1. Spirit Fanfics >
  2. Gantavy! >
  3. Você vai se minha!

História Gantavy! - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


olá mais um capitulo para vocês. Eu gostaria de agradecer a todos vocês que favoritaram minha fic não são muitos mais eu contínuo essa historia por vocês, pois mesmo sendo poucos eu sinto que têm alguém por ai que gosta do que eu escrevo então de coração eu agradeço a todos vocês.

Então sem mais delongas bom capitulo a todos.

Capítulo 15 - Você vai se minha!


Fanfic / Fanfiction Gantavy! - Capítulo 15 - Você vai se minha!

Shivani(Point Of View):

Finalmente iríamos ganhar alta do hospital, eu já não aguentava mais ficar aqui única coisa boa disso tudo é que Hina ficou o tempo todo comigo ela tinha ganhado alta antes pois estava melhor que eu mas mesmo assim ela ficou aqui nós nos aproximamos novamente claro que não como eu gostaria, pois eu sabia que ela tinha receio de que nos afastassem novamente eu entendi assim mesmo por isso ele é real Porque foi assim que Paramos no hospital mas eu iria fazer de tudo para que ficarmos juntas pois eu sinto do fundo do meu coração que é para ser assim; 

- está pronta Shiv? Eu não estava ela sorrindo para mim tudo dela dizia que ela era o amor da minha vida e eu descobri esses cinco dias que tive falta dela, que Madame Átila previu tudo meticulosamente certo eu achei o amor ele não é bem clássico como eu imaginei que seria, não é fácil mas é perfeito para o meu coração que ânsia se apaixonar e eu sinto que isso meu coração fez com maestria; 

- estou pronto assim Hina e louca para saiu daqui logo odeio hospitais, ela sorrir lindamente; 

- nem me fale só volta aqui quando eu tiver que ganhar um filho e olha lá, sua fala faz com que minha mente voe longe eu imagino como ela deve ficar linda grávida carregando o nosso filho" calma Shivani você nem convenceu ela a namorar com você e eu tô imaginando ela grávida" fazer o que eu não posso evitar porque ela é o amor da minha vida toda fico perdida no meus pensamentos até que sou tirada dele; 

-Shiv tá tudo bem Você tá aí parada sorrindo para nada, o que que foi? Que eu poderia mentir sobre o que eu estava pensando mas não vou fazer isso; 

- eu estou imaginando como você ficaria linda grávida," sei lá mas o tanto de remédio que eu tomei me deixou meio ousada", mas eu acho que eu só cansei de levar tudo com medo, olhe para Hina que está vermelha feita com tomate e Eu sorrio com meu feito; eu cheguei mais perto dela e dou mais ousada; 

- você fica linda corada, achei que não era possível mas ela corou mais ainda e como se eu não tivesse feito nada demais eu saio pela porta e chamo ela mas não olho em sua direção; 

- vamos Hina sair logo daqui, vou andando e de canto de olho observo Hina acordar e me seguir, entramos no carro e ela continua com vergonha deixa tão fofa e não deixa de ser linda, não falamos uma palavra a viagem toda mas de uma coisa eu tenho certeza Hina Yoshihara vai ser minha namorada ou eu não me chamo Shivani Paliwal.

Hina(Point Of View):

Eu sentia um misto de sentimentos, pois eu tinha conversado com Shivani sobre nosso beijo esse qual foi o motivo de pararmos no hospital eu achei que ela tinha entendido mas as atitudes dela não demonstram nem um pouco, é claro que eu gostaria de repetir o beijo eu queria experimentar muito mais desse sentimento mas eu tenho medo que venham a nos separar novamente, prefiro queria ela do meu lado como amiga porque não ter de jeito nenhum, ficamos um tempo no hospital e a todo momento eu tentava roubar um beijo de mim que quando eu arrependi ela falava " ah eu sei eu sei não podemos" para 5 minutos tentar de novo, mas agora além disso ela descaradamente fala coisas que me deixam envergonhada, tipo eu sei lá do porque eu falei eu só voltaria no hospital se estivesse grávida, também não sou tão bêbada a. de não entender o que ela estava insinuando com" você ficaria linda grávida", sei lá se era o meu desejo mais profundo se manifestando mas eu entendi ela Adoraria ter um filho comigo acho que tô ficando doida ou não, depois de me deixar com mais vergonha ainda ela saiu andando como se não tivesse feito nada eu demorei com tempo para segui-la isso é uma coisa se passava pela minha cabeça nesse segundos " que estupidez a minha proibi-la de me beijar", e a viagem curta de carro que fizemos em silêncio, à vontade de ter os lábios dela no meu só aumentava se ela tentar mais um pouco eu tenho certeza que eu cedo, fico sonhando acordada com o beijo de Shivani que nem noto quando chegamos; 

-Hina chegamos desperto do meu transe mas tudo piora pois Shivani está a poucos centímetros do meu rosto seus olhos analisam todo meu rosto, sua mão acaricia minha bochecha enquanto eu me perco em seus olhos que me analisam com muita ternura carinho e desejo, meus olhos descem para sua boca seus lábios me parecem tão convidativos  e quando ela chega mais perto o clima é quebrado;

-meninas venham logo, Shivani quase bate a cabeça no teto do carro, e sem mais nem menos começamos a rir da situação, até que Tanishk aprece;

-  o que houve meninas? nós paramos de rir e quando eu ia responder cordialmente Shivani sai do carro e fala;

-nada que te interesse Tanishk, e deixa eu e seu irmão com caro de taxo enquanto ela entra dentro de casa eu saio do carro também e falo;

-desculpe mas sua irmã é bem rancorosa,eu decidi ser um pouco cordial porque enquanto eu encarava onde Shivani tinha ido com cara de idiota Tanishk parecia triste, do nível que eu fiquei sem Shivani então eu conhecia bem esse olhar ;

-olha sei que é triste mas vai passar claro se você mostrar que ama ela de verdade e que o arrependimento é real eu digo isso e não espero ele falar nada eu também entro na casa, quando  chego na sala me deparo com dona Sana e Shivani se encarando, mas sem falar nada, mas assim que notam minha presença elas quebram o olhar e dona Sana fala;

-meninas porque não vão tomar um  banho e depois que tal um lanche? Novamente quando eu ia responder cordialmente Shivani fala;

-boa ideia Sana, eu não aguentava mais comida de hospital, e lá se foi uma Shivani rancorosa casa a dentro, vejo que para dona Sana era mais difícil pois foi um longo caminho até que Shivani a chance de mãe e agora parece que tudo voltou à estaca zero para ela, nesse caso eu não sei o que dizer então eu só lhe dou um sorriso e faço um carinho em forma de conforto em seu ombro e sigo meu caminho para meu quarto, mas antes que entre alguém me puxou e me encurralou na parede ao lado, então meu corpo todo pareceu gelatina quando Shivani sussurrou no meu ouvido;

-depois vamos ver um filme lá no meu quarto, ta bom que era somente uma pergunta comum mas ela precisava estar colada em mim e ainda sussurrar? Acho que isso não era muito necessário não pois além disso ela fazia um carinho em minha bochecha novamente e agora olha em meus olhos então eu engulo seco e respondo com uma certa dificuldade ;

-cla-claro que podemos ver um filme, e não é que o ser humano não me soltou ainda “isso mesmo não me solta fala uma voz em minha cabeça”, mas meu lado racional tenta ser forte e quando ela está a poucos centímetros dos meus lábios eu falo com o tom de voz bem sussurrado;

-Shivani o que nós conversamos no hospital? e a desgraça ao invés de se avatar continua parada no mesmo lugar e chega mais perto ainda e me responde;

-que não podemos mais nós beijar? ela responde em forma de pergunta e volta a olhar nos meus olhos bem de perto, eu sinto cada parte do meu corpo se arrepiar com a intensidade desse olhar e eu quase desfaleci quando ela sussurrou em meus lábios;

-eu não achei sua ideia adequada Hina, então eu não quero seguir ela, seus lábios roçaram os meus enquanto ela falava e de novo a voz na minha cabeça grita “ isso me beija e prensa nessa parte com esse corpo maravilhoso” (credo estou perdendo a sanidade), ao invés de eu ceder meus instintos eu falo com a voz entrecortada;

-Shi-Shivani, ela sorri para mim e se a afasta de mim e fala;

-não vou te forçar a nada quando nos beijarmos de novo eu quero que você peça, pode não ser hoje ou amanhã, mais eu sei que vai acontecer ela se aproxima perigosamente  e diz no meu ouvido;

-e depois não vamos mais parar, ela deixa um beijo no meu pescoço e sai entrando em seu quarto, “que volta aqui pode ser hoje” ai isso vai ser difícil eu respiro fundo depois de voltar para realidade e entro em meu quarto e vou direto para o banho, pensando na tortura que vai ser ver um filme com Shivani Paliwal ao meu lado, acha auto controle.

    Depois que eu tomar meu banho eu caminho até a cozinha para o lanche quando entro e deparo já com o sorriso de Shivani que automaticamente eu retribuo me sinto na cadeira a sua frente e passamos a lanchar em silêncio eu sabia que tinha mais duas pessoas na mesa mas desviar o olhar para pessoa minha frente era impossível para mim pois a cada segundo eu me lembrava das Sensações que ela me fez sentir a pouco no corredor, eu morria de medo de quê afastassem a gente novamente mas eu gostei tanto das Sensações que eu senti com ela que eu estava cedendo aos poucos e eu sabia que não faltava muito para eu ceder de uma vez, ficamos na nossa bolha até que ela é explorada por Tanishk que receoso pergunta; 

-Shivani você pode ir na casa de campo comigo amanhã para resolver tudo isso que aconteceu, Shivani olha para o irmão com a cara fechada e pergunta; 

- eu vou poder socar a vadia? Eu olho surpresa, pois eu nunca vi alguém tão rancorosa em minha vida tenho que conversar com ela sobre isso já Tanishk engole seco e dona Sana esbugalhou os olhos em direção a filha depois do Recente susto ele responde a pergunta da irmã; 

- não acho que violência é a melhor solução mas se quiser gritar demitir ela fica a seu critério, mas por favor não repita mas palavras sugestivas nessa mesa, Shivani dar de ombro; 

- tá eu vou com você me desculpe o desrespeito pelo palavrão dito na mesa da próxima vez eu falo fora; sei lá o que colocaram no remédio dela mas ela anda muito ousada, pois depois dessa tanto sua mãe quando seu irmão abaixaram a cabeça e continuar um lanche mesmo que o clima tenha pesado para eles, terminamos de comer nesse clima e isso me fez ver que eu tenho que ter uma conversa séria sobre o comportamento de Shivani pois eu sei que rancor destrói aos poucos por dentro, ela espera eu terminar então levantamos e vamos em direção ao seu quarto entramos e ela já se senta encostado na cabeceira da cama e eu continuo de pé pois senão eu perco coragem então eu falo; 

-Shivani precisava daquilo tudo sei que sua mãe e seu irmão magoaram muito nós duas, mas ele já se arrependeram é claro que eu fiquei muito chateada mas aos poucos eu estou perdoando eles, se é difícil para nós duas aceitar é que aconteceu mesmo que tenha sido mais fácil já pensou no lado deles, aqui na ásia as coisas são mais devagar principalmente aqui na Índia, tudo é muito novo e conservador mesmo que tenha sido previsto por madame Átila eu tenho certeza que nem ela compreende o quê previu, repense nesse seu rancor porque não adianta nada ter uma parte feliz na vida e a outra não, na minha família só meu pai e me apoia minha mãe acha que dinheiro é mais importante do que amor e família se fosse ao contrário, eu feliz por tudo de casa pela minha mãe enquanto meu pai tentaria achar um jeito que tudo desse certo para mim, por isso que eu estou aqui estou sem minha família mas eu sei que meu pai torce por mim, sua mãe e seu irmão erraram e Se mostraram arrependido muito arrependidos eles já têm a consciência culpando eles por tudo, você não precisa ser tão grossa com eles você não sabe como sua mãe quase chorou bem na minha frente porque você chamou ela de Sana e não de mãe mais uma vez eu te falo cuidado com rancor ele pode acabar, com a pessoa maravilhosa que eu sei que você é tanto por dentro quanto por fora. 

Eu disse tudo em um fôlego só sem dar pausas para ela me interromper eu até cheguei a respirar fundo depois que eu acabei então eu a observo e percebo que ela está chorando então vou até ela e lhe dou um abraço ela se aconchega em mim até que depois de minutos ela para de chorar e se afasta e sorrir para mim e eu passo minha mão pelo seu rosto limpando o resquício de lágrima que tinha em seu rosto, ela Respira fundo e fala; 

- você é incrível seu coração é incrível, eu tenho que tratar esse meu lado rancoroso obrigado pois desde que você chegou aqui em casa tem abrir os meus olhos para as coisas ao meu redor você é muito especial, ela acaricia meu rosto então eu vejo aquele brilho que eu vi na primeira vez que saímos juntas quando olhávamos o sol nascer sinto um clima se formando novamente, mas não é o momento então eu trato logo de dizer; 

- que chega de tristeza eu vim aqui ver um filme e vai ser de comédia eu me levanto já pegando ligando a TV e logo escolha um enquanto Shivani observa tudo que eu faço atentamente quando vou me sentar ao seu lado ela meio encabulada me pergunta; 

- você pode sentar de costas para mim? Eu entendo que ela quer que eu senti entre suas pernas por um minuto eu penso em hesitar mas quem eu tô querendo enganar então eu simplesmente respondi; 

- claro porque não, eu tenho que aproveitar os meus lampejos de ousadia, então dou Play no filme enquanto sinto os braços de Shivani rodearem minha cintura e sua cabeça descansar em meu ombro o filme todo assim enquanto eu descansava o meu corpo nu dela ela fazia carinhos discretos em meu abdômen enquanto eu acariciava sua perna por cima da calça, para quem visse de Fora seria muito sugestivo, mas a única coisa que eu conseguia sentir a paz e aconchego eu com certeza tinha muito medo se tudo dar errado mas neste momento aqui com ela eu sinto muita vontade de vencer esse medo e quem sabe no futuro, você vai ser minha Shivani Paliwal.

 

           


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...