História Garota Venenosa - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruto, Sasusaku, Sexo, Veneno
Visualizações 109
Palavras 1.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 5 - Salvos pelo desmaio


Ino olhava de um rosto para o outro. A boca tão aberta quando se a mandíbula houvesse desgrudado de suas cavidades de encaixe. Não sabia se os parabenizava pela ousadia ou ralhava pela clara falta de juízo. Estava louca por detalhes e não economizaria nas perguntas, mas levando-se em conta que, justo naquele instante, a diretora Tsunade e todo o conselho da escola estavam, justamente, seguindo para aquele laboratório, as fofocas podiam ficar para depois. Se Tsunade os visse em tal situação, ainda mais na presença daquele bando de tradicionalistas, três cabeças iriam rolar e a terceira seria a dela.

- Vocês tem 1 minuto pra se recomporem e vazarem daqui! – Gritou em claro desespero. – Tsunade e os engomadinhos do conselho estudantil estão vindo pra cá!

- Ferrou! – E se Sasuke achou que jamais veria Sakura em claro desespero, se enganou. A garota praticamente pulou da bancada, arrumando a calcinha e a saia no devido lugar e colocando a blusa mais uma vez.

Ino apenas os observava se arrumando, tendo nos olhos um misto de surpresa e nervosismo. Não haviam se passado nem um minuto quando ouviram vozes altas se aproximando da porta e as três figuras na sala simplesmente congelaram. Não podiam simplesmente sair, ambos estavam matando aula e mesmo que agora trajassem as devidas roupas, ambos cheiravam a sexo. A loira não esperou qualquer reação dos dois, simplesmente empurrou-os para debaixo da bancada com suas mochilas.

A porta abriu e a garota sentiu o sangue gelar. Sasuke e Sakura não podiam ter escolhido um local e um horário pior para praticar safadezas. Primeiro a mulher alta, loira e peituda introduziu-se no laboratório seguida por aproximadamente cinco pessoas, sendo três mulheres e dois homens. Aparentemente a loira mais velha parecia alheia a atmosfera sexual que o laboratório exalava e a loira esperava que continuasse assim.

- E esse é o nosso laboratório de química. – Disse orgulhosa. Houveram vários murmúrios de aprovação a respeito da arrumação do ambiente e equipamentos e Tsunade explicou-lhes algo sobre a boa aplicação das verbas da escola.

- Com certeza é um belo ambiente. – Um dos homens comentou. Ele parecia satisfeito, porém o suor na testa denunciava que o calor o incomodava. – Se não se importa, aqui está muito calor. Será que não podíamos esquecer os detalhes e ir a um cômodo mais arejado?

- Sim, senhor Iruzen. Vamos, senhorita Yamanaka. – Concordou polida. Todos estavam se retirando e Ino já podia sentir o alívio percorrendo o corpo. Seu pescoço estava salvo, ou pelo menos foi isso que pensou por breves segundos. – Um instante... Ino, que cheiro é esse?

- Cheiro? – Tentou soar confusa, mas mentir não era uma das habilidades da loira mais nova. Contudo, Nenhuma das pessoas pareceu perceber. Maldita Tsunade e seu olfato aguçado. – Bom, mais cedo estava havendo aula. Pode ter sido alguma atividade prática.

- Não sei. – Falou se aproximando do fundo da sala. Obviamente estava seguindo seu olfato e Ino só podia rezar para a situação não piorar. – Parece cheiro de comida Tailandesa.

- Algum aluno devia estar violando as regras sobre comida nos laboratórios. – O suor já escorria por sua testa e as pernas bambearam quando viu a mulher apoiando a mão na bancada o qual o casal se ocultava. Nenhum dos dois sequer ousava respirar. Parecia que o ato essencial para a sobrevivência poderia ser, igualmente, o pontapé para sua morte.

- Está por aqui... – Disse. Fazia menção de se abaixar quando o corpo da loira simplesmente desabou. – Ino!

Sasuke deixou que um suspiro baixo escapasse por entre seus lábios quando viu a sombra de Tsunade distanciando-se. Sentiu-se sortudo. Estupidamente sortudo. Podia ouvir o barulho que faziam ao redor da loira e era grato pelas habilidades de encenação da Yamanaka. Lembraria de lhe pagar um lanche mais tarde. Não que achasse que a amiga não fosse arrumar uma forma de cobrar pelo favor.

Houve um pouco de silêncio e a voz de Ino passou de um murmúrio a um lamento fraco. Sasuke não sabia que Ino podia ser tão convincente e por alguns instantes franziu as sobrancelhas. A ouviu falar algo sobre calor e após isso não demorou até que todos esvaziassem o local, deixando Sakura e Sasuke mais uma vez sozinhos.

A garota empurrou-se pra fora quase imediatamente. Pôs-se a frente das portas de vidro do armário dos microscópios e passou a arrumar os cabelos, ignorando completamente a presença de Sasuke, ou pelo menos essa foi a impressão que o rapaz teve. Não que ela realmente quisesse ignorá-lo, mas não era acostumada a ser toda “meu amor” depois de uma fodida. Ser melosa não era uma de suas características e Sakura não pretendia mudar isso. Ele recostou-se na bancada observando-a de costas. Havia transado com aquela garota há poucos minutos e havia gostado. De certa forma, a falta de interesse que ela demonstrava agora fazia com que a desejasse ainda mais, da mesma maneira que o silêncio do rapaz ausente de olhar apaixonado refletido no vidro fazia com que o olhasse com aprovação.

- Melhor irmos. – Disse por fim, voltando-se em sua direção. – Podemos não ter tanta sorte se nos pegarem dessa vez.

- Hun.

Foi tudo o que disse e logo os dois saíram lado a lado da sala. Era quase hora do intervalo e por via das dúvidas era melhor seguir em direções opostas. Sasuke ainda ousou olhar para trás, vendo-a distanciando-se de si em seu caminhar silencioso e gatuno. Os cabelos eram uma cascata desgrenhada em suas costas e a saia desenhava sua bunda tão bem que foi impossível não relembrar aquela maravilhosa forma empinada em sua direção. Sentiu o tesão encher sua mente e mal via a hora de fodê-la novamente. Dessa vez iria ser por horas. Sorriu de canto e seguiu seu caminho calmamente. Aquela boceta era sua e se certificaria de que ninguém encostasse se quer um único dedo nela.

Ele era possessivo. Ela havia notado logo quando ele a prensou contra a parede. O olhar era devorador e Sasuke realmente a havia devorado. Parecia que ainda podia sentir o pau preenchendo-a forte, duro e rápido. A simples lembrança fez sua calcinha enxercar-se pela segunda vez naquela manhã. Não recordava-se de alguma vez ter se excitado tantas vezes seguidas quanto naquela sexta e riu maldosa com a conclusão. 17 centímetros de puro prazer, entrando e saindo de sua boceta inchada e molhada. Havia sido uma caçada e tanto, mas o jogo havia acabado de começar. Não era de seu costume repetir uma caçada e tão pouco deliciar-se tanto com alguma presa. Mas a possessividade daquele cara havia atingido seu ponto fraco e ela se perguntava que tipo de coisas poderiam fazer em uma cama com tempo indeterminado. Provavelmente não sobraria muito de sua sanidade para contar a história depois.

- Vocês quase me ferraram. – A loira acusou quando ainda eram apenas garotas sentadas a mesa. – Tem ideia do que teria acontecido caso se a diretora pegasse vocês daquele jeito? Além de serem expulsos eu, a inocente da história, iria aguentar mil anos de fúria!

- Eu já me desculpei. – Sakura soltou com uma ponta de irritação. Já havia se desculpado, no mínimo, dez vezes, mas a Yamanaka continuava a repetir aquela história. Era grata a Ino, mas detestava ouvir sermão. Ainda mais depois de ter pedido desculpas.

- Bom, o que passou, passou. – Hinata interveio antes que Ino conseguisse irritar a garota ainda mais. – Embora que ainda ache engraçado você realmente ter desmaiado de nervosismo.

- Eu tenho ansiedade, ué! E na hora tive um ataque de pânico. – Deu de ombros e voltou os olhos azuis para Sakura. – Mas sério, que loucura foi aquela? Como vocês terminaram trepando no laboratório de química?

- Só rolou. – Sakura riu maldosa. – Eu não resisti a uma brincadeirinha quando vi que o cara estava de pau duro. Então eu resolvi “ajudar” a aliviar a tensão.

- Você é muito pirada. – Hinata jogou a cabeça para trás, permitindo que uma risada alta enchesse o refeitório. – Masturbou Sasuke durante a aula?!

- Masturbei e chupei, mon amour. – E riu com ar safado. Hinata riu ainda mais alto e o queixo de Ino quase quebrou a mesa para alcançar o chão. Se achava louca, mas ao que parecia Sakura ultrapassava todos os limites saudáveis.

- Não acredito que vivi pra ouvir algo do tipo. – Comentou por fim. Ino lhe sorriu maliciosa e Sakura soube que a breve irritação por botar seu pescoço em risco agora era um episódio esquecido em sua mente. – Você merece um parabéns pela ousadia, garota.

- Foi divertido e muito excitante. – Gastou algum tempo relembrando o que aconteceu depois e continuou. – A ideia era não passar do oral, mas parece que eu acabei tocando em um ponto sensível.

- Mas e aí? Ele manda bem? – Hinata questionou. A curiosidade quase saltando pelos olhos. Havia ouvido muitas histórias sobre o desempenho de Sasuke e maioria pareciam mentiras absurdas. Mas agora a morena sabia que de Sakura viria uma bela verdade.

- Tão bem que vou quebrar minhas próprias regras e repetir a dose. – Sorriu sacana e as amigas devolveram o gesto.

- Essa eu quero ver... – Ino falou e antes que pudesse falar mais alguma coisa, os rapazes chegaram a mesa.

Como de costume Naruto e Hinata trocaram saudações amistosas e pacíficas, enquanto Ino empoleirava-se no pescoço de Gaara enquanto lhe roubava os lábios. Sasuke limitou-se a sentar-se a frente de Sakura. Os olhos negros encararam as orbes esverdeadas, que lhe devolveram o olhar com ousadia e desafio. Aquela garota era fogo. Havia se comigo há poucos minutos e ela parecia fazer de conta que nada havia acontecido. Olhava-o destemida. Com expressão suave e felina. Gastou um tempo reparando no sol que iluminava os cabelos desgrenhados e em meio a isso, percebeu o cínico sorriso de lado que era quase imperceptível. Estava desafiando-o para um segundo round e Sasuke aceitou o desafio quase que de imediato.

- E então, cara? – Naruto chamou a atenção do amigo. – vai rolar?

- O que? – Perguntou levemente irritado. Não gostava de ter seus pensamentos interrompidos.

- Passar o fim de semana na casa de praia da sua família. – O loiro respondeu o óbvio. Haviam falado sobre isso ainda naquela semana e não acreditava que justo Sasuke havia esquecido.

- Há. Pode ser. – Respondeu indiferente, mesmo que no momento sua vontade fosse lançar para a garota de cabelo colorido, seu melhor sorriso cafajeste.

Ino olhava de um par ao outro, captando cada mensagem oculta. Queria muito ver onde aquilo ia dar e sabia que entre aqueles dois, as coisas seriam como uma bomba atômica. Shippava Sasuke e Sakura, da mesma maneira que shippava Naruto e Hinata, no entanto para esse ultimo, o “djabo” quem falava em voz alta. Ali não era uma bomba atômica. Ali era um civil prestes a ser devorado pela energia nuclear. Hinata realmente odiava Naruto, mas Ino ainda alimentava a esperança de que essa história ainda mudaria. Quem sabe aquele final de semana não tenha vindo em boa hora, afinal?! Sabia que não teria qualquer trabalho com Sasuke e Sakura, mas Naruto e Hinata seria uma história completamente diferente. Para ser franca, sabia bem que havia apenas 1% de seu plano dar certo e outros 99% de Hinata dar outra surra no loiro. Sentiu-se recuar brevemente em sua decisão quando pensou sobre o assunto. Só esperava que, na pior das hispóteses, a ira de Hinata não recaísse sobre si.


Notas Finais


Ps.: Perdão pelos erros gramaticais e equívocos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...