1. Spirit Fanfics >
  2. Game of youtube >
  3. Um ladrão, um bardo, uma ninfa e uma órfã

História Game of youtube - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Um ladrão, um bardo, uma ninfa e uma órfã


Fanfic / Fanfiction Game of youtube - Capítulo 6 - Um ladrão, um bardo, uma ninfa e uma órfã

...

-Vocês estão conversando com um agressor de mulheres? -Indignada Kim andou até o homem e o levantou segurando seu colarinho -Eu tenho nojo de pessoas como você.

-Ele não agrediu mulheres, agrediu a rainha! -Disse Lucas tentando amenizar a situação.

-Então é mais burro do que eu pensei -Seus olhos estavam cheios de raiva, porém acabou jogando o home no chão.

-Foi sem querer...-Murmurou com a cara esmagada, seu nariz latejava de dor.

Após duas horas tentando convencer a guerreira que tudo foi um grande acidente, Kim finalmente concordou que o homem não era um agressor.

-Precisamos de um plano, e rápido -Disse Orochi, barulhos de passos começaram a se aproximar.

-Podemos ter acesso as nossas armas? -Perguntou Lucas.

-Não, eles dão várias armas velhas e desgastadas...mas é proibido armas individuais.

-Quais são as chances deles terem algum instrumento musical? -Perguntou, os barulhos só aumentavam.

-Eles não consideram isso como arma -Lucas olhou para fora da cela avistando sombras avançando.

-Vamos ficar todos juntos, podemos fingir que estamos lutando, assim ninguém se aproxima -Karen olhou para todos que ficaram boquiabertos.

-Ótimo plano...na verdade -Disse Lucas.

Os guardas finalmente chegaram, eles juntamente de 30 pessoas começaram a subir as longas escadas em direção da arena.

o grupo subiu em silêncio, Luba tentava ficar o mais próximo possível de Kim a olhando com admiração, nunca havia visto nenhum Watergold em uma situação tão informal, talvez se pudesse falar diretamente com algum superior, poderia convence-lo de que ela era realmente a herdeira legitima da família, mesmo que ele tivesse suas próprias duvidas, aquela era sua única opção.

-Antes de entrarmos...tenho algo pra te dar...-Murmurou Orochi que puxou Lucas para um canto mais afastado -Você disse que era da sua irmã, ou algo assim...

O ladino esticou sua mão e mostrou o amuleto que havia roubado do bardo quando o conheceu, Lucas ficou impressionado que os guardas não o encontraram durante a inspeção, porém decidiu não fazer muitas perguntas.

-Obrigado...-Respondeu com um sorriso fraco.

Assim que a luz do sol começou a tomar conta de um corredor sombrio e escuro, os gritos e aplausos começaram a aumentar e quando se deram conta, estavam no meio de um estádio rodeado por dezenas de pessoas os encarando, desejando ver sangue escorrer por aquele chão arenoso.

-Onde estão as armas? -Perguntou Kim olhando para os lados e encarando alguns adversários, todos tinham cicatrizes e outros atributos amedrontadores.

Orochi apontou para o meio da arena, várias armas estavam empilhadas de forma desastrosa.

-Legal...legal...-Murmurou desapontada para si mesma.

 Um tipo de estrondo ecoou pela arena, fazendo todos os outros ruídos desaparecerem, aos poucos todos começaram a se sentar em seus assentos ansiosos, acima dos muros que impediam que os presos passassem para as arquibancadas, havia uma construção feita com pedras escuras, dentro dela haviam duas ou três pessoas sentadas assistindo a luta e no meio delas um homem com roupas azuis escuras segurando um tipo de microfone.

-Senhoras e senhores...cidadãos do leste! Hoje teremos um torneio sangrento e emocionante, um verdadeiro deleite aos nossos olhos! -Todos pareciam vibrar com cada palavra que o homem dizia, sua voz era harmoniosa e aguda, era a arma perfeita para chamar a atenção do público - Esses criminosos são os mais perigosos e amedrontadores de todo o nosso reino, estão aqui pois fizeram crimes horríveis contra nossa querida população- O grupo todo se olhou com deboche-...e agora os veremos morrer, como bem merecem! Após nossa contagem regressiva suas algemas irão se soltar, não se esqueçam de fazer suas apostas!

-São algemas mecânicas, se soltam sozinhas assim que apertam um botão que fica na cabine...-Explicou, o olhar do ladino se deparou com a pilha de armas meia-boca que lhe foram oferecidas, não era tão longe de onde estavam e talvez se fosse rápido o suficiente conseguiria encontrar algo útil -Acho que eu consigo pegar algumas armas, fada você vem comigo e me da cobertura...

-Ninfa -corrigiu irritada -Ok...

-Mas e o plano de ficarmos juntos? -Indagou confuso, volta e meia Luba tentava encontrar a rainha ou o rei para os avisar sobre a filha dos Watergold, mas sabia que nenhum dos dois gostava desse tipo de evento.

-Não vamos conseguir fingir para sempre -Lucas colocou o amuleto da sua irmã no pulso -Tenta não morrer ladrãzinho.

-Cinco! -Gritou o interlocutor -Quatro! Três! Dois! Um! Que os jogos começem!

O começo daquele pandemônio foi desastroso, os mais fortes conseguiam pegar os mais fracos e os matar com facilidade mesmo sem equipamento, todos estavam indo na direção das armas, correndo como se suas vidas dependessem disso e meio que dependiam.

Orochi e Karen começaram a correr mesmo com suas algemas, a ninfa sentiu dificuldade em acompanhar o ladino, era rápido demais, mas se esforçou ao máximo para não ser pega por outros adversários, ele por outro lado, tinha que desviar de puxões e socos que recebia. Assim que chegaram, os dois encheram seus braços com armas, um dos criminosos tentou acertar Karen com sua espada enferrujada, mas acabou sendo alvo de outro criminoso que atravessou uma adaga na sua garganta.

-Corre!

- Enquanto isso no palácio -

 

Nilce olhava curiosa para o registro dos presos, sempre odiou ver toda aquela luta sangrenta e arcaica na arena, infelizmente seu reino tinha mais de mil anos de tradição e não poderia simplesmente acabar com isso de um dia para o outro, já havia criado vários projetos para suspender os massacres, mas todos foram recusados pelo público.

-Amor...olha só que interessante a ficha dessa garota - Com sutileza, a rainha entregou o pergaminho nas mãos do marido que estava jogando xadrez contra si mesmo - A descrição dela não se parece com a... -O nome da garota havia fugido se sua mente -A filha dos Watergold.

-Impossível, por que iriam prender ela? -descrente pegou a ficha e a observou com desdém.

"...A garota apresentou comportamento hostil contra os guardas, sua mente foi sucumbida pela loucura pois afirma ser a sucessora dos Watergold, mesmo apresentando cabelos vermelhos, a característica dessa família, suas vestes e armas são inferiores e sujas como uma camponesa qualquer..."

O rei olhou preocupado para a folha, poucos sabiam sobre a morte dos Watergold até o momento e se a garota fosse realmente descendente deles? Poderia morrer a qualquer instante ou até mesmo já estar morta.

-Mesmo que seja um alarme falso, acho sábio conversarmos com ela -Disse colocando o rei em uma posição de perigo em seu jogo impossível

-Sério? -Perguntou surpresa.

-O que estaríamos perdendo?

--

-SOCORRO! -Gritou luba correndo de um criminoso, aquele homem era tão insistente que começou a persegui-lo pela arena.

-Alguém ajuda ele! -Exclamou Kim, estava lutando com dois homens ao mesmo tempo, a espada que lhe foi dada pelo Ladino estava cega, tornando sua vida muito mais difícil -Ei bardo! 

Em um momento de distração a guerreira recebeu um soco no estomago que a fez cair no chão, a dor que sentiu era imensurável, ainda teve que rolar e evitar chutes daqueles dois bárbaros.

-Eu to meio ocupado aqui...-Reclamou Lucas que também desviava de diversos socos, seu adversário era pequeno e magro, mas muito rápido -Pede pro ladrão!

-PEDE PRA FADA! -Orochi corria de um lado para o outro fugindo de um grande grupo que o perseguia, ele sabia muito quem eram, pois havia roubado todos eles.

-QUE? -Karen usava sua magia invocando diversas plantas no meio da arena, o que acabava chamando atenção e fazendo os mais fortes a atacarem -AJUDA? EU QUERO!

Sem perceberem, um dos guardas chegou até o locutor e sussurrou algo em seu ouvido, no mesmo instante um barulho muito alto ensurdeceu todos.

-A luta está cancelada! -Afirmou descontente.

--

O grupo foi retirado da arena e escoltado por guardas entre corredores que subiam e desciam, quando perguntaram o porquê de terem parado a luta, os guardas apenas respondiam "Continue andando".

-Estamos chegando perto da sala do trono -Disse Luba, assim como o resto do grupo seu rosto estava machucado e sujo com poeira seca -Acho que vamos falar com o rei e a...

-Rainha... -Completou Kim deslumbrada, a arquitetura do castelo era semelhante com a de sua antiga casa, começou a sentir um aperto em seu coração que parecia aumentar.

As magnificas portas de mármore se abriram, no meio do salão estava Nilce e Leon sentados em seus tronos um ao lado do outro observando o grupo entrar, todos fizeram uma reverencia exceto Karen que parecia não entender muito bem onde estava.

-Rei e Rainha, por favor me recebam em seu castelo! -Kim diferente do resto fez um gesto muito comum entre nobres, colocou um joelho no chão e deixou sua outra perna dobrada, fechou o punho com força e o levou até o ombro oposto abaixando a cabeça sutilmente.

Os dois se olharam com alivio.

-Você é Kim, filha e ultima descendente dos Watergold? -Indagou Leon.

A guerreira se levantou com tamanha rapidez que fez todo seu corpo já ferido tremer de dor.

-Não encontraram ninguém da minha família? -Com passos pequenos se aproximou dos dois -Por favor me digam que é mentira!

-Infelizmente nossos soldados não encontraram nada, mas gostaríamos da sua ajuda para entender o que aconteceu.

-Bem...

- Há alguns dias atrás -

[-Ela precisa usar mais os ombros -Comentou Flavía que estava sentada ao lado do marido - Deve ter puxado essa teimosia de você!]         

-Ela precisa usar mais os ombros -Comentou Flavía que estava sentada ao lado do marido - Deve ter puxado essa teimosia de você!

-Todos sabem que a melhor defesa é o ataque! -Respondeu Rafinha coçando a barba.

Kim lutava com sua irmã mais nova, Mari Maria.

[-Ainda é muito fraca, não vai conseguir me vencer se usar apenas a força, tem que pensar, sabe? Use esses seus três neurônios - Kim portava uma espada prateada que reluzia conforme refletia o sol]

-Ainda é muito fraca, não vai conseguir me vencer se usar apenas a força, tem que pensar, sabe? Use esses seus três neurônios - Kim portava uma espada prateada que reluzia conforme refletia o sol.

-Ai que engraçado! -Resmungou irritada, tentou a atacar com outro golpe que foi facilmente desviado.

-Acho que já deu por hoje...-Comentou Flávia que segurava uma pequena risada.

-Kim a Mari já foi humilhada o suficiente, né? -Rafinha foi até a caçula e bagunçou seus cabelos ruivos.

Aos prantos, um guarda entra no patio pingando sangue.

-Senhor, deve fugir...ele está aqui! -O guarda tenta se apoiar no ombro de Rafa mas acaba escorregando e caindo no chão.

-O que está acontecendo querido? -Perguntou Flávia que logo abraçou as duas filhas assustada.

-Leve as meninas para longe, eu vou verificar! -Afirmou e no mesmo instante tomou a espada da mão de Kim -Fiquem seguras, eu já volto.

-Tenha cuidado pai! -Disse Kim que o abraçou com força.

As três correram até a Estabulo com intuito de fugir, mas conforme andavam pelo castelo, só conseguiam escutar sons de espadas e observar os corpos dos empregados sem vida no chão.

-Quem está nos atacando mãe? -Perguntou Mari que segurava com força o braço de Kim.

Flávia abriu sua boca, mas não teve a coragem necessária para falar.

Ao chegarem próximo ao estabulo um cheiro forte de queimado começou a tomar conta e a fumaça que estava se formando parecia assustar os cavalos.

-Eu preciso encontrar o pai de vocês, ou então eles vão...

Antes de terminar a frase uma flecha atravessa seu peito, fazendo uma poça de sangue se formar, manchando seu belo vestido azul.

-MÃE! -Gritou Kim, lágrimas invadiam seus olhos.

Mari começou a chorar e abraçar o corpo da mãe.

- Corram meninas....-Murmurou em silêncio.

Tomada por uma tristeza profunda, a mais velha pegou a mão da irmã e começou a correr até os cavalos. Porém ao chegarem o lugar estava tomado por chamas.

-Precisamos dos cavalos! -Disse Mari em uma expressão sombria.

O pequeno braço da garota escapou entre os dedos de kim, que teve seu coração partido ao ver a irmã entrar dentro daquela construção tomada por chamas. Algumas pessoas com vestes negras começaram a se aproximar, a guerreira correu para dentro também tentando achar a irmã, mas uma explosão a jogou para fora.

A construção havia desmoronado. Sem pensar duas vezes Kim correu até lá e tentou tirar os escombros com as mãos, seu corpo queimava por causa do fogo, mas estava tão apavorada que mal sentia for.

-MARI! MARI! -Era tudo que saía de sua boca.

-Parece que toda sua família é estúpida! -Uma voz avassaladora tomou conta do lugar em meio a chamas, ao se virar, nando moura estava montado em seu cavalo tudo ao seu redor pegava fogo ou desabava -Matem ela!

-Por que você está fazendo isso? -Kim não conseguia segurar o choro.

O homem deu uma risada e galopou para fora do castelo.

Cercada por cinco capangas, ferida e queimada Kim viu sua vida chegar ao fim.

-CORRA KIM! -Gritou, a inesquecível voz era de seu pai -CORRA KIM! -No mesmo instante os capangas se viraram

Mesmo não querendo abandonar seu pai, a garota correu para fora do castelo em direção das florestas do leste, ao olhar para trás avistou seu pai lutando.

--

Um grande silêncio se formou entre todos daquela sala.

-Eu lamento...-Disse Nilce comovida.

Kim fez um gesto com a cabeça.

-Acho que isso só mostra o que já temíamos, Nando Moura vai voltar! -Leon olhou para o grupo por alguns segundos -Vamos ajudá-los a chegar na capital, temos que avisar o rei do norte o mais rápido possível, não podemos confiar em cartas agora...

-Nós iremos transmitir a mensagem -Disse Lucas colocando a mão no ombro de Kim com gentileza.

-Nós? -Disse Leon espantado -Pelo o que eu vejo vocês são apenas um ladrão, um bardo, uma ninfa e uma órfã, devo confiar algo tão importante em mãos tão...

-Diferentes! -Interrompeu Nilce, que lançou um olhar irritado para o marido.

-É...-Concordou sem graça.

-Mas é claro que deve!

 

 

-- Ao Oeste--

-Ela está chegando! -Disse Leo, que abriu a porta da sala com tamanha força que assustou Vih tube.

-Quem? -Disse curiosa.

-Você não sabe? Ela é a mais forte de todos nós! -Ele olhou brevemente para o homem que estava lendo um livro com capa preta, sem prestar atenção na conversa -Depois do Nando...é claro.

-Não pode ser! você está falando da....

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...