História Gangster-Min Yoongi - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 16
Palavras 1.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Se você quiser eu quero



Levi on

(...)
—Olha lá! Você demora 'pra se trocar, demora mais do que eu.
—Claro, vai que eu encontro alguma menina no meio do caminho—Ri e continuei.—A primeira impressão é a que vale, Lolinha.
—Droga. —Ela murmura e bate no volante.
—O que aconteceu? —Perguntei, meio assustado.
—Nada, Levi! Nada.
—Você não estava assim na sala, o que aconteceu? Fala de uma vez!
—Nada, Levi! O que você acha de calar essa boca?
—O que você acha de calar com a sua? —Ela olhou para mim com os olhos arregalados. Continuei. —Tô brincando, mas se você quiser eu quero.
—O que você acha de...—Ela continuaria.
—O que você acha de admitir que gosta de mim? —Perguntei.
—Eu não gosto de você! —Eu sei que ela estava lutando para não admitir.
—Então por que você tem uma crise de ciúmes toda vez que eu menciono a vontade de ficar com alguma garota que não seja você?
—Por que você sempre fala isso na minha cara? —Tenho certeza que foi mais para ela do que para mim.
—Falo o que, Lola? Que não quero nada com você e que prefiro ficar com outras meninas? —Indago.
—Exatamente..—Muxoxo
—Então saiba que é mentira, de todas eu prefiro você.
—Esse é o problema! Eu não deveria ter me apegado tanto em você.
—As pessoas não escolhem por quem vão se apaixonar.—Respondo.
—Eu não consigo entender, foi só um beijo..—Ela diz.
—E esse beijo me deixou muito próximo de você.
—Eu me sinto uma criança, e eu odeio isso.
—Eu também, mas isso é normal. Se apaixonar é isso.
—Levi, não.
—Não o que?
—Eu não quero tentar isso!—Ela exclama.
—Tem certeza? —Fixo meu olhar na sua boca.
—Infelizmente eu tenho.
—Okay..—Olhei para o painel do carro e continuei— E Mackenzie? Acha que ela vai ficar bem?
—Eu sinceramente não sei. Ela pode estar muito bem ou muito mal, você sabe.
—Sim eu sei, mas onde será que ela 'tá?
—Não me faça perguntas difíceis! Me perguntar se eu gostava de você já foi baixo demais. —Ela riu e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha.
—Eu tenho que te atingir desse jeito! Você é baixa. —Me justifiquei entanto ria com ela.
—Cala a boca e tenta ser legal uma vez na vida! —Ela continuava rindo.
—Eu sou legal.—Olhei para seus olhos.
—Ah, claro.—Ela me responde na hora.
—Liga esse carro logo! Céus!

Mackenzie On

—Bom dia, pequena polegar. —Acordei com um sussurro próximo ao meu ouvido.
Ao olhar, pude notar que era um ruivo, com um sorriso gigantesco.
Jung Hoseok é o seu nome, e me lembro desde desde a apresentação, seguida pela morte de Lucy.
O tal Jung colocou uma mecha dos meus cabelos atrás da minha orelha direita, ao notar que seu sorriso não desmanchou, sorri sem mostrar os dentes em resposta.
—Bom dia, Jung Hoseok.
—Você tem uma memória boa. —Riu e sentou na cama, ao meu lado.—Ainda se lembra do meu nome?
—Como eu poderia esquecer de Jung Hoseok e seus cabelos ruivos?—Ele sorriu outra vez.
—Como eu poderia esquecer de Mackenzie Collyns?
—Me senti assustada agora, como você sabe meu nome? Ah, esqueci. Do nada todas as pessoas que passaram a conviver comigo sabem até do meu primeiro namorado.
—Vicktor Meyrres?
—Ele mesmo! —Eu ri e me sentei na cama.
—Você ainda gosta dele, não é?
—Não Hoseok, eu odeio ele. Odeio muito, por tudo.
—Não vou nem perguntar o que ele te fez! —Riu.
—Porém, eu imagino que você queira que eu responda do mesmo jeito.
—Exatamente, Mackenzie Collyns, você consegue ler a minha mente?—Indagou irônico.
—Consigo! 'Tá estampado na sua cara, Jung Hoseok.—Respondi irônica também, Hoseok colocou suas mãos na frente do rosto.
—Eu realmente quero muito saber.—Ele disse e sorriu—Mas se não quiser contar, não é um problema.
—Eu quero contar! As vezes é bom desabafar, certo? —Ele assentiu— Vicktor me traiu com Zoe Morgans, ex namorada do Levi, Levi Cotts..
—Quem é Levi? —Ele perguntou.
—Meu melhor amigo antes de ser sequestrada. —Fiz aspas com as mãos — Quando eu estava triste, por algum motivo banal, ele aparecia na minha casa com um buquê de flores, na maioria das vezes eram smeraldos. Sabe qual é o significado dos Smeraldos?
—Não, não sei.—Ele riu, e eu também.
—Smeraldo é uma flor com o coração machucado, Hoseok. Quando você olha 'pra ela, você imagina sua história de amor.
A lenda do Smeraldo diz que no Século 15 ou 16, em uma vila no norte da Itália, existia um homem muito feio. As pessoas diziam que ele era filho de um verdadeiro duque.
Esse homem vivia sozinho em um castelo e se escondia durante seu crescimento, ele recebia muito ódio por causa da sua aparência, então, ele não se sentia confortável abrindo o coração para qualquer pessoa. Ele só se sentia bem plantando.
Um dia uma mulher apareceu pelos arredores do castelo desse homem, ela usava roupas surradas e tentava pular a cerca do jardim para roubar flores. O homem pegou num sono e ela roubou as flores. Isso aconteceu por várias noites, até o homem decidir sair atrás dela com roupas escuras para esconder seu rosto. Depois de investigar, ele percebeu que a mulher vendia suas flores para sobreviver.
Ele gostaria de ajuda-la, mas tinha medo que ela se assutasse com ele. E ele tinha certeza que ninguém o amaria, devido sua aparência.
O homem decidiu criar flores que não existiam no mundo, assim a mulher poderia vender por um preço mais alto. Depois de varias tentativas, ele conseguiu e preencheu seu jardim com as flores incríveis.
A mulher parou de o visitar, então, ele preocupado foi até a vila sem cobrir o rosto, mas ela já estava morta.
A questão é, Hoseok..Se o homem tivesse coragem, como seria se ele tivesse mostrado seu rosto e expressado seus sentimentos?
Na maioria das vezes nós temos muito medo de fazer as coisas, por mais que elas sejam simples, porém, poderia ser tão melhor se tentássemos, sabe?
—Eu entendo, Mackenzie. Ele teve o coração machucado, por medo de se abrir.
—É, acho que ele tem o mesmo problema que eu.
—E o que você acha de superar seu medo? Você ainda tem chances.
—Esse é o problema, eu não amo ninguém, Hoseok.
—Não seria medo de amar?—Ele indagou.
—Não, seria medo de acreditar.
—Como assim? —O ruivo acreditou.
—No fundo todas as pessoas são iguais, Hoseok. —Expliquei —Bem, não todas. Existe uma minoria que se diferencia.
—Eu faço parte dessa minoria? —Ele riu.
—Sim, você faz parte da minoria que eu gosto quase sem conhecer.
—Me senti importante —Ele riu—Todos estão te esperando lá embaixo.
—Por qual motivo? —Essa foi minha vez de indagar.
—Café da manhã, Mackenzie. Vá se trocar, te espero lá.

(...) 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...