1. Spirit Fanfics >
  2. Garotas mágicas - Diabolik lovers. >
  3. Um convite ?

História Garotas mágicas - Diabolik lovers. - Capítulo 3


Escrita por: 2020elsa

Notas do Autor


Hello
Como vão?
Desculpas pela demora gente. Eu tinha outras fics pra atualizar.
Mas enfim
Trago mais um novo capítulo espero que gostem!
tenham uma ótima leitura. bjsss

Capítulo 3 - Um convite ?


Fanfic / Fanfiction Garotas mágicas - Diabolik lovers. - Capítulo 3 - Um convite ?

06 de abril,12 : 39, FBI. 


- acho que já sabem pelo que estão aqui - um homem alto e intimidador caminhava pela sala ,observando com atenção os seis agentes que prestavam, ou pelo menos aparentavam prestar atenção. Como poderiam ser irmãos se eram tão diferentes um dos outros ? não havia nada em comum entre eles, a não ser os dois ruivos que eram levemente, levemente familiares pela cor dos cabelos e olhos, porém nada mais do que isso. Como se fossem primos ou algo parecido. - seu pai os mandou aqui não é por acaso. Ambos sabemos que são capazes, e se quiserem provar seu valor a nós.... 

Ayato não prestava atenção em nada do que morpheus falava, e de verdade? Nem queria saber. Como ele, o melhor, tinha que ouvir e seguir as ordens de um simples humano? Como ele pensava que mandava nele? Ora, ele era um sakamaki, não um mortal qualquer! Enquanto tentava escutar o que seu chefe falava,o ruivo resolveu dar uma olhada na sala, para menos tentar achar algo de interessante naquele lugar para observar. 

A sala era bem espaçosa,com uma enorme mesa de mogno no centro,ccom capacidade para trinta pessoas, cheia de xícaras de café ainda quentes como se tivesse acontecido uma reunião recente. As cadeiras, feitas também de madeira, eram bem simples, porém muito elegantes. Vários armários, prateleiras e o estantes estavam nos cantos do cômodo, alguns totalmente abarrotados de papéis, relatórios de agentes e o fatos de casos de assassinatos, roubos e invasão de privacidade, alguns deles de 1908, os primeiros casos que o FBI resolveu. Pra quê guardavam aquilo se não iriam usar? Ayato não sabia. Estantes guardavam livros e armas, além de esconderem parcialmente os arsenais escondidos para o caso de invasões. Janelas fechadas, portas também, bem típico de morpheus. Como se ele não quisessem de que o vissem com os sakamakis ,uma família de reputação tão ruim entre os agentes... Como essa sala seria se estivessem em 1908?  talvez estariam de terno, gravata, chapéus como o de laito e fumando charutos? 

- Ayato, está escutando o que ele está dizendo? - uma voz ridiculamente educada o tirou de seus devaneios, era seu irmão mais velho reiji. Ele estava, como sempre, olhando para Ayato  com um de decepção, e se ajeitava os óculos repetidamente como quem está irritado - quanta educação. Deveria prestar atenção em seu trabalho em seu trabalho ao invés de ficar imaginando coisas aleatórias?  - ele ajeitou os óculos mais uma vez, e quase derrubou uma das xícaras de café que havia ali, já que não prestou atenção. 

Ayato teve vontade de rir, mas nada fez. Ou falou. Não era à toa que ninguém mexia com seu segundo irmão mais velho. 

- como ia dizendo , vocês tem um caso.... Interessante nas mãos. Vou ser sincero, é a primeira vez que isso me acontece um bando de garotas que não tem o que fazer para ficarem causando na cidade. Não temos idéia nem de onde começar a investigar. Resolvam esse caso, e todas as dívidas de vocês com a polícia se resolvem!  - morpheus tamborilava código Morse na mesa, algo como " aceitem logo, imbecis ". Se ele teria seis meses pessoas para resolver esse " bobo " problema para ele, não podia perder a oportunidade. 

- Então quer dizer que se prendermos essas meninas as dívidas do nosso pai são quitadas, e poderemos viver nossa vida em paz e longe de vocês?  - seu irmão mais velho, shu, perguntou, ainda de olhos fechados. Um garoto preguiçoso, respirava tão lentamente que era quase impossível saber se ele estava morto ou simplesmente dormindo mesmo. Era possível ouvir vagamente a música que estava tocando em seus fones...e o ruivo poderia dizer, as músicas eram bem incomuns. 

- exatamente - o mais velho sorrirá persuasivamente, tirando um papel de baixo da mesa juntamente com uma caneta - basta assinarem aqui e cumprirem o contrato que estarão livres de todas as acusações. Sabe, o pai de vocês não tem uma ficha limpa : lavagem de dinheiro, corrupção, acusações de assassinato.... E então? 

- sem chance - shu levantou da cadeira lentamente, batendo as mãos na mesa, totalmente irritado - não sou obrigado a fazer algo apenas pelo meu pai. Se quer ajuda para capturar as mágicas, peça a ele. Vou embora, se não se importam. Isso está começando a ficar chato... 

- tch!  chega dessa palhaçada. Vou embora agora. Pros imbecis que quiserem ficar, boa sorte, eu não quero saber de seis menininhas que querem atenção. - um albino furioso levantou - se da cadeira, por pouco não quebrando um armário que estava ali perto - se ele tem algum problema com vocês, que ele resolva sozinho. 

- cuidado sakamakis, aconselho aguardar o que pensam pra vocês - o brilho nos olhos de morpheus ficou incrivelmente perigoso, e ele também se levantou barrando a porta, certamente bravo - sabemos do segredinho de vocês, e vocês vão ajudar querendo ou não querendo, entenderam?  não é questão de escolher, ou ajudam, ou são revelados ao mundo, e todos saberão que uma espécie desprezível como vocês existe, e serão exilados do mundo. Todos terão medo de vocês, e não poderao voltar pra casa, pois estarão mortos - ele falava cada vez mais alto, se aproveitando da sala ser isolada do resto da agência, pois assim ninguém escutaria a conversa - ficarão aqui, e depois do serviço acabar,irão embora de boca aberta fechada. Deixem que o FBI Se pronuncie sobre o caso... 

- Então querem que apenas façamos o trabalho sujo, o resto vocês levam o crédito? Não sei o motivo, mas acho que já teve essa conversa antes. Quantos prisioneiros vocês prenderam assim?  - reiji perguntou, arrumando os óculos. Sempre teve compostura, mas sua vontade no momento era estrangular aquele velho e bom maldito. Como ele ousava!? 

- não é o  queremos,é o que vai acontecer - morpheus sorriu ignorando a outra pergunta, assinando ele mesmo o contrato com o nome de cada um ali - agora podem começar o trabalho. Lembrem - se, boca fechada. E bom fazerem isso direito... Vamos, o que estão esperando? - ele olhou para os seis com um olhar superior, para lembrar que era o chefe ali. Todos eles, de má vontade, saíram para suas nova salas ,pensando onde aquele maldito velho que dizia ser seu pai havia os metido.  

- ah, e kanato - o arroxeado o olhou, desconfiado - sem esse bicho de pelúcia velho a partir de amanhã. Acho que já passou por da idade de brincar de bonecos, não? 

- como é que é? Chamou o teddy do que seu agente imundo? - kanato tentou correr pra cima do mais velho, sendo barrado por reiji, que o puxou pra longe a caminho das salas que agora ocupariam sem ao menos olhar pra trás. 

- você! POR QUE NÃO ME DEIXOU QUEBRAR A CABEÇA DESSE CARA?! -  kanato gritou, sendo ignorado com sucessos pelo mais velho,que como sempre,suspirou. 

- kanato, por favor, não complique as coisas, ok? Apenas vamos ver tentar acabar logo com isso. Quem diria que o FBI era tão corrupto assim.... 

- nufufufu, teremos que prender pequenas menininhas por isso conta própria? Interessante.... - laito arrumou o chapéu sobre a cabeça, seus olhos verdes esbanjando malícia - mal vejo a hora de começar... 

- hump! Laito, você é o único interessado nisso. Como um mero humano acha que pode mandar em ore - sama?!  eu que deveria estar pedindo takoyakis de hora em hora! - Ayato parecia realmente indignado, olhando pela janela os carros que passavam - até conseguirmos o que eles querem aí vão ver só. 

- não sei nem o que estamos fazendo aqui. Bendita hora que reiji concordou com a nossa vinda pra cá sem a minha permissão - shu abriu os olhos azuis, olhando severamente para o mais novo, declarando - o culpado - agora vamos todos fazer algo estupidamente chato. Que ótimo. 

- como se você ligasse para o que acontece. Se fosse por você, seríamos expostos ao mundo. - os olhos de reiji adquiriram um brilho perigoso, de puro ódio do mais velho. Subaru, que estava calado, apenas revirou os olhos, esperando que aquela briginha inútil acabasse antes dele perder a paciência. Ele apostava que os outros não queriam que ele quebrasse um armário ou coisa parecida ali, na frente de todos. 

- teddy reparou uma coisa. - todos olharam para kanato, com a testa franzida - e uma das únicas vezes que conversamos por mais quarenta segundos, não é? Teddy acha isso estranho... 

Silêncio. Todos ficaram calados, ouvindo apenas o barulho dos sujos e corruptos agentes correndo pra lá e pra cá, carregando arquivos e gritando com os novatos. Aquele barulho todo estava começando a irritar os irmãos. 

Foi quando tudo ficou escuro. As TV 's, computadores e celulares, juntamente com as luzes do prédio inteiro praticamente apagaram, fazendo soar um alarme. Estavam sendo hackeados. 

- o que está acontecendo acontecendo?!  quem teria inteligência o suficiente para hackear nosso sistema desse jeito? - Leonardo, um agente veterano especializado em computação tentava inutilmente acessar os computadores, digitando diversos códigos para tentar salvar as informações, mas nada adiantava. 

- ora, ora, o que temos aqui? - uma voz feminina ecoou pelos eletrônicos. Parecia estar se divertindo com a situação, como se visse os agentes desesperados - um grupo de homens tentando parar nossos shows de mágica? Coitadinhos, mal sabem que os truques nem começaram..... Nunca viram nosso potencial não? 

- as garotas mágicas conseguiram. Hackearam nosso sistema. O que pretendem com isso? - morpheus apareceu do lado dos garotos, cerrando os punhos. Realmente, ele odiava as meninas. 

- não estamos aqui para para ameaça - los, não, não - uma outra voz, mais risonha e convidativa dizia, entre risinhos - estamos achando divertido esse novo jogo de pega - pega. Não se cansam de nos procurar? A sorte de vocês e que gostamos de brincar de polícia e ladrão. 

Novamente, as telas dos computadores e TV'S começaram a tremular, mostrando um... Convite? As palavras flutuavam abaixo do logo do FBI, para que todos presente pudessem ler. 

- o que é isso? Dia 06 de abril, tokio midtown, 19 ; 30. Hoje. E um shopping. Palco do primeiro andar, ao lado da praça de alimentação... Isso faz sentido? - Leonardo e os outros sussurravam entre si, tentando achar alguma resposta para o plano delas. Jamais os convidaram desse jeito, tão amistosamente. 

- estamos convidando vocês para o nosso futuro próximo show. Vai ser muito divertido ter a presença de vocês lá, meus queridos agentes. Vai ser ser interessante pra vocês, pois vamos fazer algo que ninguém fez até hoje...Vamos ressuscitar alguém. 

Todos seguraram o fôlego com a informação. Realmente, as garotas mágicas sempre foram sinceras e claras, mas... Até onde iria o poder delas? Como fariam isso? 

- esperamos vocês lá. Até logo. - seis vezes falaram juntas, antes de sumirem tão rapidamente quando apareceram, e tudo volta ao normal. Pelo menos tão normal quanto poderia ser naquele prédio. O silêncio continuava, com todos paralisados graças ao acontecimentos. 

- e meus mais novos agentes - morpheus virou - se para os sakamakis com um sorriso - acho que já sabem por onde começar. Espero que realmente gostem de shows de mágica, pois esse não será o último.  






Notas Finais


Continua???

Espero que tenham gostado!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...