História Gangster's - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Lee Hyori, Sistar
Personagens Baekhyun, Bora, Chanyeol, Chen, D.O, Dasom, Hyoryn, Kai, Kris Wu, Lay, Lee Hyori, Lu Han, Sehun, Soyou, Suho, Tao, Xiumin
Tags Assassinato, Bondage, Chanbaek, Daddy Kink, Gangues, Ho Hyun-ju (jessi Ho), Hunhan, Kaisoo, Morte, Mpreg, Outros Ships, Sangue
Visualizações 139
Palavras 1.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!
<333333333

Capítulo 22 - Capitulo 21


 

Baekhyun Pov*

 

Hoje já fazem três dias dês que Kyung me mantém refém, e vem me torturando arduamente, ele deve ter algum tipo de satisfação em machucar as pessoas com coisas cortantes, deve se divertir imensamente, pois meus braços até o meu abdômen possuem cortes, e são ferimentos bem fundos, se torna até difícil respirar sem sentir a pele esticar abrindo o ferimento.   

 

Mas, hoje quando acordei não encontrei Soo nesse cômodo, o que me dá uma pequena oportunidade para pensar em fugir. Olhei para os meus pulsos amarrados da cabeceira da maca, notando que não são correntes e algemas que me prendem más sim apenas panos esfarrapados. Nesses dias eu me mantive tão exausto de tanto ser torturado e não ser alimentado, que só agora eu me toquei que posso escapar facilmente daqui. Eu me lembro de algumas dicas que Jessi me deu para soltar os pulsos em uma situação como essa.

 

Os nós estavam bem apertados, o que dificultou um pouco, mas como esse quarto é abafado, o suor me ajudou a soltar os pulsos depois de um certo esforço bem longo. Soltei meus tornozelos rapidamente, e segui até uma cômoda que tinha ao canto do quarto, todas as gavetas estão trancadas e obviamente Kyung não deixa as chaves aqui. Juntei todas as minhas forças e empurrei o criado mediano para o chão, vendo que ele rachou com o impacto, talvez por ser um objeto bem antigo.

 

Comecei a dar chutes sobre as costas da cômoda, podendo ver que a madeira meio podre começou a se quebrar, mas a força que uso nos meus pés não parece ser o suficiente para abrir um buraco mais largo que uma rachadura.

 

Olhei de baixo da maca onde estava preso antes, encontrando várias barras metálicas, os parafusos pareciam firmes, mas uma barra em especial aparenta estar com os pregos bem enferrujados e desgarrados. Forcei a barra de metal até que ela se soltou em minhas mãos. Esse lugar me parece um quarto de hospital ou manicômio abandonado, por tanto, as coisas por aqui são tão antigas que são fáceis de se destruir. Ao menos esse fato parece contribuir ao meu favor para conseguir escapar desse lugar horrível.

 

Usei o cilindro longo de metal para bater contra a madeira da cômoda, e conforme eu forçava e batia com brutalidade, a madeira finalmente cedeu. Abri mais a espessura da rachadura que se alargou em uma ampla fenda, usando minhas mãos para arrancar os pedaços de madeira, e tomando cuidado com as farpas, depois de muito custo consegui destruir quase toda a cômoda.

 

Encontrei duas facas, uma tesoura e seringas pelas gavetas, nada faria muito estrago em uma pessoa, se eu a atacasse, mas com a agilidade adequada poderia imobilizar, para me dar tempo de fugir.

 

Escondi as facas em minha cintura, e a tesoura achei melhor colocar dentro da manga da minha blusa de frio, cuja tem as mangas longas o bastante para ocultar muito bem esse objeto de ponta. Agora, preciso achar algo pequeno e afiado para destrancar a porta, e bem rápido, pois quebrar essa cômoda não foi fácil e consequentemente fez muito barulho, logo Kyung ou qualquer outro pode adentrar esse quarto, e eu não pretendo voltar para aquela cama imunda no canto sujo de sangue.

 

Chanyeol Pov*

Ligação on~

 

"Chanyeol, conseguimos o achar através do GPS do seu celular. Baekhyun está na Manicon Lee Kaehyun, fica a uma hora da mansão, o edifício está abandonado a anos ao que parece." -Sehun me informou através da ligação.

 

"Okay, me encontre lá com Luhan ." -Respondi ouvindo o assentir do menor e logo desligamos a ligação.

 

_O acharam? Onde ele está? –Jessi perguntou se colocando de pé.

 

_Sim, ele está no manicômio abandonado a lado Oeste de Seoul, é uma hora daqui até lá. -Respondi descendo as escadas para o primeiro andar, tendo minha irmã me seguindo.

 

Entramos no arsenal no andar mais abaixo, que fica perto do porão, e então comecei a me armar, pegando um rifle e uma sniper, más a movimentação semelhante de Jessi me chamou a atenção e eu logo a parei uma vez que ela estava carregando o cartucho de uma M249.

 

_O que está fazendo? –Ela perguntou se soltando, mas agarrei novamente seu pulso.

 

_Você não vai nessa missão, é perigoso. –Falei sendo extremamente sério, eu realmente não queria ter que ficar lembrando a ela o quão perigoso esses tipos de conflitos são, ainda mais para ela, os caras sabem que ela é minha irmã e não vão pensar duas vezes em usa-la de refém, fazendo ameaças até conseguirem o que querem.

 

_Chanyeol não começa, eu vou sim, porque caso você não percebeu nós lidamos com o perigo todo dia apenas tendo a vida que temos! Então vê de uma vez que não dá para ser assim, você vai a guerra e fico aqui em casa olhando para o teto? Não mesmo, a união faz a força, e eu sou sua irmã, somos uma família, protegemos um ao outro independentemente da situação. -Cruzou os braços sobre o peito, seu olhar é desafiador e sua sobrancelha erguida apenas da mais ênfase em sua fala.

 

_E também se Baekhyun estiver ferido eu posso ajudar, não seja machista igual o papai, pensando que sou uma criatura extremamente frágil, nós já não temos mais dez anos Chanyeol, você sabe que eu tenho razão e que posso ajudar. –Jessi argumentou e de fato ela tem razão sobre tudo. Talvez agora eu vou ter que engolir meu extinto protetor e confiar nela, na capacidade dela. Talvez seja um erro? Talvez, más estaremos juntos, e assim, no que um precisar o outro poderá ajudar, e aí vamos ver no que vai dar.

 

_Aashi tudo bem, você tem razão, mas quero sua total atenção e cuidado nisso, entendeu? –Suspirei fundo passando uma das mãos pelos meus cabelos, Jessi fez uma postura de soldado ao assentir, carregamos as armas e pegamos munição. Após isso andamos até o estacionamento, tirei o alarme de um dos carros e seguimos caminho. Encontramos Lay ao decorrer e o mesmo veio conosco.  

 

Prosseguimos pelas várias vielas indo em direção ao centro. Não parei em nenhum sinal vermelho e muito menos me importei com as buzinas altas que eram soadas quando eu passava rapidamente na frente de carros em um cruzamento, quase atropelando pedestres, enquanto o veículo roda pelas ruas em uma velocidade bem mais alta do que pedem algumas placas existentes em curvas e alamedas principais.

 

_Dês de quando você tem esse carro Chanyeol? –Jessi perguntou tocando no botão automático do vidro que tinha ao seu lado. Revirei meus olhos, imaginando o que ela vai dizer quando eu responder.

 

_Dês de semana passada. –Respondi virando bruscamente o carro em uma rodovia, ultrapassando ônibus e outros automóveis em uma velocidade muito mais rápida do que as demais. Jessi abriu o guardador de objetos a sua frente, achando um documento que não era meu, e várias outras coisas que não me pertenciam.

 

_Voce roubou? De novo Chanyeol? Pensei que já tinha passado da fase adolescente. -Guardou tudo e se encostou contra o banco.

 

_E já passei, más fazer o que? Alguns maus hábitos nunca morrem. –Respondi cerrando meu maxilar, eu estou tão tenso e enraivecido que eu sou capaz de fazer qualquer coisa por impulso. Quando eu estiver cara a cara com o desgraçado que sequestrou Baek, ele vai pagar bem caro. Porra! Eu estou frustrado comigo mesmo também, por tudo que aconteceu, por tudo que eu deixei acontecer, isso é culpa minha, más ao menos não é tarde para arrumar.

 

Jessi revirou os olhos e direcionou sua atenção para a paisagem do lado de fora do seu vidro da janela. O caminho inteiro se passou por um puro silêncio ensurdecedor, e quando chegamos no lugar indicado por Sehun, os portões de ferro enferrujados tinham placas de avisos gritantes, e lixo por quase toda parte, um belo e macabro passe de boas-vindas, dando um ar bem sóbrio a todo o lugar.

 

_Okay, Lay você vem comigo para checarmos as salas de segurança da clínica, Jessi você acha Baekhyun, e tome cuidado, qualquer coisa me mande notícias pelo rádio, ficaremos todos conectados por isso. –Falei entregando um comunicador para Jessi e outro para Lay, ambos apenas assentiram ao meu comando.

 

É hora da caçada, que os predadores se preparem, e a piedade tome conta de mim quando eu os achar, porque o único título de monstro aqui quem tem, é somente eu...

 


Notas Finais


<3 Desculpem se tiver erro <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...