História Game Over - L.S - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Steve Aoki, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry, One Direction
Visualizações 7
Palavras 2.517
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Game Over - L.S - Capítulo 1 - Prólogo

- Press Start -

O sinal havia acabado de soar por toda escola, mas Harry e Zayn já estavam a caminho da diretoria. Talvez porque o Alfa fora expulso da sala minutos antes da aula começar, levando junto seu amigo beta. O Styles estava uma pilha de nervos, não porque perdeu a primeira aula, e sim porque – segundo ele – foi completamente injusta a forma como aquele ômega o tratou. 

Pode ser que a culpa tenha sido realmente dele, por estar jogando bolinhas de papel nos alunos como uma criança do ensino fundamental, porém ele odeia ser contrariado, e não era nem a primeira vez que o professor de filosofia o retirava da sala. Era uma aula entediante, mas isso não o impedia nem um pouco de ficar bravo.

Pararam no armário do Malik para que o mesmo pudesse deixar seus materiais guardados, ao invés de carregá-los para todo canto. Já que o Alfa não costumava tirar suas coisas do armário – principalmente nas aulas em que ele passava dormindo –, ficou apenas encostado no armário ao lado, insultando o quanto podia o homem que o retirou da sala direto para a diretoria.

Enquanto reclamava, o cacheado ouviu uma voz baixa e em seguida um cutucar perto de suas costas. Se virou e olhou para o garoto baixinho – claramente um ômega – que estava parado, o encarando com seus olhos quase cinzas. Ele vestia roupas em tons de preto, quase cobrindo completamente o corpo pelo grande moletom que usava. Percebeu que o olhar do menino já havia desviado de si quando ouviu a mesma voz que parecia repetir o que não havia ouvido antes, "Meu armário...".

"O que disse?", o Alfa pergunta, recebendo um suspiro contido do ômega.

"Eu disse que você está empatando que eu chegue no meu armário.", diz seco, porém ainda baixo.

"Uhm- ...e o que eu tenho a ver com isso?", levanta uma sobrancelha e permanece no mesmo lugar, cruzando os braços.

"Eu preciso que saia para que eu possa usá-lo.", diz óbvio, também levantando uma sobrancelha e surpreendendo o Alfa, afinal não era comum um ômega se manter firme e indiferente na frente de um Alfa – principalmente um Lúpus – claramente sem paciência.

"Que pena, pois eu realmente não me importo, quero ficar aqui.", ele persiste, com o tom de voz mais alto, tentando a todo custo conseguir intimidar o outro.

"Então fique.", responde simples, colocando as mãos dentro dos bolsos de seu moletom e se virando com a expressão mais neutra de todas, parecendo não notar o estado que deixou o rapaz mal educado para trás.


Harry seguiu os passos do garoto com os olhos um tanto escuros, vendo o mesmo sair de seu alcance com a cabeça sempre mirada ao chão, mas de forma que não parecia tímida, e sim como alguém que não se importa com – ou apenas não quer ver – qualquer coisa ao seu redor.

O beta que estava observando tudo aquilo dá uma breve risada, fechando seu armário e ficando ao lado do outro que permanecia olhando para mesmo o lado que o menino foi. "Corajoso ele,", começa a falar, ainda sem receber a atenção do amigo, "um ômega que enfrentou um Alfa, ainda um Lúpus...", diz debochado. "Nunca iria imaginar.", sorri de lado, fechando sua mochila.

O cacheado estava surpreso, bravo e confuso. "Aquele ômega me enfrentou!", exclama, sem conseguir acreditar.

Malik franze a testa, encarando o outro. "Eu sei, foi isso que eu acabei de falar! Está me ouvindo?", escuta o amigo bufar irritado, recebendo olhares de alguns ômega, betas e até Alfas comuns que passavam por perto.

"Eu não acredito!", estufa o peito enquanto caminha. "Eu sou Harry Styles...", Zayn revira os olhos, andando atrás do amigo que estava inconformado.

"Eu sei disso. Não foi nada demais, Harry! Já passou, vamos para a diretoria, se alguém nos ver aqu-", é interrompido.

"Você acha que vou deixar assim?", pára no meio do corredor, visivelmente nervoso. 

"Esperava que sim, mas pelo o que eu conheço de você...", suspira, cansado. "Styles, o que está pensando em fazer? Não diga que vai-", deixa a frase morrer quando o amigo afirma lentamente com a cabeça.

"Yeah, eu vou.", sorri de lado, ouvindo o moreno ao seu lado bufar.

-x-

Atrasado. Louis estava atrasado para sua aula, tudo por causa do garoto que tomou parte de seu tempo em frente ao armário. Não poderia simplesmente sair?

Um belo azar, isso que o menino tinha. Havia acabado de mudar seu armário para aquele, depois de pedir para o diretor já que o antigo estava com defeito na tranca. Quando consegue outro, vem acompanhado de um babaca sem noção.

Mesmo atrasado, Tomlinson andava tranquilo pelos corredores, ignorando qualquer olhar que possa ser direcionado a ele vez ou outra. Temos que concordar que não é muito normal um ômega como ele, por isso algumas vezes ouvia comentários sobre, mas nada que ele se importe. Se é que ele se importa com alguma coisa que venha dessas pessoas...

O garoto chega em sua sala, encontrando a porta aberta e sem professor algum, apenas a mesma turma entediante de sempre. Ele entra sem chamar atenção, logo se sentando numa cadeira do fundo, distante de qualquer um que possa tentar tomar seu tempo com coisas irrelevantes. Coloca sua mochila no chão, ao lado da cadeira, e encosta na mesma, fechando os olhos e se desligando do barulho que os outros alunos estavam fazendo.

Minutos depois, conseguiu ouvir a voz irritante com o sotaque forte de um de seus professores e logo os outros se aquietarem, sentando em suas cadeiras. E então, Louis percebe uma movimentação estranha perto dele, fazendo com que abra os olhos para ver. Um ômega de cabelos loiros se sentou na cadeira ao seu lado e quando percebeu que estava sendo observado se virou e deu um sorriso, não recebendo outro em troca.

"Olá, meu nome é Niall...- Niall Horan!", diz simpático, apenas vendo o outro ômega assentir com a cabeça, com indiferença. O professor começou a passar um assunto novo no quadro, sem dar tempo para que o loiro tente continuar com a possível conversa.

-x-

Três aulas se passaram e o sinal tocou, anunciando que já estava no horário do intervalo. Louis guardou sem pressa os materiais em sua mochila, esperando que os outros alunos saíssem da sala e que a movimentação nos corredores diminuíssem. Mesmo depois de um tempo, nem todos saíram, ainda havia o ômega de mais cedo.

Tomlinson decidiu ignorar e se levantou, colocando a mochila em suas costas e saindo da sala. Como esperado, os corredores estavam vazios, as pessoas estavam no pátio, mas agora outra pessoa andava com ele, enquanto o fitava sem parar. O menor seguiu seu caminho de sempre, indo para a sala de música, ainda acompanhado por Niall. Horan estava curioso sobre aquele menino - que, por causa das chamadas, descobriu se chamar Louis William Tomlinson -, ele era diferente de qualquer ômega que já conheceu.

Assim que entraram na biblioteca avistaram uma senhora beta, que estava atrás de um balcão alto, sentada em um banco e lendo algum livro com o óculos apoiado na ponta do nariz. Quando ela nota a movimentação, levanta o olhar, ajeitando lentamente os óculos e sorrindo, surpresa pelo ômega moreno estar acompanhado. 

Louis a cumprimenta rapidamente, seguindo para um dos corredores, em meio a várias estantes de livro. Niall o segue, sorrindo para a beta assim que passa por ela, logo vendo Tomlinson sentado em um dos bancos do fundo, sem livro algum. O loiro, como esperado, repete seus movimentos. O ômega castanho pega seu celular e fone, deixando sua mochila deitada em seu colo enquanto põe o pequeno objeto no ouvido, selecionando algo, cruzando os braços em cima da mesa, logo encaixando o rosto entre eles e fechando os olhos.

Horan passa alguns segundos olhando, se questionando se deve tentar mais uma vez fazer com que tenham uma conversa, ou se o deixa em paz. E decidiu pela segunda opção, aquele menino não estava com a mínima vontade de lhe dar atenção. Então, ele levanta seguindo até o balcão onde a senhora continua a ler.

"Olá, senhora!", diz de modo animado, tomando a atenção da mulher pra si, recebendo um sorriso simpático, "Sou o Niall!".

"Olá, Niall! Me chamo Elizabeth.", fala, deixando seu livro em cima do balcão, com a página marcada. "Acho que nunca o vi por aqui antes...", fecha minimamente os olhos, encarando o loiro com seus olhos castanhos e tentando reconhecer o rosto do mesmo.

"Yeah! Sou aluno novo, é meu primeiro dia... Minha família se mudou para uma casa alguns quarteirões daqui.", explica e a beta assente.

"Oh, sim! Que ótimo, mudanças fazem bem às vezes.", o loiro afirma. "Como está sendo seu primeiro dia? Vejo que fez um amigo...", se refere ao ômega que continuava isolado na parte escondida da biblioteca.

"Meu primeiro dia está sendo meio... -confuso, mas tudo tranquilo.", olha em direção à mesa que estava agora pouco, "Na verdade, ele ainda nem falou comigo. Estou tentando, ele me chamou a atenção.", dá de ombros.

"Ah, entendo... Louis é realmente bem calado, ouvi sua voz algumas vezes, mas sempre baixa demais. Apesar de tudo, ele é uma boa companhia, é bom ver ele tão sereno, não me lembro a última vez que vi um jovem assim...", sorri de lado.

"Então ele vem aqui muitas vezes?", pergunta o ômega curioso.

"Sim, já faz bastante tempo que ele sempre passa os intervalos e horários vagos aqui. Normalmente ele passa ouvindo algo nos fones de ouvido, mas tiveram vezes que ele chegou a pegar alguns livros... -sempre sozinho.", comenta, suspirando em seguida. "Apesar de não demonstrar, ele parece... -triste... Ou, não sei... Talvez seja só coisa minha, já que ele aparentemente não tem amigos e eu nunca o vi sorrindo...".

E então o loiro descobre que não é só com ele toda aquela indiferença, a vida de Louis era aquela mesma rotina todos os dias, o que parece ser deprimente aos olhos do loiro. "Deve ser horrível viver só, sem ninguém pra conversar, e tal...", faz uma cara triste, mexendo na alça da mochila.

"Também acho, mas talvez ele se sinta bem assim, vai saber...", põe uma mecha do cabelo castanho atrás da orelha. "Mas, de qualquer forma, tente mais um pouco começar uma amizade com ele, não custa nada", pede, pegando alguns – poucos – livros no balcão e colocando em seus devidos lugares nas estantes, logo voltando, assim que o sinal toca.

"Com certeza vou continuar tentando. Afinal, nós dois estamos precisando de um amigo...", passa a mão entre os fios de cabelo. "Bom, foi bom conhecê-la, senhora Elizabeth", diz educadamente.

"Oh, por favor... Senhora não, me sinto mais velha do que sou!", ri baixo, "Pode me chamar somente de Elizabeth".

"Tudo bem, Beth.", apelida, vendo ela sorrir em concordância. "Agora vou indo. Volto assim que puder!".

Niall fica um tempo esperando Louis, que estava sem pressa alguma, passou pela Elizabeth dando um breve aceno de "tchau" e logo os dois saíram pela porta de vidro, sem falar nenhuma palavra.

-x-

"Não vai mesmo falar comigo?", pergunta o loiro, depois de tanto tentar um assunto entre eles, recebendo apenas silêncio como resposta. As aulas do dia já haviam acabado, agora estavam andando para fora da escola, "Estou tentando ser legal, ser seu amigo!", bufa, já quase desistindo.

"Eu não quero um amigo.", Louis fala simples, andando lentamente em direção à sua casa.

Mesmo com essa resposta seca Niall ficou feliz, pelo menos conseguiu fazer o outro responder e agora vai continuar, até fazê-lo falar novamente, nem que seja para xingá-lo. "Ah, vamos lá, todo mundo precisa de um amigo!", sorri, andando ao lado do castanho.

"Eu não sou todo mundo. E não preciso de ninguém.", volta a falar baixo.

"Claro que precisa!", exclama. "E se... uhm -você ficar com a cabeça presa numa grade? Quem irá te tirar de lá?", usa um exemplo. Não que isso já tenha acontecido com ele... Claro que não!

"No caso, isso nunca irá acontecer.", dá de ombros, olhando para a grama e seus pés indo e vindo, calçados em um vans preto.

"Nunca se sabe... -isso é mais normal do que pensa.", resmunga, mas tenta continuar a conversa. "Bem... -e sua família? Eu preciso das minhas mães até hoje pra fazer minha comida, achar meus sapatos... Coisas de mãe, sabe?" sorri e olha para Louis, ouvindo ele fazer um som baixo com a garganta e colocar as mãos pra dentro do bolso do casaco.

"Não.", diz normalmente. Niall fica confuso, e então chega à uma conclusão.

"Então você tem dois pais! Ah, a mesma coisa... Quero dizer, homens também podem fazer comidas deliciosas. Tirando eu, que já quase coloquei fogo na minha antiga casa uma vez, mas eu posso aprender, sabe?", tagarela e só ao se calar encara o garoto, que o olhava pela primeira vez em algumas horas.

E então, ele percebeu. Oh, não!

"Oh... Sua mãe? Me desculpe, eu não... -eu não sabia. Sinto muito...", aperta os olhos, se sentindo culpado por falar demais, mas vendo o garoto dar de ombros novamente.

"Tá.", continua andando e o outro vai logo atrás, um pouco sem jeito, mesmo depois de Louis mostrar indiferença quanto ao assunto. Eles passaram todo o caminho sem trocar nenhuma palavra depois daquilo. Horan chega em frente à sua casa, olhando para a mesma e para o ômega que continuava a andar.

"Ahn... -eu moro aqui.", vê Tomlinson virar e assentir com a cabeça, logo se virando novamente, com a intenção de apenas ir para casa. "Me desculpe, mais uma vez...", repete.

O de cabelos castanhos afirma novamente, achando chata a forma como ele repete isso várias vezes. Desde a primeira vez, o menino já havia escutado. E enfim, ele volta a andar deixando o loiro para trás.

-x-

Louis chega em sua casa, abrindo a porta e indo diretamente para o andar de cima, onde fica seu quarto. Abre a porta, entra e tranca a mesma em seguida, jogando sua mochila e Vans em algum lugar.

Tira seu moletom e vai até o closet, onde as cores que se destacam são apenas as mais neutras: preto, branco e cinza. Não procura muito, logo pegando uma das calças moletom cinza escuro e uma camisa de manga média branca. Seguiu até o banheiro, fechando a porta, mesmo sabendo que ninguém entraria no quarto, já que a primeira porta está trancada.

Retira o resto de suas roupas, as deixando no cesto e indo em direção ao box. Liga o chuveiro na água fria, mesmo o clima pedindo um banho no mínimo morno. Assim que terminou, evitando molhar o cabelo, desliga o chuveiro e sai do box, pegando sua toalha e se enxugando, tentando não olhar no espelho que havia sido colocado mais uma vez, depois dele tê-lo tirado umas cem vezes.

Se veste rapidamente e deixa a toalha no banheiro, saindo do mesmo e indo até onde deixou o moletom, pegando seu celular e fone no bolso.

Andou de volta pra cama, dando play e deixando no modo aleatório, qualquer um daqueles áudios serviria no momento. Se deitou na cama cheia de travesseiros e se abraçou, fechando os olhos e se deixando levar por aquela voz conhecida por si.

x- Behind Blue Eyes - Limp Bizkit -x- 

Ninguém sabe como é

Ser o homem mau

Ser o homem triste

Por trás de olhos tristes

(...) Nenhuma das minhas dores ou feridas

Podem transparecer

Mas meus sonhos não são tão vazios

Quanto minha consciência parece ser

Passo horas, de pura solidão (...)


Notas Finais


2 caps seguidos, maybe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...