História Gângster - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Gangster, Jeongguk!bottom, Jikook, Jimin!top, Jiminnix, Markson, Namjin, Romance, Sadomasoquismo, Taeyoonseok
Visualizações 362
Palavras 1.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Avisos: - O capítulo ocorre dois anos após o primeiro capítulo. Sim, eu sou mal o suficiente para deixar vocês curiosos. Mas não se preocupem tanto, ao decorrer da fanfic vocês irão saber o que ocorreu durante esse período;

Vocês podem perceber que a palavra "Trauma" (spoiler) estar em negrito. Pois bem, ela é a palavra-chave desse capítulo. Tive essa idéia para que seja mais fácil de vocês, amorzinhos, criarem teorias.

Boa leitura <3

Capítulo 2 - Capítulo Um: Aguente!


Fanfic / Fanfiction Gângster - Capítulo 2 - Capítulo Um: Aguente!

Gângster - 

Capítulo Um - Aguente! 


As luvas improvisadas protegiam as mãos de Jimin, este que desferia fortes socos no saco duro de areia que jazia em uma sala afastada e úmida na academia de porte pequeno que o vampiro frequentava.

A iluminação era fraca, entretanto, ainda sim era possível visualizar sua expressão nem um pouco amigável; o quê deixava claro que ninguém deveria falar consigo. Mas nenhum presente naquele local era corajoso o suficiente pra enfrentar Park Jimin irritado.

- Park Jiminnie! - Claro, existia algumas exceções - Cadê você? - Novamente, a voz irritada de Yoongi soou pelo local.

- Estou nos fundos! - Gritou, para que o ômega conseguisse lhe ouvir, qur de fato, funcionou. Já que em poucos segundos, o mais velho estava na sala.

- Jiminnie, o oppa e o daddy não estão me dando atenção! E e-eu não acho minha chupeta roxa! - Um bico choroso formou-se nos lábios finos do garoto, que apesar de ser mais velho, sempre agia como uma verdadeira criança. Jimin sabia que o ômega acalmava-se apenas quando estava com sua chupeta favorita.

Yoongi tinha o que os especialistas chamam de: infantilismo; transtorno causado, geralmente, por algum trauma na infância, causando com que o paciente aja como um criança, ou, até mesmo, um bebê.

- Eles estão trabalhando, Yoonie. - Murmurou enquanto abraçava o alheio, que não retribuiu. - Eles logo, logo irão acaber é lhe darão a atenção que tanto quer sim?!

- Fica comigo até isso acontecer? Ou até o Kookie chegar da escolinha? - Pediu, com os olhos brilhando em expectativa; sentia falta de ficar com o irmão.

Apenas por ouvir aquele maldito apelido a raiva que antes havia desaparecido, voltou.

- Yoongi, eu preciso tomar um banho e voltar à trabalhar! - Suspirou. - Tenho assuntos pendentes que precisam ser resolvidos!

- Mas você estava aqui! Por qual motivo não pode ficar com seu irmãozinho? - Perguntou, choroso. - Você não gosta mais do Yoonie, não é? - Bingo.

- Tu sabes que com essa carinha você consegue tudo, não é? - Perguntou, fingindo estar indignado, arrancando uma risada fofa e infantil do irmão. - Vamos para casa! Eu tomarei banho, aí podemos fazer tudo que o senhor quiser, ok? - O ômega gritou, eufórico, logo correndo para a saída do local. 

Jimin riu e deslocou-se para um corredor onde jazia seu armário, onde guardava coisas de quase nenhum valor, como por exemplo: Sua blusa, na qual vestiu-se com a mesma. Tirou as luvas guardando-as no móvel de lataria em seguida. 

Caminhou lentamente até a porta vidro - vulgo saída - repondendo sem interesse alguns "Tenha uma boa tarde, senhor Park" que recebia ao longo do percuso. 

Entrou no carro luxuoso, sendo este um Lexus LS 460. Ah, se tinha algo que Jimin gostava era esbanjar seu dinheiro em carros de luxo, sempre fora completamente apaixonados por tais coisas. 

Após entrar no mesmo, colocou seu cinto de segurança, ligou o ar condicionado, e deu partida, iniciando o percuso até sua casa, que não era tão longe. 

- Yoonie, quem lhe trouxe até aqui, afinal? - Perguntou, cortando o silêncio confortável que pairava sobres eles. 

- Eu vim sozinho Jiminnie! - Falou, orgulhoso de si mesmo por conseguir tal coisa. 

- Hoseok, TaeHyung e eu já te dissemos para não fazer isso. É muito perigoso, Yoongi! - Falou, sério. 

- Mas- 

- Sem 'mas', Yoongi! Não faça novamente. - Mandou. Não julgue-o de possessivo, ok, talvez fosse, mas estava querendo proteger seu irmão, apenas. 

Muitos cidadãos de Busan não apoiavam sua política, forma de agir em algumas situações e leis que havia imposto, causando rebeliões e, até mesmo, alguns atentados contra a família Park e amigos próximos. 

Ao chegarem em casa barra mansão, Jimin fora direto para o tão desejado banho e Yoongi sentou-se no sofá de cor rústica com o formato de L, distraindo-se com a televisão na qual passava algum desenho que gostava.


(...)

A risada infantil de Yoongi era facilmente ouvida no local enquanto Jimin permanecia sério, apenas concentrado no vídeo-game à sua frente. 

Entretanto, a brincadeira fora interrompida quando a porta foi aberta, revelando um Jeongguk medroso; sabia que o alfa barra vampiro pretendia lhe punir por um simples descuido seu. 

Poxa, não era sua culpa os empregados deixarem os vários vasos de Yoongi na beirada de alguma mesa ou qualquer outro móvel. 

Nem o próprio dono dos vasos - vulgo Yoongi - havia ficado bravo ou chateado consigo, alegando que o vaso ja estava velho e não participava tanto da decoração luxuosa da casa, então por qual circunstância o vampiro estava tão bravo consigo? 

- Jeonggukie! - Yoongi correu animado em direção ao mais novo, que logo retribuiu o abraço que recebeu. 

- Oi, Yoonie. - Sorriu doce, mesmo ainda estando com medo do alfa, este encarava-lhe de modo intimidador; olhos ficando com a coloração avermelhada; seu lado vampiro estava querendo domina-lo. - J-Jimin. - curvou-se em sinal de respeito. O alfa não respondeu. 

- Brinca conosco, Gguk! - Pediu Yoongi, animado. Adorava o ômega mais novo. 

- E-eu não posso! Preciso tomar banho e fazer algumas tarefas da escola e da casa. - Falou, baixo, encarando o ômega. - Sinto muito! - Sorriu sem ânimo. 

- Tudo bem! - Suspirou tristonho. 

Jeongguk iria falar algo para animar para seu Hyung, entretanto fora bruscamente puxado até o quarto mais temido por si, o quarto do Park Sádico Jimin, como o Jeon o chamava.

- J-Jimin, por favor, n-não faça nada comigo! - O ômega  pedia - implorava - chorando.  

- Cala a porra da boca, Ômega! - Gritou, nervoso, assim que entrou no quarto. Mesmo possesso de raiva, não queria assustar seu irmão.

- P-Por favor. - Pediu com a voz falha e com o tom baixo, mas, infelizmente, o alfa ouvirá.  

O estalo ecoou quando o corpo do moreno mais novo foi jogado ao chão gelado do local, fazendo com que Jeongguk batesse a cabeça em uma mesa próxima a si, mas continuou consciente.

- Eu mandei você calar a porra da boca! - Gritou novamente.

Dessa vez fora obdecido. Jeongguk não soltou nada, nem mesmo o gemido sôfrego de dor que estava entalado em sua garganta. O medo pairava sob o ômega.

O vampiro mais velho o puxou pelo cabelo até a cama, jogando-o sem delicadeza na cama, e indo à uma pequena sala onde guarda seus objetos. Pegou um chicote de nove tiras de couro, Seu preferido, e  duas algema de metal forte, que impossibilitaria o seu alvo de, ao menos tentar, fugir, e cinco bolinhas medianas tailandesas.

Ao voltar, pediu para que o garoto tirasse a blusa e a calça, ficando assim, apenas de cueca. Fora prontamente atendido. Pegou as mãos cálidas do Jeon e prendeu-as na cabeceira da cama, repetiu o ato com os pés do garoto, prendendo-os na outra parte da cama. O ômega começou a se debater, chorando.

Jeongguk tentou pedir para que o homem não fizesse tal atrocidade consigo, em troca levou uma chicotada na coxa esquerda.

- Eu mandei calar a boca! - Odiava quando não lhe obedeciam. - Quero que conte as chicotadas.

E assim foi. Jeongguk contou as trinta e seis chicotadas que levou pelo corpo, juntamente com as cinco bolinhas que foram colocadas dentro de si, causando um grande incômodo e dor.

- T-Tira, Jimin - Suplicou - P-por favor.

O alfa riu maldoso e sentou-se na poltrona que jazia ali, naquele cômodo grande e frio. 

- Aguente!



Notas Finais


Obrigada pelos 90 favoritos e os 11 comentários no capítulo anterior! <3 I LOVE VOCÊS <3

Até o próximo babes ^3^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...