História Gangsta Paradise - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Arlong, Crocodile, Donquixote Doflamingo, Donquixote Rosinante (Corazón), Eustass "Captain" Kid, Jewelry Bonney, Koala, Monkey D. Garp, Monkey D. Luffy, Nami, Nico Robin, Personagens Originais, Portgas D. Ace, Rob Lucci, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Trafalgar D. Water Law
Tags Gangster, Lawlu, Lemon, Yaoi
Visualizações 304
Palavras 2.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente mil desculpas pela demora. Escrevi esse capítulo agora. Eu tô sem tempo. Tô trabalhando, estudando e tirando carta. Ta muito corrido.

Prometo responder os comentários ainda nesse fim de semana

Por favor não abandonem a fic😣😣😣😣

Capítulo 14 - Manhã agitada


Fanfic / Fanfiction Gangsta Paradise - Capítulo 14 - Manhã agitada


Os raios solares foram os responsáveis por despertarem Luffy daquele sono exaustivo. Seu corpo estava extremamente dolorido. Ele não se lembrava direito do que tinha acontecido na noite passada. Não lembrava nem de ter ido deitar.

Ficou surpreso ao ver Law sentado do seu lado da cama, com a cabeça deitada próxima a ele. Estava difícil mesmo de lembrar o que tinha acontecido ali.

Mexendo sem fazer muito barulho pois não queria acordar o maior, Luffy se sentou na beirada da cama e soltou um suspiro bem baixinho. A dor em sua barriga agora estava fazendo com que ele se lembrasse do dia anterior.

O motivo dele estar todo dolorido foi que aquele homem de sobretudo branco o havia espancado. A memória fez com que ele cerrasse seus punhos sobre o lençol da cama.

Levantou devagar e foi andando calmante na direção da sala, onde sentou-se no sofá.

Cada centímetro de seu corpo gritava de dor. Chegava a ser torturante.

Só então Luffy percebeu que não estava com as mesmas roupas da noite anterior. Estava vestindo uma blusa vermelha e calças diferentes.

Aquilo fez seu rosto ruborizar. Law o tinha trocado ontem a noite?

Puxou a calça apenas para constatar que a cueca era a mesma. Isso fez com que ele se tranquilizasse um pouco mais.

Por que Law teria feito isso? Será que tinha alguma coisa a ver com as provocações que o maior estava fazendo nos últimos dias? Será que tinha acontecido algo a mais ontem? Isso fez seu coração acelerar.

É claro que não. Luffy teria se lembrado se eles.... Se eles...

Luffy respirou fundo e soltou outro suspiro. Estava fantasiando demais toda a situação.

Colocou a mão de leve em sua barriga e contraiu ao sentir o desconforto da dor.

Após tomar coragem, pegou a blusa que estava vestindo e a subiu um pouco, afim de ver o estrago que o homem tinha feito ali.

Quando viu aquelas marcas roxas e escuras, sentiu seu estômago embrulhar.

Correu até o banheiro, abriu a tampa da privada e colocou tudo para fora.

Viver sem o irmão era mais difícil do que ele pensaria ser.

***


Law não sabia onde estava. Parecia ser algum tipo de túnel abandonado. A luz ali era muito precária. Quase não dava para enxergar o próprio corpo. Ficou dividido se deveria caminhar para a frente ou para trás. Até porque ele não tinha certeza onde era a saída daquele túnel.

Virou para sua direita e começou a andar em passos largos. Alguma coisa naquele lugar o aterrorizava. O fato de estar sozinho ali só piorava as coisas.

Vez ou outra ouvia respingos caírem por perto. Isso o assustou pois não importava para onde ele olhava, não tinha nenhum lugar gotejando ali. A vontade que tinha era de sair correndo desenfreadamente. Mas por algum motivo suas pernas estavam mais pesadas que o habitual.

Depois de longos minutos caminhando, Law se assustou ao ver uma sombra parada a alguns metros de sua frente. Aquilo fez seu coração disparar. Estava muito escuro para ver qualquer coisa alí.

- Me ajuda... – A voz disse quase que em um sussurro.

Aquilo fez Law estremecer. Ele conhecia aquela voz de algum lugar...

- Por favor... Law... Me ajuda.. – A voz havia começado a choramingar. Law ainda estava estático no mesmo local. Alguma coisa dentro dele o impedia de continuar.

- Por favor... Não deixa ele me machucar-

Do outro lado do túnel, uma outra voz repetia agora as mesmas palavras

- Por favor... Não deixa ele me machucar...

Essa voz era mais fina que a anterior. O que fez Law ficar dividido. Olhou para trás e viu que tinha outra sombra agora. Essa aparentava ser um pouco menor. Mas ainda assim era visível que estava lá.

Em prantos, Law foi se aproximando da parede do túnel e recostou ali. Estava tentando clarear os pensamentos, mas as duas vozes não lhe davam sossego.

- Me ajuda... – Elas diziam. – Não deixa ele me machucar...

De quem eram aquelas vozes? Por que pareciam tão familiares?

Após alguns segundos um clarão de luz iluminou por instantes o túnel e Law conseguiu ver afinal de quem eram aquelas vozes.

De seu lado esquerdo, viu a mesma pessoa que ele via em todos os seus sonhos. Viu uma garotinha de cabelos castanhos. Aquilo lhe partiu o coração. Escuta-la pedir ajuda daquela forma... era instintivo querer protegê-la.

Do outro lado, ele tinha visto um garoto. Um jovem de madeixas escuras que tinha alguns cortes no rosto e vestia apenas uma camisa longa vermelha. Estava tão assustado quanto a garotinha.

Law tinha o mesmo instinto de querer proteger o garoto. Essa vontade apenas surgiu por ele perceber que se tratava de Luffy ali.

Queria proteger os dois. Salvar os dois. Mas como poderia? Ele não conseguia nem salvar a si mesmo, como salvaria outra pessoa?

Em meio aos gritos dos dois, Law se deixou levar e sentou no chão do túnel. Cobriu os ouvidos com as palmas das mãos e fechou os olhos, deixando que a escuridão o engolisse por completo.

***


Acordou todo suado e com o coração acelerado. Por alguns segundos esqueceu-se que tudo não passou de um sonho, e olhou para os lados afim de ver se ainda estavam as sombras à sua espera.

Respirou aliviado ao perceber que já tinha passado. Olhou em direção a cama e ficou um pouco assustado ao ver que Luffy não estava ali.

Levantou cambaleando e ficou em pé na porta do quarto, onde chamou pelo moreno:

- Luffy? – A voz acabou saindo rouca. – Luffy? – Repetiu dando mais ênfase.

Law escutou o barulho da descarga sendo acionada e viu o menor saindo de dentro do banheiro, um pouco cabisbaixo. O garoto estava pálido.

Law caminhou devagar até ele e colocou suavemente a mão sobre sua testa, fazendo o menor se arrepiar.

- Sua febre baixou. Não está se sentindo bem? – Perguntou preocupado.

- Só cansado. – Respondeu baixinho. – Onde estão minhas roupas? – Perguntou olhando para baixo.

- Eu as coloquei no cesto de roupas sujas. Achei que você ficaria mais confortável nessa. – Ele tomou a mão do pequeno e o direcionou para o quarto. – Precisa deitar um pouco.

- Não.. – Luffy soltou a mão do maior e parou de andar. – Eu dormi demais.

- Você tem que descansar, Luffy! – Law retrucou ao garoto. Ele também precisava ver como estavam os machucados do menor.

Luffy olhou cabisbaixo para o chão. Ele não precisava dormir mais.

- Posso ficar na sala? – Ele encarou o maior. – Eu vou ficar deitado do mesmo jeito. Posso?

Law suspirou. Seria melhor não discutir.

- Está bem. Pode ficar na sala. Mas com uma condição. – Ele aproveitou a súplica do menor para tirar vantagem. – Que me deixe ver como estão os machucados.

Luffy pareceu ficar extremamente desconfortável diante das palavras de Law. Mas ainda se sentindo inseguro pelo ocorrido no dia anterior, ele temia que algo acontecesse caso começasse a discutir muito com o maior.

Apenas acenou positivamente com a cabeça. Em seguida foi em direção ao sofá e se recostou ali.

Law percebeu que o garoto tinha ficado apreensivo. Mas não sabia direito que palavras dizer para reconforta-lo. Sua única vontade era a de encontrar Vergo e descarregar sua arma bem no peito dele.

Foi até o banheiro, deixando Luffy ali e pegou a caixinha de primeiros socorros que sempre mantinha.

Quando voltou para a sala, pegou o controle da televisão e entregou ao menor, indicando que ele assistisse o que quisesse.

Luffy ligou a tevê e deixou em um canal que estava passando um documentário sobre suricatos. Law achou interessante a escolha do menor.

Em seguida, sentou de frente para ele e começou a trocar as bandagens dos ferimentos menores. Fez isso com muita calma e cuidado. Luffy não esboçou nenhuma reação durante o processo. Apenas mantinha seus olhos grudados no televisor.

Quando Law terminou, olhou de relance para a televisão e viu que o programa não era de todo ruim. Soltou um risinho ao ver aqueles bichinhos fazendo pose de sentinela.

- Que foi? – Luffy perguntou, estranhando a atitude do maior.

- São bem engraçados, não? – Não percebeu que ainda estava sorrindo quando olhou de volta para Luffy.

Tal atitude fez o garoto corar e desviar o rosto.

- São. – Disse o moreno, sentindo as bochechas arderem.

Law percebeu que o menor havia ficado envergonhado e achou certa graça naquele comportamento. Alguma coisa atraía ele pelo garoto. Law desejava ir além apenas para saber o que era esse atrativo, visto que ele nunca se apegava a alguém por muito tempo.

- Preciso levantar sua blusa. – Ele disse, fazendo com que o menor o encarasse sem entender. – Para ver os machucados.

Luffy assentiu novamente, mas dessa vez manteve seu contato visual. O que deu um pouco mais de confiança em Law.

Ele pegou a barra da blusa e a levantou devagar, até um pouco abaixo do peito e a dobrou ali para que não caísse de volta.

Quando viu aqueles machucados sentiu mais raiva ainda daquele desgraçado do Vergo, sendo isso possível.

Colocou a mão devagar em uma das manchas escuras, do lado inferior direito e sentiu o menor contrair.

- Está doendo? – Law sabia que estava doendo. Era uma pergunta idiota na verdade. Ele apenas queria saber o quão suportável estava.

Luffy balançou a cabeça positivamente.

- Muito? Você quer ir ao hospital?

- Não. – Disse em tom firme. – Não quero.

- Está bem. – Law começou a passar as mãos sobre os machucados, tentando sentir se tinha algo quebrado ali. Vez ou outra Luffy mexia o corpo em sinal de desconforto. Mas nada demais.

Estava tudo em ordem, tirando os hematomas. Nada grave demais. Desceu a blusa com cuidado. Quando fez isso, podia jurar que viu que os braços do pequeno estavam arrepiados.

Antes de descer tudo, ele colocou sua mão novamente sobre outro hematoma, apenas para sentir a pulsação do garoto.

E como ele pensava, os batimentos estavam acelerados. Soltou um risinho maroto com aquilo.

Terminou de descer a blusa e se levantou, indo pegar alguma coisa para beber.

Quando se serviu, sentou no balcão da cozinha e voltou seus olhos para o menor.

- Posso te perguntar uma coisa? – O tom de voz de Law não era nem um pouco discreto. Estava se divertindo com aquilo.

- Pode. – O menor ainda prestava atenção no programa dos suricatos.

- Você tem namorada?

- Não. – Law viu que o moreno tinha virado um pouco no sofá. Ficou em dúvida se era por causa do desconforto dos ferimentos ou se era por que estava ficando sem graça.

- Namorado? – Law não tinha preconceito nenhum com essas coisas. Bem sabia ele que quando você escolhe só um dos lados, perde metade do prazer.

- Não. – Luffy revirou os olhos. – Estava na cara que ele estava desconfortável.

Mas isso não foi motivo para Law parar.

- Você já namorou? Namorou sério?

Luffy esperou uns 5 minutos antes de responder à essa pergunta.

- Já. – O garoto mentiu. Ele não queria admitir ao maior que com 18 anos de idade nunca tinha se envolvido com alguém. Ele nem sabia o motivo para tais perguntas na verdade.

- Então você já transou? – Law terminou de virar o copo com suco que estava tomando.

Aquela pergunta foi totalmente inesperada. Luffy queria apenas que tivesse um jeito dele se enfiar dentro daquele sofá e sair apenas quando Law parasse com aquelas perguntas.

Ele virou o rosto para o maior e fez que não tinha entendido.

- O que? – Ao ver o rosto dele, Law já sabia da resposta. Aquilo estava mais do que evidente.

Mas quem disse que ele queria parar?

- Eu perguntei.. – Ele se levantou do balcão e caminhou lentamente até o garoto. – Se você.. – Ele se sentou novamente de frente para o pequeno – Já.. – levou o rosto próximo ao ouvido dele e sussurrou desta vez. – Transou?

Ele estava muito próximo do menor. A uma distância perigosa na verdade, afinal quanto tempo já fazia que ele não se divertia um pouco?

Suspirou no pescoço de Luffy e viu que o pequeno havia se arrepiado todo.

Aquilo tinha lhe agradado. Saber que causava esse tipo de sensação no pequeno.

Ele se afastou.

- Não precisa responder. Eu já sei.


Notas Finais


Desculpe os erros. Foi tudo feito agora, até porque a fanfic ta atrasada demais, então peço perdão.

E por favor, comentem o que estão achando 🙏🙏

Prometo responder tudo até final de semana.

Um beijão pra vcs e até a próxima 😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...