1. Spirit Fanfics >
  2. Game of Youtube >
  3. Gatos gigantes e o pó rosa.

História Game of Youtube - Capítulo 2


Escrita por: perrevi

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 2 - Gatos gigantes e o pó rosa.


Fanfic / Fanfiction Game of Youtube - Capítulo 2 - Gatos gigantes e o pó rosa.

 

Os quatro engatinharam até um arbusto verde-escuro, algumas frestas permitiam uma visão mais clara da carruagem, não demorou muito para que a aura sombria tomasse conta da floresta, fazendo nuvens acinzentadas cobrirem o sol.

- O que ele faz nesse reino? -Sussurrou, os confusos olhos de Lucas pairaram sobre a expressão de temor do ladino, se infectando com o medo.

Ninguém do grupo respondeu.

A raposa felpuda que repousava nos ombros do homem levantou lentamente a cabeça, mirando seu olhar para o arbusto onde estavam escondidos. Nando por alguns segundos, olhou na mesma direção, mas foi distraído por um rapaz que saiu da carruagem, ele vestia roupas escuras e um gorro na cabeça, tirando isso nada em sua aparência o diferenciava dos demais, Leo Otaco tinha pele clara, cabelos marrons e um cavanhaque da mesma cor.

- Onde ela está? -Perguntou Nando, a voz surpreendente carregada de sotaque fez todos do grupo estremecerem de medo.
-M-mestre, tenho certeza que ela não andou muito mais que isso, eu mesmo queimei os pés dela...
- Chame os farejadores...-Após dar uma longa observada ao seu redor, entrou na carruagem, mas antes de fechar a porta olhou fixamente para Leo - É melhor não falhar novamente.

-Eu não vou falhar mestre! - Afirmou observando o veículo desaparecer entre as árvores. Após alguns segundos, um portal surgiu no lado de seus pés e sem hesitar o rapaz pulou, fazendo o mesmo desaparecer.

- Filho da mãe...-Sussurrou Orochi, que colocou seu capuz e voltou a guiar o grupo, seus olhos escuros estavam enraizados por um ódio profundo.

- Quem é ele? - Karen que até agora, não entendia a necessidade de terem se escondido, olhava vez ou outra para os lados, sentindo que alguém estava a observando.

- Uma pessoa ruim.
 

- Acho que estavam atrás dela... -Lucas olhou, enjoado, para o estado de carne viva que os pés da garota se encontravam, lembrando-se do que Leo disse -Se não tivéssemos a encontrado....

-Ela seria mais um cabeça na lista dele.
 

Karen olhou para Orochi curiosa, sentindo uma tristeza crescente em sua alma, achou melhor não fazer mais perguntas, sua mente já estava tentando processar as duas mil regras que acabara de quebrar, sem contar que jamais poderia sair da floresta como eles pretendiam, não se quisesse voltar.

Em poucos minutos o grupo já estava próximo ao arco de pedra, a divisória entre a floresta para a cidade, um tipo de galopar singular começou a se aproximar e quando se deram conta já estavam cercados por gatos gigantes. Tais gatos tinham quase 3 metros de altura, suas garras afiadas eram do tamanho de uma espada. No maior de todos, uma garota de cabelos compridos e loiros estava observando silenciosamente os quatro, suas roupas lembravam vagamente as de Nando.

- Me entreguem a mulher nos braços da selvagem e terão uma morte rápida - Sua  voz tornava tornava cada palavra impactante.

- Corram -Sussurrou Lucas.
 

Sem pensar duas vezes Karen entregou a garota nos braços do Ladino e fez um gesto rápido com a cabeça.

- Não posso sair da floresta.
 

Ele rapidamente segurou a garota, mesmo sendo de forma desengonçada começou a correr na direção da cidade, sem olhar para trás.
 

- Camponeses idiotas...-Suspirou entediada- Vão atrás deles, deixe que eu cuido desses daqui.
Antes mesmo dos gatos seguirem Orochi, Karen usou seus poderes feéricos para controlar as árvores e começou a entrelaçar seus galhos sobre os pescoços dos gatunos.
 

- Você até que é bem habilidosa -Afirmou impressionado, Lucas já estava com a flauta em suas mãos, porém não era tão veloz quanto a ninfa -Mas eu pensei que sua raça defendesse os animais...
- Eles foram corrompidos por magia negra, não sei se podem ser chamados de animais - Karen continuava controlando os galhos com uma concentração extrema.

Uma batalha fervorosa começou, a melodia acelerada que o bardo tocava deixava os felinos confusos e desiquilibrados, Karen aproveitava tal brecha para os entrelaçar ainda mais. Entretanto o gato no qual a jovem estava, o maior entre os quatro, conseguiu se soltar e com um golpe violento jogou o bardo para longe, fazendo lentamente os outros felinos saírem do transe.

- HUMANO! -Gritou Karen assustada, o homem foi jogado contra uma gigantesca pedra coberta por musgo, o impacto foi tanto que uma pequena rachadura se formou.

Antes mesmo da ninfa averiguar se Lucas estava bem, o gato da garota  atravessou uma de suas garras por sua perna, fazendo a mesma se contorcer no chão, berrando por conta da dor insuportável. A garota não conseguiu conter seu sorriso ao observar toda a cena, pronta para comandar seu gatuno executar Karen.

- Saíam da minha floresta, ou paguem as consequências...

O bardo que estava com os ouvidos zumbindo e a visão tomada por um borrão, conseguiu notar uma silhueta de mulher ao lado da "fada", ele tentou se arrastar para protegê-la, mas acabou desmaiando.

 

 

 

Não muito longe do Arco de Pedra.

Orochi nunca correu tanto em sua vida, não confiava muito bem naqueles dois para conter as bestas, mas surpreendentemente, nada os seguiu.
A garota de cabelos vermelhos parecia querer acordar, seu rosto completamente sujo de poeira e sangue seco juntamente da situação desastrosa de seus pés, o fez pensar em como a magia poderia resolver facilmente qualquer problema e se arrependeu por nunca ter aprendido.
Quando chegou na entrada da cidade, teve que ser cauteloso para ninguém reconhecer a garota, se uma mulher a três metros de altura reparou, com certeza os aldeões notariam.
Depois de contornar muitas ruas, e aguentar os braços dormentes finalmente havia chegado em uma enorme tenda laranja.
A tenda ficava em uma parte pobre da cidade, logo atrás do mercado dadaísta.
- Qual é a senha? -Perguntou uma voz masculina, que ecoava de dentro dos panos.
- Desmonetização....-Suspirou irritado, aquele sistema era uma porcaria.
Um garoto com cabelos lisos e ensebados saiu de dentro da tenda, olhou para a garota por alguns segundos e entrou novamente.
-ME DEIXA ENTRAR SAIKO! -Gritou.
- Ela está morta? -Disse colocando o rosto para fora da tenda - Eu não vou esconder cadáveres de novo!
-Claro que não seu idiota.

-Então pode entrar.

Dentro da tenta, existiam vários alquimistas trabalhando. Mais de dez bancadas com diversos cristais e ervas, todos trajados cabeças os pés com roupas e equipamentos de proteção, uma máscara de gás era o que mais se destacada entre todo o resto.
- Quem é ela? -Perguntou Saiko. Ele vestia roupas simples, porém manchadas por um tipo de pó rosa. Tal pó, era na verdade um entorpecente fabricado através de sangue de duende e extrato de Flor-Vermelha. Dentre vários efeitos, os mais comuns eram alucinações e comportamentos violentos.
- Não sei...-Orochi colocou a garota em uma maca livre  no meio da tenda - Mas o Nando Moura estava atrás dela.
- Gente! E você viu o....
- Não quero falar sobre aquele hipócrita nojento...-O ladino relembrou da última vez que confiou em alguém e como esse alguém traiu sua confiança -Tenta curar ela.
O alquimista começou a analisar os ferimentos da garota, quando chegou nos pés quase regurgitou, um tipo de pus amarelado escorria entre seus dedos entrando em alguns buracos formados pelas queimaduras.
Após aproximadamente trinta minutos e quase dois baldes de vômito depois, ela estava curada. Poções altamente caras e raras fizeram um ótimo trabalho nas queimaduras, deixando apenas uma cicatriz em seu pé.

Um tipo de murmúrio afetou os pensamentos de Kim, em poucos segundos uma luz branca atacou sua visão. Parecia ter acordado de um pesadelo.

Quando abriu os olhos estava rodeada por dois homens, um usava óculos e tinha cabelo engraçado, já o outro se vestia como um fugitivo.
- Quem são vocês? -Seu corpo começou a formigar, a dor que sentia havia passado, porém as marcas que deixaram ainda estavam frescas.
- Meu nome é Orochi e o dele é Saiko- O homem de cabelos pretos se apresentou com cautela, puxando uma banqueta de madeira e se sentando ao seu lado.
- Que tipo de nomes horrorosos são esses? Digam os verdadeiros! Quer saber...onde eu estou? Como vim parar aqui? Vocês fazem parte dos exilados?
- Calma guria....-Exclamou Saiko assustado, pelo porte físico da garota ela não teria dificuldade em amassar os dois no chão - Qual o teu nome?
- Kim Watergold.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...