História Game Over - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin
Tags Amor Doce, Armin, Comedia, Game Over, Romance, Shoujo
Visualizações 43
Palavras 1.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


「Kon'nichiwa Floquinhos 」

0=[]:::::::> Para quem não conhece o personagem dessa gif, ele se chama Connie ou Conny, bem... Ele é uma criança oni(ogro) de Miirai Kaikata, recomendo à todos para irem assistir essa explosão de fofura.

0=[]:::::::>Desta vez eu fui rápida, mas... Assim que completarmos 300 favoritos, colocarei o nome de todos nas notas finais e depois disso irei sortear alguém para me mandar um nome, esse nome por sinal ele fará parte da minha próxima fanfic de ad... Pode ser a segunda temporada de Game Over? Pode... Mas, também pode ser de outra fanfic, com outro paquera.

0=[]:::::::>Antes, para quem receber a mensagem minha, quero deixar claro que somente o nome e personagem será necessário, não precisam me mandar ficha... Eu meio que tenho planejado a história e sua protagonista, mas eu sou péssima com nomes...Então, quem ganhar no sorteio vai levar os créditos quando o personagem aparecer. (Sim ele será um personagem fixo na fic)

[Quando chegarmos ao 300 favoritos eu explico melhor, mas... Vamos para a fase de hoje.]


➭Bom jogo

Capítulo 12 - Ok


Fanfic / Fanfiction Game Over - Capítulo 12 - Ok

Phase 12

Ok

Sábado e domingo, tive dois dias inteiros pra pensar muito na proposta de Delanay e Gerald, mas eu não consegui achar uma resposta para isso. Tenho medo de tudo isso não dar certo e eu acabar pagando um preço por isso, como todas às vezes.

Após colocar o copo de vidro lavado na pia para que secasse junto do resto da louça solto um longo e pesado suspiro. Fecho brevemente meus olhos e olho para a cozinha, me lembrando das coisas que já passei por toda essa casa. Por um lado eu adoro esse lugar e sou bem honesta quando falo que odeio me desprender das coisas, digamos que sou péssima com despedidas, principalmente se forem os meus pertences que na grande maioria possuem valores sentimentais.

Depois escovar mais uma vez os dentes, saio de casa para ir a escola, porém antes eu olho minha casa e para minha rua e sinto meio que um aperto no coração. Saio pelo portão e sigo o caminho para escola, sem fones de ouvido, pois necessito da minha audição totalmente voltada com a atenção na rua e não viajada na música.

Quando cheguei no colégio fui para meu armário pois decidi deixar algumas coisas nele, como alguns materiais para desenhos e um caderno onde eu anoto coisas como letras de músicas, pensamentos e deixo alguns rabiscos.

-Bom dia. - Olhei por cima do meu ombro vendo roupas vitorianas então, presumo que seria Lyssandre a me cumprimentar quando guardava as coisas no armário.

-Bom dia. - Devolvo o comprimento fechando o armário e me virando para a pessoa. - Tudo bem Lyssandre?

-Sim, e você? - Ele coloca uma de suas mãos para trás quando conserta a franja longa, incrível como até seu comportamento seja igual ao de gentlemen, será que ele faz isso para ganhar as meninas?

-Estou bem sim.- Sorri forçadamente assim que pensei que ele queria que eu fosse mais uma de sua lista.

-Tem certeza? Não me ache algum intrometido ou coisa do gênero, mas na sexta-feira você estava com os olhos inchados e vermelhos, aconteceu algo para que você chorasse? - Ele me olha com atenção e eu encaro aqueles olhos hecterocromaticos e não sei porque, mas me veio à mente algo como... Um lugar rural. - Irei entender se não quiser falar. - Esse olhar, será que eu já não tive e as mesma experiência? - Serena?

-Oi... Desculpe o que nos estávamos falando? - Pergunto piscando os olhos e sentindo o rosto quente. Será que ele reparou que eu o encarava?

-Tem algo acontecendo com você recetemente? Está agindo estranho. - Ele arqueia uma das sombrancelhas.

-Ah não... - Dou uma risada. - Só estou com sono, não dormi muito bem, na verdade ontem também é notável que todos reparessem nos meus olhos inchados. - Sorri sem demonstrar os dentes para o rapaz.

-Oh! Se era só isso, então fico menos despreocupado. - Ele sorri. - Tem problemas com insônia?

-É só de vez enquanto. - Dou uma risada.

-Aconselho que tome chá de camomila antes de ir dormir, é um ótimo calmante e me ajuda bastante quando não paro de pensar e produzir músicas. - Ele sorri ainda mais.

-Você escreve músicas? - Perguntei curiosa, afinal sou do signo de câncer e além de sermos emotivos, tímidos e inseguros temos uma curiosidade... Acho que esse é um dos motivos de eu amar animes que envolvem detetives ou mistérios.

-Músicas e poesias. - Concluiu ele.

-Nossa que legal, eu as vezes tento inventar algo, mas sai algo sem nexo. - Digo sem jeito.

-Entendo, eu também era assim no início, mas com o tempo eu melhorei bastante. Se quiser eu posso lhe ajudar nisso. - Ele parecia agora realmente empolgado e por alguma razão eu comecei a rir desesperadamente. - O que houve? Falei algo de errado?

-Não é... Que... Eu não sei... - Puxei o ar pelas narinas e soltei pela boca, quando voltei ao meu normal eu me senti envergonhada. - Desculpe por alguma razão eu achei engraçado, você tão empolgado... Porque... - Olhei para os cantos procurando uma explicação. - Porque, você me parece... Reservado. - Chutei.

-Você é bem reparadora. - Ele tinha uma expressão curiosa, mas depois subistituiu para um sorriso sereno. - As vezes há pessoas como você ou o Castiel que me agrada bastante ficar conversando. - Ele falou e do nada brotou o ruivo, melhor dizendo a cópia de filme romântico clichê, passando seu braço pelo platinado, que logo o afastou.

-Eai Lyssandre, estive pensando em algumas letras para nossa última música. - Ele falou olhando para o amigo, porém seguiu seu olhar chegando até mim.- O que faz com a pirralha?

-Castiel mais modos.

-Ah vamos, eu a... - Lyssandre o cutuca com o cotovelo e vejo a diretora vindo para esse corredor.

-Nos conversamos depois, tchau. - Saio praticamente correndo daquele lugar, pois algo que eu acho que poderá acontecer é a diretora contar para a minha mãe sobre eu estar conversando com a má influência de Sweet Amoris, que tem nome e sobrenome.

Fui até a biblioteca que estava vazia e me sentei no mesmo lugar que da última vez, suspirei e resolvi pegar o colar que o Gerald me deu na sexta-feira. Ele é prateado e os botões são pedrinhas roxas, ele é realmente bonito e é totalmente do meu gosto, eu lembro de ter ficado um tempo falando para ele que não poderia aceitar, mas ele me convenceu do contrário dizendo que guardava esse acessório consigo deste um dia que me viu andando com a minha mãe e enquanto ela conversava no telefone em frente a uma loja focada em coisas desse gênero eu fitava esse colar.

Eu obviamente o chamei de stalker e desconfiei dele ser o Seven, mas não poderia ser ele, pois assim que eu descobrisse essa trama de família ele poderia dizer quem era. Afinal, quais necessidades Gerald teria para não falar quem é nas mensagens anônimas?

E tem um fato que quebra essa teoria ainda mais do meu irmão gêmeo ser o Seven e chama amor, Gerald me vê como irmã e o Seven bem... Ele me ama, pelo jeito, não posso confiar muito nele, vai que... Ahhh.

Seven saia da minha cabeça!

-Bom dia himouto. (Irmã mais nova) - Gerald fala com um game portátil em suas mãos, mas eu reparei logo na outra parte do colar que ele usava no pescoço totalmente visível naquela blusa vermelha de mangás puxadas até o cotovelo.

-É... Um bom dia para você. - Suspiro pesado colocando o colar na mesa e ele se senta ao meu lado. - E você nasceu primeiro?

-Decidiu? - Ele me fez a pergunta que eu rezava para não ser ouvida antes das aulas começarem.

-O que você acha? - Indaguei e ele mordiscou os lábios e suspirou impaciente. - Vamos, não é fácil para mim abandonar minha vida para ajudar vocês em um plano...

-Desculpa por isso Serena, mas... Você não tem amigos, família muito menos e não se diverte em quase nada. - Ele fala e eu abro a boca. - Calma ai! Antes de vir dar seus chiliques de que estamos te espionando, saiba que a Rosângela é obrigada a dizer sobre como você está vivendo ao juiz todo mês. Agora sim.

-Tá, agora você me bugou ainda mais... Entretanto me deixou curiosa, o que ela fala de mim.- Joguei a cadeira para trás inclinando ela na parede e olhando para meu irmão.

-Serena é caseira e vive no quarto estudando, na escola todos dizem sempre que ela ela é a mais disciplinada. - Soltei uma risada alta.

-Tá, você tem razão.- Me jogo para frente olhando para ele. - Mas, o que você falaria se eu gosto da minha vida assim?

-Se não fôssemos irmãos gêmeos diria que você é uma masoquista de mão cheia. - Ele suspira e me olha colocando sua mão no topo da minha cabeça. - Mas, algo me diz que você está com medo disso dar errado.

-Fico feliz que me entende. - Jogo no ar.

-Entendo, mas tem uma coisa Serena. - Ele tira sua mão da minha cabeça e pega o colar que eu tanto encarava. - Você tem que deixar de ter medo de arriscar porque a Rosângela não deixava você tomar suas próprias decisões, aquém louca obssesiva quer te transformar naquilo que ela imagina ser uma filha perfeita na época medieval. - Diz ele abrindo o colar e se oferecendo para colocar em mim. - A única coisa que eu quero que você faça é que dê um chute nessa besteira e confie em mim, na gente.

Confiar...

-Já confiei demais e me alegrei de pouco. - Brinco.

-Vamos, aceite... Eu te ajudo a ganhar alguma skin no lol. - Ele ri e eu fecho os olhos pensativas.

Por favor não me decepcione.

-Ok.

-Por isso eu te amo. - Ele coloca o colar em mim e o fecha para mim, me dando um abraço. - Não vejo a hora de você voltar a morar conosco.

-Certo, certo... - Devolvo o abraço me sentindo bem, como se hoje fosse um dia em que as coisas tomariam um rumo melhor para mim. - Mas, quero a skin da Jinx estelar... - Nós dois rimos.

       Por favor Gerald, não me decepcione... Porque se isso não dar certo eu com certeza não serei mais capaz em confiar em mais ninguém, nem mesmo no meu coração.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...