História Game Over - Imagine Baekhyun (EXO) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Depressão, Drama
Visualizações 54
Palavras 1.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Postei e saí correndo 🙈

Capítulo 2 - Confusões


- Ei baby! Não tente me impedir de fazer isto! É para o seu próprio bem! - Baekhyun dizia calmo mas também um pouco irritado com Hannah. 

- Então chega de baseados para você também! Você já parou para notar que nós estamos andando feito baratas tontas!? Sempre prometemos dar um fim nessa merda mas nunca paramos. Estamos andando em círculos Baekhyun! - Hannah estava quase perdendo a paciência, o tom levemente avermelhado de seu rosto deixava bem claro de que a cada momento a mesma poderia explodir. 

- Olhe para suas coxas! Cadê aquela mulher forte, aquela mulher que não aceitava o "desistir"!? Aonde foi parar a minha mulher de anos atrás? - Baekhyun ficou arrasado ao ver aquilo, era talvez um pouco demais para ele. Estavam nos pulsos, anti-braços, eram nas laterais da costela de Hannah, e agora nas suas coxas e alguns ematomas nos tornozelos e por detrás das pernas da garota. A qual já havia perdido a inocência há muito tempo, não falo de sexo, e sim sobre as dores da vida. Essas dores são como um vento que deixa rastros, mas no caso de Hannah o vento ainda permanece na sua lâmina, que cortava a pele dela todas as noites silenciosas em que ela se via só.

- Sabe por que isso está acontecendo? Hein Baekhyun!? - Hannah retrucava tentando manter sua voz firme, mas a mesma sabia que iria chorar feito uma tola, como sempre se sentia - Porque eu estou morrendo! Não consegue perceber isso? Eu não vivo mais, estou aqui por você! Todas as noites em claro, com você trancado na porra daquele sótão! Você não faz nada, só sabe ser louco nas horas em que eu mais preciso de você! Pretende jogar minhas lâminas fora? Pois então jogue, PORQUE EU NÃO ME IMPORTO MAIS! - As tão esperadas lágrimas de Hannah finalmente fizeram-se presentes nos pequenos olhos dela.

Então em um movimento rápido, Baekhyun envolve seus lábios nos lábios de Hannah. Iniciando assim, um beijo lento e molhado, lembrando dos tempos juvenis, em que os dois não tinham problemas, apenas curtiam e estudavam. Nada mais além disso. Aquele beijo estava pedindo por mãos bobas, leves mordidas no lábio inferior de Baekhyun. Aquele era um beijo que fazia Hannah temer de estar sonhando. Quando ambos se juntam, parece que uma vontade de viver brota no peito de Hannah, e para Baekhyun não é diferente, afinal, o que um belo beijo de desculpas não resolve? 

- Me perdoe amor... - Baekhyun lamentou logo após de separar a harmonia de sua língua junto à língua de sua mulher. Hannah não tinha o que falar, ela ainda estava em outro mundo. Era como de Baekhyun ligasse nela, um botão que levasse a mesma para um universo paralelo, onde não existiam problemas. E outro botão que a trouxesse novamente para sua realidade. Era incrível o efeito de Byun sobre Hannah. 

O silêncio permanecia àquele curto espaço da boca de Hannah até a boca de Baekhyun, que naquele momento já acariciava suas costas - as de Hannah -. Desceu as mãos até as coxas fartas da mesma, dando apoio para a garota subir em seu colo, e assim fizeram até o sofá espaçoso da sala. Beijos e olhares não faltavam, eles estavam desligados, apenas querendo um ao outro. Era inevitável deixar a malícia de lado, Byun estava sentindo um calor e necessidade extremos sobre Hannah, ele era sempre o dominador nessas horas. Já Hannah não ligava, gostava de ser dominada, mas às vezes se sentia sem saída. O lobo mal faminto - Baekhyun - e a menininha indefesa pela noite - Hannah -. Essa era a única maneira de interpretar o momento dos dois ali... 


- Amor acorde! Me de ao menos um tapa para saber que está viva! - Baekhyun quase gritou querendo acordar Hannah, que observou tudo a sua volta, desconhecia o local onde estava. Era estranho e um pouco ridículo. Um hospital? Talvez, muito provável. Mas... um sonho? Tudo aquilo foi apenas um sonho? Hannah estava começando a cogitar a idéia de que as coisas voltariam à serem como antes eram, como dois jovens apaixonados. Mas a realidade dos dois não era de tal forma, e estava muito longe de ser. Querer não é poder.

- Aonde eu estou Byun? - Hannah pergunta sentindo sua cabeça falhar por um momento, analisando todo o - possível - quarto que estava.

- Olá pequena Hannah, ahm... o seu querido "Byun" não está presente, posso lhe ajudar? - Já não era mais o Baekhyun. Um homem pálido, um pouco mais alto do que a mesma, tinha os cabelos escuros e encaracolados. Haviam leves olheiras marcadas em torno dos olhos do rapaz, sua voz sonolenta e rouca levou Hannah à um curto dejavu. Quem seria esse homem?  Antes dela responder, com certo receio, flashbacks invadem a sua cabeça, fazendo a mesma sentir uma forte pontada de dor. Tinha a sensação de já ter ouvido esta voz antes...

"- O que você quer de mim? Por que fez isso? Seu monstro! - A pequenina Hannah gritava assustada enquanto corria pelo quintal daquela casa que era absurdamente detalhada, como um grande e fabuloso castelo. Mas durante aquela situação, nada era fabuloso ou maneiro - como a Hannah de nove anos de idade descreveria -, aquilo era com um filme de terror. Onde Hannah era a vítima do horrendo bixo-papão. 

- Eu vou te pegar, pequena Hannah!"



Novamente ela acorda, agora em sua casa, em sua cama, tentando controlar seus batimentos cardíacos. Mas estava ao lado de Baekhyun? Não, apenas conseguia ouvir os sussurros de seu amado no andar de cima, no sótão. Era realmente uma tortura para Hannah. A mesma estava confusa, não sabia ao certo se aquilo tinha sido um sonho. Nada mais fazia sentido na cabeça dela, não sabia quem era aquele homem, não sabia se iria conseguir cuidar de Baekhyun dessa vez, pois seu estado era crítico, (tanto de Hannah, quanto de Baekhyun). Mas além de tudo, além de qualquer coisa, desistir do Byun não fazia parte da lista de planos de Hannah. 




Notas Finais


Deve estar confuso kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...