História Garoto barraqueiro - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


sim eu estou d volta depois de dois anos sem postar nada novo e com uma bela markjin que eu amei fazer
queria dedicar ela pra @gonisaur que nao parou de encher o meu saco por quase duas semanas pra postar logo, então cá estamos vic

espero que goste e dê boas risadas!

Capítulo 1 - É só uma multa


Era um dia comum em que o Park costumava sentar na sacada de seu apartamento para ler um livro enquanto apreciava seu café, mas naquele dia em específico teria que deixar de lado sua rotina um tanto sagrada para poder sair pelas ruas da cidade a procura de um presente para seu sobrinho. O coreano definitivamente odiava histórias de super-heróis, não entendia o fascínio dos jovens por essas animações bobas e, segundo ele, nunca trocaria seus livros filosóficos e poéticos por tais.

Se viu ainda mais amargurado com as hq's quando olhou em seu relógio e se deparou com as exatas três horas que estava procurando pelo maldito herói que Yugyeom lhe pedira, então jurou que entraria em apenas mais uma loja antes de voltar para casa.

Quando finalmente alcançou com os olhos a sessão de brinquedos daquele último estabelecimento, pôde ver as cores vibrantes de longe e rezava para ser o que estava procurando, então foi em passos apressados até o boneco, a fim de apenas pagar por tal e mandar o pé dali. Quase chorou de emoção por ter encontrado aquele pedaço de plástico, realmente o teria feito se um garoto loiro não tivesse aparecido e pegado de sua mão o que o coreano havia caçado por tanto tempo, fazendo um ponto de interrogação enorme surgir em cima de sua cabeça com o ato.

— Eu fico com isso. — O garoto disse em um sotaque que Jinyoung deduziu ser americano, ainda abismado com tamanha falta de educação.

— Como é? — O coreano apenas olhava incrédulo o outro colocar o boneco debaixo do braço como se nada tivesse acontecido. — Por acaso você não percebeu que eu estava olhando isso e prestes a levá-lo? — Arqueou uma das sobrancelhas, vendo que o loiro não dava a mínima para a situação.

— É eu vi, mas esse é o último boneco do homem-aranha e eu procuro por ele há algum tempo, então eu não me importo se você queria levar ou não — disse alterando um pouco a voz e prestes a ir para o caixa quando o Park o parou.

— Não se importa? Eu também estou procurando por esse pedaço de plástico quase o dia todo e encontrei ele primeiro, por isso você não tem o direito de tomá-lo da minha mão como se estivesse tudo bem! — Também aumentou o tom de voz e com isso começaram a aparecer algumas pessoas para entender a intriga que acontecia naquele corredor.

— Eu ao menos entendo direito o que você fala e eu não estou nem aí, então sai da frente pra eu poder pagar pelo meu boneco. — O suposto americano continuava com o tom alto, ameaçando ir para cima de Jinyoung, que atrapalhava sua passagem.

— Quer que eu desenhe então? Você não vai levar isso porque eu encontrei primeiro. — Quase silabou toda a frase, irritando mais ainda o outro, que apenas empurrou o Park. 

Em outra ocasião Jinyoung não gastaria seu tempo brigando por algo extremamente bobo assim, porém, visto que passara horas na procura do presente para o sobrinho, não podia apenas ir para casa de mãos vazias por causa de um cara idiota e sem educação, sendo assim não tardou a revidar com outro empurrão, seguido de uma tentativa de soco do mais baixo, que o coreano se sentiu incrível por ter desviado, mas que também tratou de desferir um murro no garoto.

Nessa altura o corredor em que brigavam já estava cheio de pessoas observando, no entanto quando um garoto comprido tentou apartar tudo aquilo, o americano se desvencilhou do mais alto para apenas pegar a primeira coisa que viu e arremessá-lo contra o menino, logo voltando a segurar o mais alto pela gola do sobretudo o chocando contra a estante de brinquedos ao seu lado.

A maioria das pessoas ali olhavam embasbacadas, uma ou outra torciam, entretanto tudo aquilo findou-se apenas quando dois policiais apareceram no corredor da loja, acabando com a briga.

— Vocês dois vão para a delegacia — alegou em bom som e Jinyoung quase desmaiou ao ouvir aquilo. Nunca imaginou passar pela polícia e sua mente ficou ainda mais abalada quando pensou que poderia ser preso apenas por um brinquedo bobo.

Definitivamente mataria aquele loiro barraqueiro.






— Esse cara é um imbecil! Eu estava pronto pra comprar aquele brinquedo e ele simplesmente puxou da minha mão. — Jinyoung explicava-se para o policial, que o olhava com uma sobrancelha arqueada.

— Você começou a fazer escândalo, e eu precisava mais daquilo. — Mark, como descobriu ser seu nome, tentou se defender.

— Não me importa a situação, vocês estavam brigando em um lugar público, e você. — Apontou para o loiro — Jogou um notebook de brinquedo em um garoto, portanto, os dois levarão uma pequena multa e serão liberados, enquanto isso, podem esperar na outra sala. — Indicou para que os dois saíssem.

Sentaram-se com uma cadeira de distância, mas o americano conseguia sentir a raiva e desespero que o coreano exalava. — Eu não acredito, tudo isso é culpa sua! — Tentava se controlar para não explodir. — Não é possível que eu vim parar na delegacia por causa de um boneco e de um idiota igual você.

— Calma gatinho, é só uma multa — disse simples, fazendo Jinyoung virar a cabeça em trezentos e sessenta graus, olhando-o incrédulo.

— Como? — Não sabia se estava mais confuso pelo americano tê-lo chamado de "gatinho", por estar calmo com uma multa ou por ter mudado totalmente sua personalidade em um estalo de dedos.

— Isso aí, digamos que eu seja um pouco barraqueiro, mas eu gosto de irritar as pessoas e acabo causando mais intrigas do que realmente quero. — Quanto mais Mark falava, mais a raiva do Park crescia. — E eu te achei super bonitinho de longe, porém quando vi que era estressadinho não pude perder a oportunidade de te ver realmente puto. — Riu de todas as expressões confusas e bravas que o coreano fazia.

— Seu idiota! Eu aqui só porque você achou graça em começar uma briga. — Riu nervoso, contendo-se para não socar o cara bonito em sua frente. — Em outra ocasião eu te daria um murro agora mesmo. — Limitou-se a cruzar os braços e olhar para o nada com a expressão ainda totalmente puta.

— Foi mal gatinho, o que acha de sair comigo para eu poder compensar o mal entendido de hoje? — Quebrou a distância entre as cadeiras e piscou para o Park, recebendo um olhar furioso.

— Você é realmente louco, eu nunca sairia com um babaca. — Continuou com os braços cruzados, abismado com tamanha falta de vergonha do rapaz.

— Nem se eu te desse isso em troca? — Tirou o famoso boneco do homem-aranha da jaqueta de couro, analisando a cara mais incrédula ainda do coreano.

— Como voc- 

— Se sair comigo eu te dou o que você tanto queria. — Guardou o personagem novamente e esperou o outro pensar.

O Park cogitou em não aceitar mil vezes em apenas três segundos, mas de fato não teria muitos motivos para fazê-lo, visto que fora um dia tão longo e cansativo que também se perguntou se já não se passava mais de cinco horas que estavam ali. Só queria poder voltar para casa e voltar sem o que ocasionou tudo aquilo iria ser decepcionante para si.

— Eu te odeio — disse acompanhado de uma risada do americano —, passa esse brinquedo pra cá! 

Estava aliviado por ter o tão esperado boneco em mãos, não sabia se queria esganar o sobrinho por tê-lo colocado numa emboscada dessa, socar Mark mais uma vez, ou apenas aceitar que gostou da ideia de se encontrar com aquele barraqueiro de carteirinha.


     



Quase uma semana se passara desde o ocorrido com o loiro, que mesmo depois de dias, ainda lembrava o Park de seu encontro em troca do brinquedo. Mas diferente do que o coreano pensava, seu relacionamento com o outro estava fluindo bem, não querendo socá-lo na maior parte do tempo.

     Naquele dia em específico, Jinyoung estava um pouco mais animado com a ideia de se encontrar novamente com Mark depois de uma série de mensagens bobas.



garoto barraqueiro :p
oh meu consagrado, que dia
lindo, os raios de sol são
como sua brilhante pele.


pare de encher meu celular 
de mensagens com essas baboseiras


garoto barraqueiro :p
baboseira são meus olhos perto dos seus belíssimos 
par de mares escuros


vou voltar a dormir


garoto barraqueiro :p
espera
o que foi


garoto barraqueiro :p
vamos sair hoje.
tenho que ver se posso


garoto barraqueiro :p
não foi uma pergunta gatinho
me encontre no restaurante xxx
às 19h hoje
te vejo lá


Jinyoung sorriu para o celular diversas vezes antes de deixá-lo de lado e levantar-se. Seria um longo dia.





O relógio marcava seis e meia quando terminou de aprontar-se no banheiro de sua irmã, já que teria que entregar o famigerado presente para seu sobrinho, resolvera passar a tarde por ali. Vestia uma calça jeans de lavagem escura, juntamente com uma blusa cinza de gola alta e um sobretudo preto. Terminou de despedir-se da família quando seu celular começara a vibrar, era Mark.

Alô. — Ouviu a voz do americano.

O que foi Mark? Eu já estou saindo. — Colocou o celular entre o ombro para poder pegar a chave e entrar em seu carro.

Imaginei, liguei só para ter certeza e te encher o saco. — Riu baixo, fazendo o coreano revirar os olhos.

E você quase não gosta de encher o meu saco. — Se permitiu rir da quase característica do outro — Eu vou desligar, já nos falamos. — E assim partiu com o carro para o restaurante.

Assim que adentrou o lugar, conseguiu avistar o loiro em uma mesa de canto mesmo com as luzes baixas do lugar. O Park não deixou de notar que o americano vestia uma gola alta preta junto a uma jaqueta de couro igualmente preta, que a propósito, ficava muito bem nele. Era um restaurante relativamente mais caro dos que costumava frequentar, mas não se importou muito, tratando logo de ir em direção ao americano, que o guiou com os olhos brilhando desde a porta de entrada.

— Você realmente veio. — Levantou-se ainda com um sorriso nos lábios, puxando o Park pela cintura e o envolvendo em um abraço.

— Por que toda essa desconfiança? Eu disse que viria. — Passou os braços pelos ombros do outro.

— Talvez porque você me achasse um idiota e poderia simplesmente sumir para não se encontrar comigo novamente. — Soltaram-se e sentaram frente a frente.

— Eu ainda te acho um idiota. — Riu com a cara emburrada que o loiro fez. — Mas eu venho conversando com você e aguentando suas baboseiras há uma semana, se eu quisesse sumir realmente, já teria feito.

— Então você gosta das minhas baboseiras? Sempre soube que as cantadas funcionavam — disse convencido.

— Definitivamente não, contudo eu as aturo. — Viu o outro quase murchar em sua frente.

— Era pra eu me sentir um pouco privilegiado? 

— Digamos que sim. — Ambos riram e trataram de fazer seus pedidos.





Depois de alguns bons minutos e umas boas taças de vinho, ambos os pratos chegaram e não tardaram em quase atacá-los.

— Hoje eu fui até a minha irmã para entregar o presente do meu sobrinho. — Começou o assunto ainda na metade do prato. — Acredita que Yugyeom disse que o brinquedo que ele queria era um homem de ferro e não um homem-aranha! Realmente me jogou em uma emboscada dessa para nada. 

— Meu deus Jinyoung você é péssimo, como conseguiu confundir o homem de ferro com o homem-aranha? — Estava incrédulo como se fosse a pior coisa do mundo.

— Não tenho culpa se os nomes são parecidos, essas coisas de quadrinhos não são pra mim. — Já haviam acabado de comer e apenas apreciavam mais do vinho.

— Eu deveria levar isso como uma ofensa. Tenho a árdua missão de te transformar em um amante de hq's daqui pra frente. — Quase se levantou para anunciar aquilo.

— Nem pense nisso Mark Tuan. 

— Imagina eu, você e nossa casa cheia de personagens da marvel. Seria o paraíso. — Olhou para o teto como se imaginasse a cena.

— Você está delirando. Eu nunca trocaria meus livros por essas coisas — falou simples, acabando com o momento do americano.

— Livros são chatos. — Após falar isso recebeu um olhar de desaprovação do coreano. — Mas mesmo que eu não goste deles, em alguma outra ocasião em que você estivesse com um último exemplar em mãos, pronto para comprá-lo, eu tomaria de você só para te ver bravinho novamente. — Sorriam um para o outro.

— Você me viu bravo por causa de um boneco bobo e que eu não dou a mínima, agora você não irá querer me ver bravo por causa de algo que eu gosto — ameaçou em meio aos sorrisos.

— Eu adoraria, na verdade — provocou.

— E eu adoraria socar sua cara novamente por isso, garoto barraqueiro.



Passaram a noite rindo juntos, mesmo depois de saírem do restaurante e pararem na esquina onde ambos os carros estavam estacionados. Não se importaram com o horário, apenas queriam prolongar aquele momento bom, no qual Jinyoung fazia caretas das cantadas de Mark ou do americano se esquivando de tapas fracos que o moreno dava em si a cada flerte. E naquela noite talvez, só talvez, eles tenham brigado mais uma vez, mas entre suas bocas.



Notas Finais


eh isto mark barraqueiro ! só quem lembra da briga do laptop no bambam sabe
espero que tenham gostado, por favor comentem o que acharam <3

capa @aestuantic
betagem @pasdedeux

meu tt @softwjaemin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...