Rickon tivesse um fim diferente, meu pai... Mas não posso mudar o passado.

- Não fique lembrando de coisas tristes. E sim das boas. E Sansa? Tyrion me falou um pouco sobre ela. Sobre o casamento não consumado em Porto Real.

- Sansa era o oposto de Arya. Bordar e se portar como uma dama eram coisas que ela adorava. Ela sequer trocava alguma palavra comigo. Parecia-se muito com a mãe dela. Enquanto eu partia para a Muralha, minhas irmãs foram para Porto Real com o meu pai. Se eu soubesse as tragédias que aconteceriam depois daquele dia... Ela sofreu muito. Joffrey Baratheon, Ramsey Bolton. Tive o prazer de esmurrar o segundo. Quando nos reencontramos, ela havia mudado. Se tornou uma pessoa forte, mas também amável, bem diferente daquela que eu conhecia em Winterfell. Graças a ela, conseguimos retomar nossa casa.

- Mulheres são fortes, Jon Snow. Nunca nos subestime. – Dany falou, enquanto Jon riu.

- Tenho certeza disso.  Só venci a Batalha dos Bastardos por causa dela e você salvou meu grupo Além da Muralha. Vocês são... Bem fortes.  – Jon ergueu as sombrancelhas, enquanto Dany sorria. 

- Eu tive um irmão também. Viserys. Ele era revoltado. Impetuoso. Talvez porque nossa casa foi tirada de nós. E nossa família fora arruinada. Nós cuidávamos um do outro quando éramos pequenos, mas algo mudou nele com o tempo. Queria vingança e o trono a qualquer custo. Ele fez coisas terríveis e mereceu morrer, mas ainda assim era meu irmão. De certa forma, ele me ajudou a ser o que sou hoje. Daria tudo para ter o que você tem, uma família e pessoas rindo ao de uma mesa. Um Targaryen sozinho no mundo... É uma coisa terrível. – Dany falou baixo, quase como um sussurro. Sua única família eram seus dragões. E agora um deles estava morto. As palavras dela fizeram Jon lembrar-se do passado e de seus dias na Patrulha, quando ainda era um mero intendente.

- Sinto muito. Queria que nada disso tivesse acontecido com você. Sabe essa sua última frase foi dita pelo Meistre da Patrulha, Aemon Targaryen. Mesmo com a velhice, foi um dos homens mais sábios que conheci. Me ensinou muito. Ao menos ele morreu em paz.

-  Gostaria de tê-lo conhecido. Não acredito em destino, mas fico feliz por termos nos encontrado.

- Bom, mesmo com todas essas tragédias... Se não fosse por isso eu não estaria aqui com você. Então no fim, foi uma coisa boa.  – Jon falou e Dany beijou-o novamente. No entanto, o semblante dele estava indecifrável.  Os olhos castanhos mostravam preocupação. Jon lembrou-se do sonho.

- O que foi ? – Daenerys indagou.

- Eu só... Estou com medo. Duas vezes eu lutei contra ele. – O Rei da Noite e seu horrendo poder ainda ressoavam pela mente de Jon desde Durolar. – E duas vezes eu perdi. Lembra quando conversamos em Pedra do Dragão e você disse que fazemos aquilo gostamos? Eu não gosto. Não queria  ter que lutar, ter o Rei da Noite para enfrentar. Tudo o que eu queria era envelhecer com meus irmãos. Mas não posso permitir... Se eu falhar eu posso morrer. Se eu perder, todo mundo pode morrer e eu não suportaria ver você ou as pessoas que eu amo morrendo.  – Ergueu-se da cama, ficando sentado. – Dany segurou sua mão. – Não vamos perder agora. Eu prometi a você. Sempre cumpro minhas promessas.  Vamos seguir pela Estrada do Rei e ir para Winterfell. O Rei da Noite vai morrer pelo que fez ao meu filho. E nós dois vamos fazer de Westeros um lugar melhor.

Winterfell

Sansa mantinha os olhos no horizonte enquanto a neve caia sobre ela. Havia muito o que pensar. Muito  a se fazer. Mindinho estava morto, mas ainda havia Cersei e os Andarilhos Brancos de que Jon tanto falava. Sansa estava irritada. Não sabia ao certo o que sentia pelo irmão. Um misto de admiração e raiva.  Começaram unidos quando se reencontraram, mas discutiam bastante ultimamente. Sansa viveu entre os leões, aprendeu da pior forma possível que não se pode confiar em ninguém. A perspicácia de Cersei e a inteligência de Catenly formaram seu caráter. Não via com bons olhos o que Jon fizera. Ajoelhando-se para Daenerys Targaryen e entregando o Norte para uma desconhecida. Sansa sentiu arrepios ao lembrar-se das histórias sobre os Targaryen, cuja relação com a Casa Stark era tão mortal quanto com os Lannisters. Rickard Stark e Brandon Stark foram queimados vivos por Aerys, o Rei Louco. Rhaegar sequestrou e estuprou sua tia Lyanna. Aquela família apenas causou desgraça aos Lobos do Norte. Ponderou sobre o que Baelish dissera no dia que morreu. “ Jon é jovem e solteiro, Daenerys é jovem e solteira.  Soube que a Rainha dos Dragões é muito bonita. Juntos seriam difíceis de se derrotar. ”  – Não. Ele não cometeria o mesmo erro que Robb. Se apaixonar sem visar as consequências e perder muito por causa de uma mulher. Jon não faria isso. Ou faria? Homens... Ela vai usá-lo para conseguir o que quer. O que os lordes vão pensar dele? “ 

- Parece preocupada. – Arya a fez sair de seus devaneios. 

- Jon dobrou o joelho. – Revelou. – Jurou lealdade para Daenerys Targaryen. Estão a caminho de Winterfell pela Estrada do Rei. Devem chegar a qualquer momento.

- Ele deve ter tido um bom motivo para fazer isso.

- Eu o avisei para não ir. Quero acreditar que ele fez isso por ter sido ameaçado, mas no corvo que ele mandou dá a entender que eles tem uma relação amigável. “ Protegeremos o Norte juntos. ”

- E isso não é bom? Eles vão lutar juntos contra os Outros. Está com ciúmes ? – Arya perguntou arqueando uma sobrancelha.

- Não seja estúpida. Um Stark e uma Targaryen... A história mostra isso, Arya. E por mais que eu tente ser  otimista, os dois juntos são a fórmula de uma tragédia.  – Sansa falou enquanto via a comitiva Targaryen aproximar-se ao longe. Fantasma uivou. Jon Snow saiu de Winterfell como rei, e agora retornava como um subordinado.  Isso fazia Sansa estremecer. Seria esse o começo do fim? Ninguém saberia dizer ao certo. Sansa tinha razão quanto a uma coisa. Jon e Daenerys tinham um fatídico destino que se aproximava cada vez mais à medida que os ventos do inverno sopravam.  


Notas Finais


Desculpem, eu sei. Vocês mereciam um capitulo maior. Mas é aquela coisa: Enem + Bloqueio Criativo + Vestibulares = Ausência de Tempo :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...