1. Spirit Fanfics >
  2. Garotas também podem ser garotos >
  3. Único: Quem era Haechan de verdade?

História Garotas também podem ser garotos - Capítulo 1


Escrita por: e markpromises


Notas do Autor


olha olha, pois é sol saiu do mundo dos capistas para fazer uma pequena participação nesse evento PERFEITO, cheio de gente linda e mais perfeita ainda.. olha, confesso que essa vai ser uma das únicas vezes (talvez a única) que eu vá aparecer aqui nesse projeto como ficwriter, porque sinceramente sou bem insegure com isso então, errr

MAS, quero agradecer a marina (meu tudo, né) @chittafx por ter betado essa fanfic e por ter acompanhado ela desde o início e por ter me dado várias dicas, enfim, muito obg ao meu tudinho *carinha triste* e não tenho capista a agradecer pq fui eu que fiz KKKKKKKKKKKKKK. mas, anyways, estou muito feliz de fechar esse especial com a minha humilde fanfic, muito grate mesmo e honrade, na verdade. eu espero muito que todos gostem!

sem mais conversa (meu deus eu falei muito aqui), espero que gostem dela mais uma vez! boa leitura. <3'

Capítulo 1 - Único: Quem era Haechan de verdade?


Donghyuck era uma confusão. 

Uma confusão por completo. Às vezes, nem ele se entendia totalmente. Donghyuck era uma confusão que muitas pessoas tentaram desvendar, mas falharam, ao contrário de si, que ainda tentava se descobrir mesmo sempre tendo tantas inseguranças e confusões em sua cabeça. 

Durante todo tempo, principalmente durante o colegial, Donghyuck mantinha-se em seu próprio mundo, se escondendo de todos pelo fato de ter medo de ser julgado pelos colegas e principalmente pelos amigos. Mesmo que negasse com todas as suas forças, sempre se importava com a opinião alheia, por isso evitava contar coisas que aconteciam dentro de si. 

E isso o angustiava. 

Durante todo aquele tempo, se passavam milhares e milhares de coisas em sua cabeça? sobre sua sexualidade, sobre quem realmente era, sobre o que gostava ou não, e Donghyuck sempre teve que lutar contra essas coisas sozinho, internamente, porque pouco falava sobre com os seus amigos da escola. Tudo pelo medo de ser julgado. 

No começo do ensino médio, Donghyuck jurava de pé juntos que era heterossexual e que aquilo não mudaria, entretanto sempre se lembrava de quando era pequeno e sentia-se atraído por algumas de suas amigas (apesar de sempre ter paixonites pelos garotos). Tentava esquecer disso porque achava tudo muito errado, ainda mais por ser uma criança naquela época. Seu primeiro ano foi um completo caos, tentava a todo custo namorar um garoto por achar que era obrigado, já que todas as garotas sempre tinham um namorado ou gostavam de algum garotinho na época. Forçou-se a gostar do rapaz e até hoje diz que foi uma das piores coisas que já fez, porque se tornou ainda mais inseguro e mais problemas começaram a aparecer. 

Naquele mesmo ano, perdeu sua melhor amiga, mas não pense que foi algo trágico demais, ela apenas foi embora por sua conta própria. Decidiu que seria melhor continuar a amizade com outra pessoa do que com Donghyuck. Uma amizade de seis anos foi acabada e que o deixou arrasado. Desde então, decidiu que nunca mais chamaria outra pessoa de melhor amiga — foi o ano em que mais se machucou, perdeu pessoas de quem gostava mesmo tendo feito novas amizades, sentia que não estava completo. Suas amizades atuais não combinavam nem um pouco consigo e isso piorava tudo. As coisas pareciam desandar ainda mais e isso o deixava mais confuso e sem saber o que fazer. 

Em seu segundo ano, seus pensamentos sobre sua sexualidade começaram a mudar, as suspeitas de que era bissexual voltaram à tona — internamente, sempre pensou que era bissexual, mesmo dizendo aos seus amigos e pessoas próximas que era cem por cento hétero —, e sempre dizia que sua preferência era para com os homens, entretanto sabia que eram mulheres. Sim, tudo era muito confuso, aquela época em que ele escutava Girls Like Girls era muito confusa. Seus próximos relacionamentos também foram confusos, todos com mulheres e isso piorava ainda mais a situação. 

Ninguém sabia daqueles relacionamentos, ele sempre escondia dos seus amigos da escola, porém a maioria dos seus amigos virtuais sabia. E era com eles que se sentia confortável para desabafar e contar um pouco mais sobre si, mesmo que fosse pouco, porque ele odiava falar sobre si mesmo. O final do ano chegou e ele concluiu que era, sim, bissexual, porém agora com preferência por garotas. 

O terceiro ano do ensino médio foi o mais revelador e explicativo sobre quem Donghyuck realmente era. Com o seu próximo namoro, começou a suspeitar de que, naquela época, era panssexual, já que tinha engatado em um relacionamento com um garoto trans — entretanto, de qualquer forma, ele (quase) sempre foi bissexual, porque depois de um tempo soube que mesmo você se relacionando com um sexo oposto ao seu, sendo trans, cis, não-binário, ou qualquer outro gênero, você continua sendo bissexual, assim como se relacionar com alguém do mesmo gênero que o seu — e era um relacionamento que lhe fazia bem em partes, gostava muito do garoto, mas tinha dias que era muito difícil manter aquele namoro. Tudo durou quatro meses, eles se separaram e após isso começou a pensar que não se sentia tão confortável com garotos (sendo cis ou trans) quanto se sentia com garotas e, apesar de todos os seus relacionamentos passados não terem dado certo, ele sempre gostava mais de se relacionar com garotas. 

Foi aí que internamente o palpite de que Donghyuck era lésbica surgiu, ele sempre pensava sobre isso, mas preferia não comentar com ninguém. Naquela época, conseguia conversar algumas vezes sobre essas coisas com uma amiga próxima (que, além de ser sua vizinha, estudava com ele na mesma sala). Doyoung parecia o entender algumas vezes e até lhe dizia que ele poderia estar realmente certo sobre sua sexualidade. Porém, tudo ainda continuava muito confuso dentro de si. 

Não se sentia feliz daquele jeito, não estava satisfeito consigo e sentia que faltava algo para que ele descobrisse quem realmente era. No final daquele ano, após ter se formado com sucesso, começou a pensar mais sobre tudo aquilo. Agora com todo aquele tempo em casa, pôde refletir e não precisaria se esconder mais para ninguém. 

Donghyuck começou a aceitar a ideia de que realmente era lésbica, desde pequeno, porque, apesar de sempre assumir que gostava dos garotinhos e que se sentia atraído por boa parte deles, ele sabia que, no fundo, escondia que se sentia atraído por milhares de garotas ao seu redor e que preferia mil vezes estar com elas do que com os garotos. Mas, algumas vezes, Donghyuck se sentia um garoto de fato. Diversas vezes agia como um e, apesar de sempre excluir isso dos seus pensamentos, agora que poderia refletir sobre quem era, tudo pareceu fazer muito sentido dentro da sua cabeça. 

Donghyuck gostava de comprar roupas consideradas “masculinas”, muitas vezes gostava de se arrumar como uma “garota comum”, mas adorava estar livre e usar roupas mais largadas, seus inseparáveis tênis e pouco se importar com uma aparência feminina. Ele detestava diversas coisas que a maioria das garotas da sua idade usavam e isso também o deixava confuso. Porque, na maioria das vezes, ele não se identificava com o seu próprio gênero, era uma garota cis, que na maior parte das vezes sentia-se como um garoto. Foi então, que ele descobriu se identificar com os dois gêneros, ele adorava ser uma garota, e de usar roupas que “eram para garotas”, mas também amava usar roupas “masculinas”,  e isso poderia ser uma grande resposta para as mudanças em suas roupas ou em seu estilo. Mesmo existindo várias garotas que gostavam de usar roupas consideradas mais masculinas e que se identificavam com o seu gênero de nascimento (como Doyoung, por exemplo), isso não acontecia com Donghyuck e era estranho. Queria ter cabelos curtos que o deixassem livre para ser quem era e como se identificava. Donghyuck aos poucos descobriu-se genderfluid, de tempos em tempos seu gênero poderia fluir para o masculino ou para o feminino, e acontecia sem que tivesse um controle sobre isso. 

Algumas vezes Donghyuck era uma garota mas em outras ela era um garoto, e isso a deixava confortável de uma forma inexplicável. Ela se sentia feliz sendo assim, tendo o gênero fluido e podendo ser uma garota quando seu gênero fluísse ou apenas ser um garoto também. Com isso, Donghyuck percebeu que precisaria de um nome masculino, assim seria fácil para quando se sentisse confortável como um garoto. E também, facilitaria para os seus amigos que poderiam lhe chamar de Donghyuck quando seu gênero fosse feminino e o nome que escolheria para quando fosse masculino. 

Entretanto, Donghyuck teve outro grande problema. Ele, ou ela, não conseguia achar um nome que o agradasse ou que combinasse consigo. Passou dias e dias procurando por nomes e pedindo ajuda ao seu amigo que também era genderfluid e ambos chegaram à conclusão, juntos, de que um nome bom para si era Haechan. Combinava consigo e, apesar de não ter achado tão diferente, tinha gostado e ainda combinava com o seu nome feminino. Ele tinha feito uma grande escolha, apesar de se achar péssimo nisso. 

Assim, longe de todas as pessoas que poderiam julgá-lo e de todo o ambiente ruim que odiava estar, Haechan era ele mesmo, ou ela algumas vezes, ele apenas se sentia livre para ser quem era. Sem ter medo disso ou de ser julgado na maioria das vezes (mesmo que a insegurança não tenha passado e ele ainda tenha medo de muitas vezes acabar recebendo julgamentos) por pessoas de que gosta. 

Haechan se sentia completo. Renjun, sua namorada, o aceitava desde o início e nunca o julgou por ser quem era, assim como Jisung, que era sua melhor amiga (sim, Haechan agora tinha uma melhor amiga apesar de ter jurado para si que nunca mais teria) e que também o aceitava perfeitamente. Ambas as garotas o amavam como ele era, sendo um garoto ou uma garota, elas cuidariam, aceitariam e o amariam da mesma forma. E isso o deixava feliz, realizado e completo por ter pessoas perto de si que o entendiam. 

Seus outros amigos, apesar da dificuldade, também aceitavam isso. Algumas vezes erravam nos pronomes, mas Haechan nunca ficava chateado, já que entendia que era difícil e com o tempo todos iriam entender a confusão que ele era. Afinal, garotas podem ser garotos se quiserem também e podem amar outras garotas, desde que aquilo as complete e que as faça bem. 

Donghyuck era, sim, uma confusão, mas era uma confusão que muitas pessoas amavam e ele (ou ela) não via problema nenhum nisso. Adorava ser quem era e agora estava completo, feliz e certo de quem era, do que gostava e do que o fazia feliz. Ele amava muito tudo aquilo e fazia questão de dizer para todos agora quem realmente era. 


Notas Finais


quero agradecer especialmente a ari (minha melhor amiga) e a alice (minha namo neah) pelo apoio que vcs me dão <3 eu amo vocês

eu também amo muito esse povo todinho do neoficzens, quero agradecer todo mundo que parou para ler isso aqui!
e caso alguém esteja curiose sobre o nome masculino de sol (duvido muito maaas) é alex, e sim, ele combina com o meu nome verdadeiro JDKFJFRKRJF

é só isso mesmo, obrigado mais uma vez e (quem sabe) vejo vocês em breve!

com amor, sol! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...