História Gangster? - Park JiMin - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 113
Palavras 1.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem 💕

Capítulo 7 - Capítulo 07


Fanfic / Fanfiction Gangster? - Park JiMin - Capítulo 7 - Capítulo 07

. . .

— Voltando para me senti ao lado do JiMin novamente.

JM- Onde estava?

-: Banheiro!

JM- Ah sim.

YG- Uma taça S/n?

-: N . . .

JM- Ela não pode beber.

Jin- Por que S/n?

-: Hã. . . Eu . . . Estou tomando. . .

JM- Medicação e bebida pode prejudicar.

— JiMin pensava rápido a todo momento, ele sempre, sempre tinha algo uma desculpa, uma solução naquele lugar.

. . .

JM-- Contrato assinado, negócio fechando.

TH- Eu não fui feito pra isso. - Rir.

Jin- Você está acabado.

JK-- Isso o que da passar noite fora de casa. - Ar de riso.

YG- Eu já estou indo. Nos vemos depois, tchau S/n, prazer em conhecê-la.

-: O prazer é meu. - Me curvo de leve.

— Todos nos nos despedimos e fomos para casa.

. . .

— Fazia alguns minutos que havíamos chegado em casa, eu estava no banho quando comecei a pensar na mulher de hoje mais cedo, eu fiquei curiosa a repeito dela , por que ela me deu conselho sem mais ou menos.
Sai do banheiro, entrei no closet pego minhas roupas íntimas vesti e coloquei uma roupa para dormir, depois de vestida passei um hidratante corporal, soltei o cabelo e sai a procura do JiMin, passei pelo quarto dele e nada fui até seu escritório, a porta se encontrava aberta dava pra vê-lo segurando um copo de whisky e pensativo.

-: JiMin?

JM- Huh? - Me olhou de cima a baixo.

-: Podemos conversar? - Morde os lábios de nervoso.

JM- Sobre o que?

-: É que aconteceu uma coisa hoje.

JM- O que? E onde?

-: Na festa.

JM- Alguém tocou em você?! O que fizeram S/n? Reponde! - Se altera e vem ao meu encontro.

-: Calma. - Coloquei a mão em seu peito.

JM- Fala, o que aconteceu!?

-: É que, quando você estava conversando com seu pai, eu fui até o banheiro. Chegando lá encontrei uma mulher. Eu acho que era a Jisso.

JM- O que ela disse?

-: Disse pra mim se afastar de você e que eu não passava de mais uma.

JM- Ela disse mais alguma coisa?

-: Apenas isso.

JM- Certo, agora de onde conhece Kim SeokJin?

-: Trabalhava pro pai dele no hospital de Seul até você me sequestrar.

JM- Eu não te sequestrei.

-: Não? Será?

JM- Por um lado sim.

-: Eu vou dormir.

JM- Não. - Me puxou fazendo nossos corpo se chocarem. - Você vai ficar aqui comigo. - Me pegou e colocou na mesa.

-: O que você quer?

JM-- Você.

-: Já me teve hoje, então quieto, além do mais tenho uma pergunta pra fazer.

JM- Qual?

-: Quem é a Jisso? O que ela era sua?

JM- Está com ciúmes? - Sorrir.

-: Se fode JiMin.

JM- Nossa. . . - Morde meu lábio inferior.

-: Aí.

JM- Jisso e eu namoramos um tempo.

-: Namoravam?

JM- Sim. Ela parecia ser uma boa mulher, só que aí começou a tentar me mudar com minha família queria que eu assumisse a empresa do pai só pra que ela pudesse juntar a do pai dela, eu fiz isso daí começou a ter roubos e desvios de recursos e dinheiro da empresa, durante meses eu estava convivendo com a pessoa que estava me afundando , quando eu descobri que ela estava fazendo isso também descobri a traição.

— Fiquei olhando pro JiMin sem saber o que dizer ou fazer.

JM- Que cara é essa?

-: N-nada.

JM-- Nada? Aham.

-: Eu vou dormir, com licença. - Sai de cima da mesa. - Boa noite senhor Park.

JM- Boa noite S/n.

— Sai de sua sala indo pro quarto, adentrei no mesmo e me joguei na cama, senti meu coração bater mais forte que o normal.
Levantei ficando sentada na cama.

-: Meu deus do céu, o que está acontecendo? Por que isso do nada?

— Fiquei ali pensando até cair no sono.


Semanas depois . . .




— Algumas semanas haviam passado, eu estava convivendo com aquele ser a cada dia mais, ele estava até que de vez em quando mudando o comportamento, as vezes sério, frio, grosso e outras gentil, amoroso, fofo, carinhoso. Estávamos na mesa tomando nosso café estava o maior silêncio até que decido quebra-lo.

-: Você só pode ser de Lua.

JM- Por que?

-: Você tem horas que é frio, grosso, chato, ignorante e depois tá todo fofo e amoroso, qual é o seu problema senhor Park?

JM- Nenhum.

-: Eu não te entendo sinceramente.

JM- Não precisa entender nada garota.

-: Está vendo!?

JM- Cale a boca e coma.

-: Idiota.

JM- O que disse?

-: I-D-I-O-T-A.

JM- Levantesse. - Ordena.

-: Não.

— Ele levantou e veio até mim.

JM- Eu disse que era pra levantar. - Me puxou fazendo café derramar em mim e saiu me puxando.

-: V-vcê está machucando. - Tenta puxar o braço.

JM- Vai ficar pior. - Subimos a escadas. - Melhor ficar calada. - Abriu um porta que havia no final do corredor.

-: ME SOLTA. - Soltei meu braço. - VOCÊ NÃO MANDA EM MIM SEU IDIOTA.

— Ele me pegou pelo meio me colocando em seu ombro e entrou na sala e travou.

-: ME SOLTA.

JM- CALADA, ACHA QUE EU VOU PERMITIR QUE ME ORNDENS AQUI, NA MINHA CASA? - Me jogou em um sofá. - VOCÊ NÃO PASSA DE UMA VADIA. TENTEI SER LEGAL DESDE O COMEÇO E O QUE VOCÊ FEZ?! VOCÊ SIMPLESMENTE TRANSOU COMIGO SÓ QUE EU TE DESSE CONFIANÇA. ACHA QUE EU SOU BURRO? - Retira o cinto e passa as mãos no cabelo.

— JiMin não é tão bobo quanto eu pensava, ele era tão inteligente quanto eu.

JM- Tire a roupa e fique de quatro agora.

-: O que vai fazer?

JM- Te colocar no seu lugar.

-: Me bater vai resolver?

JM- TIRE A ROUPA E FIQUE DE QUATRO.

— Fiz o que ele ordenou, questão de segundos sentir uma cinturada em meu bumbum me fazendo trincar os dentes de dor.

JM- Isso é pra não tentar me enganar. - Me deu outra cinturada. - Essa por me xingar. - Outra cinturada. - E essa por me gritar.

— Meus olhos estavam cheios de lágrimas, o que eu mais queria nessa vida era sair dali e nunca mais voltar. Eu já estava chorando, JiMin parou por um momento e me olhou soltando o cinto.

JM- Me perdoa S/n.

-: VOCÊ É UM MONSTRO JIMIN, UM MONSTRO. EU TE ODEIO COM TODAS AS FORÇAS. - Ele se aproxima. - NÃO ME TOCA.

JM- Eu não sou assim, não sou.

-: NÃO É O QUE PARECE.

Tae- Você me tirou do sério.

-: Eu não fiz nada de mais, dizer a verdade não vejo nenhum problema .

. . . 


Notas Finais


Até o próximo 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...