História Garota Do Século XXI - imagine Park Jimin - Capítulo 58


Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Got7, Mamamoo, Monsta X, TWICE, VIXX
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin), Sana, Taeyang
Tags Amor, Bts, Drama, Park Jimin, Personalidade Difícil
Visualizações 437
Palavras 3.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá bolinhos. Olha quem voltou hihi
Divirta-se e boa leitura!

Capítulo 58 - Caramba Jimin!


Fanfic / Fanfiction Garota Do Século XXI - imagine Park Jimin - Capítulo 58 - Caramba Jimin!

 

Continuação do capítulo anterior 

                 

Saí da estação de metrô e segui até a escola. 

Uns 15 minutos depois eu já estava enxergando a faixada. Alunos chegando, não muitos mas o suficiente para causar um certo tumulto em minha visão.  

Andei pela entrada, pátio, um pouco de escadas e por fim cheguei ao corredor que dá acesso a minha sala e de novo mais alunos passando por mim. Uns esbarrando em mim, outros me cumprimentando... Só que entre eles estava ele. Eu não sabia se apressava meu andar e passava de vez por ele ou cessava meus movimentos e esperava ele seguir primeiro.

— Ah Jimin, tinha que aparecer logo agora! Ainda bem que ele não virou em minha direção, não vira pra cá pelo amor de Deus. — pensei alto.

Sem eu esperar por trás de mim Yongguk fez o favor de gritar em alto e bom som o nome dele. Valeu Yongguk, com todas as minhas forças valeu mesmo.

— JIMIN! ME ESPERA MANO! 

Jimin se vira no mesmo instante em minha direção e nossos olhares se encontram imediatamente provocando constrangimento em mim e insatisfação dele em me ver mas isso não o impediu de ele continuar me encarando enquanto Yongguk foi ao encontro dele passando por mim correndo, e eu ali imóvel. 

Ele está em uma distância considerável de mim mas dá pra ouvir bem o que eles estão falando um com o outro. 

— Pensei que ia chegar atrasado Jimin, naquela hora que você ligou pra mim reclamou que estava passando mal, cara.

— Também achei mas se eu chegar atrasado toda vez que eu achar que não estou bem, vou ser reprovado por falta — Yongguk riu. 

Eu simplesmente não posso ficar aqui parada fitando a conversa dos dois. Por fim decido encorajar a mim mesma a dar os primeiros passos de vários até a sala de aula. Movo minhas pernas compassadamente na contínua direção que me leva até Jimin. Procuro até mudar minha expressão desconfiada e meio triste pois ele não disfarça olhares pra mim enquanto eu ando pelo corredor cada vez mais diminuindo a distância que existe entre nós, não quero agir como se eu fosse culpada.

Inevitavelmente me aproximo deles e Yongguk percebe a minha presença. 

— (S/n)! E aí, beleza?

— Oi (S/n). — Jimin fala em tom de desinteresse totalmente indiferente.

Queria sumir ao ter que interagir com eles agora...

                   MAS

vou agir naturalmente. Ou pelo menos tentar.

— ah, oi Yongguk — fingi estar distraída — é... tudo na paz, de boas.

Jimin solta uma risada fraca por  causa da minha resposta como se eu estivesse mentindo e também por ter ignorado o cumprimento dele.

É óbvio que eu estou mentindo! Quero economizar explicações. Minha vida está ao avesso.  ninguém melhor que Jimin pra partilhar disso comigo, ele se envolveu o suficiente mas ninguém precisa saber disso.

— Porque a risada?! Eu não contei nenhuma piada aqui, novato — digo me referindo ao Jimin. 

Seu rosto com expressão um pouco descontraída logo se fecha ao me olhar com estranhamento, logicamente foi pelo modo que me referi a ele o chamando de "novato". Sinto ele procurando por respostas afinal de contas eu nunca tinha chamado ele assim.

Yongguk expressa estar confuso mas continua sem dizer nada.

— Novato?! Eu tenho nome, sabia? — ironizou mesmo estando sério.

— Ah tem, é? Foi mal eu não perdi meu tempo tentando decorar — fingi estar chateada de brincadeira mas logo sorri provocando.

— é inacreditável a maneira como você muda de personalidade tão fácil. — expressou desconsolo.

Ver o Jimin desse jeito me incomoda não vou negar, mas de alguma  forma ele procurou por isso.  não tenho culpa. Tudo estaria sendo diferente se ele tivesse acreditado em mim.

— Não devia estar surpreso, você sabe que eu sou assim. Nunca vou mudar. Está achando ruim? Vaza, se afasta de mim. Não te pedi pra ficar.

— nossa (S/n)! Você acordou ótima hoje, hein?! Nunca mais você tinha tratado alguém desse jeito.

— é Yongguk. Velhos hábitos nunca mudam. Acordei e voltei a ser quem eu era.

— eu não devia estar surpreso mesmo. Você é tão desprezivel garota! Devia ter vergonha de querer ser uma pessoa assim. Esse é o teu lado que eu mais odeio! Realmente eu não devia me surpreender com você. O que esperar de uma pessoa que brinca com o sentimento alheio e depois demonstra que pouco importa... E aí, me conta como está o envolvimento de vocês? Tá ' curtindo muito ele? Valeu a pena ter me feito de babaca?

Ouvir essa coisas do Jimin não está sendo fácil. Fez-se um nó em minha garganta senti meus olhos aos poucos se encherem de lágrimas, aquela leve ardência dando pra sentir o olho ser preenchido pelo líquido.

— como você tem coragem de dizer uma coisa dessas? Não deixou nem eu me explicar e fica me julgando. — dei uma sequência de quatro palmas pra ele — palmas pra você, seu idiota cabeça dura. Rancoroso! Não desconte em mim a sua frustração do passado. Me poupe!

— me poupe você! Apronta e ainda se faz de santa? Só você mesma. Ou você acha que eu sou burro a ponto de não entender o que estava se passando? 

— o que você viu além de uma pessoa ajudando outra que estava machucada? Para com essa mania chata de interpretar as coisas do seu jeito sem querer ouvir os dois lados da história. 

— nada vai mudar o que eu penso de você, e vendo você agindo assim comigo só me faz pensar que eu estou certo em me afastar. 

— Gente, porque vocês estão se tratando assim?

— Assim como? — eu digo visivelmente irritada.

— Assim, desse jeito tão íntimo. Parece até que vocês já tiveram algo. Que conversa toda é essa? Parece uma DR.

Jimin me interrompe e responde a Yongguk. 

— eu, namorar essa aí? Nem diga isso Yongguk. Jamais eu me envolveria com esse tipo de garota. Ela tem tudo que eu não gosto e não aceito em uma garota. Só se eu quisesse ter muita dor de cabeça. De garota assim, eu quero distância. 

— eu que não ia perder meu tempo namorando você. Metido a bom moço, herói — reviro os olhos — aargh! Me dá nos nervos. Jamais eu perderia meu tempo com você. Deve ser entediante a sua companhia, acho que não conseguiria aguentar nem uma semana.

— cada vez que você tem esse tipo de atitude, repito, mais eu tenho a certeza de que fiz a melhor coisa pra minha vida... me afastar de você. — expressou nojo ao terminar a frase.

Dei um breve suspiro antes de rebater.

— nunca pedi pra você estar perto. Eu sou essa que você está vendo aqui, grossa, ignorante, não levo desaforo pra casa, sarcástica, irônica, e não tenho medo de falar o que eu penso. Se eu achar que estou certa não vou medir palavras. Portanto, novato se você não aguenta meu jeito... vaza ok ' ?  Pode sair de perto de mim. 

— Isso não precisa você pedir. Não vou querer mesmo ficar perto de alguém tão pobre de espírito. Da até um mal estar — expressou um falso incômodo. 

— ei ei ei! Parou por aqui gente. Já deu essa troca de palavras gentis! — Yongguk fala em tom de repreensão alterando a voz  — eu sei que a convivência de vocês dois não é fácil e eu descobri isso desde o dia em que o Jimin chegou aqui, acabei descobrindo que vocês se conheciam antes, e é tudo muito louco e confuso esse comportamento de vocês. Juro que eu não entendo, mas seja o que for, acabou por aqui!

— eu já terminei de falar o que eu queria. — saí de perto mas voltei pra terminar o que eu ia falar —  Pouco me importa como ele vai agir comigo agora. Na verdade, se ele não dirigir a palavra a minha pessoa vai ser um favor que ele me faz — digo olhando pra Yongguk evitando qualquer contato visual com Jimin pois estou muito irritada, mesmo!

— Vai ser um prazer pra mim não ter que falar com você.

Mesmo ouvindo o que ele disse dei as costas na intenção de demonstrar não ligar para o que ele acabou de dizer, mas toda essa discussão desnecessária me afetou e não estou sabendo lidar. O que não é nenhuma novidade, não é mesmo?

 

                       {...}

 

Depois que eu fui para a sala demorou uns minutos até Jimin e Yongguk aparecer.

Eu percebi assim que chegaram, Jimin por sua vez olhou pra mim é eu desviei o olhar, encarei a extensa lousa branca para evitar qualquer tipo de contato visual com Jimin. 

Ouvi os passos dele se distanciando e por fim ele senta em algum lugar aleatório da sala — longe de mim, claro — e eu escoro minhas costas na cadeira procurando por um minutinho de paz. Pensamentos rondam minha mente sobre como minha vida está tomando um rumo bizarro, impossível ter paz desse jeito.

 

De um lado Taeyang é uma pedra em meu sapato com essa porcaria de chantagem pra cima de mim.

De outro minha situação com Jimin só piora. Foi muito desagradável o que a gente disse um para o outro naquela hora, não necessitava ele ter sido tão grosso comigo e também eu não esperava que ele fosse falar tudo aquilo. Foram uma das coisas que mais me deixou aborrecida com ele.

Porque é tão difícil ele acreditar em mim? Não sei o que fazer quanto a isso mas de uma coisa eu tenho certeza. 

NÃO VOU ME REBAIXAR E PROCURAR ELE PRA CONVERSAR!

EU NÃO FIZ NADA DE ERRADO, EU NÃO TRAÍ VOCÊ JIMIN! 

Por falar nisso, tenho que encontrar uma maneira de achar o Jungkook, ele é a peça chave pra eu poder conseguir uma quantia que faça o Taeyang me deixar em paz.

Será que ele aceitaria morar na minha casa por um mês?

 

                  {...}

A aula começou a um bom tempo. Já estamos próximo do intervalo para ser mais exata mas só se fala dessa apresentação do trabalho ridículo em dupla e que eu nem recordava mais. 

Me dei conta que o meu parceiro é o Jimin. Nem concluímos o conteúdo com considerações finais e o desfecho de tudo. Vai ser um desastre essa apresentação. 

— Professor, posso tomar água? Não estou me sentindo muito bem — eu digo. 

— O que você tem? É algo grave? — ele indaga em um tom curioso. 

— estou me sentindo sufocada, — com toda essa situação na minha vida — uma leve dor de cabeça e um certo incômodo no estômago. Nada demais. Não se preocupe, você ainda vai me ver muito por aqui. — a maioria riu.

— Vá e volte logo, sem gracinhas.

Apenas me levantei da cadeira e saí da sala.

 

                   REFEITÓRIO 

Me aproximei do bebedouro, me curvei e tomei uma sequência de três goles d'água e ergui meu corpo novamente e me virei para frente.

— Ai, que susto! Seu idiota. — coloquei a mão em meu peito com expressão assustada mas logo voltei ao normal — Porque veio atrás de mim? Sai daqui.

— Ei! Que agressividade é essa meu amor? — riu cínico — aproveitei a "deixa" que você me deu e vim aqui falar com você. — acariciou a lateral do meu rosto.

— eu não te dei "deixa" nenhuma. Realmente não estou passando bem, só isso. — tirei bruscamente a mão dele do meu rosto.

— olha lá hein '  não inventa de adoecer porque você tem que estar em ótimas condições pra me entregar o meu dinheiro. — sorriu de canto.

— já que você está tocando nesse assunto, eu queria conversar com você sobre mas não aqui, não agora.

— Mas eu quero falar sobre o meu dinheiro agora. Você não tem que impor nada, não tem que ditar regras de quando eu devo falar com você. 

— Taeyang por favor, não é uma boa hora eu não ' muito legal, cara.

— as coisas não podem ser do seu jeito. Vem comigo agora! — pegou em meu bravo apertando e praticamente me arrastando para um lugar mais dstajre do refeitório. 

— Taeyang me larga agora! Você ' me machucando idiota. — expressão de incômodo.

 

          {Atrás da quadra}

— Qual a parte do " eu não ' muito legal, cara" você não entendeu, hein' ?

— Vamos logo ao que interessa, o que você tem pra me dizer, qual a tua posição sobre o assunto? Só pra reforçar o prazo está se esgotando. 

— já que você me trouxe aqui por livre e espontânea pressão, vou te dar a notícia. Na verdade quero te fazer uma proposta.

— nada de proposta. A gente já tem um trato.

— Eu sei criatura, vai me deixar falar?

 — diz logo (S/n) — demonstrou impaciência.

— a proposta se trata de mais tempo pra mim, não está sendo fácil convencer Antônio... te proponho um mês e consigo a quantia que você precisa ou o que eu puder arrecadar.

— como é que é? — ele indaga  incrédulo — você acha que eu sou algum babaca (S/n)?? — partiu pra cima de mim.

— Não chega perto! — estendo a mão na direção dele — você não pode tentar nada contra mim Taeyang. Eu tenho o que você quer, se me agredir vai ser pior pra você — digo com a voz nervosa.

— Você está me enrolando! Acha mesmo que eu vou cair nessa? Um mês — riu sem humor — eu tenho pressa garota! — se aproximou mais e eu recuei para trás dando apenas um passo — ate agora voce nao me deu nenhuma garantia por fora de que estava tudo certo. Como vou confiar em você? Como vou saber que você está falando a verdade?!?!

— Minha vida não é garantia pra você? Eu tenho a consciência de que se eu não cumprir com o combinado você vai dar um jeito de me eliminar. Não sou boba.

— vejo que você tem um pouco de sensatez.  E está me saindo muito esperta também.

— me diga o que eu quero saber! — Vai me dar mais tempo? Eu não vou te enganar. Preciso desse tempo pra conseguir tirar toda a quantia. Se trata de muito dinheiro Taeyang.

— se eu desconfiar que está tentando me engabelar, está ferrada na minha mão, tendeu' garota? — pegou em meu maxilar bruscamente arrochando. 

— m-me solta Ta-Taeyang! 

Esmurrei seu peitoral com toda a minha força mesmo ele agarrando minha cintura com a mão que está livre. Ele me prensa contra si suspendendo um pouco meu corpo para andar até mais próximo ao muro onde me pressionou causando dor quando minhas costas entram em atrito com a parede.

— Seu desgraçado! Me soltaa — murmuro olhando em seus olhos — o que pensa que está fazendo?! Enlouqueceu?!?

Tento empurrá-lo com meus punhos fechados implorando misericórdia aos céus para que ele não tentasse nada contra mim. Eu estou me defendendo como posso mas não sei exatamente o que pretende e além disso estou muito apavorada pois essa atitude dele está me remetendo memórias do passado sendo agressivo dessa maneira repugnante.

— Não grita! Se você fizer isso eu acabo contigo aqui mesmo. Ultimamente você está me dando nos nervos por me evitar tanto. Que tipo de namorada é você?

Pressionou a mão esquerda na lateral do meu quadril de modo que passeava com a mesma por debaixo de minha saia levantando-a enquanto eu tentava me desvencilhar dele já em pânico pelo calor do momento. Ele aproxima os lábios iniciando um beijo forçado.

Me debati ao máximo querendo sair daqui, ao mesmo tempo que reluto fico em choque pelo momento. Lágrimas começam a escorrer em meu rosto e eu fecho os meus olhos já perdendo um pouco a força nos meus braços de tanto empurrar ele para longe.

Sem ao menos eu esperar ainda de olhos fechados escuto o som de um soco e sinto Taeyang  se distanciar, suas mãos não fazem mais força e também não sinto mais suas investidas. 

Reluto em não abrir os meus olhos apenas levo minhas mãos as orelhas fazendo gestos de quem não quer ouvir algo e em meu rosto é a expressão de medo e pavor que predomina. Minhas lágrimas e o choro baixo não cessam.

Escuto os gemidos fracos de Taeyang e sons de mais pancada, lentamente abri meus olhos com a vista embaçada pelas lágrimas apenas consigo assimilar uma outra pessoa deixando Taeyang completamente nocauteado. Ainda estou em choque mas procuro voltar ao meu estado normal e o resto atenção em quem me salvou dessa vez... Não sabia se ficava atordoada pelo ataque que sofri ou por ver que Jimin estava me defendendo batendo nele sem piedade. 

Não sabia o que pensar... Se ele está me odiando tanto e quer distância de mim, porque ele está fazendo isso por mim?

Está visível a incapacidade do Taeyang se mover, seu rosto machucado, em algumas partes sangrando um pouco e ele com as mãos sob o abdômen expressando dor.

Ainda bastante ofegante ele me olha introspectivo.

Você ' bem? — Jimin me questiona vindo em minha direção mesmo me tratando com indiferença se assustou um pouco ao ver meu estado. 

— e-eu Jimin eu... Ele não me d-deixava — meu choro desesperado aumentou.

Não conseguiu sair uma palavra certa da minha boca. Estou tentando absorver tudo que acabou de acontecer.

Ele se aproxima de mim e me fita apavorada. A expressão dele é de quem está confuso. Ele leva sua mão direita a lateral de meu rosto e retira as mechas do meu cabelo que estão grudadas a minha bochecha por consequência das lágrimas. 

— shiii, calma (S/n). Está melhor? — continuou me olhando sério. 

Eu assinto negativamente a cabeça e coloco as mãos em meu rosto na tentativa de me esconder. De que? Não sei, apenas agi assim. 

Por surpresa minha ele me abraça na tentativa de me acalmar.

— Mas que droga (S/n)! Porque não gritou por ajuda? E se eu não estivesse atento, hein ' ? Já pensou no que poderia ter acontecido com você? — demonstrou aborrecimento — Vem — se afastou do nosso abraço segurou meu pulso — Vamos sair daqui.

— Onde você vai seu filho da mãe! Isso não vai ficar assim! Volta aqui pra eu te quebrar todo — Taeyang exclama.

Jimin não dá ouvidos e nos viramos pra sairmos daqui. 

— deixa ver seu eu entendi direito, isso tudo é por causa dessa vadia aí? É sério isso? Você virou o guarda costas dela agora? — se levantou devagar com dificuldade e Jimin tenta conter a indignação de ter escutado isso.

— ele só está querendo te tirar do sério, não cai na dele Jimin. Por favor — com a minha mão livre agarro seu braço apertando um pouco no calor da emoção. 

— RESPONDE SEU MAURICINHO DE MERDA! — ele berra.

Jimin olha pra ele se preparando pra bater nele de novo.

— CALA A BOCA, DESGRAÇADO! — Jimin rebate gritando de volta.

— Você tem alguma coisa com ele (S/n)? Por isso que fica me evitando? 

Apenas olho pra ele sem responder nada.

— Me diz agora! Confessa! Não tem outro motivo dele dar uma de defensor seu se não tem interesse em você! 

Continuo calada porém nervosa, muito nervosa.

— Bem que Sana me falou mas eu não quis acreditar — riu sem humor — eu não quis acreditar na vadia piranha que você é! Como você pode me trair assim, ainda mais com esse vagabundo. Sua vadiaaaa  — gritou bem alto.

Jimin se armou pra ir em cima dele mas eu o interrompo.

— Ya Jimin  — ele me olha por cima do ombro — toma cuidado, por favor. — me agarro mais ainda a ele. 

Ele me olha de um jeito diferente. Sem ódio de mim como antes, pelo menos é o que aparenta.

— Você já me disse isso uma vez.  Fica aqui, eu já volto.

Assim que Jimin falou essa frase se desvencilhou do meu braço e partiu pra cima do Taeyang.

— e você fala demais seu desgraçado! — ele diz.

Jimin partiu pra cima dele lhe dando um soco novamente mas dessa vez Taeyang revida o soco fazendo Jimin cambalear um pouco para trás mas logo ele se recupera e encaixa uma ajoelhada perfeita no estômago de Taeyang que desaba no chão tossindo.

— Isso é pra você aprender a respeitar e não falar nunca mais desse jeito com ela. E se você pensar em tentar algo com ela de novo... Eu acabo com você, covarde safado.

— Isso é uma ameaça? 

— Quero que você pense duas vezes antes de tocar em um fio de cabelo dela.

— Você não sabe com quem está mexendo! E você (S/n), não vou perdoar a traição. 

— Vamos embora daqui (S/n). — Jimin fala caminhando em minha direção pegando no meu pulso novamente e por fim saímos daqui.

 

CONTINUA...

 

 


Notas Finais


Obrigada por ler este capítulo.

"Tinha um desabafo imenso aqui mas resolvi apagar, tem muitas pessoas que não merecem ler o que eu escrevi pois são incríveis e dão valor a fic de verdade. Obrigada a você que acompanha, tu é incrível!

Ps: podem comentar o que acharam desse Cap, faz mais de três dias que eu tento postar ele. que sufoco a s/n passou não é mesmo? gostaram da atitude do Jimin, esperavam mais dele? quero saber de vocês bolinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...