1. Spirit Fanfics >
  2. Gamers in Love >
  3. Prólogo

História Gamers in Love - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Entãoo, eu não achei nenhuma fic desse tipo quando eu queria muito ler. Então eu resolvi fazer. Mas eu não conheço tuuudo desse mundo de competição e tal, então relevem oq não fizer jus a realidade. Ou me falem que eu concerto na próxima.
É isto, boa leitura. 🥰

Capítulo 1 - Prólogo


Pov Beatriz

Me despedi dos meus inscritos e desliguei a câmera. Hoje havia rendido muito, como sempre ultimamente. Fico feliz de tá crescendo na plataforma, mas não era só aquilo que eu queria.

Havia falado com o meu tio há alguns dias, ele iria mostrar algumas partidas minhas pra alguns times profissionais e ficou de me retornar quando tivesse uma resposta, já faz quase uma semana. A ansiedade tá me matando.

Resolvi tomar um banho demorado pra relaxar um pouco. Coloquei Jenevieve - Baby Powder pra tocar enquanto ligava o chuveiro. Massageava o meu couro cabeludo até que ouvi meu celular tocando e corri pra atender.

*

— Alô?

— Triz? Sou eu, acabei de falar com umas pessoas. Dei um jeito de você entrar em um time.

— É sério? Nossa eu tô mui... espera aí, como assim deu um jeito? – perguntei sentindo o sorriso se esvair do meu rosto.

— Então, apesar de todos reconhecerem que você joga muito bem, nenhum estava disposto a treinar um time feminino.

— E o que você fez?

— Eu espero que você não fique brava comigo, mas vendo essa situação eu quis provar que isso era besteira pra mim mesmo, e te apresentei como Gabriel. Com essa barreira derrubada, eles focaram só no quão bem você joga.

— Não, não, não. Espera aí, o que você quer que eu faça agora? Me passe por homem só pra jogar no competitivo?

— Eu pensei que você não se importaria com isso. Afinal, é o seu sonho não é? É isso ou você continua por um bom tempo só fazendo stream. A escolha é sua.

— Tá certo, qual o time?

— Pain.

*

Depois disso, eu conversei um pouco mais com o meu tio e refleti no banho. Aquilo tudo parecia muito surreal pra mim. Um dos maiores times brasileiros me queria? E pensar que essa porta só me foi aberta porque mentiram minha identidade... De qualquer forma, agora não tem mais como voltar atrás. É isso. Eu preciso dessa oportunidade pra provar o quanto eu sou boa e ser valorizada sem me esconder depois.

Decidi ir dormir ou eu ia ficar louca pensando.

...

No dia seguinte, acordei e programei o meu dia todo pra resolver as questões acerca de contrato e tudo mais. Além disso ainda tenho que me preocupar em parecer um cara.

Liguei pra minha melhor amiga, que também era minha vizinha, pedindo umas roupas do irmão dela emprestado. Ela não entendeu nada na hora mas eu prometi explicar depois se desse tudo certo. Sim, se. Ainda corro o risco de dar tudo errado até lá.

Depois do café da manhã meu tio passaria aqui pra me levar, tive que correr pra conseguir me disfarçar. Peguei uma atadura que tinha em casa e coloquei pra esconder os meus seios. Vesti uma calça moletom preta, blusa branca, uma jaqueta jeans e calcei um vans preto. Não tinha tido tempo pra pensar em alguma coisa pra fazer no cabelo, me desesperei um pouco. Por sorte meu cabelo é curto e com franja, amarrei a parte que eu queria esconder, coloquei uma touca e deixei a franja de fora, meio estilo emo.

Me olhei no espelho e pensei, “putz, me pegava fácil viu”, até que eu ouvi minha mãe dizer que meu tio havia chegado. Peguei uma mochila e joguei tudo que eu precisava lá.

Fizemos um caminho silencioso só ouvindo o que tocava na rádio, estávamos os dois um pouco nervosos com isso tudo. Mas eu já vi vários filmes em que a mocinha troca de lugar e dá tudo certo. Tudo bem que no final a vilã sempre revela ela, mas isso não vai acontecer aqui. Eu acho.

Quando chegamos ao escritório onde teria a reunião havia mais 4 pessoas além do chefão de lá. Quando fui chegando mais perto vi que eram os outros integrantes do time, como eu ia substituir o brtt graças à aposentadoria dele ele era único que não estava lá. Dei um breve aceno à todos mas tive que me controlar um pouco ao ver o Tinowns, eu sempre tive uma quedinha por ele e ver ele de pertinho tinha me despertado coisas. Eu parecia uma adolescente. Mas eu precisava lembrar que eu estava ali a trabalho, ah, e também que eu fazia o papel de um menino. Era bom lembrar isso.

Depois de um pouco de enrolação eu finalmente assinei o contrato, e foi aí que veio a primeira bomba.

— Então Gabriel, todos os meninos já estão instalados no apartamento. Quando você pode ir também?

Por um momento eu fiquei totalmente perdida sem saber o que fazer. Como assim apartamento? Lembrei de engrossar a voz um pouco antes de perguntar o que ele quis dizer com aquilo.

— Ahm, desculpa, mas como assim? Não tô sabendo de nada disso.

— Eu achei que o seu agente tinha te avisado. O time todo mora junto por um tempo perto dos jogos pra melhorar no treino e na performance de vocês como um time.

— Oh, certo. Eu definitivamente não sabia disso, mas isso não vai ser um problema. Hoje mesmo eu posso me mudar.

— Ótimo, você vai dividir o quarto com o nosso Esinha, já que ele é o suporte, e você como adc vai ter que se conectar muito com ele pra fazer dar certo.

— Tudo bem... então até mais tarde.

...

Me despedi de todos e voltei pro carro surtando um pouco, realmente aquilo tinha me pegado de surpresa. Era fácil me passar por homem em curtos períodos de tempo, mas morar com eles? Isso devia estar fora de questão.

— Eu posso tentar renegociar isso com eles, pedir um quarto só pra você ou te liberarem dessa moradia em conjunto.

— Não, você não consegue isso. E você sabe. Eu me meti nessa pra realizar o meu sonho, e eu vou continuar.

— Seus pais vão surtar com isso.

— Provavelmente. Mas eles vão ter que entender.

— E como você pretender levar isso? Você vai precisar dar um jeito no seu cabelo, e de roupas novas.

— Eu posso adaptar uma peruca de cosplay pra usar, quanto as roupas, acho melhor eu comprar algumas logo.

...

Quando cheguei em casa e contei como iria funcionar tudo pros meus pais eu vi o meu futuro indo por água a baixo com o meu pai surtando. Felizmente meu tio me ajudou nessa e convenceu a minha mãe que convenceu o meu pai. Agora estou eu empacotando algumas coisas pra levar pro tal apartamento.

Eu nunca fui muito boa em fazer novas amizades, não sei como eu consigo me soltar na frente da câmera. Acho que vou ter uma dificuldade em me relacionar com os outros, sem contar que esperam que eu me conecte com o meu colega de quarto que eu não sei absolutamente nada sobre. Tentei até pesquisar uma coisa ou outra na internet e não achei muita coisa sobre ele.

Acabei deixando isso de lado e me importei em arrumar tudo. Acabei chamando a Eduarda, minha vizinha, pra me ajudar com a peruca e aproveitei pra explicar pra ela a situação. Ela achou isso tudo muita loucura, afinal ela sequer gostava de jogos. Mas ela me apoiou acima de tudo. Ela inclusive me ajudou a montar uma “história” pra Gabriel e algumas desculpas pro fato de ele não ter redes sociais. E então fomos eu, ela e minha mãe até o apartamento. A Eduarda só foi pra ver se conseguia tirar uma casquinha dos meninos, pra minha sorte e azar dela, eles não estavam quando eu cheguei. Tinha um bilhete em cima da mesa da cozinha avisando que eles tiveram que sair de última hora. Começamos bem.

Depois que elas me ajudaram a organizar as minhas coisas e nós demos uma olhada no ap eu me despedi delas. Uma nova fase começava agora. Aproveitei que estava sozinha e fui tomar um banho pra relaxar, comecei a cantar The Academic - Why Can't We Be Friends de tão feliz que eu estava. Quando terminei o banho me vesti e coloquei a peruca, ao sair do banheiro dei de cara com o Eidi, o Esa, e ele tinha uma cara de desconfiado.

— Quem tava cantando? – ele me perguntou quase me fazendo ter um treco, achei que não tinha ninguém pra ouvir.

— Ahm, ninguém. Era no celular.

— Mas era voz de mulher, essa música é de uma banda masculina. – ok, fui refutada. Em minha defesa não esperava que ele fosse conhecer a música.

— É... é que era cover. Por isso.

— Ah sim, certo. Os meninos pediram pizza de boas-vindas. Vim te chamar. – não senti muita confiança na voz dele, mas deixei passar.

Beleza, esse era o momento que eu tinha que pôr em prática tudo que eu sabia sobre o universo masculino. Tirando esporte, posso conversar sobre tudo.

— Iai Gabriel, fala de você mano. Nem deu tempo de a gente conversar mais cedo. – o Thiago, Tinowns, falou.

Okkkkkk, eu não esperava falar de mim logo assim de cara. Certo, fui ingênua nessa. Mas tudo bem. Foi pra isso que eu e a Eduarda treinamos. Além do mais, eu e o “Gabriel” nem somos tão diferentes assim. É fácil.

— Tá, o que vocês querem saber? – disse enquanto pegava um pedaço de pizza

— Sei lá, fala do que você gosta de assistir, de ouvir... essas coisas assim. – o Thiago falava enquanto enchia os copos de todos com Coca-Cola.

— Certo, eu sou o Gabriel, tenho 20 anos, minha série favorita é brooklyn 99, tranquei a faculdade de história pra me dedicar ao jogo, anime favorito no momento boku no hero e black clover, eu gosto de todo tipo de música mas principalmente indie, eu adoro novela e dorama porque eu gosto de um dramalhão e eu adoro ler fantasia e dormir depois do almoço. Ah, e eu não tenho redes sociais. – afirmei tentando soar mais natural o possível, não queria falar muito da vida pessoal do Gabriel ainda. Ele precisa ser enigmático.

— Espera, nenhuma rede social? Nada nada? – o Marcos, CarioK, me indagou com uma cara surpresa.

— É, então. Eu não sou fã do instagram, facebook já morreu, twitter eu não sei usar. Só uso o whatsapp mesmo. – afirmei, de qualquer forma não era total mentira isso.

— Você devia dar mais uma chance pro twitter. Depois que você aprende a usar ele é ótimo, você não quer mais sair dele. – o Thiago me disse sorrindo, e que sorriso.

Foco. Eu preciso focar. E não é no sorriso maravilhoso dele.

...

Passamos a noite inteira conversando e pra minha surpresa eu consegui me entrosar bem com os meninos, só o Eidi que ainda tá difícil. Não sei, acho que ele não foi muito com a minha cara. Isso pode dificultar no jogo. Certo, lista de coisas que eu preciso fazer por aqui: conquistar o Esinha, tentar não morrer de amores pelo Thiago e jogar melhor do que nunca. Essa aventura tá só começando.


Notas Finais


https://pin.it/3j3SHe4

Pasta com o aesthetic dos personagens. Caso aparece mais algum novo que seja importante ele entra lá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...